História Coroa de rubis. - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amizade, Amor, Coroa, Loucura, Sobrenatural, Suspense, Traição
Exibições 16
Palavras 5.163
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oiiiiii, desculpem a demora, tive uns probleminhas na escola e eu tb estava meio insegura sobre esse capitulo. Dei para uma amiga ler e ela não gostou muito do capitulo, nem eu gostei muito, mas fazer o que?
Espero que não esteja tão ruim, e me desculpem os erros ♡.♡

Capítulo 31 - Felix e Clint


Fanfic / Fanfiction Coroa de rubis. - Capítulo 31 - Felix e Clint

~~ Felix ~~

  - Essa reunião foi uma droga. Perda de tempo se me permite dizer. - resmunga pela milionésima vez Clint.
   Depois da reunião na cede do Conselho, voltamos para a escola. Deitamos nossos corpos hospedeiros nos quartos deles e estamos no terraço. E des de que chegamos aqui Clint não calou a porra dessa boca dele, juro que se ele não fosse tão bonito eu já teria o decapitado. Por um lado ia fazer um favor enorme a Galáxia, que seria livrada dos seus discursos entediantes sobre coisas que ele odeia, mas por outro lado eu estaria tirando a vida de um dos melhores assassinos da Galáxia. Isso é muito ruim, Clint mata pessoas muito bem, e devo ser honesto, ele faz disso uma arte, e eu sou seu maior apreciador. Então depois de analisar os fatos prefiro manter a cabeça dele grudada ao corpo, por enquanto.
   - Tá Clint, eu já entendi. Você não viu propósito na reunião de hoje e blábláblá, agora cala essa sua boca, cacete! - briguei.
  Estava deitado olhando pro céu enquanto Clint se encontrava sentado ao meu lado com as pernas cruzadas. Ao ouvir o que eu disse ele se jogou encima de mim ficando com seu rosto a centímetros do meu.
  - Aigoo, meu menininho ta bravinho é? - revirei os olhos - Sei muito bem como livrar você desse mal-humor. - sorriu cínico.
  Era obvio que eu sabia o que o imbecil ia fazer, Clint é muito previsível, principalmente comigo. Ele colou seus lábios nos meus em um beijo calmo e delicado. Tem alguma coisa errada, ele nunca me beija assim, por isso o empurro pro lado e digo:
  - Para com essa viadagem pra cima de mim Clint! - brigo, como se não tivesse gostado do beijo.
  Ele sorri e volta a se sentar direito ao meu lado.
   - Foi só um beijinho, já fizemos coisas piores Felix. - diz rindo.
    - Vai se fuder!
    - Só se for com você.
   Revirei os olhos e usei meu poder para simular um tapa nele, já que não queria levantar, e o tapa fez sua pele ficar vermelha.
    - Já mandei parar com essa viadagem. Que que foi em? Você só fica todo carinhosinho e alegre quando quer alguma coisa ou quando consegue alguma coisa, qual das duas é?
   Clint massageia a região onde o tapa foi desferido.
     - Aish, não pode nem ser mais carinhoso com o namorado que já leva patada. - resmunga Clint.
    Dou outro tapa.
     - Namorado é o seu cú. - digo irritado.
   Ele ri e se joga de novo encima de mim, me fazendo rir. Mesmo que eu tente negar para Deusa Eliza e as Galáxias, eu gosto muito dele, não sei distingui se é amo irmão ou amor, amor mesmo, mas depois eu descubro, por enquanto eu aproveito.
    - Você é meu namorado sim, Felixzinho - fez um biquinho fofo e eu ri - Ou você se esqueceu que quando eramos crianças prometemos que ficaríamos juntos pela eternidade? - perguntou com voz de choro.
   Eu já comentei que Clint é uma criança? Se não comentei estou fazendo isso agora. Ele simplesmente age que nem um bebê comigo, principalmente quando estou irritado com ele. Mas não posso dizer que não goste, ele fica extremamente fofo, e ver um cara que paga de machão 24h por dia, fazer essas coisas fofas é hilário e memorável.
   - É claro que eu não esqueci. - ele sorriu - Não esqueci porque você me lembra disso vinte e quatro horas por dia, durante 365 dias. Sabe muito bem que eramos crianças né?
  Clint fica emburrado e sai de cima de mim. Acho que ele ficou irritado. Eu sei o quanto aquela promessa foi importante para ele, vivo desmerecendo ela, mas no fundo ela também é importante para mim.
  - Ei, não faz essa cara não! Eu estou bravo com você, e você ta fazendo essa carinha de bunda por motivo nenhum Clint. - briguei.
   - Eu não fiz nada pra você ficar com raiva de mim, e tem motivo sim pra eu estar com essa cara.
   Bufo de raiva. Mesmo que pareça que Clint é o Homem dessa relação, quero especificar que COM TODA A CERTEZA ABSOLUTA NÃO É ELE! Clint é um ótimo ativo - mas é um ótimo passivo também, diga-se de passagem - mas age como uma garota comigo, eu não faço isso. Me aproximo de Clint e trago seu corpo de encontro ao meu, o abraçando com carinho, mesmo que ele nunca tenha feito isso comigo.
   - Desculpa se pareceu que eu desmereci novamente nossa promessa Clin, não era a minha intenção. Eu sempre vou seguir essa promessa, porque quando eu prometo eu cumpro. - sussurrei em seu ouvido.
   Clint realmente estava muito estranho hoje, quando eu o abracei ele não me negou como sempre, ao invés disso, ele me envolveu em seu braços fortes.
    - Eu aceito suas desculpas. Mas agora eu quero um beijo. - disse sorrindo.
   Sorri também e resolvi que cederia como sempre. Beijei Clint com um desejo que eu não sabia que existia dentro de mim.
    Somos amigos dês de que nascemos, nossos pais eram grandes aliados então crescemos um com o outro. Clint sempre foi a criança problemática, ele machucava os amigos e via prazer em ferir os outros, mas ele não fazia isso comigo. Quando eu o conheci ele tinha cinco e eu quatro, ele me encantou pela beleza em primeiro lugar. Vai me dizer que você acha o Clint feio? Ele é uma obra de arte! Aqueles cabelos roxos com mechas verdes-água e azuis, os olhos de um tom azul claro lindo, a pele branca como papel, e o olhar matador sempre me encantaram. Quando o conheci ele me cortou, mas eu não fugi dele e me mantive próximo, o que fez ele ficar estranho, afinal todo mundo que ele machucava fugia e eu não fugi, continuei ali com ele. Um dia ele me perguntou porque eu continuava sendo seu amigo e eu respondi "Somos uma boa dupla, você é a arma e eu o cérebro" depois daquele dia em que ele me cortou ele nunca mais voltou a fazer isso, eu era a única pessoa imune de suas facas e adagas.
    Alguns anos antes de entrarmos para o grupo dos Caçadores, Clint me chamou um dia para irmos ao nosso esconderijo secreto, onde elaborávamos planos para matarmos nossos alvos. Lá foi onde ele me fez prometer que nunca o abandonaria e que eu sempre estaria com ele, sempre. Eu aceitei, pois eramos melhores amigos e eu não via um futuro onde não estivesse Clint ali, pois alem de amigo ele era minhas mãos para fazer o trabalho sujo. Porem eu não li as entrelinhas dessa promessa. Eu seria de Clint para sempre, em todos os sentidos da palavra, TODOS mesmo. Naquele dia também foi a nossa primeira vez, tenho que admitir que foi meio a força, mas depois eu cedi - quando eu não sedo para aquele energúmeno - e nossa relação só foi piorando, ou melhorando, o que você preferir. Mas naquela noite eu também descobri o motivo dele sempre cortar as pessoas que chegavam perto ele, Clint me disse que fazia isso para testa-las, para ver se mesmo depois dele ter as machucado elas iam querer ficar próximas a ele. Ninguém ficava, eu fui o único e era por isso que eu era o seu melhor amigo, era por isso que tínhamos essa relação conturbada e totalmente estranha, eu nunca o abandonei e não pretendo, ta mais fácil ele me abandonar. Mas temos um relacionamento aberto, ele come quem ele quiser, e eu como quem eu quero, mas no final das contas, acabamos comendo um ao outro - risos - não posso dizer que eu não goste dessa nossa relação, porque eu estaria mentindo, eu amo essa nossa relação!
   Mas depois que Clint se envolveu com a Alice ele mudou. Ficou louco por causa dela, e é por isso que move Galáxias para acha-la e toma-a para si de novo - ele é um bocó - ele me assusta as vezes. Eu quero Alice morta, sempre a quis por ser filha de uma dos três Grandes, e consequentemente a da mais grande, Isabela.  Mas Clint não a quer realmente morta, ele a quer pra ele, e quando cansar vai mata-la, ele é doido. Mas depois que essa obsessão dele ficou louca e forte de mais e eu passei a odiar a Alice por ter dado pra ele, porque se ela não tivesse feito isso ele não teria ficado tão obcecado, e por isso eu a odeio também, mas um motivo para odia-la.
  - Agora é sério, me diz porque caralhos você está tão de bom humor e todo carinhosinho com a minha linda pessoa? - pergunto quando findamos o beijo.
   - Só estou feliz, não posso agora?
   - Claro que não! Você nunca ta feliz, tipo nunca mesmo! Da um sorrisinhos bestas de vez em quando mas FELIZ? Você nunca tá, e pode parar de fazer cu doce e dizer logo o que ta fazendo você resolver me querer.
   Clint solta aquele sorriso malicioso que eu já bem sei o que é e por isso me jogo para trás a fim de não olhar nos olhos dele.
   - Alice. Já devia ter desconfiado que tinha o dedo dela no meio desses seus sorrisinhos e desde carinho exagerado comigo - comentei seco - o que ela fez agora?
   Clint com toda a certeza sabe que eu não suporto quando ele toca no nome dela. Ele deve achar que é ciúmes ou coisa do tipo, mas como eu já expliquei, não é ciúmes e sim ódio por ela ser muito mais poderosa do que eu, mas acho que ele não sabe disso, mas eu to pouco me fudendo, deixa ele achar o que ele quiser.
  - Ontem eu meio que eu tive um ataque de ciúmes com ela e o Josh. Esse principezinho de merda tava toda amigo dela e Alice ainda o protegeu quando eu briguei com ele.
   - E...?
    - Resolvi que vou pedir desculpas para ela amanha e quem sabe eu não esteja caminhando na direção de uma coisa boa. - sorriu malicioso.
    Bufei irritado. Clint é mesmo um mané.
     - Hum, que interessante. - resmunguei.
     - Que que foi em Felix?
     - Eu não disse nada sua peste! Só to aqui pensando que você é um imbecil por achar que ela vai dar o cu precioso dela para o James/você só porque pediu desculpas.
  Ele me bateu.
   - Eu não disse isso!
   - Mas foi o que deu a entender.
   - Eu vou dar uns pega nela, ainda ta cedo pra levar ela pra cama. - disse rindo.
   - Ainda te acho um imbecil.
   Clint subiu encima de mim de novo e ficou me encarando com aqueles olhos azuis, como se ao fazer isso fosse conseguir entender o quero dizer.
   - Porque você ta de mal-humor? Geralmente você é o todo feliz, conta pra mim o que foi. - ele parecia preocupado, mas eu sei que é só fingimento.
   - Como se você realmente se importasse né Clint. - respondo ríspido.
   - Claro que eu me importo! Somos amigos a vinte e três anos seu panaca, é claro que eu me importo, são vinte e três anos! E nos temos Vinte e oito anos.
    - Correção, você tem vinte e oito, eu tenho vinte e sete. - respondo.
    - Um ano de diferença não faz merda nenhuma de diferença.
   Bufo e reviro os olhos. Olho para Clint e ele ainda me encara como se estivesse me encorajando a falar.
     - Eu só estou preocupado com as coisas que estão acontecendo. - digo.
    - Tipo?
    - Estamos mais perto do que nunca daquela praga de cabelos castanhos, mas não podemos mata-la. Eu to bem preocupado com a minha irmã, faz tempo que eu não converso com ela, como Felix, porque como Sebastian eu to sempre conversando, ela sente minha falta e eu deve admitir que sinto a dela também, assim como a de Chris. E eu to tentando entender todo esse interesse repentino do príncipe nos assuntos relacionados a Alice. São coisas de mais perturbando a minha cabeça Clin, eu não aguento muito. Sei que somos maus e tal, que somos os lideres dos Caçadores...
  - VOCÊ é o líder dos Caçadores. - me cortou.
  - Tanto faz, eu sou o Líder e você o melhor deles. Mas não é esse o ponto. Eu as vezes só queria voltar para Plutão e ficar com a minha família e achar alguém pra seguir a vida, eu não aguento muito mais. Quando tudo isso acabar eu vou deixar os Caçadores e ser só mais uma pessoa normal. Eu invejo o Maikon, ele tem uma noiva linda, uma banda, uma filha, ele é feliz, daqui a um ano ele se livra do Conselho e de nós. Ele tem tanta sorte.
  - Ele tem uma filha?
   - Sim, ela tem dois aninhos e vive no castelo em Marte. Ninguém sabe dela ainda, porque eles não são casados e isso é errado.
   - Eu não sabia.
    - E nem era para saber Clint, isso é coisa do Maikon. Só contei porque eu estou te relatando como eu sinto inveja dele. Daqui a um ano ele vai ter uma mecha vermelha e a Mary uma azul. Eu estou farto de carregar tudo nas costas. Você não me entenderia.
   Clint me olhou por três segundos antes de me abraçar como nunca tinha feito antes e acariciar meus cabelos e rosto, depois me dar um beijo estralado e molhado como se tenta-se transmitir que estava ali por mim, mas eu sabia que era mentira. Quando nos separamos, continuamos ligados por um pequeno fio de saliva, mostrando o quanto esse beijo foi intenso.
   - Eu não sabia que se sentia assim, as vezes eu também me sinto, mas você sabe que matar é minha única motivação. - concordo com a cabeça. - Escuta, você ta mau mesmo, porque não vai falar com a sua irmã? Com certeza você deve saber onde fica o quarto dela. Vai lá, e tenta ficar mais feliz, eu não gosto de ver você todo emburrado sendo que não é culpa minha. - disse sorrindo, dou um tapa no seu ombro - Ouch, não precisa bater. - acabo rindo - Vai lá, eu vou dormir também, amanhã é um dia cheio.
  Concordei com a cabeça e me levantei, Clint fez o mesmo. Clint é alguns poucos centímetros mais baixo que eu, e um pouquinho mais forte, o uniforme de Caçador deixa a mostra os músculos perfeitos e bem desenhados do seu corpo e a postura dele fazer parecer que ele é maior do que realmente é. Eu sou forte mas meus músculos são escondidos pelo terno preto que sempre uso, são normas, esse é meu uniforme.
  - Antes de você ir, vem aqui. - diz Clint.
  Me aproximo mais dele e o mesmo me puxa um beijo molhado e desejoso repleto de sentimentos que eu não conheço, e nem sei se teria o prazer de conhecer, nada com Clint é certo. E novamente quando nos separamos, ainda estamos ligados ela saliva.
   - Agora você pode ir. - diz depois de findarmos o beijo.
   - Esteja a postos amanhã soltado. - digo antes de desaparecer.
   Ficar tendo esses momentos com Clint me deixam confuso, admito, se eu soube-se o que sinto seria três bilhões de vezes melhor. Paro na frente do quarto de Rayanna e entro sem fazer cerimonia nenhuma. O quarto dela é o do jeito que eu esperava.
   Vou ate a janela e a abro, me sentado ali, para paracer que eu surgi em sua janela. Rayanna cresceu sendo rainha. Eu desisti do trono assim que conheci Clint, por isso meus pais tiveram outro filho, se não, não houvera herdeiro. Nossos pais morreram depois de Chris nasceu e a partir dali ela teve que assumir o trono mesmo sendo nova de mais para isso e coloca nova de mais nisso, mas ela é uma rainha exemplar e nunca deixa o povo na mão. Pelo fato do nosso planeta quase nunca ser considerado um planeta todos os moradores de Plutão vivem na Terra mas ainda obedecem as ordem de minha irmã, a cada 82 anos somos permitidos a voltar ao nosso planeta e isso me alegra muito, e sei que a minha irmã também, ela ama o planeta dela.
  - Felix...? - ouço uma voz rouca perguntar.
  Olho para sua cama e vejo Ray sentada coçando os olhos para se acostumar a escuridão. Acendo as lanternas chinesas no teto do quarto e quando ela olha em minha direção percebo o exato momento em que o mundo dela parece parar de girar.
  - Oi Rayanna. - digo com um sorriso.
  Ela levanta correndo da cama e me puxa para um abraço muito apertado, minha irmãzinha ficou forte.
   - Minha Deusa Eliza! O que você faz aqui? Como veio parar aqui? como estão as coisas? Você está tão bonito! Olha esse cabelo brilhoso? Como anda o Clint? Porque não esta me respondendo!?
   Rio da empolgação exagerada dela. Ray sempre foi meio afobada para certas coisas, eu não a vejo a muito tempo, é bom saber que ela sentiu minha falta.
  - fique calma, respira, eu vou responder todas as suas perguntas, mas primeiro você tem que se acalmar. - digo rindo.
   - Não ri! Eu estava com saudades! - diz sorrindo.
  Acaricio seus cabelos.
    - Também estava, mas agora estou aqui certo?
   Ela concorda e me puxa para sua cama, me pondo sentado ali.
   - Me conta as novidades. - pede.
   - Bom, não tem muito o que contar.
   - Porque demorou tanto para aparecer?
   - Você sabe como são as coisas com os Caçadores. Eu sou líder deles, sou o mais atarefado, tenho negócios a resolver e pessoas a procurar, você sabe. Muita coisa.
    - Falando assim você parece aqueles empresários importantes. - diz rindo.
   Rio também.
    - Quase isso.
    - Bom, e como andam os outros Caçadores?
   Rayanna não sabe sobre minha relação colorida com Clint, mas ela sabe que somos imensamente amigos.
    - Vão bem, todos empenhados em achar a filha de Isabela, como sabe ela sumiu. Isso está me dando uma dor de cabeça danada.
   Sim, minha irmã sabia sobre a filha de Isabela.
    - Sei sim. Mas não tem nenhuma pista dela? Nada que os possa ajudar?
   - Por enquanto não. -minto -Mas estamos fazendo o possível.
    - E vocês vão mata-la mesmo?
    - Sim, ela não pode assumir o trono, você sabe.
   Ray desvia o olhar e concorda. Sei que ela não acha nem um pouco certo o que vamos fazer, mas em relação a isso eu não posso fazer nada se ela não gosta.
    - É... Mas me conta, porque apareceu agora?
    - Estava aqui por perto e não aguentei. Esperei os outros dormirem e vim ver você. Faz bastante tempo que não te via.
    - Faz tempo mesmo. Vai dormir aqui? Comigo? Diz que sim!
    - Lamento, mas não posso. Nosso pelotão sai ao amanhecer e como líder eu preciso esta lá. Mas eu prometo sempre vir lhe visitar. E você sabe que mesmo estando longe eu te vigio.
   - Sei sim.
   - Por isso me conta do Wes. - disse com um sorriso.
    Minha irmã fica mais laranja que a própria laranja e solta um sorriso tímido.
   - O que você quer saber?
   - Quero saber tudo, o que esse menino pode ter feito para conquistar esse seu coração?
   - O Wes é incrível. É tudo o que eu sempre quis e muito mais, mais mesmo. Se um dia vier chegar a conhece-lo vai ver.
   - Ficarei muito feliz em um dia conhecer esse menino.
  Ela sorri e me abraça.
    - Sabe que eu te amo né? - pergunta.
   Sorrio bobo. Acho que minha irmã é o único motivo de eu não ter me sucumbido totalmente ao mal, ela me puxa para o bem sempre que parece que eu vou cair nas trevas.
  - E você sabe que eu te amo? - pergunto.
  Ela ri e assente com a cabeça.
  - Sim, eu sei.
  - Que ótimo, agora eu preciso ir.
  - Mas já!?
  - Eu tenho que voltar, sairei muito cedo amanha, e você tem aula mocinha!
  Ela fica emburrada me fazendo rir.
 - Ta! Mas promete voltar mesmo?
 - Prometo.
  Beijo sua testa e me levanto.
  - Tchau Felix. - diz sorrindo.
  - Tchau Rayanna.
  Aceno e sumo. Resolvo voltar para o terraço, vou dormir por ali mesmo, esta melhor do que aquele quarto do Sebastian.

 


                       ~~ Clint ~~

Eu estou muito confuso.
Quero dizer, eu sou apaixonado pela Alice. Felix acha que é so atração sexual mas eu sinto que não é só isso. Eu fico dizendo aquelas merda pra ele sobre so querer o corpo dela e taus, mas lá no fundo eu sei que quero mais, quero que ela goste de mim, e isso me enfurece de um tanto que você não imagina.
   Mas ai tem o Felix. Pois então, deixa eu explicar. Quando eu conheci o Felix eu fiz o que sempre fazia com todo mundo e o cortei para ver se ele ia se afastar como todos, mas ele não fez isso e eu acabei meio que involuntariamente me apegando muito a ele. Quando eu meio que "obriguei" o Felix a dormir comigo foi uma das melhores noites das nossas vidas - to dizendo isso porque eu sei muito bem que o Felix gostou - e depois daquele dia eu meio que fui reparando de mais em tudo no nosso líder. No jeito fofo dele quando esta com raiva, na cara seria que ele faz quando esta lendo aquelas papeladas que eu não faço a mínima ideia do que sejam, no jeito como os músculos dele tencionam quando eu chego muito perto, no modo como ele tenta me proteger mesmo achando que eu não percebo, nos cabelos dele, e naqueles olhos amarelos que me deixam meio perdidos.
  Felix é o culpado da minha confusão mental, porque se ele não existisse eu já teria certeza absoluta de que estou apaixonado pela Alice. Mas fazer o que né, não posso reclamar, Felix é muita areia por meu caminhão, ele é tudo o que eu preciso agora, e me satisfaz muito. Eu sei que Felix tem um coração bom, mesmo com aquela pose de mal, ele tem um coração quente batendo dentro do peito, o que me deixa mais confuso ainda, porque de uma maneira estranha eu me sinto atraído por isso.
  Estou tão feliz que finalmente depois de anos de procura, achamos a peste da Alice. Agora eu estou perto dela e ainda consegui beija-la, não contei essa vitoria a Felix, porque se não acho que ele ia fazer greve - acho que sabem que tipo greve ele ia fazer - mas eu fiz cagada brigando com ela ontem, mas assim, ela tava perto de mais do Josh, e eu não entendo também toda essa proximidade dele com ela, será que o príncipe finalmente ta fazendo alguma coisa util? Bom, seja la o que ele estiver tramado eu preciso me desculpar como James e quem sabe não rola uns beijinho.
  Estou indo falar com Sirena. Minha irmã é bem malvada, muito mais que eu, seu sonho sempre foi entrar para os Caçadores, mas nossos pais não permitem, pois Pedro - seu irmão gêmeo - não tem as qualidades necessárias para subir ao trono. No caso essas qualidades necessárias seriam maldade, já que Pedro é uma das pessoas mais bondosas que existem, para ser sincero nem sei como ele é assim, sendo que nossa família é literalmente um ninho de cobras.
  - Que merda você pensa que ta fazendo aqui Clint? - brigou Sirena, assim que abriu a porta.
  - Quanta educação maninha. - disse enquanto já invadia seu quarto.
  - Você ainda não me respondeu. - sibilou enquanto fechava a porta.
  - Vim te ver, não pode mais? - perguntei com uma sobrancelha levantada.
  - Essas suas desculpinhas esfarrapadas não colam comigo mané!
  - Ui! Ta de TPM é? - perguntei rindo.
  - Vai se fuder cacete! Eu tava aqui dormindo e tu aparece do nada aqui! Agora me diz logo o que tu quer desgraça!
   - Parece que não é só o Felix que ta de mal-humor hoje. - resmunguei.
  Sirena virou na hora seu olhar para mim, e me fez tremer parecia que ela ia me matar só com os olhos. Somos melhores amigos além de irmãos e obvio que ela sabe da minha relação meio doentia com o laranjinha, mas isso não quer dizer que ela apoia.
  - Pois é, mas ao contrário dele eu não vou melhorar meu humor se você abrir as pernas. - cuspiu as palavras com nojo.
   - SIRENA OLHA ESSA SUA BOCA MENINA! E NÃO FALA ASSIM DE MIM SUA ESTUPIDA! VOCÊ FALA COMO SE EU FOSSE UM TIPO DE GAROTO DE PROGRAMA! - berrei.
   - MAS VOCÊ É! Pelo menos pra mim você é! Você sabe muito bem que eu repugno essa sua espécie nojenta.
  Revirei os olhos, la vamos nos de novo.
   - Eu não sou gay.
   - Não, imagina! Você só da esse seu cu ai pro irmão da Rayanna. - diz sarcástica.
   - Eu não vim aqui brigar com você Sirena! Precisamos conversar, é importante! - sibilo com raiva.
   - Des de que você não use o nome daquele nojento na conversa ta ótimo.
   - EU JÁ MANDEI VOCÊ PARAR! E não tem como eu não mencionar o nome do FELIX, ele é o líder dos Caçadores e quem toma as rédeas das coisas.
   Sirena suspira em sinal de frustação e se joga na cama.
  - Ta, só não fala dele desse jeito que você fala.
  - Que jeito!? - pergunto curioso.
  - Que nem um bobo apaixonado. - despeja com nojo carregado na voz.
  OI? Eu falo do Felix como se estivesse apaixonado?
   - Eu não falo dele como se fosse um bobo apaixonado! - contesto.
   - Fala sim, mas não é por isso que você veio me incomodar, então vá direto ao ponto.
   - Você sabe que a Alice é a filha da Isabela. - despejo de uma vez.
  Sirena pula da cama e me encara com um olhar mortal.
    - Como sabe?
    - Sou seu irmão, te conheço pirralha.
    - Tá, foda-se. O que tem isso?
    - Preciso da sua ajuda.
    - O que quer agora?
    - Preciso que leve Alice ate o telhado amanha ao por do sol.
     - Posso saber por que?
     - Agora não, então cala essa sua boquinha feinha e só me ajuda.
    - Eu definitivamente de odeio. - resmunga.
    - Bom saber, pena que não perguntei.
   Sirena joga uma de suas adagas venenosas em mim e..  CARALHO! ESSE NEGÓCIO ARDE PRA BURRO!
    - Sai daqui antes que eu desista de te ajudar sua desgraça. - diz calmamente, enquanto volta a se deitar.
  Amaldiçoo minha irmã enquanto saio do seu quarto. A adaga ainda esta enfiada no meu ombro, preciso de ajuda pra tirar, esse tem arde pra burro, e o veneno que Sirena usa é forte de mais.
  Vou atrás de Feliz e o acho dormindo que nem um anjinho, no terraço. Seu cabelo esta espalhado pelo colchão, sua boca esta aberta e da pra ver a baba escorrendo pelo cantinho dela. Sempre gostei de ver Felix dormir, ele tem uma aparência calma e delicada, já acordado...
  Me ajoelho ao seu lado e sussurro:
  - Felix... - ele nem de mexe, então resolve chutar sua costela de levinho. - Acorda desgraçado! - digo mais alto.
  - AI DEMÔNIO! PORQUÊ... O que aconteceu? - grita comigo quando acabo o acordando, mas diminui a voz quando vê o sangramento.
  - Sirena, nem me pergunte. Só me ajuda, dói. - digo com um biquinho infantil.
  O laranjinha revira os olhos e me da um tapa na cabeça.
   - Deve ter merecido. - diz enquanto me faz sentar.
   - Você sempre pensando o pior de mim.
   Felix fica de joelhos em minha frente e coloca a mão na adaga.
    - E você quer que eu pense o que? - diz antes de puxar aquela coisa do demônio que estava no meu ombro.
   Juro que teria gritado tão alto que a escola inteira ouviria, se não fosse por Felix que me calou com um beijo no mesmo momento em que puxou o objeto. Quando ele se afasta vejo que cortei sua boca, seu sangue laranja sai de pequenos buracos feitos pelos meus dentes.
  - Obrigada. - sussurro, lambendo seu sangue que ficou em meus lábios, ele tem gosto de baunilha.
   - Ainda não terminei imbecil. - resmungou.
  Logo depois ele curou meu ombro. A dor ainda existia mas o ferimento foi embora. Abraço meu melhor amigo e o beijo para limpar seu sangue que ainda saída de sua boca.
   - Obrigada Felix. - digo sorrindo bobo.
   - Desgruda Satanás. Eu só te ajudei porque somos amigos, e eu acho lindo a cor do seu sangue, olha. - e ele me mostra suas mãos manchadas com o meu sangue multicolorido.
   Suas mãozinhas brancas como papel estão manchadas de roxo, com filetes azuis e verdes, como meu cabelo. É verdade que Felix sempre se encantou com meu sangue diferente, mesmo ele não sabendo o porque dele ser assim.
  - Lindo que nem o dono. - digo sorrindo.
  Felix revira os olhos e ameaça lamber meu sangue que se encontra em minhas mãos, mas o impeço, se ele fizer isso vai saber o meu segredo.
   - Nem pensar! Meu sangue é tóxico esqueceu? - minto, como sempre.
   - Eu te odeio! Você vive bebendo meu sangue e eu não falo nada, mas ai eu quero beber o seu e tu não deixa.
   - Se quiser morrer pode beber.
  Felix me olha com ódio e lava as mãos.
   - Ponto. Já te ajudei, agora some que eu quero dormir. - diz voltando a se deitar.
   - Não, eu quero dormir com você, aqui.
   - Nem pensar! Pode ir pro seu quarto! - diz bravo.
   - Não! Eu vou ficar aqui! - digo emburrado.
   - Ta, tanto faz. Só cala a boca e dorme. - resmungou.
   Me joguei ao seu lado e o abracei por trás.
    - Me larga demônio. - diz tentando se soltar.
    - Para, eu não sou te soltar, então desiste. - digo, com a cabeça no vão de seu pescoço.
   Felix respira frutado e para de tentar de soltar.
    - Tanto faz, só cala a boca e dorme.
   Sorrio contra seu pescoço.
    - Boa noite Laranjinha. - sussurro.
   Ele não me responde, mas sinto Felix sorrir. A noite foi tranquila e muito agradável, estava frio, mas ao mesmo tempo quente.
  Não via a hora de amanhecer e colocar meu plano em pratica. Alice vai ser minha, e não te ninguém que vá mudar isso, NINGUÉM.


Notas Finais


Então gente é isso ❤
O próximo capitulo eu ainda não terminei, mas ate que ta razoável, vocês vão saber como o Ian e o Theodor estão, como fi a noite da nossa querida Alice ⌒.⌒ e tem treta de irmãos por vir X_X
Até a próxima *♡*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...