História Corporação Batman - A Origem - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Asa Noturna, Batman, Liga da Justiça, Mulher Maravilha, Novos Titãs (Teen Titans), Supergirl, Superman
Personagens Alfred Pennyworth, Asa Noturna, Barbara Gordon, Barry Allen (Flash), Bruce Wayne (Batman), Canário Negro, Ciborgue, Clark Kent (Superman), Comissário James "Jim" Gordon, Damian Wayne, Diana Prince (Mulher Maravilha), Dick Grayson, Donna Troy (Troia), Dr. Thomas Wayne, Estelar, Hal Jordan, Helena Bertinelli, Jason Todd, Kara Zor-El (Supergirl), Lucius Fox, Martha Wayne, Oliver Queen (Arqueiro Verde), Personagens Originais, Richard John "Dick" Grayson, Robin, Roy Harper (Arsenal), Stephanie Brown, Timothy "Tim" Drake, Wally West (Kid Flash)
Tags Alfred Pennyowth, Arsenal, Batgirl, Batman, Bruce Wayne, Capuz Vermelho, Clark Kent, Corporação Batman, Damian Wayne, Dick Grayson, Donna Troy, Drama, Estelar, Família, Gothan, Guerra, Jason Todd, Jim Gordon, Lex Lutor, Lucius Fox, Quadrinhos Dc, Red Robin, Robin, Salteadora, Stephanie Brown, Superman, Talia All Ghul, Tim Drake, Wayne
Exibições 61
Palavras 923
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi já to de volta aqui pra "vocêzinhos" rsrs

Capítulo 24 - O morcego e o passarinho


Fanfic / Fanfiction Corporação Batman - A Origem - Capítulo 24 - O morcego e o passarinho

A noite chegou tão rápido quanto foi embora.
Para a correria que estava, literalmente o tempo voou.
Tália e Luthor foram presos.
Obviamente não no mesmo local, mas ambos com segurança máxima.
Jonathan estava internado em estado grave na enfermaria, infelizmente respondendo devagar aos cuidados, e ainda desacordado. Alfred e Clark fizeram o que podiam, retiraram o projetil, cauterizaram, estancaram hemorragias, mas ele apenas reagia como um humano comum, então segundo Alfred tinhamos que esperar.
Kara se recuperava bem após ter sido injetada com o antídoto que Arsenal trouxe.
Jason foi internado em Arkhan sem resistência nenhuma... Não faço idéia se é uma provocação ou se ele estava realmente falando sério sobre eu descobrir sozinho um terceiro culpado
Talvez realmente não fosse ele, e eu iria descobrir.
Tinha que voltar ativa, com todo esse projeto de equipe, talvez eu tenha perdido o foco, deixado as responsabilidades sobre ombros talvez inesperientes.
Sentado na poltrona que foi de meu pai observo o salão com as pinturas de familia.
Penso em como seria minha familia sem o Batman... Ou se haveria uma.
Se estaria na gandaia ou sendo um pai de família.
Se eu teria tido filhos.
Sirvo mais vinho na taça em que seguro, e balanço cautelosamente em movimentos circulares.
O cheiro é adocicado, forte, extasiante.
Bebo um pouco e coloco a garrafa e a taça na mesa ao lado.
A bebida não iria me fazer esquecer dos problemas.
Tantas coisas para resolver...
Sorte de ter Lucius Fox que era de ótima ajuda com a empresa e os negócios.
Enquanto eu estava aqui perdido em pensamentos.
Ela entrou sem bater.
Percebi que era ela, e ela sabia que percebi, mesmo sem eu olhar para trás.
Pousou as mãos em meus ombros apertando suavemente.
Toda tensão sumiu.
Passei anos escondendo isso dentro de mim, aprisionando uma parte que nem sabia que existia.
E agora que eu havia a libertado, só pensava em estar com ela.
Nesses momentos sua presença afastava todos os problemas.
Isso pode parecer irresponsabilidade largar os problemas de mão... Mas se fosse para fazer isso por alguns minutos ou horas ao lado dela... Valeria a pena.
Ela deu a volta na poltrona sentando em uma de minhas pernas.
Seu olhar estava sem aquele brilho que me petrificava.
Ela se sentia culpada.
"Lois chegou, está com Jonathan... Ela..."-Diana disse se mantendo forte, porém seu corpo demonstrava cansaço, não físico, mas psicológico.
"Ele vai ficar bem... Ela lhe disse algo?"-Pergunto receoso. Sei que mães podem fazer loucuras pelos filhos.
Seus olhos enchem de água, mas ela suspira.
Não quero que ela chore, não saberia bem como reagir, como fazer o seu lindo sorriso voltar.
"Não, mas... Seu olhar disse muito ."
"Ela só está preocupada com o filho"-Digo-"Não aja como se fosse a culpada,você sabe que não é."
"Eu poderia ter impedido eles, os subestimei por serem crianças, os perdi de vista como se fossem profissionais".
Tinha muita coisa sobre Damian que Diana não sabia, principalmente sobre nunca duvidar se ele fará ou não algo perigoso... A resposta na maioria das vezes será sim.
"Pai"-Ouço a voz de Damian.
Estava de pijamas ainda, descalço, parado na porta.
Em todo esse tempo que ele mora comigo, nunca apareceu fora do quarto desse jeito.
Damian tem esse dom de fazer que eu comece a pensar que as coisas normais são anormais para ele.
Diana se levantou.
Os dois não mantinham contato visual.
Perdi algo, sei disso.
"Eu tenho que confessar algo"-Ele disse sem entrar.
"Entre"-Digo, mas ele o faz com insegurança.
Damian parou diante da poltrona, Diana se pôs ao meu lado.
Depois de um tempo parado em silêncio ele levanta os ombros e diz.
"Eu sabia de tudo".
Eu não quero acreditar.
"Tudo o que?"
"Sobre o esconderijo, os robôs, os caminhos certos para os lugares certos lá dentro, sobre..."
Eu devia ter imaginado.
"O que?"-Me levanto. E percebo que Damian recuou uns passos.
Acho que falei grosso demais, na maioria das vezes é proposital.
Mas realmente estou furioso agora.
Esperava mais lealdade dele.
"O que mais?"-Pergunto.
"Só isso, não sabia sobre Jason... Minha mãe disse só isso, juro, e sobre o que Luthor queria, ela aceitou se juntar a ele por questão de poder, não sei de mais nada".
"Você foi até lá, sabendo que Jonathan lhe seguiria..."
"Não!"-Ele se altera-"Eu não sabia que ele iria me alcançar. Na ficha dele você escreveu que ele não voava e".
"Chega!"-Respiro fundo -"Por que não disse tudo isso antes? Por acaso iria se juntar a eles?"
"Não! Não eu... Só não sabia como..."
"Era só falar Damian!"-Grito.
Por uns segundos perco o controle.
A vida de uma criança quase foi tirada a toa.
"Eu devia ter imaginado, ou suspeitado quando Tália veio aqui."
"Bruce..."-Diana tocou meu braço.
"Eu acho que Damian viu o que aconteceu, e se arrependeu. Discutir agora não vai desfazer o que houve"-Ela murmurou.
Olho para Damian.
Não consigo disfarçar minha decepção.
"Está suspenso em tempo indeterminado como Robin"-Digo.
Sua respiração acelera visivelmente.
"Mas... Eu... Vai me demitir?"
"Não"-Suspiro-"Só não vai patrulhar comigo e com mais ninguém até EU achar que deve voltar."
Imaginei uma discussão.
Já preparava mentalmente as falas, já que Damiam era ótimo em enrolar os outros com palavras.
Mas não.
Não houve birra, ou ações de raiva.
Ele apertou as mãos ao lado do corpo de forma rápida, se controlando.
Assentiu.
E saiu.
Silêncio.
"Não foi muito duro com ele?"-Diana perguntou.
"Não..."-Digo... Sem ter certeza na verdade.
É Sempre mais dificil quando seu parceiro de trabalho, é também seu filho.

   


Notas Finais


Então bat leitores xD até a próxima, em breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...