História Corações de gelo - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Exibições 198
Palavras 1.210
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem os erros e boa leitura...

Capítulo 19 - Capitulo 19- A mudança de Samara.


Capitulo 19- A “mudança” de Samara.

Sesshoumaru – eu não vou lhe tirar do castigo – foi logo dizendo.

Samara – não é isso papai. Eu queria que o senhor me levasse para pedir desculpas para a Sara.

Sesshoumaru – repete o que você disse – ele mesmo não acreditava naquilo que ouviu – pedir desculpas para Sara?

Samara – foi isso mesmo que eu disse.

Sesshoumaru – por que isso agora? você odiou a Sara.

Samara – é que a Rin me vez ver que eu passei um pouco dos limites. A Rin me explicou que eu não posso me comportar desse jeito, que haverá consequências.

Sesshoumaru – e você ouviu o que Rin lhe disse e aceitou numa boa, assim fácil?

Samara – sim... a Rin sabe como conversar comigo, é compreensível, uma boa pessoa. É bonita. Quando eu crescer quero ser bonita igual a ela – fez uma cara de inocente.

Sesshoumaru – você é linda minha filha – a abraçou – mas estou sentindo que você está aprontando alguma.

Samara – imagina papai, eu só quero pedir desculpas mesmo.

Sesshoumaru – tudo bem, avisa a Rin que a gente vai sair.

Samara – ok... te amo... – saiu toda serelepe.

#-#

Sesshoumaru dirigia o carro, no banco de trás estava Samara e Rin. As duas conversavam animadamente, e o homem ate se impressionou, nunca havia visto sua filha conversar assim com alguém.

Samara – por que Jaken não veio com a gente?

Sesshoumaru – ele tinha trabalho a fazer – o carro parou em frente a luxuoso hotel – chegamos – o homem saiu do carro e foi abrir a porta para as duas saírem. Logo em seguida entraram no hotel – Rin, você pode nos esperar aqui?

Rin – sim, claro... – sentou-se em uma poltrona no salão do hotel.

Sesshoumaru – vamos Samara, ela já está nos esperando – e pai e filha foram para o quarto em que Sara estava hospedada.

Os dois pegaram o elevador e desceram no andar onde ficava o quarto. Logo Sesshoumaru bateu na porta do quarto. E a mulher abriu a porta.

Sara – Sesshy... – com um enorme sorriso – que bom que você veio – tentou beija-lo, mas ele não permitiu – ainda está com raiva de mim? – ela estava bem diferente que antes, com os cabelos curtos a cima do ombro.

Sesshoumaru – eu só vim trazer Samara que queria falar com você.

Sara – ah claro! Sua doce filhinha – disse com ironia – entrem... – deu passagem para os dois – meu cabeleireiro conseguiu dar um jeito no meu cabelo, mas é claro que não é mesma coisa.

Sesshoumaru – então Samara, diga o que você veio dizer.

Samara – Samara, eu peço desculpas por ter cortado o seu cabelo. Eu não devia ter feito isso, e espero que me perdoe.

Sara – é claro que perdoou, lindinha – era obvio que estava sendo falsa na frente de Sesshoumaru – eu sei que você estava apenas com ciúmes de seu pai – um telefone toca.

Sesshoumaru – eu preciso atender... – foi ate a varanda para ter mais privacidade para atender o telefone.

Sara – escuta aqui menina... – se revelando, agora que o homem já não estava ali para ver – não pense que eu desisti de Sesshoumaru, ele vai ser meu e eu serei sua madrasta.

Samara – não está com medo?

Sara – eu não tenho medo de uma pirralha mimada.

Samara – é melhor você escutar o conselho que eu vou lhe dar. Saia da vida do meu pai, ou então não será só o cabelo que você vai perder. Eu posso fazer da sua vida um inferno.

Sara – eu posso ser pior do que a madrasta a cinderela – a menina riu.

Samara – acontece que eu não sou uma garotinha indefesa, eu sei muito bem me defender.

Sesshoumaru – era do laboratório... tenho uma reunião amanhã.

Sara – então Sesshy, eu acho que agora eu e sua filha estamos começando a nos entender, não é mesmo Samara?

Samara – tão bem quanto esse seu cabelo, que parece um capacete. Deixou seu rosto redondo.

Sesshoumaru – a velha Samara de sempre.

Samara – só fui sincera – sorriu delicadamente.

Sesshoumaru – já está tudo resolvido, então vamos Samara.

Sara – Sesshy... e como fica nos dois?

Sesshoumaru – depois conversamos sobre isso... – pegou Samara pela mão e os dois foram embora.

#-#

Samara – Rin... – correu ate a tutora e a abraçou – o cabelo dela ficou muito engraçado.

Rin – não fale assim Samara, que coisa feia zombar de uma pessoa.

Sesshoumaru – então, pensei da gente ir dar um passeio no shopping.

Samara – serio papai? Mas eu não estou de castigo?

Sesshoumaru – eu te coloquei de castigo, eu posso tirar.

Samara – obrigada papai... – abraçou o pai – o senhor nunca me levou para o shopping.

Sesshoumaru – mas você tem que me prometer que vai se comportar.

Samara – como um anjo – recebeu um beijo do pai e andou na frente.

Rin – nossa, ela ficou muito feliz. obrigada por fazer isso por ela.

Sesshoumaru – eu que tenho que agradecer pelo conselho, você tem razão, não tenho sido um pai muito presente – caminharam juntos ate o carro – sempre incumbido a educação de Samara À empregados.

Rin – espera ai, o senhor  não vai me demitir né?

Sesshoumaru – ainda preciso de você, parece que finalmente está dando resultado.

Samara – vamos logo... – gritou do carro.

Rin – calma menina... – riu entusiasmada.

#-#

E é claro que Samara estava bem contente em enfim passar algum tempo com o seu pai. E ainda melhor, uma oportunidade de aproximar Rin ao Sesshoumaru.

Sesshoumaru – o que você quer fazer ?

Samara – hum... não sei – estava no meio, então segurou na mão de seu pai, e a outra mão segurou a de Rin – talvez um sorvete?!

Rin – de chocolate...

Sesshoumaru – certo... sorvete de chocolate para as duas meninas – então o homem foi comprar dois sorvetes, uma para a sua filha e outro para Rin.

Rin – por que voce decidiu pedir desculpas a Sara? O que tem em mente?

Samara – affz, não posso fazer nada que todo mundo pensa que estou aprontando alguma coisa.

Rin – mas você sempre tem algum plano maligno nessa sua cabecinha.

Samara – não é nada demais... apenas percebi que você tinha razão.

Rin – isso não me convenceu.

Sesshoumaru – aqui está, sorvete de chocolate para as duas.

Rin – obrigada...

Samara – obrigada papai.

Sesshoumaru – tem certeza que você está bem? Dando bom dia, pedindo desculpas e agradecendo, tudo isso em um único dia.

Samara – a Rin é um bom exemplo, sempre educada e simpática.

Sesshoumaru – eu acho que já estou entendo esse seu joguinho.

Rin – dÊ um voto de confiança a Samara, quem sabe ela realmente esteja mudando.

Sesshoumaru – não acredito muito nisso.

Samara – pai, eu posso ir dá uma olhada na loja de brinquedos?

Sesshoumaru – pode, mas não vou lhe comprar nada.

Samara – tudo bem... – correu para a loja de brinquedos.

Rin – é melhor eu ir atrás dela.

Sesshoumaru – não se preocupe, ela vai ficar bem.

Rin – uma criança em uma loja de brinquedos pode ser um perigo.

Sesshoumaru – você está... um pouco suja – suja de chocolate perto da boca.

Rin – ai meu Deus... – se apressou para limpar – eu como sempre desastrada – mas não conseguiu limpar tudo.

Sesshoumaru – deixa que eu limpo – pegou um guardanapo e passou delicadamente no rosto de Rin, a limpando com cuidado.

E de repente o clima perfeito estava formado. Parecia que tudo em volta tinha desaparecido e apenas restasse os dois ali. Presos na imensidão do olhar. E como imã... se aproximara, e seus lábios se tocaram em um beijo.

Continua... 


Notas Finais


entenderam né o jogo de SAMARA... AUSHUAHS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...