História Corações Valiosos - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~TrouxaCornio

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Ficção Histórica, Guerra
Exibições 3
Palavras 1.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Está fic era retratar a vida de dois soldados da 2° guerra mundial do eixo ou Alemanha (nazistas) que sabem que o que o pais deles faz é errado, e tentam mudar de lado para impedir uma desgraça.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Corações Valiosos - Capítulo 1 - Prólogo

-Pai!!!Pai acorda já é tarde! Você prometeu que iria brincar comigo!

O homem acordou atordoado pela gritaria que sua filha fazia pela casa

-Papai ! Você prometeu ! -Esguelou-se , fazendo careta.

Seu pai soltou um sorriso , mesmo com todo o desgaste do dia anterior , havia prometido .

A garota saltitou alegre e se pós a correr para o lado de fora da casa , ele andava lentamente , ainda processando as informações ..

Faltando poucos passos para sair, olhara a foto de sua falecida esposa, que sempre carregava consigo no bolso de suas calças, a luz do sol incomodava um pouco seus olhos, saiu fazendo sombra com a mão, sua filha no quintal esperava impacientemente seu pai sair, o quintal era verde limpo e bonito, com duas árvores ambas com um balanço feitos de cordas e pneus...

-Senhor Adam Lerner , o que está esperando ? -Perguntou a garotinha , com as mãos na cintura , visivelmente irritada.

Seu pai riu , e lembrou-se de sua esposa , sua voz serena e..

-Papai! -A garota o gritou , tirando de seus devaneios . Ele riu novamente e foi atrás da garotinha que tentava se balançar , mas seus pés mal tocavam no chão.

Ele a empurrou , fazendo a garota rir inocentemente enquanto ele encarava o horizonte pensando em algo aleatório, até que percebe que sua filha...

Havia parado de rir, agora olhava seria para o horizonte, a garota de 7 anos perdeu a mãe aos 5 mesmo após 2 anos, ela ainda não havia aceitado, algumas vezes, durante a noite, Adam podia ouvir Hallie chorando no quarto, o pai percebendo, começou a cutucar a garota o que rendeu altas gargalhadas, as pessoas que passavam, observavam e riam da cena, a garota caiu sobre os braços do pai, se levantou rapidamente e fingiu uma raiva, mas não conseguia esconder o sorriso e tornou-se rir novamente...

Adam sorriu , mesmo perdendo a esposa ainda lhe sobrou um pouco de felicidade.

Sua filha correu para dentro da casa , sujando tudo com a terra de seus sapatos. Adam suspirou pesadamente e foi atrás de sua filha, dando de cara com a carta enviada para ele . Era do exército, com as mesmas letras e histórias batidas.

Sua filha o observava do topo da escada , com um semblante triste .

-Você tem mesmo que ir , papai? -Ela chegou próximo a ele , segurando sua calça e com lágrimas nos olhos.

-Ah, querida.. -Ele disse , pegando sua pequena no colo. -Vai ficar tudo bem -A famosa frase, nem sempre tudo fica nem, Adam sabia disso , mas mesmo assim , batia na mesma tecla.

Hallie estava choramingando no ombro do pai , fazia isso baixinho , como todas as noites que sentia falta de sua mãe e não aguentava.

Adam sentou-se no piano , colocando a pequena do seu lado.

-Que tal um pouco de música? -Falou ele , tentando animar a pequena , que enxugava as lagrimas. Aquela cena lhe partia o coração. Ele tocou algumas teclas , produzindo um som animado

-Tudo bem.. -Disse cabisbaixa , tentando fazer o mesmo que seu pai ...

Hallie tentava criar sons que combinassem com a melodia animada que seu pai produzia, algumas notas saiam desafinadas, mas era lindo de se ouvir, minutos depois Hallie parou, seus dedos doiam um pouco, afinal, não estava acostumada a tocar por mais de 5 minutos, seu pai continuou pra manter a atenção da filha ,impedindo que ela pense em coisas ruins, ouve-se o barulho do portão da casa abrindo em seguida passos rápidos até entrar na casa, era Tom, amigo de longa data.

-Adam... Você também foi chamado?- Tom percebera devido ao fato do envelope da carta que era idêntico ao que carregava consigo ser deixado sobre o piano preto...

Adam encarou o amigo, abrindo a boca e a fechando , procurando uma resposta boa o suficiente..

-Sim.. -Disse em um sussurro , tentando não chamar a atenção da garotinha que batia nas teclas .

-Mas e a Hallie? -Ele perguntou , em sussurro também.

-Eu não sei ! -Falou .

-Papai, estão conversando sobre o que? -Perguntou a pequena , sem tirar os olhos do piano. -Você vai para lá? -Disse a garotinha. "La", era assim que Hallie chamava a guerra.

Adam fez sinais -mais engraçados do que sérios - para que o amigo mudasse de assunto.

-E..-Ele procurou com os olhos algo para mudar de assunto. -E aquelas flores ?-Ele apontou para o vaso . - Você prefere as azuis ou vermelhas? -Perguntou a Hallie , que veio correndo. Tom suspirou aliviado.

-Eles virão nos buscar quando? -Perguntou Adam , baixinho

-Três dias após a chegada da carta -Disse sorrindo nervoso para Hallie , que escolhia as flores com esmero.

-Prefiro as azuis ! -Disse sorrindo

Tom, para quebrar a tensão e o silêncio, bateu as mãos fazendo um barulho relativamente alto propôs uma brincadeira

-Hallie, que tal irmos lá fora procurar por mais flores azuis?-Adam olhou para Tom como se estivesse agradecendo o feito.

-Vamos!! Pai, o senhor vem?- A garota perguntava com as mãos juntas em frente ao rosto.

-Sim querida, já vou, só vou tomar um copo d'água, podem ir na frente- Adam disse esboçando um sorriso.

-tudo bem então, vamos tio Tom!- Ela disse super animada saltitando para o quintal e Tom logo atrás fazendo o mesmo, era uma cena engraçada, Tom era brincalhão, até demais para a idade.

Adam então se sentou no banco do piano e procurava em sua mente uma maneira de esclarecer tudo a Hallie e com quem deixa-la quando partir...

Adam então lembrou-se de sua meio irmã, Mia.

Então , ele finalmente se levantou e foi para o lado de fora .

-Papai! -A garota gritou , mostrando as flores - Achamos vinte flores azuis ! -Disse girando

-E foi bem difícil -Confessou Tom.

Adam riu , e foi procurar as flores , ainda pensando em como diria que iria para "La".


Notas Finais


Espero que tenham gostado ^u^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...