História Convite para a Morte- Interativa - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Agatha Christie, Baseado Em Um Livro, Interativa, Morte
Visualizações 27
Palavras 602
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Finalmente o primeiro capítulo! Espero que gostem!

(PS:eu demorei muito para escrever kkk)

Capítulo 1 - ▪| The Island's Mansion


Estavam todos no barco. Conversavam e trocavam impressões. Senhor Galway, homem que dirigia o barco, falava-lhes sobre a misteriosa mansão de M.L Smith. Ele falava que era grande, aliás, enorme! Dizia que tinha um imenso terreno em volta, praia e zona de pesca.

Todos ficaram entusiasmados com a detalhada discrição de Sr. Galway, esquecendo-se que ninguém dali conhecia o suposto dono da mansão.

Depois de alguns minutos, desembarcaram no cais e despediram-se do Sr. Galway. Caminharam até à porta da mansão onde duas figuras os esperavam ansiosamente.

Estes eram os empregados, Angelina e Roger Fence. Aceitaram o emprego faziam algumas semanas e foram os primeiros a chegar para ver o que faltava na despensa e arrumar os quartos.

Ao se aproximarem, Roger falou:

-Bom dia a todos, eu sou Roger Fence e esta é a minha mulher, Angelina. Somos os empregados. Antes de entrarmos eu tenho um comunicado a fazer: Sr. Smith, por motivos pessoais, não poderá vir ainda hoje para a ilha e... Ah!- disse tirando um papel do bolso- a mando de Sr. Smith eu vou fazer uma chamada, para ver se todos os convidados vieram. Bom, Srta. Alexandrya?

-Presente - uma figura de cabelos castanhos pelos ombros e sardas levantou a mão.

-Srta. Cassandra?

-Aqui - desta vez uma moça de cabelos longos e loiros com olhos esverdeados levantou a mão. Ela parecia um anjo.

-Sr. Nathaniel?

Um homem de cabelos castanhos e barba por fazer levanta a mão sem dizer palavra alguma.

-Srta. Jéssica?

-Para você é Srta. Jéssica Johnson, não lhe dei autorização para me chamar só pelo primeiro nome!- disse uma figura de cabelos curtos prateados, com arrogância.

-Desculpe Srta. Hãm... Sr. Kiro?

Um rapaz de cabelos azuis levantou a mão timidamente.

-Sr. Leo?

- Na verdade é Srta. Leo... -afirmou uma moça de cabelos pretos e curtos e com olho puxado.

-Desculpe Srta. Não foi minha intenção...- desculpou-se Roger

-Está sempre a acontecer-me... - murmurou Leo.

-Próximo! Sr. Light?

-Aqui! - um garoto de cabelos cor-de-rosa que parecia coreano levantou a mão.

-E... Srta. Angelique?

-Presente! - uma moça de cabelos ruivos e pele branca levantou a mão.

-Bom, estão cá todos. Podem aproveitar e explorar a casa e o terreno aqui em volta. Os quartos ficam no andar de cima e estão identificados com uma plaquinha com o nome de cada um. O jantar é servido às 19h... É acho que é só, não é Angelina? - Angelina acena afirmamente com a cabeça - Fiquem à vontade.

Todos foram para lados opostos, indo explorar a casa... Alexandrya foi a única a ir ao quarto primeiro. Subiu as escadas, procurou o seu quarto no imenso corredor e entrou no quarto. Ao fechar a porta reparou que havia algo pregado na porta. Era um poema. Ela começou a ler em voz alta:

"Os dez soldadinhos"

Dez soldadinhos saem para jantar, a fome os move;
Um deles se engasgou, e então sobraram nove.
Nove soldadinhos acordados até tarde, mas nenhum está afoito;
Um deles dormiu demais, e então sobraram oito.
Oito soldadinhos vão a Devon passear e comprar chiclete;
Um não quis mais voltar, e então sobraram sete.
Sete soldadinhos vão rachar lenha, mas eis
Que um deles cortou-se ao meio, e então sobraram seis.
Seis soldadinhos com a colmeia, brincando com afinco;
A abelha pica um, e então sobram cinco.
Cinco soldadinhos vão ao tribunal, ver julgar o fato;
Um ficou em apuros, e então sobraram quarto.
Quatro soldadinhos vão ao mar, um não teve vez;
Foi engolido pelo arenque defumado, e então sobraram três.
Três soldadinhos passeando no zoo, vendo leões e bois,
O urso abraçou um, e então sobrou dois.
Dois soldadinhos brincando ao sol, sem medo algum;
Um deles se queimou, e então sobrou só um.
Um soldadinho fica sozinho, só resta um;
Ele se enforcou,
E não sobrou nenhum

- Que poema mais... peculiar.- disse Alexandrya


▪| To Be Continued...


Notas Finais


E aí? Gostaram? Espero que sim!
Se vcs gostaram deixem um comentário e favoritem, isso ajuda demais...

❌ Capítulo sem revisão ❌

Bjs para quem quiser e...
FUIIIIIII


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...