História Convite Ao Pecado - Capítulo 12


Escrita por: ~

Exibições 26
Palavras 3.146
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - BABYS?


Pov's Melissa

- N-não, quero dizer, nossos filhos separados, eu os meus e você os seus.- tentei concertar a merda que eu tinha falado, eu nem sei porque eu falei aquilo, só saiu da minha boca e quando eu me dei conta já era tarde de mais. Nicholas continuava me olhando assustado, Tobias e as meninas ficaram me olhando com sorrisinho debochados na cara, Gustavo ficou me encarando procura do palavras pra me ajudat a sair dessa, e a mãe de Kate ficou nos olhando sem entender o porque do silêncio.

- Nem adianta tentar desfazer a merda porque agora já foi amorzinho! - Provocou Tobias e Kate prendeu a risada.

- M-mas eu to f-falando sério.

- Não gagueja não linda!- provocou Pâmela.

-Desculpa, mas nem tem como eu te defender! -susurrou Gustavo.

- Até porque n faz sentido, porque você estaria falando dos filhos dos dois separadamente se quem queria deixar a criança chorando era ele? - Kate perguntou, piorando a minha situação.

- E você Nicholas? Ta pensando em como vai reproduzir os filhinhos dos dois? - Tobias provocou e todos na mesa riram, menos eu r Nick que já estávamos mais do que vermelhos.
    O que era pra ser um almoço trabquilo se tornou em um almoço repleto de piadinhas e fotinhas dos "nossos filhos", sempre que o assunto parava e nós começávamos a falar de outra coisa Tobias e Kate faziam questão de voltar no assunto.
  Assim que terminamos o almoço, Tobias e Pâmela se encarregaram de varrer o châo da cozinha, eu e Nicholas ficamos com a louça e Kate e Gustavo ficaram encarregados de escolher o filme, já que eles eram os que mais gostavam de filmes desse gênero.

- Você precisa filtrar as coisas que você fala as vezes. - Nicholas falou enquanto pegava um pano para enxugar as louças que eu estava lavando.

- Eu tento!

- Não parece, daonde você tirou que nós vamos ter filhos?

- Eu não sei...saiu da minha boca do nada, foi tipo assim, a gente tava lá conversando aí eu abri a boca e aí CABUM! Já tinha saído!

- Você é louca! - ele fez um sinao de negação com a cabeça e secou as últimas louças, e logo me deu o pano para que secasse a minha mão.

- É, eu acho que eu sou mesmo! - Abri um sorrisinho de lado e caminhei com ele para a sala, todos já estavam lá menos nós dois, eles forraram alguns lençois no chão e colocaram alguns travesseiros com 1 cobertor pra cada um, Tobias estava na ponta, ao seu lado Pâmela, depois kate e depois Gustavo, Nicholas deitou na outra ponta e eu deitei entre ele e Gustavo. O filme nem tinha começado e eu já estava coberta dos pés a cabeça escondendo o meu rosto. O motivo? O filme é de palhaço e eu simplismente morro de medo de Palhaço, eu até tentei convencer eles a colocaram outro filme, mas eles não quiseram.

- Hey. - Gustavo me chamou.

- Oi.

- Porque você está toda coberta? O filme nem começou ainda!

- Porque ela já esta com medo do palhaço que nem apareceu ainda! -Nicholas respondeu por mim, Gustavo só abriu um pequeno sorriso e voltou a olhar pra Tv que agora já estava com o fime passando.

- Você fala como se fosse uma idiotice.

- Mas é! - ele afirmou olhando para a TV.

- Não é não! - Eu falei um pouco mais alto por conta do volume alto da TV,  e então ele virou a cabeça e ficou a me encarar.

- Faz o seguinte, veja o filme, se você sentir muito medo tente se concentrar em outra coisa, ou então tenta dormir.- eu apenas concordei com a cabeça e virei a cabeça para a TV, para voltar a ver o filme, assim como ele.
                           
            Pov's Gustavo

O filme ainda estava no começa e Melissa já estava morrendo de medo, e o palhaço nem tinha aparecido ainda, Kate estava do meu lado com os olhos vidrados no filme, parecia uma criança vendo um filme da Disney, Tobias e Pâmela, o casalsinho 20 do grupo estavam vendo o filme de conchinha, vez ou outra ele depositava alguns beijos jo ombro dela e como resposta ela apenas sorria, eu já tinha visto aquele filme uma vez por isso eu não estava tão interessado, quando finalmente chegou a parte mais assutadora, em que só se ouvia as risadas do palhaço e a tela ficava toda escura.
Eu olhei para o lado e vi Melissa tremendo mais que cachorro quando sai do banho, Nicholas já incomodado com a tremedeira toda virou para o lado e tapou os ouvidos dela, na tentativa de fazer ela não ouvir mais as risadas assustadoras que tomavam conta da sala, em um movimento rápido ela se chegou mais para perto dele e o abraçou, ele levou um susto, mas depois a envolveu em seus braços, ela se apertou mais nele que virou a sua cabeça para frente para continuar vendo filme enquanto a tinha em seus braços, e a cena que veio a seguir foi uma das mais lindas e raras que eu já vi na minha vida, ele olhou para ela, que já havia parado de tremer, e rapidamente abriu um sorriso de lado, automaticamente eu abri um sorriso também e ouvi Kate soltar um "AWN" baixinho atrás de mim, e eu logo me virei para encarar ela.

- São lindos né? - perguntei, e ela apenas afirmou com a cabeça.

- Quem precisa ver filme, quando se pode observar a fofura desses dois casais aqui.- ela apontou para Nicholissa e Tobamela,  Tobias agora já estava deitado de barriga para cima vendo o filme e Pâmela estava envolta de seus braços com a cabeça encostada no peito dele, que fazia pequenas carícias nas suas costas e no seus cabelo.

- Ah eu preciso ver o filme, porque daqui a pouco esse casais começam a dar patadas um no outro. - brinquei.

- Nicholas e Melissa então...- ela continuou e nós rimos baixo. - Seria pecado se eu tirasse uma foto deles assim?

- Pecado não seria não, mas eu duvido muito que você consiga.

- Quer apostar?

- Te dou 5 reais se você conseguir! Mas tem que ser uma foto boa.

- Está apostado! Espere pra ver.

     Viramos para frente e continuamos vendo o filme. O filme já estava quase no final, quando um barulho alto de explosão tomou conta de toda a rua, fazendo com que todos levássemos um susto, menos Pâmela que continuava dormindo, rapidamente todas as luzes se apagaram e só ai nos demos conta de que já era noite, o filme nem era tão longo assim, mas por conta do tempo que demoramos almoçando, arrumando a cozinha e escolhendo os filmes, sem contar com as vezes que tivemos que pausar o filme para alguém ir ao banheiro ou beber água. Assim que as luzes se apagaram Kate segurou a minha mão e nós dois nos sentamos, eu olhei para os lados e não consegui enxergar nada, tateei o chão com a minha mão livre e encontrei o rosto de Kate.

- Você está bem? - perguntei baixinho.

- Estou, você está?

- Estou, estão todos bem?

- Sim.- Nicholas e Melissa falaram em unissom.

- Pâmela continua dormindo e eu estou com o braço dormente, porque ela está dormindo em cima dele.- ouvimos a voz de Tobias falar ao nosso lado, todos nós demos uma risada, e eu e Kate nos levantamos.

- Acendam as lanternas dos seus celulares que eu vou buscar vela. - Kate falou ainda de mãos dadas comigo, e logo pode-se ver as lanternas dos 5 celulares acesas. - Você pode ver como está a minha mãe? Eu acho que ela está dormindo mas é bom conferir! - ela perguntou pra mim e eu apenas assenti tomando o caminha das escadas pra encontrar a mãe dela, subi as escadas com o meu celular na mão, iluminando uma pequena parcela do caminho, andei de porta em porta, até chegar a última do corredor, estava fechada então dei duas batidas e não ouvi ninguém responder, bati mais uma vez e o silêncio ainda permanecia, então delicadamente eu abri a porta e vi a mãe dela sentada na cama, podia ouvir sua respiração acelerada, mas não conseguia enxergar ela direito por causa da luz fraca do meu celular.

- Filha? - sua voz saiu ofegante e falhada.

- Não tia, sou eu, Gustavo,está tudo bem?

- Estorou!

- Estourou o quê?

- A bolsa! O neném vai nascer!

- Calma que eu vou chamar ajuda. - Na mesma hora o desespero se fez presente, desci as escadas correndo, quase cai umas 2 vezes, quando  cheguei na sala e todos já estavam lá com as velas acesas junto com as luzes dos seus celulares, Pâmela, que agora já tinha acordado mirou a luz de seu celular pra mim que tentava recuperar o ar pra falar.

- Viu um fantasma Gustavo? - Kate perguntou.

- Pior, a bolsa da sua mãe estorou!

-Meu Deus! - todos falaram em unissom, menos Tobias.

- Gente pelo amor de Deus, a luz acabou e vocês estão preocupados com a bolsa da mãe dela que estorou? Amanhã elas vão no shopping e compram outra. - Tobias falou e na mesma hora Nicholas levou sua mão a cabeça.

- Idiota! O bebê vai nascer! - Nicholas falou.

- Ahh, essa bolsa! Vamos lá ver ela! - todos subimos em uma rapidez desconhecida, quando chegamos a situação não estava nada boa, a mãe dela estava respirando muito pouco, e suava muito, e ela estava tendo contrações em um espaço de tempo muito pequeno.

- Chamem uma ambulância rápido! - a mãe dela falou praticamente se contorcendo de dor, Pâmela estava sentada ao lado dela segurando a sua mão e assoprando no seu rosto para tentar acalma-la, do outro lado Kate e Melissa estavam passando um paninho molhado no seu rosto.

- Tobias, liga pra ambulância, Nicholas vem comigo,vamos pegar algumas coisas pra iluminar essse quarto. - Fui correndo escada abaixo com Nicholas para pegar nossos celulares e algumas velas, subimos com elas e colocamos em diversos lugares produzindo a quantidade de luz necessária pra conseguirmos enxergar um ao outro, Tobias já estava conversando com a ambulância no telefone, na verdade ele estava disputando voz com a mãe de Kate.

- O QUÊ? COMO ASSIM NÃO TEM COMO VOCÊS CHEGAREM? A MULHER VAI TER UM BEBÊ AQUI CRIATURA!.....REPETE POR FAVOR?....VOCÊS NÃO ESTÃO ENTENDENDO, TEM UMA CRIATURA DEITADA EM CIMA DA CAMA GRITANDO PORQUE OUTRA CRIATURA QUER SAIR DELA, E EU PRECISO DE VOCÊS PRA TIRAREM A CRIATURA MINI......... SÓ UM MINUTO! - Ele afastou o telefone e olhou pra gente. - Pessoal...faltou luz lá no hospital também, e está tudo um caos, as ambulâncias não foram autorizadas a sair de lá! E agora?

- Eu não sei, dá um jeito, minha mãe  e meu irmão vão morrer! - Kate gritou pra ele que logo voltou a falar com os médicos, depois de um tempo a decisão tinha sido tomada, um dos médicos nos daria algumas instruções do que fazer, enquanto lá eles tentariam fazer alguma coisa para conseguir vir buscar ela.

- Gente, é o seguinte, uns médicos vão nos dar algumas instruções do que fazer, enquanto a ambulância vai tentar chegar aqui para fazer o parto do bebê! E aí? Quem vai seguir as instruções do médico? - Tobias perguntou e na mesma hora Melissa levantou a mão.

- Eu! Meu sonho é ser médica e eu já vi vários vídeos de partos na internet.

- É, ela sabe mais que a gente pelo menos! - falei e todos concordaram com  a cabeça.

- O médico ta dizendo que vamos precisar de mais alguém! Quem vai?- Tobias perguntou ainda com o telefone na mão, dessa vez todos nós ficamos quietos, aliás se alguma coisa acontecesse a mãe e ao irmão de Kate ninguém queria ser responsável.

- Qual é pessoal? Por favor alguém se candidata, eu tenho nervoso e não posso ver sangue, me ajudem por favor! - Kate suplicou, sua voz estava fraca e trêmula, e ela já estava chorando mais que a mãe dela, não aguentei vê-la daquela forma e logo me pus a disposição.

- Ok, eu vou! Coloca o telefone no viva-voz pra gente poder seguir as instruções.- Falei e logo Tobias colocou o telefone em cima da cama, no viva-voz para que todos pudessemos ouvir.
   Primeiro o médico mandou que lavássemos bem as nossas mão e se possível que pegassemos luvas, toalhas molhadas e secas e mais algumas coisas, ele foi nos dando as instruções e fomos seguindo-as corretamente,  vez ou outra ele falava algo muito complicado, mas Mel logo entendia, por já ter assistido cirurgias na internet, de início o plano era só a gente tentar alcalmar a mãe dela e segurar o bebê lá dentro, mas a situação ficou mais complicada quando por um impulso muito forte, pudemos ver a cabeça do bebê quase saindo, todos entraram em desespero, as meninas estavam tentando de todas as formas refrescar o quarto, Nicholas estava tendo a sua mão esmagada pela mãe de Kate, Tobias estava entrando em desespero e eu estava falando com o médico.

- O bebê está com a cabeça pra fora! Nós não podemos fazer esse parto, primeiro que nós não temos o material e segundo que nós podemos fazer alguma coisa errada e matar a criança.

- Nós já estamos a caminho, mas não tem mais como andar mais rápido do que estamos.

- Por favor se apressem!
    A bateria do celular acabou, e a dos celulares que estavam iluminando o quarto também estavam acabando, em alguns minutos a ambulância chegou e os médicos subiram, depois de especularem diversas formas de levarem ela pro hospital decidiram fazer o parto do bebê ali mesmo e depois correriam com os dois para o hospital, pediram que a gente saísse do quarto e deixaram apenas Nicholas que estava segurando a mão dela. Descemos e ficamos esperando na sala, olhei para Kate e vi ela sentada no sofá em soluços, sentei ao lado dela e envolvi meu braço nela.

- Calma, agora vai tudo ficar bem! - falei fazendo pequenas carícias em seu cabelo.

- Tomara! - ela falou, agora um pouco mais calma.

- Quer que eu pegue um pouco de água pra você? - perguntei secando sua lágrimas e ela apenas afirmou com a cabeça, levantei e fui para a cozinha, assim que cheguei lá a luz voltou e pude ouvir aquela típica comemoração dos vizinhos, abri a geladeira peguei a garrafa d'água e despejei o líquido em um copo, guardei a garrafa e voltei pra sala com o copo em mãos, o entreguei a Kate que logo bebeu a água e assim que terminou colocou o copi sobre a mesinha ao lado do sofá, olhei pra cima e vi um dos médicos descer com o bebê no colo, logo Kate se levantou e ficou ao meu lado quando o médico se aproximou.

- Ele está muito bem, e a sua mãe também, vou levá-los para o hospital só por precaução, mas os dois passam muito bem e não correm risco nenhum! Parabéns, você ganhou um irmãozinho muito lindo e saudável. - ele disse passando o bebê para o colo de Kate, que ficou o balançando lentamente, enquanto obsevava cada detalhe da criança com um enorme sorriso no rosto.

-  E cadê a mãe dela? - Perguntei com os braços envolta de Kate e o bebê, as meninas já estavam em cima observando o menino e Tobias estava sentado no sofá com uma cara de qyem tinha acabado de ter um pesadelo.

- Os outros médicos estão preparando ela, para descerem com ela e irmos para o Hospital, aliás dois de vocês tem que ir como acompanhantes, um vai em uma ambulância com o bebê e outro com a moça.- respondeu e na mesma hora Kate olhou pra mim, como um pedido que eu fosse em uma das ambulâncias, e como eu poderia negar um pedido dela?

- Eu vou acompanhar minha mãe- Ela falou ainda com o bebê no colo.

- E eu vou com o menino. - disse e pude ver um sorriso de satisfação e agradecimento em seu rosto.

- Ok, então esperem um pouco aí que eu vou lá em cima, e daqui a pouco eu volto para irmos para o hospital. - O médico falou e logo em seguida deu de costas para nós indo em direção as escadas, em poucos segundo pudemos ver Nicholas descer as escadas massageando a sua mão esquerda.

- Sua mãe tem a força de um gorila! - exclamou e todos nós rimos.

- Nicholas! Deixe de ser insensível, a mulher estava em trabalho de parto.- repeendeu Melissa.

- Ué, e por isso ela tem que fazer isso com a minha mão! - ele mostrou a sua mão roxa a ela que caiu na gargalhada.

- Deveria ter feito muito mais! - todos nós rimos e Nicholas voltou a massagear a sua mão .

- Bom gente, está muito legal esse papo todo aqui, mas que tal a gente ir embora né, daqui a pouco eles vão para o hospital e a gente não vai ficar aqui né! - Tobias falou levantando do sofá.

- Concordo, mas antes, você tem que nos falar o nome do lindinho! -Melissa falou acariciando os poucos cabelos do bebê.

- Cristopher.

- Awn, tchau amorzinho. - Pâmela acenou com as mãos para o menino, deu um beino na testa de kate e logo se despediu  de mim com um abraço.Logo todos fizeram o mesmo, menos Nicholas que continuava massageando a mão, e só deu um tchau pra nós três.

- Tchau gente, e desculpem pelo dia, eu tinha planejado outra coisa pra gente.- Kate se lamentou.

-Que nada amiga,eu adorei o dia, eu pude até praticar minhas artes médicas! -Melissa brincou e todos rimos.

- É, eu também adorei o dia, eu até perdi a mão! - Nicholas falou recebendo em seguida uma cotovelada de Melissa.

- Me desculpe Nicholas.

- Tudo bem, estava só brincando.

        Logo todos foram embora e só ficamos eu, Kate e Cristopher na sala.

- Eles estão demorando muito! Será que você pode ficar com ele enquanto eu vou lá em cima rapidinho. - Kate me pediu.

-Claro, tomei o pequeno Cris ainda enrolado em um lençol de hospital, no meu colo e logo ela se virou e subiu as escadas, sentei com ele no sofá e fiquei fazendo pequenas carícias no seu cabelo. Ele era gorduchinho, e tinhas umas bochechas enormes, seus olhinhos ainda se mantinham fechados e seus cabelos diferentes do de Kate eram totalmente negros.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...