História Controversial of Love - Capítulo 11


Escrita por: ~

Exibições 22
Palavras 1.420
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oii povo bonito, espero que gostem desse capítulo, se quiserem deixar um comentário sobre o que estão achando agradeço, assim posso ter uma ideia e isso estimula a continuação rápida, obrigada!

Capítulo 11 - Frustration?


Fanfic / Fanfiction Controversial of Love - Capítulo 11 - Frustration?

Allison Argent P.O.V

Eu simplesmente não acreditava em nada em estava acontecendo comigo. Quando eu pensava que meu dia melhoraria ele só piorava cada vez mais e mais. Eu estava com raiva de Stiles e Lydia que eram meus amigos mais próximos, ou seja, sem ninguém pra desabar tudo que eu estava sentindo. Eu tinha Malia e Kira, porém não sou muito próxima a elas, então decidi guardar tudo pra mim mesma. Eu não estava nem um pouco bem, Scott acabou voltando mais cedo do que eu esperava, eu estava totalmente desamparada. Lydia e Stiles sabiam que ele voltaria e mesmo assim não me avisaram, Isaac estava brincando comigo, eu nem sei por que raios eu fiquei parada esperando ele me beijar. Eu sinto que ainda gosto do Scott e não vai ser esse idiota que vai me machucar mais ainda. Eu estava caminhando pelos corredores procurando abrigo, um lugar para me esconder e nunca mais sair. Não achei nada, eu não queria encontrar mais ninguém, segurei firme minha bolsa em meu ombro e saí daquela maldita escola correndo. Corri até em casa, quando cheguei abri a porta rapidamente e adentrei. Subi as escadas pulando degraus, corri até meu quarto, entrei e me tranquei. Não pensei em nada melhor do que desligar meu celular e evitar mensagens, antes dei uma olhada nas notificações e só tinha mensagens de quem eu não queria. Deslizei até o chão e fiquei sentada observando a janela e pensando nas coisas que estavam acontecendo ultimamente. Tenho problemas agora com 4 pessoas e a festa da Érica já é nesse sábado, estou sem acompanhante e sem roupa, juro que não estou nem acreditando nisso.

- Allison, está tudo bem filha? - Meu pai falava do outro lado da porta.

- Eu estou bem, só preciso descansar. - Gritei.

- Tudo bem querida, se quiser descer pra um café ta lá na mesa.

Dentre as mensagens havia um número desconhecido, fiquei bastante curiosa e decidi olhar, pior escolha que eu fiz. Era Scott. Ele me pedia para que conversássemos e isso nem foi o pior, ele dizia que ainda me amava e que me queria por perto. Tentei ignorar lendo as outras mensagens, Stiles e Lydia mandavam desculpas, passei essas mensagens também, minha cabeça estava quente demais pra querer escutar a merda de explicação desses dois. Tinha mais uma, era aquele infeliz do Isaac. Eu não li e nem pensava em ler, que ele mande mensagens pra vagabunda da namorada dele, pra mim que não mande nada, ai meu deus o que eu disse da garota, esquece to de cabeça cheia. Me levantei e fui tomar um banho, pensei em ir até o shopping comprar algum vestido pra festa já que a aula terminou mais cedo. Tomei um banho bem gelado pra aliviar tudo, me sequei e vesti uma saia branca com uma blusa laranja e um tênis branco também. Peguei uma bolsa preta, coloquei um dinheiro que eu tinha e meu celular ainda desligado. Saí do meu quarto e fui em direção ao meu pai para avisá-lo. Avisei-o que não tinha hora pra chegar e pedi seu carro emprestado, infelizmente ele precisava dele pra ir ao supermercado, frustante. Antes de sair comi algumas torradas com um refrigerante, subi novamente, escovei meus dentes e desci de volta. Saí de casa e fiquei olhando a rua para ver se eu conseguia raciocinar um caminho menos longo para que eu não demorasse e ainda voltasse pelo resto de tarde. 

- Você vai ler minhas mensagens ou vai ficar de birra comigo também? - Escutei uma voz familiar, não acredito que esse demônio estava aqui.

- O que quer? - O olhei, me virei novamente e comecei a caminhar.

- Quero que você leia essas porcarias de mensagens e pare de ser idiota comigo. - Parei e me virei para ele novamente cruzando os braços.

- Vindo de você não acho que seja nada de importante - debochei e voltei a caminhar. Senti que ele me seguia. O que eu fiz pra merecer???

- Ah, mas você está muito enganada. - Ele segurou meu braço. 

- Olha só, não percebeu que não to interessada nas suas bobagens não? E solta meu braço que ta machucando. 

- Só solto se você dizer aonde está indo.

- Ta de brincadeira comigo né? Só devo satisfações ao meu pai, não a um chato frustrado feito você. 

- Eu não sou frustrado. Essa foi boa, mas ainda vai me contar aonde está indo. - ele riu debochado.

- Ah, mas você é frustrado sim e aliás, não vou dizer nada. 

- Da pra parar de dizer que sou frustrado? - Eu ri.

- Não paro, porque é exatamente isso que você é, f-r-u-s-t-r-a-d-o. - Soletrei com deboche.

- Aé engraçadinha? Sou frustrado com o que?

- Com tudo, nada ocorre como você quer. Deve ser porque as garotas que você pega te deu um pé na bunda aí você está aqui achando que quero algo com você. Ai não, me esqueci que você namora, ops, acho que ela não vai gostar de saber que você está sondando outras garotas. - Soltei meu braço e fiquei olhando sua cara de retardado.

- Eu não namoro ela. E se eu quisesse ficar com alguma garota eu estava atrás de alguma não "sondando" você. - Ele falava mais alto conforme eu ia me afastando. - Allison você é minha amiga, eu quero você por perto, eu não te fiz nada pra me tratar dessa forma.

- Não fez? Quer que eu te lembre? Alem que sua personalidade muda do nada. - O olhei, Isaac devolveu o olhar e permaneceu calado.

- Melhor não, definitivamente. 

- Quer dizer que você sabe que fez algo, ótimo, to caindo fora. - Fui andando novamente.

- TUDO BEM EU SEI QUE FIZ ALGO, ME DESCULPA TA? EU JURO, JURO MESMO QUE NÃO TINHA A INTENÇÃO EU TE AMO. - Ele gritava fazendo drama, quando escutei o "eu te amo" eu me virei na hora e fiquei encarando-o incrédula.

- O que você disse? - Eu voltava em direção a ele.

- Eu disse que foi sem querer tudo isso, de verdade da pra me desculpar?

- Não foi isso, o que você disse depois?

- Ham, que você é minha amiga e eu te amo. - Eu sorri pra ele e ele revirou os olhos.

- To indo ao shopping comprar um vestido pra festa da Érica.

- Ham, aquela que você vai com o Stiles?

- Essa mesma, que eu iria com ele porque agora já não sei. Quer ir comigo?

- Na festa? Melhor não depois acham coisas erradas e ..... 

- Não idiota, no shopping. - o interrompi.

- Ata, palhacinha. Vou, afinal eu disse que você ia me dizer aonde estava indo. Mas vai me dizer o por que sou frustrado? 

- Bom..... Acho que, não sei direito, melhor deixar quieto. - o olhei e comecei a rir. Ele me olhou.

- Não ta querendo dizer o que eu to pensando não né? Eu realmente espero que não. - ele caminhava até seu carro, o destravou e eu fui atrás dele me sentando no banco do passageiro. Me ajeitei e parei.

- O que exatamente você acha que eu queria dizer? - dessa vez ele riu e me observou enquanto ligava o carro, logo partiu em direção ao shopping. 

- Quer mesmo saber?

- Claro, vai ver não tem nada haver.

- Você não quis dizer que....Que minha frustração é sexual né? - comecei a rir feito uma criança em um circo. - fiquei um tempo calada.

- Quer saber? Foi exatamente isso, mas acho que sua namorada te da um jeito. 

- Por mais que eu ache que não tem necessidade de ficarmos falando sobre isso, o que mais questiona na minha cabeça é que você  também parece ter essa frustração. - ele riu, o olhei abismada. 

- Sem chance de eu ficar falando minha vida sexual com você. 

- Ah então da minha pode? Meu apoio pra você ir pro circo continua de pé. - ele estacionou o carro e eu desci sem dizer nada. Adentramos naquele imenso shopping, já que ele insistiu em saber aonde eu iria, fiz ele me acompanhar em várias lojas, segurou vários vestidos, vários sapatos e deu vários comentários sobre cada um. Resumindo, passamos a tarde toda lá, eu vestindo e ele carregando e opinando, foi até que divertido conhecer mais o "Isaac legal" e esquecer dos meus problemas atuais. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...