História Mahasiah - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Kookmin
Exibições 103
Palavras 3.138
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Leiam as notas finais, por favor.

Boa Leitura. ❤

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Mahasiah - Capítulo 1 - Prólogo

.❤.

Era tarde - quase noite - estava calor, mas poderia se dizer que era um calor até agradável, as crianças brincavam e corriam, gritavam e rolavam pela grama bem aparada do grande e iluminado jardim da casa.

Exceto Jimin, que por sua vez, estava sentado em um banco emburrado pelo atraso de seus pais.

Haviam planejado aquela festa de aniversário de 8 anos a meses e quando chegou o grande dia, simplismente não apareceram na hora marcada.

Jimin era o preferido de seus pais deixando JungKook - seu irmão mais novo - em segundo, que se fosse comparar não era nada perto do pequeno Park Jimin, que na visão de seus pais um dia seria grande, até mesmo esplêndido nos olhos da sociedade. Sería um garoto brilhante.

Diferente de seu irmão, que não era notado por ninguém, um garotinho tão esquecido que as vezes até ele mesmo esquecia de sí.

Mas não entendiam que seus pais eram adultos e precisavam cuidar dos negócios da família e principalmente de seus futuros, deixando suas obrigações para Lee SanHun que assim que JungKook fizera 2 anos, assumiu o cargo de governanta da casa, ela era uma jovem de somente 20 anos de idade, que mudou para Seoul alguns meses e que agora morava nos fundos da casa do casal. Ela era responsável por cuidar daqueles dois pestinhas marrentos e cheio de exigências, satisfazendo suas vontades e cumprindo ordens como deveria ser.

Park SunHee e Park Jungmim tinham obrigações a cumprir, e uma delas eram manter a imagem da família sempre limpa e digna do sobre nome "Park" por isso Jimin e JungKook sempre dava o máximo  de sí, para não se meterem em confusão.

O casal eram avisados na empresa pela secretária sobre eventos, datas importantes e festas que deviam comparecer. Até mesmo os aniversários de seus filhos.
Porém não fora assim. Estava sendo um dia de puro caos e correria. Eles não tinham sido relembrado sobre a festa, e nem haviam se lembrado.

Patéticos.

JungKook brincava de pega-pega e esconde-esconde com seus amigos e até colegas de escola, enquanto Jimin apenas observava a cena de longe.

Jimin faria seus oito aninhos e Jungkook já tinha seus seis, deixando o mais novo atrás mais uma vez.

- Quer um chiclete? - Perguntou JungKook colocando a mão na frente do rosto de Jimin e se sentando ao lado do mesmo.

- Não. - Respondeu seco e simplista sem ao menos olhá-lo.- Eles esqueceram?

- O quê? - perguntou com seu semblante confuso.

- Nossos pais, eles esqueceram-se do meu aniversário, não foi?

- Claro que não, para de ser bobinho, papai e mamãe já estão chegando.-  revirou os olhos, e afagou os cabelos negros do mais velho em uma tentativa falha de acalmá-lo.

Afinal, como alguém esqueceria o aniversário de Park Jimin? O preferido. O numero um. O que tem tudo que quer. O que sempre foi bom no que fez. O popular.  O esperto. O arrogante. O petulante. Como poderiam se esquecer?

Jimin sabia que eles logo chegariam com seu presente, que para ele não valeria nada perto de um unico "Eu te amo" que não ouvia a dias.
Se Jimin não se sentia amado, imagina JungKook.

.
.
.

Todos haviam ido embora, sobraram apenas Jimin e JungKook - E os doces que haviam roubado da festa, estavam todos enrolados em um pano. - naquela sala enorme.

- Vem logo. - Disse Jimin rindo e puxando JungKook pelas mãos.

Os dois pirralhos subiram degraus por degraus correndo até chegarem ao corredor de seus quartos.

Não tinham tempo para escolher qual quarto iriam entrar para comerem os docem escondidos.
Foram rápidos e adentraram o quarto de Jeon, trancaram a porta e correram para a cama.

Sentaram no meio dela e começaram a abrir os deliciosos doces. Um por um.

- Hyung... - Kookie sussurrou tão baixo e rouco que só por Jimin estar perto demais conseguiu ouvi-lo.

- Hum? - perguntou ainda de cabeça baixa abrindo os plásticos das balinhas.

- Eu ainda não te dei meu presente... - Disse e Jimin o olhou com os olhinhos grandes e brilhantes, afinal, qual criança não gosta de ganhar presentes?

- E o que é? - perguntou ansioso.

Ele pegou as duas mãos de Jimin e as levou até sua própria cintura fazendo-o as apertarem.

- Ei, o que você está fazendo? - murmurou Jimin, quando Kookie se aproximou ainda mais de seu rosto.

- Shhh... - colocou o dedo indicador nos próprios lábios, como um pedido de silêncio. - Fecha os olhos.

- O quê? Pra que? - perguntou arregalando ainda mais os olhos.

- Jiminie, fecha os olhos. - Repetiu e assim os mais velho fez.

- Se você me machucar, eu vou gritar tão alto qu...

Antes que Jimin podesse terminar a fraze JungKook selou seus lábios pequenos contra os de Jimin fomando um biquinho assim se aproximando mais do irmão. Os olhos de JungKook estava fechados com tanta força que formava ruguinhas nas pontas do mesmo, seu coraçãozinho estava tão acelerado que poderia sair para fora a qualquer momento.

- JungKookiee... - Jimin disse um pouco atrapalhado por conta da boca de Jeon encostando na sua, segurou seus ombros e o afastou minimamente.

- Não... Hyung - Reprovou manhoso já segurando os braços do mais velho e voltando a selar seus lábios em um selinho longo, fazendo com que o corpinho pequeno de Jimin se curvasse para trás.

Assim que achou necessário se afastou e o olhou com os olhinhos curiosos.

- Vi o papai fazer isso com a mamãe ontem. - deu um sorriso. - Feliz aniversário Hyung...

JungKook não fazia ideia do que era aquilo, tinha apenas 6 anos, mas Jimin sim, ele sim sabia, já vira várias vezes na televisão, mas também não fazia ideia do que era certo ou errado, nem maturidade tinha ainda.

Jungkook não tinham noção do quão errado aquilo era, do quão impuro, do quão nojento. Não tinha noção do quão perigoso era. O que seus pais pensariam se descobrissem que  um Park tinha tocado os lábios alheios? E o pior, de um garoto. Achariam fofinhos, pelo fato de serem crianças e não saberem o que fazem? Claro que não. E quando estivessem mais velhos? Seriam apenas adolecentes imprudentes?

O que a sociedade coreana tão preconceituosa iriam pensar? Seriam julgados sem ao menos entender o que estavam acontecendo? Não podia deixar isso acontecer, ou podiam?

- Mas homens não fazem isso com outros homens JungKookie. - ditou confuso.

- Que besteira Hyung. - Soltou um risinho - Eu gosto de você, e você também gosta de mim, certo?

- Certo.

- Então, mamãe também gosta do papai, e papai gosta da mamãe. Não tem nenhum problema.

Pobre JungKook, nem sabia do tamanho do problema que iria se meter por pensar assim, e não seria Jimin que o avisaria, pois ele não estava entendendo nem o que se passava em sua vida, não seria das dos outros que tentaria entender.

- Meninos cadê vocês, seus pestinhas! - gritava SanHun pela casa, enquanto os dois riam alto do desespero da mulher.

{…}
❤→

Aos 17 anos de idade Jeon JungKook começou olhar Jimin com outros olhos, os sentimentos de Jungkook não era o mesmo, não era um amor que qualquer irmão senti pelo outro. Não. Não. Longe disso.

Ele não entendia todas as vezes que Jimin entrava em seu quarto apenas de toalha pela simples razão de pegar sua calça de moletom peluda que o deixava extremamente sexy em seu guarda roupa, ele não entendia o porque aquela visão o deixava extremamente desconfortável e completamente duro. Isso não era normal. Não era normal ficar excitado com seu próprio irmão.

Ainda mais quando o mais velho não o dava motivos, ele entrar em seu quarto apenas de toalha não era motivo para que o outro ficasse duro. Não para ele.

Ele poderia jurar que era apenas os hormônios a flor da pele, se aquilo não se repetisse todos os fins de tardes por praticamente três anos.

Sempre tentava disfarçar o mal estar, mas quando Jimin saia, ia correndo para de baixo do chuveiro ficando por lá horas.

JungKook já aceitava a ideia de se sentir atraído por homens, mas Jimin não, Jimin não era gay, sempre trazia suas namoradinhas de cada mês para dormir consigo. Ninguém – absolutamente ninguém – dispensava Jimin, sempre em qualquer oportunidade que Jimin dava mole pras menininhas da faculdade, elas dormiam com ele, nos olhos de Jungkook aquilo era inaceitável. Não podia pegar a faculdade inteira e no final ter toda a fama.

Pras meninas, Jimin era o único, pra Jimin elas eram só mais uma.

Em 5 anos Jimin terminará sua faculdade e se mudara em breve para outra cidade que lhe proporcionaria um futuro melhor:

Para Seoul.

Jimin continua e sempre continuara sendo o preferido de seus pais, e de todos.

Jimin continua sendo o número um em tudo, sem ao menos ser alvo de chacota, sem ao menos sofrer bullying.

Jimin era bonito aos olhos de todos. Era perfeito. Sem falha alguma. Simplesmente perfeito.

Jimin continuava sendo ignorante, não com Jungkook, mas tudo iria mudar se ele soubesse o que seu irmão mais novo anda pensando de sí.

- Para com isso... – Jungkook gritou alto e rindo pelas cocegas que o mais velho o fazia, fazendo o mesmo rir junto.

- JungKook, ri mais baixo. – pediu Jimin se sentando na cama, normalizando sua respiração.

- Hyung... – Jungkook se sentou ao lado de seu irmão e o chamou.

- O que?

- Você vai mesmo ir embora quando se formar? – Perguntou com o semblante fechado.

Jimin tinha a plena certeza que iria embora quando se formasse, não queria deixar Jungkook pra trás, mas era preciso para o seu futuro brilhante.

Jimin iria se formar em direito e JungKook simplesmente em contabilidade, não seria grande coisa para sua família, mas era o que o garoto gostava, e era o que iria fazer.

- Vou.

- E eu... Hyung? – perguntou como se fosse o cumulo deixar-lhe para trás e seguir sua vida sem ao menos cogitar a ideia de criar seu futuro ali, perto de si.

Mesmo JungKook sendo mais novo, vivia e gostava de dar broncas naquele irresponsável, maldito mau humorado.

Jungkook estava tão acostumado com a presença de Jimin que ao menos imaginaria um dia se quer não estar mais ao lado do seu irmão.

Mas o que deu nele? Ainda faltava 5 anos para isso acontecer, não poderia se desesperar agora.

- Você vai ficar bem sem mim. - bufou levantando-se da cama e passando a mão sobre os cabelos, ato que fez seus fios irem para trás.

A pergunta era: Será que JungKook ficaria mesmo bem longe de Jimin até trancar sua faculdade?

Em todos esses anos, foi Jimin quem o tratou bem, além das serviçais da casa, além de seus poucos amigos.

Jimin poderia ser ignorante com quem fosse, mas nunca com seu irmão mais novo. Com ele não.

- É... Eu vou. - JungKook dissera tão baixo - quase em um sussurro. - que por mais que Jimin não entendesse o que ele disse, resolvera deixar pra lá. Não valia apena.

.
.
.

Estavam todos a mesa de jantar:

Jimin ao lado de JungKook e Park SunHee e Park Jungmim nas pontas da grande mesa cheias de refeições.

Ambos os pais com celulares na mão, coisa que JungKook mais odiava, e olhava aquela cena com um semblante cansativo.

Sempre era as mesmas rotinas, sempre as mesmas coisas. JungKook bufou fazendo Jimin o olhar com cenho franzido.

- Vocês não podem largar essas merdas, nem para comerem? - JungKook perguntou alto e claro, tomando a atenção de todos para si

- Eu estou fechando negócios muito importantes com a empresa Crippet,  Jeon JungKook, isso é para o bem do seu futuro!

Já cansou-se de ouvir aquela frase, que se repetia todos os dias - mesmo que seja nas curtas horas que seu pai passasse em casa. - querendo JungKook ou não.

- E eu estou comentando sobre a festa da Beckett.

- E eu estou cansado disso! - JungKook gritou batendo a mão forte na mesa e se levantando, assustando até as empregadas presentes na sala de jantar.

- Jeon JungKook se comporte! - Seu pai disse o olhando incrédulo.

Não podia acreditar que uma pessoa tão bem educada estivesse levantando a voz para si.

Esperava isso até de Jimin, que já era costumes gritar e se exaltar com todos. Agora com JungKook? JungKook não. Se recusava a acreditar.

- Isso vai ser interessante. - disse Jimin para si mesmo, com um sorriso de canto.

- Ah, por favor né pai. - forçou uma risada. - E sempre essa merda! "Se comporte", "Tenha modos", "Você tem que ser exemplar" - Repetiu cada fala do pai calmamente. - Ah, vai se fuder!

Jimin ficou estático, estava adorando tudo aquilo, JungKook nunca levantou a voz para seu pai, quem dera para sua mãe.

Era o merdinha de sempre sem coragem alguma. Não enfrentava seu pai como Jimin já fazia aos 15 anos, nunca elevou sua voz nem com a criadagem, geralmente sendo sempre gentil e paciente.

Não tinha o gênio forte de seu irmão. No fundo era até invejável a coragem de Jimin e não era só ele que apreciava isso, seus pais também.

- Que linguajar chulo é esse Jeon? Fale direito com seu pai. - Sua mãe se pronunciou já se levantando, e ficando a frente de JungKook segurando-o pelo braço com brutalidade.

Jimin imediatamente se pôs a frente de JungKook livrando o garoto do aperto.

- Da pra não toca nele. Porra.- Jimin dissera tão alto que seu pai teve que se levantar também.

As serviçais se entreolharam com espanto, já era de se presenciar brigas e discussões ali, mas Jimin nunca havia se exaltado por causa do irmão.

Claro, das poucas vezes que se meteu em brigas, sempre o defendeu, mas nunca com sua mãe no meio.

- Meu filho, não conteste sua mãe. - o homem disse preocupado.

Jungmin era outro banana sem noção como JungKook quando se tratava da esposa. Não teria coragem de bater de frente com a mesma.

- Claro, porque ninguém aqui além de Jimin tem coragem de falar tudo o que pensa sobre essa mulher, não é mesmo?

- Já chega JungKook. - Jimin virou-se para trás apenas para encará-lo.

- É Jeon? Parece que nem você, não é? Fala tudo o que você pensa sobre mim, vamos, vá em frente! - A mulher tentou se aproximar novamente, mas Jimin a impediu já a afastando.

- Se eu fosse falar, não sairia daqui hoje, porém, tenho mais coisas a fazer do que ficar aqui, discutindo com uma pessoa... Tão baixa quanto você, da licença. - JungKook disparou as palavras tudo de uma vez, e rápido, fazendo o máximo para que sua voz não falhasse.

A verdade era que ele não tinha mesmo toda a coragem de falar tudo que pensava e se odiava por isso.

Saiu pisando duro ao rumo de seu quarto, sem ao menos olhar para trás, mas ainda sim escutando os gritos da mulher que um dia orgulhou-se de chamar de mãe.

- JungKook... JungKook! Volte aqui, Jeon JungKook eu estou falando com você!

- Ei, mãe. Deixa que eu falo com ele. - Jimin bufou pela centésima vez naquele dia.

Caminhou até o quarto de JungKook sobre passos longos e largos até parar em frente a porta. respirou fundo.

- Posso entrar? - deu leves batidas na porta.

- Entra - suspirou.

Jimin entrou, e encontrou JungKook sentado com os joelhos encostados em seu abdômen e seus braços abraçando os mesmo.

Se sentou na ponta da cama olhando para JungKook.

- O que foi aquilo? - perguntou quando JungKook se colocou formalmente na cama, sentando-se como Jimin.

- Eu só estava cansado daquilo tudo.

JungKook também estava cansado realmente do fato de se sentir atraído por Jimin, de poder tocá-lo, mas não sendo como queria mesmo, sentia curiosidade sobre seus lábios, qual seria a sensação de ser apertado por aquelas mãos pequenas mas ao mesmo tempo fortes? Qual seria a sensação de poder afagar o cabelo do mesmo ao meio de um beijo e puxar todos aqueles fios? Estava disposto a descobrir.

- Deveria se conter mais. - disse sério, olhando para um ponto fixo no quarto.

- Seria mais fácil se não fossemos irmãos... - JungKook pensou alto demais, sempre acabava falando o que não devia.

- O que? Não gosta de ser meu irmão?

- N-não... Não é isso... É que.. Droga! - bufou e voltou sua posição anterior... Abraçando suas pernas.

- Ah, JungKook... Não desconte em mim as consequências dos seus atos.

- Não Jimin... Não é isso... Ér... - Seus olhos já estavam vermelhos, quase marejados.

- Como assim? O que é então? - Perguntou sem ter a minima ideia do que o garoto estava falando.

- Eu... Eu amo você Jimin, só isso! - Despejou tudo e o abraçou.

Logo o abraço foi correspondido e Jimin riu.

- Para de ser retardado. - se afastou apenas para o olhar e secar suas lágrimas que desciam contra sua vontade. - Eu também amo você.

- Não, mas eu não te amo como irmão... Você entende? - suspirou - E a forma que você me ama... Não é o suficiente.

- Não eu não entendo... Do que está falando JungKook?

JungKook bufou e segurou seu rosto o puxando para perto do seu.

- Desculpa...

- Pelo que?

JungKook colou seus lábios um ao outro logo os mexendo, fazendo uma massagem gostosa nos lábios de Jimin.

Suas lágrimas voltaram a descer assim que JungKook apertou os olhos.

Jimin não tinha reação, não conseguia se mover, entrou em um transe por alguns segundos, mas logo se afastou bruscamente, empurrando JungKook.

Levantou-se rapidamente da cama tropeçando em algumas coisas no chão o fitando incrédulo.

Mas o que deu em JungKook?

- Apenas não faça mais isso! - ordenou, saindo daquele quarto o mais rápido que pôde.

Correu pra o mais longe de JungKook. E como já esperado não  deixou o mais novo nem ao menos se explicar.

            Tonight i'm so alone
(Essa noite eu estou tão sozinho)
This sorrow takes a hold
(Esse sofrimento toma conta)
   Don't leave me here so cold
( Não me deixe aqui tão frio)
                    Never want to be so cold
(Nunca quis ser tão frio)

Don't leave me alone
(Não me deixe sozinho)
     Cause I barely see at all
(Porque eu quase não vejo nada)
             Don't leave me alone, I'm
(Não me deixe sozinho, eu estou)
    Falling in the black
(Caindo dentro do escuro)

       | Falling in the black - Skillet |


Notas Finais


Bom gente, eu amo muito incesto, e como não achei muitos pra ler, resolvi fazer um, conclusão: Minha primeira fanfic incesto -Peguem leve- (Khe)
Se alguém tiver dúvidas, por favor me perguntem.
Eu realmente não sei se vou continuar com essa fanfic, eu escrevi o primeiro capítulo pra vê se vocês gostavam da ideia.
nas notas finais é que eu vou tentar conversar com vocês normalmente. Irei escrever o segundo capítulo, porque sim. Mas gostaria muito de saber o que vocês estão achando. Obrigado por lerem.
Desculpa qualquer erro.
Bezzos.

{Jikook} Overtoun. - https://spiritfanfics.com/historia/overtoun-6669396

{Jikook} O namorado da minha mãe. - https://spiritfanfics.com/historia/o-namorado-da-minha-irma-5873099

{Jikook} Minha Ilusão, Meu Erro - https://spiritfanfics.com/historia/my-illusion-my-mistake-6130824


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...