História Coração de Fada - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Fairy Tail, Guerra, Mundo Alternativo
Visualizações 65
Palavras 1.349
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 19 - Efeitos colaterais


Resolvemos todos arrumar as coisas por lá, e como arrumávamos todos os dias não ficava muito difícil de arrumar. Depois disso fomos almoçar e descansar. Eu fiquei na varanda molhando minhas plantas.

-Tem tempo agora?- Natsu perguntou.

-Sim, apenas espere eu acabar aqui.

-Você vai voltar mesmo pra casa do seu pai?

-Sim, mas só pra visita-lo, ele dever estar solitário.

-Fez o que fez e mereceu.

-O pior é que tenho que concordar. Ainda de bônus ganhei um irmão delinquente.

-Eu o vi, estava perto da minha cela, reconheci porque parecia com você.

-Pronto, terminei, o que você quer?

-Queria que você me mostrasse alguns livros e me ensinasse a ler mais.

-Por que não disse logo, venha!- era empolgante ver que alguém queria saber o que andava lendo, porque na verdade nem Levy sabia.

Fomos até meu quarto, ainda estava um pouco bagunçado da volta, os livros que Jude me emprestou, e em cima da mesa estava um livro parcialmente em branco em que eu escrevia o meu diário de bordo. Natsu fixou os olhos neles. Eu pensei que ele ia apenas olhar e me ajudar com os outros livros, mas ele o pegou .

-Não! Larga!- falei.

-Por que não posso ler?

-Tem coisas ai que você não ia entender, muitas palavras cheias de significado- menti, tinha algumas coisas que era do meu particular que eu não gostaria de compartilhar com ele.

-Está bem- ele voltou a olhar o livro.

-Vamos logo, me ajude, pegue esses livros aqui- ele pegou a metade, eu realmente não sei se era preciso pegar muitos livros, mas eu estava muito empolgada.

Levamos para cozinha enquanto Levy cozinhava. Ela ficou meio surpresa com a situação e riu, mas depois voltou a se concentrar na comida. Nós nos sentamos na cadeira e eu entreguei-o um livro mais leve, para começar sem muita dificuldade. Ele leu quase tudo certo, depois eu o corrigi.

-Sabe, não consigo me concentrar, você fica mais bonita quando lê- ele falou.

-Q- qu- q- que nada, eu fico do jeito que sempre fui, impressão sua- minha vontade era explodir naquela hora, até porque Levy estava ouvindo tudo- vamos voltar a ler, tente não olhar pra mim, as letras são bem mais interessantes agora.

E voltamos a ler, eu expliquei algumas coisas a ele sobre a gramática e ortografia, até me estressei porque ele fazia a mesma pergunta trocentas vezes. Não conseguimos sair do primeiro capítulo, mas chegamos a acaba-lo, já estava de noite e ele me ajudou a levar os livros de volta.

-Obrigada Lucy-ele falou.

-Por nada, amanhã tem mais.

Ele deixou os livros lá e saiu. Fui tomar banho para jantar, Levy tinha feito algumas coisas que ela aprendeu com um livro de receitas e queria nos fazer de cobaia, o que ela era bem experiente. Chegamos todos ao mesmo tempo na cozinha e nos servimos, estava delicioso, estava pensando seriamente em deixa-la cozinhar todos os dias. Assim que acabamos fomos para sala e começamos a conversar.

-Fiquei sabendo que você ensinou Natsu a ler hoje, não foi, quero aprender também- Jellal gritou, não sei  a qual motivo, mas ela falou nesse tom de voz o dia todo.

-Jellal, fale mais baixo- Erza disse.

 -Mas eu estou falando normal-ele falou um pouco mais baixo, mas ele ainda gritava um pouco.

-Foi, ensinar esse cabeça dura é bem difícil- eu disse.

- Sim, pra ele também é difícil prestar atenção, né?- Levy falou.

-Que nada, ele só persiste na mesma coisa- eu disse.

-Talvez seja necessário- Natsu disse.

-Então Gray, como vai a Juvia, tem visto ela? Acho que vou chama-la para vir aqui pra festa de ano novo- mudei de assunto.

-Não a vi faz umas horas, o que é muito bom pra mim- ele respondeu- não me importo, contanto que eu possa ficar livre.

-Repitam o que vocês falaram, eu não consegue entendi direito. Gray gosta de passar tempo com a Juvia? Ele não a suportava?- Jellal falou.

-Eu vou chamar a Juvia para vir no ano novo! Gray não quer que a chame! Está surdo?- falei num volume que ele pudesse ouvir.

-Hã? Agora não consigo ouvir nada.

-Você não está brincando, né Jellal?- Levy perguntou, assustada.

-Não estou te escutando.

-Que droga! Gente, Jellal está passando por aquele efeito colateral dos experimentos do laboratório. Precisamos isola-lo, isso vai estressar ele e vai piorar- Levy disse- Talvez Natsu ou Erza possam ficar mais ele, vou arranjar um jeito de anular o efeito por um tempo.

-Eu vou- disse Erza, o que eu achei estranho por eles estarem brigados.

-Eu te ajudo Levy- eu disse.

-Ele vai ficar melhor, prometo, é temporário- Levy disse.

-Amigo, você vai ficar bem, se acalme, não fique louco, só vai piorar- Natsu disse pegando no ombro de Jellal e ele acenou como se estivesse entendido.

Levy correu e trouxe algumas coisas que ela tentou fazer e mandou Juvia trazer algumas coisas que estavam em Fairy Tail. Juvia também se apressou para levar as coisas, em menos de uma hora ela chegou.

-Aqui estão Levy, só achei esses-ela disse- Oi Gray!!- ela saiu de perto de nós duas e foi a direção de Gray.

-Obrigada. Lucy, eu tenho essas injeções do liquido azul, aquele eu coloquei em você, mas eu só testei em você e você ia morrer e não ficar surda, eu tenho um que venho preparando faz um tempo, o que eu falei, mas não testei em ninguém. Vou tentar o primeiro. Discorda de algo?

-Não, boa ideia.

Ela foi até Jellal e deu a injeção e ele adormeceu do mesmo jeito que aconteceu comigo, mas ele estava em melhores condições. Nós ficamos preocupados, mas para aproveitar que Juvia estava lá eu a chamei para a agora possível festa, ela aceitou e queria ajudar a arrumar as coisas. Assim que ela saiu todos foram dormir. De manhã fomos todos juntos falar com Jellal pra ver se tinha funcionado.

-Jellal, você está me ouvindo?- Erza falou e o acordou.

-Fale de novo.

-Bom dia.

-Estou ouvindo! O que vocês fizeram?- ele falou alegre.

-Que bom! Funcionou!- eu disse-Levy te deu uma injeção e você dormiu.

-Obrigada Levy, mas porque isso aconteceu?

Levy o explicou e nós fomos cuidar das nossas coisas que tínhamos a fazer e Jellal fez as pazes com Erza, eu não achava mais que ele era mau pra ela, então não me importava mais, mas fiquei com medo de que eu sofresse esses efeitos também. Quando terminei de fazer algumas coisas eu peguei o livro que eu estava ensinando a Natsu e o chamei e fomos para cozinha de novo.

-Você parece mais interessado hoje, eu te disse, as palavras são interessantes.

-Você tem razão. Ainda mais quando vem do seu livro misterioso.

-Você leu?

-Sim, sabe qual foi minha parte favorita? Ainda no começo, como você contou como foi para chegar aqui.

-Você achou isso por dois motivos, eu comecei com um texto simples e falei muito de você.

-Como você me descreveu é mil vezes melhor do que eu me achava.

-Disse apenas o que convivi, eu te vejo assim.

-Ah claro, porque eu tinha uma cara de determinação, e tinha instinto protetor, amigável, bonito, e às vezes engraçado. Enquanto nos momentos das fugas eu sempre me tremia, e você usava seu poder pra se proteger, e essa cor de cabelo, viemos e convenhamos que não combinava com a roupa e minhas piadas tinham graça sim. E eu não odeio Gray, só não suporto.

-Mas eu te admiro do mesmo jeito. Você bem sabe disso, mas agora vamos voltar a ler, interpretar você já sabe pelo jeito.

- Por sua causa.

- Quer saber, eu me garanto, eu sei que consigo, sou capaz de ensinar coisas as pessoas. Eu sou a Lucy, que tem medo de tudo.

-Eu também me garanto, forte, tenho amigos, sou da Fairy Tail e tenho uma professora muito legal.

 -Foco, foco, fo...- eu tentei dizer, mas fui hipnotizada pelo olhar de Natsu, que se aproximou de mim e depois virou a cara.

-Foco, está bem, vamos continuar a ler.


Notas Finais


Oi pessoal! Vou contar uma coisa a vocês, eu iria escrever esse capítulo ou um dos próximos com a morte suicida de Jellal, por causa da história original da fanfic, mas como minha amiga pediu e eu me apeguei ao personagem ele só ficou com surdez temporária :P Do mesmo jeito que semi deuses correm perigo, ex- soldados às vezes possuem sequelas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...