História Coração de dragão - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Angel, Aquarius, Aries, Bickslow, Bisca Connell, Câncer, Capricórnio, Charlie, Crux (Kurukkusu), Elfman Strauss, Erik (Cobra), Erza Knightwalker, Erza Scarlet, Evergreen, Flare Corona, Frosch, Gajeel Redfox, Gemini, Gildartz, Grandeeney, Gray Fullbuster, Happy, Hibiki Lates, Horologium, Igneel, Ivan Dreyar, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Kinana, Kyouka, Laxus Dreyar, Lector, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Lyra, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Mest, Metalicana, Midnight, Millianna, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Mystogan, Natsu Dragneel, Ophiuchus, Pantherlily, Personagens Originais, Pisces, Rogue Cheney, Scorpio, Silver Fullbuster, Skiadrum, Sting Eucliffe, Taurus, Ultear Milkovich, Ur, Virgo, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Tags Dragão, Dragões, Drama, Elfmanx Evergreen, Erikxkinana, Esperança, Fairy Tail, Gajeelxlevi, Grayxoc, Jellalxerza (jerza), Juviaxoc, Nali, Reescrita, Roguexminerva Laxusxmirajanee, Romance, Sofrimento, Stingxyukino, Wendyxoc
Exibições 54
Palavras 2.927
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Yukino consegue encontrar Loke.

Quando ela descobre o motivo da magia dele estar fraca, Yukino decide...

Capítulo 35 - Salvando uma estrela


Fanfic / Fanfiction Coração de dragão - Capítulo 35 - Salvando uma estrela

- Sim.

- Você tinha contrato com a Karen, certo?

- Isso mesmo. Como descobriu?

- Quando senti que era um seiren e que estava com a magia enfraquecida, eu desejei saber o que aconteceu com a sua magia e o motivo de andar pelo mundo humano, sendo que a sua magia seria consumida, continuamente, enquanto continuasse nesse mundo. O jii-chan (vovozinho) Crux descobriu muita coisa, antes de dormir novamente. Inclusive, eu descobri que você não pode voltar ao mundo dos seirens e isso explica o motivo de estar tão enfraquecido. Por quê? Karen morreu. Portanto, o contrato é anulado e o seiren volta ao mundo espiritual, para esperar um novo mago celestial. Mas, você continua no mundo humano. Assim como os humanos não sobrevivem no mundo dos seirens, os seirens não sobrevivem no mundo humano, com a energia de um seiren sendo drenada até que chegue ao fim.

Tsuki estava no ombro de Yukino.

- Percebi que não falou a palavra dono. - Loke comenta surpreso.

- Para mim, é uma palavra horrível. Vocês tem vida. Vocês possuem sentimentos. Vocês não são algo. Sou contra o uso dessa palavra. Para mim, as chaves são a minha família.

Loke sorri, para depois ficar triste, sendo que Yukino pergunta:

- Por que continua no mundo humano? Quanto tempo faz que está nesse mundo?

- Já faz três anos e eu não posso voltar. É uma punição por eu ter quebrado a regra mais fundamental entre dono e seiren. E por causa disso, fui banido do mundo dos seirens para sempre.

- Foi banido? – Tsuki fica estarrecida.

- Banido para sempre? – Yukino pergunta.

- Sim. É o meu castigo. Devo aceitar a minha morte. Sou um seiren traidor. Minha dona era a Karen e com as minhas próprias mãos, eu a matei. - ele fala amargurado, olhando para as suas mãos.

Yukino fala incrédula:

- Isso é mentira. Você não é um assassino.

- Eu concordo com a Yukino-chan! Loke não pode ser um assassino!

- Como vocês podem saber disso?

- Seus olhos... Há tanta dor e sofrimento. Um assassino teria prazer ao contar sobre isso, mas, o que sinto é um grande pesar. - a dragon slayer fala com os olhos emotivos.

- Isso mesmo. Eu também só vejo dor e sofrimento.

Loke fica surpreso e comenta, tristemente:

- Saiba que estão erradas...

Nisso, ele conta a historia de abusos e sofrimento que Karen praticava aos seus seirens, assim como usava Áries como escudo e para ser companhia de homens pervertidos, quando não queria lidar com os seus fãs.

Depois, punia seus seirens, principalmente Aries, com ele contando que por ser um seiren da guerra e líder do zodíaco, conseguia suportar os maus tratos, humilhação e violência. Já, Aries, sofria em escala maior do que ele e todos os seirens tinham medo de fazer contrato com ela.

Ele conta que após ela bater no rosto de Áries com um cajado usado por pastores, deixando uma marca, iria deixa-la presa no mundo humano por quase duas semanas como punição por ela achar que foi Áries que falou ao mestre Bob que era usada como escudo, sendo que o mestre deu bronca nela.

Frente ao castigo, ele contou que forçou a troca com Aries, com ela voltando ao mundo dos seirens, enquanto que ele foi ao mundo humano com a sua própria magia e como Karen não era poderosa, não conseguia abrir dois portões do zodíaco ao mesmo tempo.

Ele havia feito o pedido dela libertar ambos do contrato e ela não aceitou, sendo que ele passou a ficar no mundo humano e como passou pelo portão com a sua magia, a magia de Karen era indiferente.

Porém, ele contou a Yukino, que Karen foi em uma missão, escondida do mestre, que havia proibido ela de pegar missões e acabou morrendo perante uma maga mais poderosa.

Yukino fica a beira das lágrimas ao saber da crueldade que eles enfrentaram com Karen, até Loke falar:

- Por isso eu disse que a matei. Por ficar no mundo humano, ela não pôde abrir um portão e por isso morreu. Eu matei Karen. Não se devolve uma vida humana perdida. Mortos não retornam. O único meio de pagar pelos meus pecados é desaparecendo.

- Isso está errado. – Yukino fala com lágrimas nos olhos, deixando Leo surpreso – Você não cometeu crime, nenhum! Karen não devia ter pego a missão! Ela se arriscou porque quis e nem sequer avisou você que ia para uma missão, sendo que ela sabia onde você estava! Ela agiu como uma suicida! Além disso, vocês eram brutalizados por ela, que era um monstro perverso! Você não teve escolha! Você quis salvar a sua amiga!

- Eu quebrei a regra. Seirens que quebram as regras são punidos!

- E as magas celestiais que quebram de certa forma o acordo? Ela quebrou de certa forma o acordo com você ao não informa-lo do que ia fazer. Se uma maga celestial morre sem abrir um portão a culpa é do seiren? Não. Dela mesmo. Ela sabia que precisava de você no campo de batalha e mesmo assim, não o avisou. Ela morreu por isso. Então, você, que não sabia dos planos dela é o culpado? Ela não lhe informou ou por acaso avisou você do que ia fazer? Ela procurou chama-lo ou comunicar você?

- Não... – ele murmura – Mas, mesmo assim...

- Não aceito tamanha injustiça! Não aceito que um inocente pague pelo crime do outro! Karen cometeu suicídio! É suicídio você participar missões sem poder abrir um portal, se você somente possui a magia dos portões! O Seiren não é responsável pela maga celestial que morre sem poder invocar um portão para se defender, agindo com imprudência.

- A Yukino-chan está certa! Karen só podia ser uma suicida, para pegar uma missão perigosa sem ter meios de se defender e mesmo que tenha sido uma missão, ir sem poder usar magia é no mínimo suicídio! – Tsuki exclama.

- Mas...

- Eu vou abrir o portão a força!  Não vou ficar sentada vendo tamanha injustiça!

- Isso mesmo! Vai, Yukino-chan! – Tsuki exclama animada.

Quando ela vai concentrar os seus poderes para forçar a abertura do portão, Loke fica estarrecido, sabendo que a hoshiryuu  no dragon slayer conseguiria, se desejasse.

Então, ambos ficam surpresos ao ver que o tempo parece parar e que no céu surgem estrelas cadentes circulares, enquanto que o Seiren Ô surgia em sua imponência.

“O Seiren Ô veio porque ela ia abrir o portão a força? Eu não duvido que ela conseguiria. É uma hoshiryuu dragon slayer e abrir um portão para ir ao mundo dos seirens é algo bem simples para um dragão estrelar.” - Loke pensa consigo mesmo, estarrecido.

- Antigo amigo. A vós que contratais com os humanos é defeso matar o possuidor da chave. Direta ou indiretamente. Leo, o Leão, vossa entrada no mundo espiritual não será permitida. Hoshiryuu dragon slayer-sama, peço vossa cooperação.

- Pois saiba que não a terá! Não frente a tamanha injustiça!

- Injustiça A que injustiça tu se referes? - o rei dos seirens fica surpreso, com o uso da palavra, “injustiça”.

- Karen sabia que não podia invocar outro seiren. Mesmo assim foi na missão. Não comunicou Leo de seus planos. Ela quebrou uma promessa, antes de ir lutar sem ajuda. Pergunto-lhe. Se uma maga celestial morre por não ter invocado outro seiren, esse seiren que não foi invocado é culpado pela morte do portador da chave? Ou então, se a magia da maga celestial acaba e ela não pode abrir um portão, o seiren é culpado também?

- Não... Nesses casos, não.

- E se uma maga celestial resolve se suicidar? A culpa é do seiren?

- Não. Mas, o meu antigo amigo...

- Pare de chama-lo de antigo amigo! Ele não é antigo! Ele está aqui! Na sua frente! Karen era um monstro. Uma maga abominável que fazia atrocidades com os seus seirens. Eles sofriam. Loke se desesperou. Fez pela sua amiga. Não fez por vaidade, orgulho, arrogância ou qualquer desejo mesquinho. Fez por amor. Agora, você me fala que Karen ter ido a uma missão sem informar ao Loke, com ele não sabendo os planos dela, a torna completamente inocente e ele o culpado, sendo que o mestre da guilda dela a proibiu de pegar uma missão? Por ela ter agido como uma suicida, Loke tem que responder pelo suicídio dela? Justo ele que se sacrificou por amor, enquanto que ela se divertia ao praticar o mal, achando que seirens eram algo e não seres com sentimentos? Como seiren devia saber o que sofriam. Essa é a injustiça que permeia as estrelas?

- Injustiça? - o rei dos espíritos fica estarrecido.

Nisso, o corpo dela brilha e invoca os seirens dela. Aquarius, Câncer, Taurus, Virgo, Sagittarius, Libra, Pisces na forma semelhante a humana, Horologium, Lyra, Crux e Ophiuchus em sua forma humana.

Quando a mesma estava nessa forma era chamada de “aquela que traz o Armagedon”, com tal forma sendo invocada quando o invocador desejava matar o seu oponente. Quem olhasse Ophiuchus em sua forma humana, com a aparência de uma garota de dezesseis anos de sorriso meigo, assim como a aparência, usando um vestido comprido com babados e laços, sendo que usa um belo laço na cabeça, nunca iria acreditar que naquela forma seus poderes eram aterradores e que ela, de fato, poderia exterminar vidas.

Inclusive, os seus poderes chegavam próximos de rivalizar com o Rei dos seirens, se ela lutasse seriamente.

- Todos os seirens dela... - Leo comenta estarrecido.

Ela se vira para Loke e fala:

- Se você desaparecer, os seus amigos ficarão tristes. Não ouse querer desaparecer, sem se importar com a dor deles e sofrimento.

- Eu quero desaparecer! Eu matei Karen! - ele exclama chorando.

- Pare de falar isso! Ela se suicidou! Seirens não tem controle sobre suicidas.

- Suicida? Karen suicida? – Leon repete abismado.

- Como assim suicida? – Seirei Ô pergunta – Tornaste a repetir a palavra suicídio.

- Se eu sou uma maga há algum tempo, eu tenho noção de meus poderes e limites, sendo que sei que naquele instante, não posso invocar outro seiren e mesmo assim, insisto em ir a uma missão perigosa sem qualquer ajuda, acabando por me intrometer com outra maga, sem ter qualquer chance de ataque ou defesa, eu sou suicida. É a mesma coisa alguém ir para a guerra sem ter uma armadura e armas ou então, não ser capaz de lançar alguma magia. É pedir para morrer. Se eu bebo e vou dirigir, sabendo que a bebida influenciará no me julgamento e crivo, assim como, provocará alterações emocionais, se eu matar alguém é assassinato e se eu me matar, sou suicida. Me expus ao perigo, voluntariamente. Karen sabia que não podia invocar outro seiren e mesmo assim ela pegou uma missão, inclusive, contrariando ordens do mestre da guilda a qual ela estava vinculada. Ela foi ao perigo voluntariamente, sabendo dos seus limites. Ela é suicida e pelo que eu saiba, seirens não respondem por suicidas! O senhor mesmo disse isso.

O Seirei Ô fica quieto e Yukino fala, concentrando a sua magia, sendo que parecia surgir a sombra de um imenso dragão estrelar, conforme ela exclamava:

- Dragon Force!

O corpo dela brilha e surgem escamas brilhantes em seu corpo, com as suas feições se tornando meio draconicas, ao surgir duas asas negras como a noite com o brilho de estrelas no interior das asas que parecia um céu noturno, além das suas presas ficarem proeminentes, assim como as garras.

- Se mesmo assim, insistir em praticar tal injustiça, culpando um seiren inocente por causa de uma suicida, eu abrirei o portal a força e irei enfrenta-lo em nome da justiça! – ela exclama com determinação.

Leo estava estupefato, enquanto que os demais seirens olhavam com orgulho e admiração para Yukino.

Após ficar pensativo, analisando o que a maga celestial disse, conforme avaliava o forte desejo e o extremo em que a dragon slayer chegaria para garantir que Leo voltasse ao mundo dos seirens, sabendo que com a dragon force podia sobreviver no mundo dos seirens por um tempo considerável, o Seirei Ô fala:

- Se esse amigo chegou a tal extremo e considerando a morte da maga celestial Karen como suicídio, acredito que houve equívoco na regra. Leo, tu foste absolvido. Não cometeste nenhum crime, pois, a portadora de sua chave agiu como suicida, se expondo a morte, sendo ciente da sua situação, não o comunicando da missão. Portanto, Leo, concedo-te permissão para voltar ao mundo espiritual.

Loke está embasbacado, enquanto Yukino sorria, assim como os seirens dela que haviam ficado surpresos e orgulhosos com a determinação dela, sendo que Libra, Ophicius e Pisces não, pois já esperavam algo assim.

Afinal, eles estavam há mais tempo com ela e a conheciam desde que era criança.

- Agradece ao amparo das estrelas. – Seirei Ô fala, enquanto desaparecia envolto em uma luz que se propagava para o céu como inúmeras estrelas.

- Espere, por favor... – ele fala ajoelhado no chão – Eu...

- Caso ainda se sinta culpado, por algo que não foste sua culpa, ordeno-te que siga em frente e proteja a sua amiga. Pois, a amizade dela vale tal esforço. Dá tua vida em proteção á dela.

A água da cachoeira volta a correr, assim como o tempo, após as estrelas cadentes circulares desaparecem, conforme a luz que era o Seirei Ô, desaparecia no céu noturno.

- Você não é mais culpado. Você era um inocente que respondia por uma suicida. Você pode voltar ao seu mundo para se recuperar, Leo-kun. – Yukino fala, sorrindo meigamente, desfazendo a dragon force, enquanto que os seirens dela desapareciam, voltando ao mundo dos seirens com um sorriso nos rostos.

Por um instante, ele jurou ter visto Karen ao lado do túmulo dela, sendo que estava semitransparente, exibindo uma face culpada e parecia que ela havia murmurado “eu sinto muito”, antes de desaparecer.

Então, ele se levanta e fala, olhando para a dragon slayer e maga celestial, enquanto erguia a mão:

- Yukino.

Ela sorri e dá a mão para ele que fala, sorrindo, enquanto desaparecia em luz, voltando ao mundo dele:

- Muito obrigada, Yukino...

A jovem sorri meigamente, enquanto segurava a chave dele.

Kireihoshi estava na sua forma dragão, olhando próximo dali, a sua filha com visível orgulho em seus olhos, sendo que ela fez tudo sozinha e conseguiu salvar uma estrela.

A dragoa não podia estar mais feliz e orgulhosa dela, sendo que sempre teve orgulho da jovem, desde que a encontrou e a criou como a sua amada filha.

Então, parte voando dali, sendo que procurou ficar a favor do vento, para que o seu cheiro não chegasse as narinas de sua filha.

Próximo dali se encontrava Acnologia, olhando orgulhoso para Yukino, enquanto ficava emocionado, pois, a contraparte de sua filha em Earth land era idêntica a sua filha em Dragon Land. Ambas possuíam o mesmo coração e eram meigas, bondosas e gentis, assim como eram determinadas.

Enquanto Yukino se retirava do local, o dragão se permitia perder em recordações de sua amada cria, sendo que era um pai “coruja”.

Então, após limpar uma lágrima que escorreu dos seus orbes ônix, ele se retira dali, decidindo voltar a mansão que comprou apenas para a sua amada Layra, para fazer companhia no jantar que seria servido dali a alguns minutos.

Há vários quilômetros dali, naquele mesmo dia, após Makarov entrar na sua casa, ele fica em posição de ataque e começa a concentrar a sua magia, pois, sentia que havia alguém, sendo que Laxus havia ido ao mercado comprar alguns mantimentos, junto do pai adotivo dele, Raifuu.

Então, das sombras do corredor, surge Mest que se prostra e fala envergonhado:

- Perdoe-me mestre. Não devia ter apagado as minhas memórias, para facilitar a minha infiltração. Tinha que ter procurado um modo delas ficarem seladas, temporariamente.

O mestre da Fairy tail relaxa e sorri, cancelando a magia que havia formado em uma das mãos, enquanto falava, bondosamente:

- Levante-se. Fico feliz que tenha recuperado as suas memórias. Se bem que era o esperado. Você é alguém que se sacrifica pelos outros. Se quer agradecer a alguém, agradeça a Mizuko-sama. Ela usou magia arcana para rever as suas memórias.

Ele se levanta e olha estarrecido para Makarov que sorri, para depois falar sobre os dragões e dragon slayers, assim como Acnologia, Dragon land e o perigo do Deus dragão da destruição, além de contar sobre a magia arcana.

Enquanto Mest está estarrecido, Makarov acende a luz e faz um sinal para ele se sentar no sofá, sendo que Doranbolt faz isso.

Makarov viu que o olhar do mago voltou a ser como era enquanto estava na guilda e que não era mais apenas um soldado que obedecia ordens.

- É mesmo verdade? Isso é...

- Impossível? Eu sei que parece, mas, não é. O nosso mundo está em perigo.

Mest sente algo no braço e ao retirar o casaco, nota que a marca da Fairy tail aparece em seu ombro, brilhando, para depois desaparecer.

- Fico feliz em ver que um filho, retornou a família. – Makarov fala sorrindo paternalmente.

- Mestre... – Doranbolt fala emocionado em uma perda de palavras.

- A magia foi ativada, pois, o seu coração voltou a ser de um membro da Fairy Tail. Voltou a desaparecer, por causa da sua infiltração no Conselho.

- Preciso contar algumas coisas preocupantes, mestre. Alguns boatos nos corredores do Conselho. Vou tentar averiguar alguns.

- Tome cuidado. Consegue fingir que é um subordinado do Conselho?


Notas Finais


Yo!

Eu quero agradecer aos comentários de: RomuloStarrk e NekoAmanda.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...