História Convivendo com lobos: nova geração - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Companheiros, Lobos, Romance
Visualizações 71
Palavras 1.203
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Traição


Fanfic / Fanfiction Convivendo com lobos: nova geração - Capítulo 6 - Traição

O fim de semana passou um pouco mais rápido do que devia e quando teu por mim já era segunda feira. Cheguei a escola e logo estávamos eu e a turma da bagunça, eles eram a parte boa daquele bolo insosso que era a escola. Samuel era o recheio, Joshua era a cobertura e Tris era os enfeites bonitinhos, já eu era a pessoa que ficava na vitrine admirando o bolo, não me leve a mal, eu os amava e gostava de estar entre eles, mas sentia que naquele grupo eu era uma coisa desnecessária. Era um sentimento estranho.

- Vamos ter uma disputa juntos hoje - comentou Tris super empolgada

- sinto o cheiro da perversão em você - disse Samuel pegando suas coisas

- o que é bonito é pra se olhar, no meio de tanto menino gostoso acha que eu não vou olhar? Não sou santa meu bem

- agora nos conte algo que não sabemos- disse Joshua rindo enquanto saíamos da sala

- Naty, me seja sincera, quem você acha mais bonito, o Joshua ou o Samuel?

- se só tivesse eles dois no mundo eu cortaria os pulsos - respondi fazendo Tris rir - brincadeira meninos, vocês dois são muito bonitos, é meio difícil escolher, mas acho que ficaria com....o Joshua, gosto do jeito meigo dele

- ponto pra mim

- só porque você parece uma mulherzinha

- vá a merda Samuel, aceita que sou mais popular com as mulheres que você

- sério? E como está a Lili

- filho da puta - rosnou Joshua fazendo Samuel gargalhar, ele sabia como tirar-ço do sério, parando pra pensar agora, Joshua era o único ômega que eu conhecia que tinha uma companheira humana, alfas humanos era raros e iam totalmente contra a ideia de proteger ômegas já que eles era fisicamente mais frágeis que eles.

- até depois meninos - disse Tris se despedindo dos meninos quando entramos no nosso vestiário.- eu não acredito nosso

- isso o que? -me assustei um pouco quando aquela louca teve um surto e descaradamente agarrou meus peitos - Tris o que você pensa estar fazendo?

- como pode me trair dessa forma, eles não podem ter crescido em uma semana

- crescer o que mulher, tá ficando doida, me solta sua pervertida

- aproveita Natália, pelo menos alguém te quer- disse Paola enquanto saia do vestiário com suas amiguinhas irritantes. Soltei um rosnado irritada com toda a vontade de ir atrás dela e arrebentar aquele rostinho bonitinho

- segura a onda, se bater nela vai ser suspensa, de novo - respirei fundo engolindo a minha raiva e fui me trocar de uma vez.

- qual a primeira?

- natação, andei investigando e o seu boy vai estar lá também

- FBI?

- é minha função como sua amiga, agora vamos

- estou indo senhora

Chegamos na piscina e o professor nos pôs em um time que pro meu azar ou sorte foi um dos primeiros a ser escolhidos pra competição.

- vai lá Naty, mostra quem manda na piscina - gritou Tris enquanto eu tirava o uniforme ficando só com o maiô

- é impressão minha ou tem uma aura meio maligna nesse lugar? - Tris olhou ao redor voltando os olhos rapidamente pra mim parecendo meio pálida

- que é isso, impressão sua - dei as costas pra ela indo pra raia e vi Thiago do outro lado da piscina com cara de poucos amigos, me abaixei esperando a largada e mergulhei. Ao final da piscina me virei e Me empurrei com toda a força me lançando o mais longe possível e comecei a bater os pés e os braços até alcançar o outro lado. Quando sai da água dei de cara com Thiago que colocou uma toalha nos meus ombros

-obrigado

- não tinha um maiô maior não?

- isso é tamanho unico

- esta pequeno demais pra você, não gosto que fique de espondo desta forma

- nem começa- disse me enxugando. Olhei a marcação das próximas atividades dando um suspiro aliviado ao ver meu nome em apenas mais duas, corrida de obstáculos e judô. Pra mim a mais difícil era corrida, a vontade de me transformar era difícil de resisti, mas vamo que vamo.

*********

Sai do vestiário me sentindo exausta, infelizmente havia perdido a prova de corrida, mas minha equipe conseguiu ganhar mesmo assim, peguei minhas coisas no meu armário e fui pra saída, hoje eu seria o ser mais preguiçoso da face da terra, não tem esse que me tire da cama.

- a festa é hoje a noite, vem comigo, vamos nos divertir juntinho do você e eu, o que me diz Thiago -dei dois passos atrás olhando pra dentro da sala pela qual eu havia passado vendo uma cena que eu não queria acreditar, Paola estava no meio das pernas de Thiago com o rosto a uma distância ínfima dele e o idiota não fazia nada pra afasta-la, não acredito que eu fui tão tola em pensar que ele ficaria comigo. Me virei saindo de la as pressas e fui direto pra casa, meu coração doía como nunca havia feito antes, minha loba uivava pela traição, até mesmo respirar estava sendo difícil.

Cheguei em casa não sei como é fui direto pro meu quarto, peguei a primeira coisa que vi e arremessei contra a parede, a dor se misturava com a raiva e tudo o que eu mais queria era ver o sangue de ambos em minhas garras, mesmo que eu não quisesse de fato ver Thiago morto, mas que eu queria socar aquela cara, ah se tinha.

Depois da minha crise acabei largada na cama cansada demais pra fazer qualquer coisa além de sentir as lágrimas escorrendo pelo meu rosto.

- Naty? Você tá ai? - me envolvi ainda mais na cama ao ouvir a voz de Thiago do outro lado da porta, não queria vê-lo, nunca mais, talvez se eu pedisse com jeitinho meus pais me levassem de volta pra Detroit. - Naty?

- vai embora- essa era mesmo a minha voz? Parecia tão distante. Eu estava tão cansada, me sentia mole e com um frio estranho sob meus ossos

- Naty deixa de preguiça e abre a porta, você esta bem?

- vai embora - o acesso de choro de mais cedo voltou pior que antes quase me causando uma convulsão de tão forte que eram os soluços. Ouvi um barulho forte e uma mão tocou meu braço

- Naty o que houve?

- tire suas mãos de mim - me arrastei pro outro lado da cama limpando meu rosto, me recusava a deixar que ele me visse nesse estado - saia do meu quarto

- Natália o que aconteceu

- você tem exatos cinco segundos pra desaparecer da minha frente antes que eu retalhe a sua cara, e acredite dessa vez eu não estou de brincadeira

- o que aconteceu pra você me tratar assim?

- você ainda tem coragem de me perguntar? O cheiro daquela vadia ainda está em você é você me pergunta o porquê? Quer saber Thiago, esqueça que você é meu companheiro, por que já esqueci - me levantei da cama indo pra fora do quarto antes que eu quebrasse na frente dele.

- Naty? - encontrei minha mãe no corredor e a abracei

- me tira daqui, por favor, me deixa o mais longe possível dele. 


Notas Finais


E agora gente? Será que eles se resolvem?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...