História Coração Dividido - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Meu Coração é Teu
Personagens Ana Leal, Fernando Lascuráin Borbolla
Exibições 23
Palavras 1.138
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Droubble, Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Visual Novel
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Capítulo 5


Quando Rafael volta para sala, ela esta dormindo segurando a mão machucada com a outra mão, provavelmente o efeito da anestesia esta passando, ele não pode deixa-la naquele sofá desconfortável, a pega no colo e a leva para o seu quarto.

Quando a coloca na cama sua saia sobe um pouco deixa a mostra suas coxas e um pedacinho da calcinha branca, Ele conserta sua roupa a cobre e sai do quarto.

Fernando dirige sem saber o seu destino, para em uma praia tranquila, ele gosta do mar, do cheiro de maresia do barulho das ondas isso o tranquiliza. "Caralho o que esta acontecendo com minha cabeça? Porque estou me sentindo assim, não paro de pensar na Ana, nunca mulher nenhuma fez isso comigo, acabei de conhecê-la como pode? O pior que não é nem pensamento de sacanagem, eu não sei explicar é algo diferente, quando a vi na cozinha tão indefesa fiquei com uma vontade louca de protegê-la, segurá-la no colo e a beijar, dizer a ela que tudo ia ficar bem que estava ali e nada nesse mundo iria machuca-la, porra estou fodido... Ela pertence ao meu irmão, preciso tirar essa mulher da minha cabeça. "

Ele fica divagando em seus pensamentos, sentado em uma pedra olhando aquela paisagem e o por do sol, fica lá até o sol desaparecer, ele tem que voltar, a festa ia começar logo, preciso trocar a porra da roupa e enfrentar meu inferno.

Fernando chegou em casa e ela esta num silencio e sem uma viva alma, ele sobe as escadas e vai à direção do seu quarto, a porta do quarto do seu irmão esta aberta e o abajur esta ligado, ele resolve entrar para conversar

— Rafael podemos conversar? Não era o Rafael  que estava na cama, fica ali parado observando ela, como se alguém o tivesse o empurrado, ele vai a sua direção, com cuidado, não queria que ela acordasse, sentou-se ao lado dela, fica olhando, sentindo o cheiro dela, lembra logo do cheiro quando a pegou no colo pela primeira vez, tira uma mecha de cabelo do seu rosto, passa o polegar em seu queixo, então ela abre os olhos lentamente e sorri... Caralho! Posso morrer agora, que morreria feliz, foi o riso mais lindo que alguém já me deu. Meio sonolenta ela perguntou

— Você é um anjo? Estou dormindo? — Ela sorri, pega a mão de Fernando e belisca.

—Ai! Isso dói caramba! — Ele grita com a surpresa do ato dela.

— Porque você fez isso?

— Desculpa! Precisava ver se estou acordada ou sonhando... ela ri de novo.

– você é o Fernando o irmão do Rafael? Foi você que me ajudou na cozinha? Mesmo que negue eu sei que foi, tenho provas que foi você mesmo...

— Ela aponta para camisa dele — Sua camisa esta suja com meu sangue. Fernando olhou para direção do dedo dela.

– Caralho nem percebi, e saí assim, que merda! — Ele percebeu que ela o olhava com a sobrancelha arqueada.

– O que foi? Falei algo ruim?

— Porque vocês em cada cinco palavras que falam dizem um palavrão, o Rafael é a mesma coisa.

 — Ela ficou olhando pra ele. “Ele é lindo! Os olhos dele são da cor do olhos de um tigre tão lindo a boca é igual ao do Rafael grande e carnuda ele é mais forte tem um peitoral bem definido fico olhando a camisa bem ajustada os ombros largos e o cabelo é mais escuro também é mais alto, o sorriso acho que faz qualquer mulher se jogar aos seus pés. Não consigo parar de admira-lo”.

Fernando a tira do seu devaneio falando em seguida:

– Desculpa! Pelos palavrões, eu sou assim mesmo meio desbocado, ligue não você irá se acostumar. Você esta bem? Esta doendo? Precisa de algo?

— Ana tenta levantar-se e percebe que sente dor.

— Ei! Estou aqui, percebeu? Deixa que a ajudo, quer que a coloque ao colo, para onde que ir? Não tenha vergonha. — Ela olha para Fernando com uma cara zangada.

— Se você percebeu eu machuquei a mão, não foram às pernas, posso muito bem me locomover sem ajuda.

Ana levanta da cama num pulo, queria mostrar a ele que era capaz de fazer isso sozinha sem ajuda, mais se esqueceu que tomou remédios fortes e sua visão fica turva, sentindo que vai cair procura o braço do Fernando, ele percebe e a segura.

—Viu! Você precisa sim de ajuda, agora vou te levar no colo, aonde que ir? Fernando a segura nos braços mesmo ela relutando, mas não tem jeito ele é mais forte.

— Me solta Fernando, me ponha no chão. Ela se debate nos braços dele. Onde esta o Rafael?

— Ele não esta aqui você esta vendo algum Rafael por aqui? Seu quarto é esse? Fernando  aponta para o quarto entre o seu e o do Rafael, abre a porta com o pé e entra. Ele a coloca na cama e fica na frente dela de braços cruzados.

— Mais alguma coisa? Precisa de ajuda no banho? Pra vestir o vestido? — Ele estava se divertindo com o rosto vermelho dela, ele só não sabia se era de raiva ou vergonha.

Vendo ela assim sentada olhando pra ele sentia uma vontade de beija-la, tirar sua roupa e fazê-la sua, para provar cada pedacinho desse corpo pequeno e carnudo.

— Esta se divertindo? Não eu não preciso mais dos seus serviços, sei me virar sozinha, me deixe em paz, preciso me trocar. Ele tem o dom de me irritar, em questão de minutos de anjo virou demônio, só não entendo porque tenho vontade do toque dele, que raiva! Fernando descruza os braços e da um passo em sua direção agacha e segura o seu queixo com a mão.

– Não Ana, eu não estou me divertindo, só quero ajudar, agora se não quer minha ajuda vou embora, qualquer coisa é só gritar. — Agora Fernando ficou irritado com a teimosia dela, ficou com vontade de coloca-la deitada em seu colo e dar umas boas palmadas, soltou o rosto dela e ficou olhando sua reação.

— Não esqueça é só gritar que estou ali do lado. — Ele levanta-se e vai em direção à porta, ela fica lá o olhando.

"Poxa!! Porque ele fez isso... Deu vontade de me jogar nos braços dele, vontade de pedir me beije, por favor, que homem é esse, que poder de me fazer mole diante dele, perna bamba só com um toque, as mãos dele queima. Só senti isso por uma pessoa... E-S-P-E-R-A tem alguma coisa errada, não posso sentir a mesma coisa por duas pessoas ao mesmo tempo, isso não é de DEUS, é errado, eles são irmãos e tem mais só conheço o Fernando a menos de 3 horas. Acho que quando caí na cozinha bati a cabeça, só pode ter sido isso"





❤❤FerAna❤❤



Bjos.... 💋💋

Continua..... 😘😘😘😘😘😘



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...