História Coração Dividido - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Meu Coração é Teu
Personagens Ana Leal, Fernando Lascuráin Borbolla
Exibições 15
Palavras 1.558
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Droubble, Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Visual Novel
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Capítulo 13


Ana acorda ouvindo o som de um violão bem longe, ela tenta adivinhar de onde vem àquela música, não consegue distingui-la, alguém começa cantar, ela fica ouvindo... Então... Ela reconhece o dono da voz, ela levanta coloca o robe e segue a canção descendo as escadas correndo, passa pela cozinha, atravessa a área de serviço, quando chega aos fundos da casa fica escondida atrás de uma jaqueira, quieta, presta atenção na letra da canção, ela não acredita no que os ouvidos dela ouvem. De onde estar, ela vê o Fernando embaixo de uma arvore com o violão tocando e cantando uma música linda cheia de sentimento, a letra da música é linda, fala de um sentimento sem controle, sem domínio, forte, poderoso, dominador, quem estiver sentindo isto está muito apaixonado. Fernando nem desconfia que Ana esta o espionando, ele se empolga e canta alto: A Canção é “Sentimento Incontrolável” (Danilo Hudson).

“Sinto algo diferente quando eu te vejo... Coração bate mais forte de tanto desejo... Fico anestesiado pelo o seu olhar...Um turbilhão de sentimentos a me dominar...Passo dia imaginando como te dizer...Que estou completamente. Apaixonado Por Você... Eu fico bobo, hipnotizado, desorientado não sei disfarçar.... Sentimento incontrolável... Coração é terra que ninguém pode pisar."

Fernando repete a letra várias vezes, Ana fica impressionada com a linda voz que ele tem, a canção é linda, mas cantada por ele fica forte, vira emoção, ela sente vontade de correr para os seus braços e beija-lo muito, como ela gostaria que ele cantasse aquela música olhando nos seus olhos, ele se envolve completamente pela canção, fecha os olhos e põe a cabeça para trás, realmente ele está apaixonado. Ana não percebe, mas alguém se aproxima dela, fica tão fascinada que se esquece de qualquer coisa.

— Ele tem uma voz linda, você não acha? Dona Carol surpreende Ana, falando baixo bem perto dela.

Ana se assusta e quase da um grito, tapando a boca com a mão.

— Ai que susto! Oh dona Carol a senhora me assustou!

Dona Carol sorri pega ela no flagra, bisbilhotando Fernando.

— Eu não sabia que o Fernando sabia cantar tão bem, o Rafael eu sei, ele sempre canta para mim, eles poderiam formar uma dupla sertaneja já pensou “Fernando&Rafael” fariam o maior sucesso, pelo menos com a mulherada. Ana comenta rindo.

— Eles sempre gostaram de cantar, os meus três homens, sempre estão fazendo sarau aqui mesmo no quintal ou na piscina. Dona Carol comenta olhando para Fernando. Dona Carol pega Ana pelo braço a guiando em direção à cozinha.

— Vamos princesa, se ele nos pegar o espionando vai ficar uma fera venha vou colocar o seu dejejum.

Ana e Dona Carol se dirigem a cozinha, deixa o Fernando colocando para fora os sentimentos que só ele conhece quais são. Maria esta no fogão fazendo o café, quando vê a Ana abre aquele sorriso.

— Menina anjo, fiz seu suco favorito e o bolo que tanto gosta, está quentinho, espera, eu vou fazer um prato para você. Maria é funcionária de Dona Carol, ela adora a Ana, a chama de “Menina Anjo” ela sempre diz que se existir anjos com certeza a Ana se parece com um deles. Maria entrega um prato com bolo de cenoura/chocolate e um copo com suco de Abacaxi a Ana.

— Coma logo menina anjo, bolo quentinho é mais gostoso.

Ela olha para Ana com a maior admiração.

— E Coma tudo, você precisa alimentar-se bem, precisa de ferro, proteína e carboidrato.  Uma voz profunda soou atrás dela, Fernando encostado na soleira da porta da cozinha com os braços cruzados no peito a observa com um sorriso nos lábios. Ana abri um sorriso.

— Quer dividir comigo, é muito bolo, não vou conseguir comer isso tudo, Maria é muito exagerada, senta aqui. Ela aponta para cadeira ao seu lado.

— Maria pega um garfo para o Fernando, por favor? Fernando vem em sua direção e senta-se. Maria entrega um garfo e um prato, Ana diz que não precisa de outro prato.

— Vou provar só um pouco, está com uma cara boa. Os dois ficam brincando com a comida, ele começa a servi-la com o garfo dele, pega um pedaço do bolo e coloca na boca da Ana e foi assim até terminar o bolo, ele conseguiu faze-la comer mais da metade da fatia e ela nem percebeu, com o polegar ele retira um  farelo do bolo que esta no canto da boca dela e limpa o dedo na boca, sorrindo encosta. Os lábios próximo ao seu ouvido e diz:

— Esse foi o meu melhor pedaço, tem gosto de Ana. Fernando  levanta e vai em direção à sala, no caminho ele comenta.

— Agora vou trabalhar, já alimentei a “menina anjo”, estou tranquilo não ficarei sem meu raio de sol.

Fernando acena com a mão no alto sem olhar pra trás e sai da cozinha. A manhã segue tranquila, desde que ela escolheu os jasmins amarelos, ela é responsável por eles, sempre limpa e rega o canteiro, ela adora mexer com a terra. Já estavam colocando a mesa para o almoço quando Rafael chega da Faculdade, ele se aproxima de mansinho e pede para Dona Carol ficar quieta, pega Ana por trás de surpresa a abraçando.

— Deus Rafael assim você me mata de susto! Ana grita surpresa.

Ela o enlaça pelo pescoço beijando seu rosto, ele sorri e a segura pelo queixo depositando um beijo em seus lábios a deixando envergonhada, ela ainda não esta acostumada em expor a intimidade deles na frente dos outros. Rafael a encara e pisca o olho.

— Anjo como foi a sua manhã sem mim? Sentiu muitas saudades? O que as duas aprontaram você esta bem, sentiu algum mal estar? Ele a segura pela cintura e disparannas perguntas. Ela ri.

— Foi difícil, mas com ajuda da sua mãe tornou-se fácil, e estou ótima, posso até ir para o curso agora à tarde. Ana lança um olhar de suplica.

— Nem sonhando, a senhorita vai ficar quietinha, não vou arriscar, amanhã talvez quem sabe, Rafael a solta e segue em direção da mãe a beija na testa e sobe as escadas.

— Vou tomar um banho já desço.

O Almoço foi animado, Pedro chegou logo após o Rafael, assim que almoçaram Pedro correu de volta para o trabalho, Ana e Rafael foram para o Jardim sendo observados por Dona Carol de longe.

Dona Carol esta preocupada com o namoro deles dois, apesar de estar muito feliz com isso, sempre torceu para que o Rafae criasse coragem e dissesse a verdade sobre os seus sentimentos a Ana, porém preocupava-se com o fato dela ainda ser menor de idade, afinal conhecia os seus filhos eles eram homens e agiam como tais, o fato é que a Ana é diferente das outras moças, sua criação rompe qualquer barreira da compreensão do comportamento das moças de hoje em dia!

Ela sabe que a Ana é virgem, Ana foi criada embaixo da saia da mãe, ela a protege do mundo de um jeito que Carol fica assustada, superproteção só atrapalha, mas ela deu a palavra que nada iria acontecer de errado enquanto ela estivesse sob sua responsabilidade. Rafael e Ana estão na maior animação sentados no banco do jardim.

— Quer dar uma volta, podemos tomar um sorvete e depois ver o pôr do sol? Pergunta Rafael animado, quer ficar a sós com a Ana ela fica envergonhada quando Carol fica por perto não permite muita à aproximação dele.

— Ótima ideia! - Ana olha em direção a Carol.

— Não vamos demorar, quero ficar com você um pouco mais antes de leva-la para casa. Rafael beija sua testa toma sua mão levantando-se junto com ela.

— Vamos vou pegar a chave do carro, pegue seu documento.

— Mãe! Vou levar a Ana para dar uma volta, voltamos logo, quer alguma coisa? Ele fala já em direção à saída guiando Ana pela mão. Dona Carol ian dizer algo mais Rafael foi rápido, quando ela menos percebeu já estavam no carro, ele grita de onde estar.

– Qualquer coisa é só ligar para o meu celular, by.

Saiu acenando com o braço pra fora do carro. Eles dão uma volta na orla, ele escolhe um local alto que tem uma visão linda, para ver o pôr do sol, muitos casais vão para lá apreciar a vista e namorar. Ana fica encantada com a visão panorâmica do lugar, Rafael escolhe uma vaga onde não têm muitos carros o local é seguro logo adiante tem uma guarita da policia, eles não iriam incomodá-lo afinal ele é filho de um oficial da policial.

— Olha que lindo anjo. Rafael aponta para o horizonte.

O sol se pós... Ana esta com um sorvete na mão faz um tempo que ela o segura, quando vai colocar na boca o sorvete cai no decote da blusa, uma boa parte fica entre seus seios, ela grita surpresa.

— Ai! Que droga sujou minha blusa. - Rafael olha e ver a cena.

Ana veste uma blusa com decote em V rosa acima do umbigo e uma saia curta cintura baixa de babados na cor branca, ela tem pernas grossas e uma cintura muito fina, seios pequenos, o que lhe faltou nos seios têm em excesso no bumbum, ela tem uma bunda redonda e empinada.

— Calma! Deixa que limpo para você. -  Diz gentilmente.







   ❤❤FerAna❤❤

Bjos....💋💋💋💋💋

Continua..... 😘😘😘😍




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...