História Coração de Fada - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Fairy Tail, Guerra, Mundo Alternativo
Visualizações 51
Palavras 996
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 29 - Bandeira Vermelha Queimada


-Nashi, vocês está bem- eu disse e fui olha-la para perceber se teve ferimentos, mas ela estava normal.

-WOW! Nashi, como conseguiu?- Gray e Levy perguntaram ao mesmo tempo.

-Não sei, eu só quis que o calo saísse do caminho- ela disse fazendo uma cara de coitada que quase funcionou.

-Vamos!- Natsu disse pegando na mão dela, algo que eu repudiei, porque ele foi um pouco grosso.

Deixamos Nashi na escola e fomos a Fairy Tail, a chegarmos ao mural havia um cartaz bem chamativo, era uma alerta. Dizia:

“Vejam essas imagens, pessoas tristes e feridas, esses são os nossos soldados, eles precisam de mais companheiros, aliste-se já. Lembre-se o refúgio também pode ser atacado.”

As fotos eram horríveis, até para nós que estávamos lá ao vivo, dei aleluia por Nashi não ter ido a Fairy tail conosco justo nesse dia. Era a única coisa que eu evitava de mostra-la. Ela sabia de tudo, tudo que aconteceu, mas considerava mais a ideia formada na sua própria cabeça.

-Eles nunca desistem- Gay disse tocando no cartaz.

-Mas eles possuem um pouco de razão, se o número de soldados aumentasse, a probalidade de o refúgio ser atacado seria menor, provavelmente, ainda destacando que temos magos aqui-Levy disse.

-Mas a magia não funciona tão eficientemente com as armas- Natsu disse.

-Mas chegamos a conclusão que ninguém de nós vamos sair daqui-eu disse.

-Nãos sei...- Gray disse.

-Pois é, se nós ficarmos podemos ser explodidos e Nashi também e se formos ela vai ficar sozinha e eu não quero que ela passe pela mesma coisa que eu- Natsu disse.

-Maldita hora, será mesmo que vamos ser atacados?-perguntei tentando não pensar na possibilidade.

-Eu vou!- Erza disse, sua cabeça estava abaixada, mas assim que ela falou levantou-se.

-Você tem certeza?- eu perguntei.

-Sim! Quero proteger vocês, proteger Nashi, proteger Fairy Tail, Jude, quero proteger Jellal, nem que eu morra primeiro que ele-ela disse, ela parecia não estar brincando e sua voz parecia confiante demais.

- É melhor você pensar antes, você quer mesmo isso?-Levy perguntou- podemos estar em desvantagem lá fora.

-Não vou pensar, eu já tinha pensado. Desde o inicio era isso que eu iria fazer, então é assim que vou terminar- Erza falou, todos estavam olhando pra ela na guilda, inclusive o mestre.

-Mas e Jellal?-Eu perguntei.

-Ele vai ficar bem, Levy está ajudando ele e não há nada em que ele possa ajudar ou vice-versa-ela respondeu.

-Se você está tão confiante eu não vou te atrapalhar- Natsu disse.

- Acho que vou também- Gray disse.

-Não Gray, você fica, será dor demais para eles se mais um acabar morrendo-Disse Erza segurando o braço dele.

-Eu não estou concordando com a ideia, eu não quero que você vá-eu disse.

-Fique com Nashi, imagine que eu estou com ela tentando me divertir, a criança que eu nunca fui-ela falou.

-Mas você vai ter que ir amanhã- eu tentei desencoraja-la, mas falhei ela saiu de Fairy tail e provavelmente iria se alistar.

Todos em Fairy Tail ficaram espantados, nenhum sequer quis se alistar, estavam todos com medo ou não queria voltar para aquele lugar horrível. Eu não iria por Nashi e porque iria desfalcar no grupo dos magos celestiais alguém para proteger o refúgio. O dia foi um pouco tenso e cheio de dúvida, tentamos não parecer tristes ao buscar Nashi do colégio, que falou a volta toda.

-Eu gostei muito de hoje, foi muito legal, meus colegas são muito legais, a tia é gentil, eu tirei uma soneca lá, fiz pintura, mas eles estavam tristes demais, porque mãe?

-Elas devem estar cansadas de arrumar o colégio para as aulas-respondi.

-Deve ser, cadê a tia Erza?

-Ela saiu mais cedo, quando chegarmos ela já vai estar em casa, eu acho-respondi.

-Eu quero contar ela como foi.

-Depois você conta, ela vai querer saber-Natsu disse.

Assim que chegamos Erza estava falando com Jellal, parecia que eles estavam chorando antes de chegarmos. Erza tentou sorrir e foi falar com Nashi e eu fui tomar banho para descansar. Depois do café, quando Nashi dormiu, nós ficamos conversando sobre a saída de Erza, não queríamos que ela fosse, mas impedi-la não era a solução, e eu sabia por experiência. Era mesmo muito triste, uma pessoa como ela, tem suas qualidades que as pessoas admiram, era difícil despedir-se dela. Ela já estava com as malas e documentos prontos e antes que Nashi acordasse ela já estaria lá. Na manhã seguinte o carro chegou pontualmente para busca-la.

-Adeus pessoal, foi muito bom estar com vocês, Até os momentos ruins, se tornam bem memoráveis por estar ao lado de vocês, saiba que eu amo todos. Jellal!- ela disse pegando na mão dele-fique bem, quem sabe eu possa voltar viva e possa ver você ainda vivo.

-Vou, fi-fi-fi-ficar bem-ele disse-cuidado com a-a-a-as bombas.

-Vou ter cuidado- essa foi a última palavra dela antes de sair pela porta.

Depois à tarde, tive que explicar a Nashi o que tinha acontecido, ela chorou, mas entendeu que era preciso e que não tinha mais volta. Passou-se uma semana e nada de notícias de Erza. Até que chegou o final de semana.

-Lucy!- disse Gray que estava na janela-Tem um soldado vindo pra cá.

-Deixe que eu atendo-Natsu disse e abriu a porta.

-Olá senhores-disse o soldado, ele tinha uma feição mais simpática que os outros, mas mesmo assim era pálido demais.

-Você não vai levar ninguém daqui, eu não vou deixar- Natsu disse.

-Calma senhor. Eu não vim captura-los, é sobre a –ele olhou o papel que estava segurando- sobre Erza.

-O que foi?-levantei assustada e já imaginava o que viria logo após.

-Ela faleceu- ele pegou se chapéu e abaixou-o até a altura da barriga e inclinou a cabeça como sinal de ressentimento- na manhã de ontem, num combate, só sobrou isso-ele mostrou o que sobrou da espada.

-Erza! Bombas! Erza! Bombas!- Jellal gritava descontrolado. E nós começamos a ouvir som de bombas bem distante e o soldado se retirou imediatamente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...