História Corazón - Gastina - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Delfina, Gaston, Jazmin, Luna Valente, Matteo, Nina, Personagens Originais, Ramiro, Simón
Tags Agustín Bernasconi, Carolina Kopelioff, Gastina, Lutteo, Sou Luna
Exibições 317
Palavras 1.214
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oie maravis
Primeirinho de hoje
Amei muito escrever esse capitulo
Obrigada por cada comentário, vocês mudam meu dia e colocam um sorriso em meu rosto, estou focada em escrever mais capitulos para postar ainda hoje , assim que postar o ultimo, respondo todas vocês.
Boa leitura, melhores leitoras do UNIVERSO <3

Capítulo 22 - That's my girl!


Fanfic / Fanfiction Corazón - Gastina - Capítulo 22 - That's my girl!

Gaston on

Não tenho desculpas dessa vez para explicar tal ato, eu fiz porque não aguentava ficar perto de Nina e não a a beijar, nem a tocar nem desejar que fosse totalmente minha, aquela garota estava me deixando louco.

Segurei seu rosto e juntei nossos lábios, no inicio Nina relutou, mas depois se rendeu, nosso beijo começou lento, nossas línguas se entrelaçaram, minhas mãos desceram para seu quadril, a apertando mais em meu corpo, suas mãos foram para meu cabelo.

- E... Efeito? – Nina perguntou ofegante, quando finalizamos o beijo.

Peguei sua mão e levei até meu peito, meu coração batia aceleradamente.

- Sente isso? – sussurrei.

Ela assentiu, enquanto mordia os lábios.

- Essa é uma parte do efeito que causa em mim – levei meus polegares até seu rosto, acariciando sua pele.

Nina focou seus olhos em mim, respirei fundo e tirei sua mão de meu coração, mas continuei a segurando.

- Promete não me bater? Nem gritar comigo e nem recuar? – Perguntei segurando seu rosto e olhando no fundo de seus olhos.

- Uhum – Nina respondeu, ansiosa por que eu iria fazer, seus lábios salivavam de ansiedade.

Direcionei sua mão para minha ereção, segurei firme e a olhei no fundo dos olhos. Ao contrario do que eu  pensei, Nina não recuou, sua respiração ficou desregulada, mas ela não moveu sua mão.

- Senti isso? - Minha voz saiu rouca, por conta do desejo que se apossava de meu corpo.

- G... Gaston – Sua voz saiu quase como um gemido.

Ouvi-la falar meu nome daquela forma, me deixou pior do que eu já estava.

- Me responde, Nina! – Segurei forte sua mão, para que ela não tirasse de la.

- S...sinto – Ela sussurrou.

- Essa é a outra parte do efeito que causa em mim – sorri, sussurrando.

Nina, puxou meu pescoço e me beijou. Ela nunca tinha tomado uma atitude como aquela. O beijo estava se intensificando, o calor subia por todo nosso corpo.

Nina começou a arranhar meu pescoço, nossos gemidos ecoavam naquela sala, agarrei em sua coxa e fiz pressão para ela senta- se na pia, Nina me obedeceu de bom grado e abriu as pernas para eu me encaixasse ali. Minha ereção roçou em sua intimidade e Nina gemeu em meu ouvido, sorri em meio ao beijo.

Estávamos dominado pelo momento, nosso corpo ansiava por contato, precisávamos um do outro, meu corpo fervia com seu toque, meu coração acelerava cada vez que estava próximo a ela.

- Deveria fazer isso mais vezes – sussurrei, enquanto minhas mãos subiam em sua coxa.

- Não se acostume – Nina falou coma voz rouca, me deixando ainda mais louco.

- Porra, Nina! – Saiu mais como um gemido, quando minha mão encontrou sua intimidade e eu senti o quanto ela estava molhada, mesmo por cima daquela mini shorts.

- Ter certeza que me odeia? – sussurrei em meu ouvido, enquanto minhas mãos continuavam ,apenas acariciando sua intimidade por cima do pano do shorts.

- S...Sim – sua voz saiu entrecortada.

Olhei em seu rosto, analisei seu rosto por completo, desde seus cabelos suados na testa até sua boca totalmente avermelhada por causa de nosso beijo.

- O que foi? – Nina sussurrou.

- Só estou guardando – Coma a mão livre, fiz carinho em seu rosto.

- Guardando? – Nina me olhou confusa.

-Sim –sorri, olhando no fundo de seus olhos.

- Cada pedacinho seu – sussurrei e sem dar tempo para que ela falasse, eu ataquei novamente seus lábios, coma a  certeza de que a imagem de Nina ficaria por muito tempo em minha memória, estava guardada para sempre em meu coração, era a imagem mais linda que já tinha visto na vida.

- Você não devia ter feito isso, mauricinho – Droga! Luna e Matteo abriram a porta, me separei rapidamente de Nina, mas era impossível esconder, estava explicito na nossa cara que estávamos quase fodendo na sala da enfermaria.

- Nina?

- Gaston?

Os dois gritaram, nos olhando como se pedissem explicações, Nina foi mais rápida e desceu da pia encurralando nossos amigos.

- O que aconteceu com vocês? – Ela estava tentando mudar o foco da conversa, essa é minha garota.

- Mauricinho se envolveu em uma briga – Luna empurrou Matteo para dentro da sala.

- Caralho! Que merda aconteceu com você, bro? – Me aproximei de meu amigo, analisando seu olho que estava roxo.

- Já disse Gaston – Luna levou Matteo até a pia – Seu amigo se envolveu em uma briga.

- Por quê? – Agora foi a vez de Nina perguntar, ela ainda estava corada e isso fez um sorrio se formar em meu rosto..

- Jake me desafiou – Matteo  murmurou, como se não quisesse dizer o real motivo.

- Só isso? Ou tem alguma coisa a ver com você ultimamente só andar no mudo da Lua? – Zombei, enquanto Simonetti segurava o riso.

- Cala a boca, Perida! – Matteo gritou.

- Eu bati em Jake porque ele deu encima de Luna – Ele soltou tão rápido que nem ele mesmo acreditou o que tinha falado.

Nina e eu compartilhamos do mesmo olhar, já sabíamos o que tínhamos que fazer.

- Acho que já vou indo... – Nina sorriu indo em direção a porta.

- Parada ai Simonetti! – Luna gritou, merda!

- O que foi amiga? – Nina sorriu, mas eu via a agonia em seus olhos.

- Não somos tão tolos a esse ponto, o que estavam fazendo antes de chegarmos? – Matteo  e Luna nos encaravam como se fossemos criminosos.

- Ué, estava cuidando a boca de Gaston – Nina disse obvia.

- Com a sua boca? – Matteo zombou.

- Matteo! – O reeprendi.

- Com gelo – Nina rebateu.

- Então por esse motivo, Gaston esta excitado, sua boca esta totalmente vermelha e essa sala esta cheirando a sexo. – Matteo disse como se falasse a coisa mais simples do mundo.

Luna nos olhava surpresa e ao mesmo tempo com um sorriso malicioso, Nina abaixou a cabeça talvez com muita vergonha, eu respirei fundo, aquele italiano me pagaria.

- Ao invés de ficar falando da nossa vida, deveria usar sua cara de pau, enquanto estiver no mundo da Lua, - sorri debochado – Sigam o exemplo meu e de Nina, garanto que não iram se arrepender.

Segurei a mão da Nina, que me olhou com um sorriso de canto, Matteo me olhava sorrindo maliciosamente e Luna estava com o olhar perdido, talvez tentando processar toda a informação, aquela garota fazia jus ao seu nome, ela realmente vivia no mundo da Lua.

                                                     [...]

- Ainda nos odiamos, certo? – Nina perguntou soltando minhas mãos.

- Certo – sorri de canto.

- Que alivio – Nina colocou a mão sobre o peito.

Sorri malicioso e a puxei contra meu corpo.

- Mas, por favor, não use mais esse tipo de roupa.

Nina sorriu, pela segunda vez vi sorri dessa forma, a primeira foi no hospital, quando ela sofreu aquele pequeno acidente.

Não era um sorriso irônico ou debochado, ela sorria sinceramente, por aquele segundo eu senti que poderia decifrar sua alma, talvez até seu coração.

- Deveria sorrir sempre assim – sussurrei – Mas só para mim – Apertei seu corpo.

- Por quê? – Nina me olhou confusa, enquanto eu a soltava e me afastava.

Pensei se deveria falar ou não, mas decidi aproveitar aquele momento, parei de caminhar e me virei em direção a ela.

- Por que eu amo essa droga de sorriso!


Notas Finais


Espero que gostem!!
Desculpem os erros!
Não deixem de comentar, amo ler o comentariod e voc~es, responderei a todos assim que postar o ultimo.
Amo vocês
Beijos doces


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...