História Coração de Fada - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Fairy Tail, Guerra, Mundo Alternativo
Exibições 51
Palavras 1.686
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi gente! Eu ia postar o capítulo mais cedo, mas fiquei sem criatividade, enfim, acontecerem várias coisas ao mesmo tempo :P

Capítulo 21 - Ano novo parte II


-Erza tem razão, você é divertida. Pena Gray não reconhecer isso.

-Mas eu vou seguir seu conselho. Ele virá rapidinho.

-Tudo está ficando bonito não é mesmo?

-Sim, você são muito bons trabalhando em equipe.

-Fomos adaptados a isso, felizmente e infelizmente.

Depois de arrumarmos tudo, comemos, cochilamos e depois fomos nos arrumar, não era legal logo a gente estar de branco porque no final todo estariam encardidos. Já era noite, tinha acabado de arrumar, fui até a sala onde todos já estavam, assistindo televisão.

-O que acontece a meia noite?-perguntei a Juvia.

-Fogos explodem, pessoas bebem, enfim, todas aquelas cenas lindas.

-Fogos-engoli seco-Explodem?! Explodem com pólvora? E sai fumaça? E acende uma luz no céu?

-Sim, por que está ficando nervosa?-ela perguntou.

-Fogos explodindo não são bom sinal-respondi.

-De novo não- Gray disse.

-Oh minha nossa, tinha esquecido de um pe... grande detalhe. Mas os fogos são soltados bem longe daqui, é mais bonito de longe, não se preocupe-Juvia disse, o que me tranquilizou, não me dava bem com coisas que acediam e faziam barulho, exceto claro, o fogão e Natsu.

-Acho que vou ficar aqui mesmo, para evitar que aconteça alguma coisa-falei.

-Mentira Lucy, você está com medo, o que eu acho patético, porque nem eu pequena era assim-Erza disse.

-Vamos comer logo!- Natsu disse, o que me fez perceber que ele estava voltando ao seu normal- Você falam pra caramba.

-Está bem, eu vou trazer alguns salgados, que EU fiz- Levy falou.

-A quanto tempo você está na Fairy Tail, Juvia?-perguntou Jellal.

-Desde alguns anos atrás, uns dois anos antes da maga celestial desaparecer, eu a conhecia.

-Juvia, você assistiu o jornal esses dias?-perguntei.

-Não todo, só a notícia de você e os outros pela metade. Andei muito ocupada.

-Essa maga celestial, Layla, é minha mãe-eu disse.

-Nossa! Agora que percebi você é um pouco parecida com ela mesmo. Meus pêsames.

-Nãos se preocupe, eu já me acostumei com a ideia faz tempo.

-Já está chegando a hora, o que fazemos agora Juvia?- Erza perguntou.

-Pegue o champanhe e se prepare para abri-lo, vamos para lá fora, Natsu pega as taças- Juvia respondeu.

-Já estou indo- Natsu disse.

Erza voltou com o champanhe e Natsu com as taças. Durante todo esse tempo nós nunca bebemos nada alcoólico, e não sabíamos o gosto, nem o que viria depois. E como sempre, as frescas, Levy e eu ficamos um pouco envergonhadas de pegar uma taça. Sai com dificuldade para ir ao quintal, porque estava com medo dos fogos. Quando começou a contagem eu fiquei um pouco quieta porque qualquer coisa eu não iria pagar mico, até que chegou no...

-1! Feliz Ano Novo!- Juvia disse.

E Erza abriu o champanhe que saiu muita espuma, e os fogos começaram a serem soltados e eu simplesmente gritei.

-Que legal!

Iluminavam o céu tão maravilhosamente, com os sons sincronizados e o som das pessoas falando bem alto: “ Feliz Ano novo!” . Crianças, adultos, jovens, idosos, todos felizes, mas eu lembrei o que fogos significava pra mim, hora de correr, crianças gritavam de horror, os idosos se desesperavam para poder sair logo dali, hora de me proteger.

-Lucy, o que você está fazendo de novo?- Natsu perguntou, ele se referiu a aquela luz dourada de antes que apareceu novamente.

-Eles estão vindo, precisamos ir, agora- eu disse, provavelmente fora de mim.

-Não, nós estamos seguros, vamos lá pra dentro- Levy falou.

E todos entraram em casa por minha causa, mas já estava acabando e eu desfiz a magia. Me desculpei com todos. Ninguém ficou bravo na verdade, todos riram depois, e nos servimos com o champanhe e os petiscos.  Levy ficou maluquinha rápido demais, ela ria demais pra uma pessoa normal e nem estava reclamando dos seus livros. Eu estava no meu juízo perfeito, mas também estava ficando com sono e fingia estar prestando atenção na conversa. Os outros falavam, conversavam eu só ouvia ruídos e eu tinha certeza que não era uma surdez temporária. Depois de um tempo, todos foram se sentando e alguns pegaram no sono, inclusive eu. Quando o sol já estava aparecendo uma voz me acordou.

-Lucy, é normal ficar com dor de cabeça depois de ontem?-Natsu perguntou.

-Oi? Hã, não sei.

-Sim Natsu, o huma... zzzzzzzzzzzzzz- Levy tentou explicar de novo, mas dormiu.

-Me ajude a levantar- pedi ao Natsu.

-Se eu conseguir me equilibrar sozinho.

Ele puxou minha mão e eu levantei, fui segurando nos móveis até o quarto que estava mais perto. E lá deitei e fiquei. Nem lembro-me se eu estava deitada na cama ou no chão, ou até no guarda-roupa e se duvidar no banheiro. Dessa vez consegui acordar primeiro que os outros, e estavam todos lá no mesmo quarto, até mesmo Juvia que nem conhecia a casa.

-Deixa eu ver, capa, todo bagunçado, nada de livros, pode ser do Gray, Natsu, ou Jellal, seria estranho se fosse da Levy. Então nós estamos no quarto, no meu quarto?!

-Cala boca Lucy! Deixa eu ter meu sono- bocejou- de beleza- disse Erza que estava do meu lado, no chão.

Meu travesseiro estava encardido e Gray estava tomando o espaço de toda cama, ele parecia inconsciente, mas eu sabia que era cansaço, Levy estava deitada numa montanha de livros, os meus livros que ela derrubou, Juvia estava sentada na tampa da privada do banheiro encostada na pia, Jellal estava na cadeira acolchoada(esperto) e Natsu estava encostado na porta, provavelmente foi o último e mais preguiçoso de todos.

-Saiam do meu quarto!- eu gritei.

-Droga Lucy, deixa eu dormir-Erza reclamou de novo, mas eu a ignorei.

E foram saindo devagarzinho, alguns ainda sem equilíbrio, que caíram no caminho e alguns conseguiram chegar nos seus quartos. Eu fui tomar banho e emprestei meu banheiro a Juvia já que ela já estava dominando o lugar. De manhã os fogos perturbavam nossa dor de cabeça interminável. O que me lembrava das fugas quando Erza e Gray pequenos e os fogos decidiam atacar meus ouvidos. Era tudo com ignorância, pegar um caneco era abrir o armário quase quebrando-o e depois largar o caneco na pia e derramar o café pelas beiradas. Conseguimos finalmente ter uma conversa amistosa.

-Decidimos hoje que nunca vamos experimentar esses bregueços que a Juvia traz-Gray disse.

-Juvia concorda com isso- ela falou.

-Todos nós concordamos- eu disse- meu quarto também.

- Desculpa pelos livros, eu acho que exagerei- Levy disse.

-Te desculpo, mas fale um pouco mais baixo- eu disse.

À tarde inteira foi para arrumar as coisas e Juvia resolveu ficar e nos levar no outro dia a Fairy Tail. De noite eu estava melhor e aproveitei para conversar com Natsu o que Juvia tinha me dito.

-Natsu, aviso de assunto super chato- eu disse, super chato porque ele não era de quem gostava de conversar sobre isso.

-Gray quer saber o que é puberdade de novo? Aquele idiota nunca aprende que todo mundo cresce, especialmente ele.

-Não. Aquela surdez temporária do Jellal te abalou? Seja sincero.

-Sim, tenho medo que algo aconteça a um de nós também, agora entendo porque você não quer que nós fiquemos juntos assim tão de repente. Eu imagino tantas coisas, mas elas não podem virar realidade pelo simples fato de eu ser eu, você ser você, e outros serem eles mesmos.

-Você tirou a palavras da minha boca. Mas eu pensei, que se nós ficarmos recuando sempre, tudo vai acabar e nós não conquistaríamos nada que queríamos. Por isso agora posso dizer que não gosto de você como amigo, é mais do que isso.

- Eu sabia desde dia que nós fomos parar no laboratório.

-E eu desde o primeiro Lucy que saiu da sua boca.

-Não, eu achei engraçado ali. Brincadeira.

-Juntos?- Gray apareceu do nada.

-Sai daqui Gray seu idiota- Ntasu disse, se esforçando para não ir atrás dele.

-Pode ir- eu disse.

-Valeu Lucy- Natsu disse correndo- Gray volta aqui!

-Juvia shippa vocês dois, até porque você é muito próxima do Gray- ela disse olhando para mim como se fosse me engolir.

-Sai Jellal, fica pisando no pé dos outros- Erza disse.

-Você que teve a ideia de se esconder aqui e bisbilhotar a vida dos outros- Jellal falou.

-Nossa, vocês são muito educados não é mesmo?- perguntei com ironia.

-Desculpa Lucy... eu também estava ouvindo- Levy apareceu.

-Não tem problema, não há nada pra esconder a vocês- eu disse.

-Alguém me ajuda, meu braço- Gray gritou de longe.

-Ele que começou- Natsu disse quando chegamos mais perto deles e ele ficou de braços cruzados.

E novamente Levy teve de usar seus equipamentos médicos. Foi apenas para parar a dor, não houve nada de grave. Antes de dormir resolvi ensinar a Natsu e Jellal algumas coisas da Gramática e da geografia, o que eles eram ruins. Eles se deram bem e aprenderam rápido então ainda sobrou tempo para descansar de toda a semana. Dessa vez eu fui olhar o céu estrelado no quintal. E propositalmente Natsu veio também.

-Lucy, Lucy, pensando em que?

-Nada, dessa vez me desliguei um pouco daqui, estava “meditando”. Olha uma estrela cadente.

-Não Lucy, são bombas.

-Na verdade meteoros, não?

-Não Lucy, são bombas, meus pais me ensinaram isso antes de irem pra que eu não seguisse a “estrela cadente”.

-Se parar pra pesar eu nunca tive esse tipo de atitude com Erza ou Gray, mas também, você nem ligava pra eles. Se eu sou lerda quem iria protege-los?

-Pra que? Somos todos irmão aqui, lembra? Além disso, sempre tivemos uma afinidade de irmãos, mas do que de conhecidos com Levy e no meu caso Gray e Erza do que de “família”.

 -Ai, ai- eu disse rindo.

-O que foi Lucy?

-Nada, você é engraçado.

- Vamos deitar, já está na hora de desligar as luzes- ele disse, fomos até a porta do meu quarto e antes que eu entrasse, ele me virou e me beijou, e eu soube o que era aquilo que todos aqueles livros diziam, eu sorri e entrei no meu quarto e ele se foi pela porta. Depois disso apenas consegui ficar parada deitada na cama sem saber o que pensar e dormi.


Notas Finais


Tomara que não tenha erros ortográficos T.T Amei o Gray e a Juvia shippando Nalu, eu shippo(Oh Bruna, não me diga). E o final foi tão ownn. pena que tudo isso ... pera spoiler não.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...