História Coração Escuro - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Gon Freecss, Hisoka, Killua Zoldyck, Kurapika, Leorio Paradinight
Tags Drama, Hisoka, Hunter X Hunter, Romance
Visualizações 152
Palavras 1.134
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 41 - Arriscado


Fanfic / Fanfiction Coração Escuro - Capítulo 41 - Arriscado

 

Um mês depois

 

A família Harada resolveu muda-se, na verdade Yukino que convenceu seus filhos. Sayuri sabia que provavelmente Machi não voltaria, pois Hisoka havia a deixado, mas a mãe queria começar uma nova vida, longe do passado, longe de tudo que a fez sofrer. Sua antiga casa, foi onde viveu com seu falecido marido e seria um jeito de deixar de sofrer com coisas do passado. Yukino revelou que permaneceu ali por tanto tempo, esperando a filha de Takashi ir procura-lo e agora que já havia cumprido sua “missão”, não tinha mais nada que a prendia naquele lugar.

Saíram da ilha Himawari e foram para ilha da baleia, um lugar muito gostoso e um pouco parecido com o antigo lar. Não demoraram e nem sentiram dificuldade para se instalarem, pois foram muito bem recepcionados e Sayuri acabou encontrando Gon, que contou que morava ali.

Sayuri estava feliz, mantinha-se forte na frente de todos, mas todas as noites quando estava sozinha desabava, mas não tinha raiva, pelo contrário, levava aquilo como uma decisão que decidiram juntos.

 

*** *** ***

 

Estava chegado o aniversário de Sayuri, sua mãe percebeu que ela andava muito abatida, então resolveu fazer uma surpresa, talvez a deixaria mais animada. Sabia da amizade da filha com Gon, então pediu ajuda do menino, explicando toda a situação e ela animou-se, faltava seis dias, seriam dias suficientes para Gon organizar algo.

 

Chegando no dia, Sayuri estava deitada, um tanto desanimada e seu irmão e mãe chegaram lhe dando parabéns e um presente e dizendo que de noite eles três sairiam para comemorar.

Ela animou-se um pouco e começou a se arrumar cedo, tinha vontade de se erguer, queria esquecer o passado. Colocou um vestido preto cumprindo, com acessórios dourados e uma maquiagem leve, ficando muito bonita.

Deixaram a casa, ela não sabia para onde iriam, mas todos estavam a espera-la na casa de Gon. Guiaram a jovem até lá.

 

-Essa é a casa de Gon, o que estamos fazendo aqui?

-Chamamos seu amigo para nos acompanhar. -Diz Yukino com um sorriso.

 

Bateram na porta e Mito logo abriu, quando a morena entrou, foi recepcionado por um parabéns caloroso de alguns amigos.

 

-Kurapika, Killua, Leorio... E algumas pessoas da ilha Himawari. -Ela ficou surpresa. -Estou feliz por ver todos vocês, estava com saudades.

 

Ela começou a abraçar um por um, só eles mesmo para anima-la naquela situação, havia ficado radiante que até esqueceu por um tempo o que estava acontecendo em sua vida.

Ficaram comemorando, muito felizes e animados, algumas pessoas da ilha começaram a fazer amizade com os Hunter, todos estavam se dando bem. Sayuri estava feliz por aquilo, mas saiu da casa, queria tomar um ar, mas logo voltaria.

 

-Não gostou da surpresa? -Pergunta o loiro.

-Kurapika... -Ela levou um susto, não esperava que ele fosse sentir sua falta tão rápido. -Não é isso, estou muito feliz, mas está uma noite linda, queria tomar um ar.

-Entendo... Você está diferente, parece triste.

-Não é nada...  E você, está tomando cuidado?

-Sim, estou... Logo alcançarei meus objetivos... Logo acabarei com a Trupe.

-Tenho uma irmã na Trupe... -Sayuri confiava o suficiente em Kurapika para contar.

-Sayuri... Quem? -Ele ficou surpreso.

-Machi...

 

O loiro desviou seu olhar, pois havia prometido acabar com a Trupe, e a irmã de uma pessoa que ele gostava muito era um membro, ficou sem saber o que fazer.

 

-Não precisa poupa-la.... Ela não deve ter tratamento privilegiado por ser minha irmã e tenho certeza que ela não pensará duas vezes antes de mata-lo, mesmo você sendo meu amigo.

-Sayuri...

-Faça o que você precisa fazer, não pense em mim. -Ela o interrompeu. -Se ela quiser viver, terá que ser mais forte que você.

-Eu sinto muito...

-Para com isso. -Ela sorriu e virou-se para ele.

 

A Harada sentiu algo estranho, um enjoo seguido de uma tontura. Kurapika percebeu e lhe deu apoiou com seu corpo.

 

-Sayuri, você está bem?

-Sim... Apenas um enjoo seguido de uma tontura, mas está tudo bem.

-Não seria melhor falarmos com sua mãe?

-Agora não, só deixaria todos preocupados.

-Certo, mas vamos entrar.

 

Entraram novamente na casa de Gon, Kurapika obrigou Sayuri a se sentar disfarçadamente e a comemoração continuou.

 

-Você deveria mudar de ideia e sair comigo. -Se aproxima Leorio brincando.

-Eu nunca vou mudar de ideia! -Ela o responde com um sorriso divertido.

-Ela está saindo comigo, então não poderá sair com você. -Brinca o loiro.

-Você é um babaca, Kurapika!

 

A comemoração continuou, Kurapika sempre cuidando da amiga, pois sabia que algo estava errado. Ela estava um pouco pálida e isso não passou despercebido.

 

-Mãe, vamos para casa? -Pede a mais nova soando frio.

-Vamos, mas está tudo bem?

-Sim, eu apenas estou cansada.

-Certo, então vamos.

 

Se despediram de todos, até mesmo de Kurapika, ela preferiu que ele ficasse. Voltaram para casa e Yukino percebeu que a filha não estava bem e trancou-se no quarto com a mesma.

 

-Sayuri, o que você tem?

-Nada...

-Não minta, você está pálida e eu percebi que não se sentia bem.

-Apenas uma tontura e enjoo, acho que comi algo que não me fez bem.

-Espero que seja apenas isso mesmo.

-O que está insinuando?

-Não vamos ser precipitadas, vamos amanhã ao médico?

-Só por causa disso?

-Apenas para termos certeza que não é o que parece.

-Certo.

 

*** *** ***

Logo cedo, foram ao hospital mais próximo, Yukino estava preocupada, enquanto Sayuri não tinha ideia do que a mãe pensava.

Quando estavam frente ao médico, Yukino não deixou a filha falar, pois já tinha suas suspeitas e pediu um exame de sangue e o médico entendeu a situação e percebeu que não era nada grave.

 

-Por que temos que esperar o resultado?

-Ficará pronto rápido, não seja teimosa, Sayuri.

 

Esperaram por um tempo, a filha estava agoniada, odiava ficar parada, mas sua mãe estava a obrigando a permanecer ali.

O exame logo saiu, Yukino o abriu com pressa, não tinha necessidade de voltar com o doutor, pois até mesmo ele sabia que não era nada que precisava de remédios.

 

-Sayuri... Não sei se te mato ou fico feliz.

-Mãe? -Ela ficou confusa.

-Você está grávida!

-Que? -Ela se assustou.

-É isso mesmo, você está grávida!

-Como?

-Você sabe muito bem como foi.

-Não é isso que quis dizer, como eu fiquei... Sendo que... Droga. -Ela lembrou de algo e apenas reclamou.

-Me diga que o pai é o Kurapika....

-Tenho certeza que é do Hisoka... Infelizmente.

-Droga, eu temia isso. Sayuri, mesmo que decidiram se distanciar, você irá procura-lo para contar, não é mesmo?

-Não... Hisoka não ficará sabendo, será muito perigoso para a criança, pois outras pessoas podem descobrir... Hisoka onde passa é odiado... Não posso arriscar.

-Takahiro irá mata-la.

-Eu sei... Mas não posso fazer nada, aconteceu... Não posso mudar isso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...