História Corazón - Gastina - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Delfina, Gaston, Jazmin, Luna Valente, Matteo, Nina, Personagens Originais, Ramiro, Simón
Tags Agustín Bernasconi, Carolina Kopelioff, Gastina, Lutteo, Sou Luna
Exibições 280
Palavras 1.132
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Parte dois AAAAAAAAAAA
NÃO TENHO QUE DIZER
Agradecer cada comentario, amo vocês e
Boa leitura!

Capítulo 35 - The Key - 2


Fanfic / Fanfiction Corazón - Gastina - Capítulo 35 - The Key - 2

Nina on

Sabe aquele momento que você não sabe se esta realmente acontecendo, ou vocês esta apenas sonhando e imaginando, eu perdi a conta de quantas vezes reli aquele trabalho, quando me abaixei para guarda lo novamente na gaveta, segurei as fotos, um choque passou por todo meu corpo.

A primeira foto era na escola, basicamente na setima  serie, eu estava no intervalo, comendo minhas famosas bolachas de morango, enquanto ria de alguma coisa.

Virei à foto e havia uma mensagem

“Ela é a única pessoa que consegue ser linda até comendo”

Ri sozinha com sua frase enxugando meus olhos.

A segunda foto era em meu aniversario de queinze anos, eu estava com um vestido lindo, lilás com algumas pedrinhas brilhante, estava ao lado de um menino, com cabelos dourados e sorriso enorme, nós dávamos os dedinhos como se fizéssemos uma promessa.

“Eu prometo de dedinho, minha Boo eu jamais te deixarei”.

Sorri lendo a mensagem que havia escrito na foto, agora esta tudo claro Gaston era meu numero desconhecido, eu só queria lembrar dele, mas por mais que eu me esforce eu não consigo.

Terceira e ultima foto me surpreendi a olhando era recente, do dia da festa no Jam, eu estava de lado, rindo espontaneamente, mas especificamente rindo para o Xavi.

“Eu daria tudo para que esse sorriso tão lindo, fosse para mim”

Tentei regularizar minha respiração, fui até o banheiro lavar o rosto, fiquei um longo tempo me encarando no espelho.

- Eu queria lembrar de você Gaston – repeti para minha própria imagem.

Sai do banheiro e meu corpo paralisou, Gaston estava no quarto, com os olhos arregalados, olhando tudo esparramado sobre sua cama.

- Porra! – Ele sussurrou puxando alguns fios de seu cabelo.

- É – respondi.

 – Desculpa – ele sussurrou.

 – Eu só não entendo...

Gaston se sentou ao meu lado.

-Acontece –  Ele me olhou

E ficamos em um silêncio incômodo.

- Eu só queria te entender, Gastón – Sustentei seu olhar.

- Achei que estivesse lido o meu trabalho – ele franziu o cenho.

- Eu li – rebati.

- Então você já entendeu o porque, Nina.

- Você realmente... – parei quando ele interrompeu minha frase.

- Sim, eu realmente te amo Nina.

Meu coração acelerou de uma forma inexplicável e mais uma vez, senti meus olhos enxerem de lagrimas.

- Como me ama? – quase gritei.

- Desde o primeiro dia em que te vi ,eu me apaixonei por você, eu odiava te ver com outros garotos, eu sempre estava perto de você Nina, não consegui esconder meu sorriso quando descobri que  você sentia o mesmo, mas então – Ele suspirou pesado e vi algumas lagrimas em seus olhos.  – Tudo mudou você me abandonou Nina, você foi embora, você me apagou de sua vida, e eu só precisava de algum jeito ficar ao seu lado.

- Tornando a minha vida um inferno? – Gritei.

- Foi a única forma, eu não conseguia falar de sentimento, eu me tornei fechado, não era fácil gostar de você Nina, nunca foi.

- Você poderia ter tentado de outra forma – minha voz subiu novamente.

- Eu estava muito magoado para me aproximar, então decidi transformar sua vida em um caos, porque a assim eu podia estar perto de você, podia te ver, ver seu sorriso e sentir seu cheiro.

Fiquei em silêncio, de cabeça baixa, eu não queria respondê-lo, nem encará-lo. Gaston havia dito que me ama. Gaston Perida.

- Eu vou embora – foi à única que consegui dizer

Eu estava confusa, nada fazia sentido, meu coração estava um turbilhão de sentimentos, eu só queria sair dali o mais rápido possível.

- Não vou deixar você ir essa hora.

- Gaston, eu só quero ir embora...

- Eu não queria ter dito, eu sei que a culpa é minha por isso estar acontecendo de repente, mas eu não posso mudar nada. Porra, eu não tenho culpa de não mandar no que eu sinto, Nina!

- Não tem culpa? É claro que você tem culpa! – Apontei o dedo em seu peito. – Você acha que eu sou o quê, afinal? Eu estava feliz antes de você aparecer na minha vida. Eu sabia que devia ter ficado em casa.

- Eu não te culpo por me odiar, eu também me odiaria, mas não me culpe por algo que não posso controlar.

-Eu quero que você se foda, Gaston – Gritei levantando da cama.

- E você acha que eu tenho culpa do que você sente? – gritou se levantando também.

Eu estava odiando-o tanto naquele momento, um ódio que eu nunca havia sentido antes. Um ódio maior que qualquer sentimento já vivo por ele. Eu queria socá-lo.

- Vai se foder – gritei tão alto que minha garganta doeu.

Gaston me puxou pela cintura fitando meus olhos, Porra!

- Não faz isso, Gaston – supliquei.

- Eu não estou fazendo nada – ele sussurrou

- Você sabe que esta – sussurrei.

Então ele me beijou, eu quis recuar, mas não o fiz. Eu me joguei, beijando-o.

- Eu te odeio.

- Eu sei o que seu ódio significa – sorriu me encostando na parede.

- Você não sabe...

 – É claro que eu sei.

 Fechei os olhos, sentindo chupões sobre minha pele.

 – Você costuma mudar de sentimento rápido? – perguntou.

 – Não mais que você.

 – Claro – sorriu, puxando minha blusa, tirando-a.

- Isso é errado, você sabe disso.

 – Foda-se – beijou meu pescoço – Quem se importa? Não sabe o quanto esperei por isso.

 – Esperou mesmo? – Olhei em seus olhos, duvidando da sua palavra.

- Ainda duvida?

 Puxei sua camiseta, arrancando e jogando-a no chão. Talvez aquilo fosse mesmo errado, mas ele me fazia esquecer tudo.

 – Não sabia que você era tão gostosa, Simonetti.

 Se eu estivesse em sã consciência, eu ficaria envergonhada, mas naquele momento, eu estava em um mundo diferente. Não era eu ali, não podia ser.

- Eu sempre soube que você era – sussurrei em seu ouvido.

 – Sempre soube que você me queria. - sorriu debochado.

– Cale a boca, Gaston.

Seus dedos passearam sobre a borda da minha saia, descendo-a aos poucos. Em alguns segundos, ela estava sobre o chão.

 – Sempre soube que você tinha esse lado errado. – Gaston sorriu.

- Somos todos errados de alguma forma.

 E eu nunca vi um sorriso tão malicioso em seu rosto. Eu já não me reconhecia mais.

 – Eu preciso de você. – Gaston sussurrou contra meus lábios.

 – Eu sou sua.

Gaston entrelaçou minhas pernas em seu tronco. Fechei os olhos, enquanto ele beijava meu corpo. Ele procurou pelo feixe do meu sutiã, e não demorou muito para achá-lo. Vi-o cair sobre o chão. Mordi o lábio inferior, sentindo seus lábios me tocarem. Eu tentava economizar gemidos, mas era impossível.

Eu queria tê-lo só para mim, mesmo que durasse só uma noite. Mesmo que eu me arrependesse depois. Eu queria sentir Gaston Perida completamente, queria sentir que pelo menos uma vez, ele era só meu.


Notas Finais


Espero que gostem!!
Comentem!!! Amo muuito vocês, até os leitores fantasmas.
Beijos no core <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...