História Cotton Candy - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Wanna One
Personagens Daehwi, Jinyoung
Tags Baehwi, Fluffy, Jinhwi, S2project, Saboresdainfancia, Woona, Yaoi
Visualizações 73
Palavras 1.159
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu deveria estar atualizando Colors, porém eu achei que esse era um ótimo momento pra relevar quem foi meu amigo secreto no projeto #SaboresDaInfância

E sinceramente Woona, nós somos um casalzão hein? Porque essa é a única explicação pra eu tirar justamente você em um sorteio com outras 28 pessoas. E também so você pra me fazer escrever uma Jinhwi, você sabe que eu acho eles muito mais brotp do que otp mas bem, eu precisava ser marcante uh?

(E sim, eu te enganei falando que tinha tirado uma pessoa aleatória quando na verdade tirei você. Faz ideia do quão eu gargalhei quando descobri?! Eu estava em plena aula!)

Iria segurar isso até o dia 12 de Outubro, porém achei que seria legal postar agora. Espero que isso te tire da bad/raiva em que você está.

P.S.: Koona rainha, o resto nadinha.

Capítulo 1 - Capítulo Único


— Appa eu não quero ir. — choramingou a criança mais uma vez, as lágrimas já se acumulando nos cantos dos olhos enquanto o Lee mais velho abria a porta do carro e pegava o menino.

— Eu sei que não meu amor mas nós já conversamos sobre isso não foi? — o patriarca peeguntou de maneira gentil, recebendo um aceno de leve da criança em seu colo. — Daehwinie eu sei que está com medo mas você sabe que papai jamais faria nada para te prejudicar, não é?

— Mas porque que eu preciso conhece-lo? — o Lee perguntou pela milésima vez na semana.

O pai do garoto sabia que seria difícil, iria ser complicado, claro que sim, mas iria ser o melhor pra ele. Poucas pessoas tinham a chance de conhecer a alma gêmea tão novos assim a aquilo era uma benção; quanto mais tempo ficassem perto da pessoa destinada mais feliz a vida delas seria. E tudo que eu o pai queria para o seu filho é a mais pura felicidade e bem, se Bae Jinyoung poderia oferecer isso ao outro, o que custava tentar?

— Daehwi, sabe essa sua sua marquinha no pulso? — perguntou o homem, fechando a porta e trancando o carro enquanto começava a andar em direção ao parque com o filho ainda nos braços.

O menino de seis anos puxou a manga de seu casaco encarando ali aquela pequena mancinha amarronzada em forma de estrela.

— O que tem ela appa?

— Existe um garotinho da sua idade que tem a mesma marca que você nesse mesmo exato lugar. — falou e o garoto arregalou os olhos.

Sério?!

— Sério. E eu tenho certeza que vocês não vão ter só isso em comum. — disse e sorriu para o menino, parando já dentro do parque e o colocando no chão. — Olha, se ele não for um bom menino ou você não gostar dele, eu prometo que te tiro daqui na hora ok? Apenas o dê uma chance.

O pequeno Lee pensou por um momento, inflando suas bochechas pensativo. Após alguns segundos de reflexão ele concordou de leve com a cabeça, optando por acreditar no pai.

— Ótimo. — disse o mais velho segurando em sua pequena mão rechonchuda. — Vamos, eles já estão ali.

Daehwi engoliu a seco, correndo para trás no pai, se encondendo em suas pernas. Próxima de uma área com bancos e árvores Daehwi conseguia ver a imagem de uma mulher extremamente bonita falando amigavelmente com um garoto sentado no banco, mas do mesmo não conseguiu ver nada além de um algodão doce em suas mãos.

— Bae Suji, cada dia mais bonita. — comprimentou seu pai com um sorriso fazendo a mulher se virar para eles.

— Lee Gikwang, cada dia mais galanteador. — a mulher brincou consigo com um sorriso feliz nos lábios. — Você parece bem Kilwang, como está indo?

— Bem Suzy, e você?

— Vivendo melhor a cada dia. — respondeu e seu olhar recaiu sobre o pequeno Lee grudado na perna do pai. — E você deve ser o Daehwi, certo?

O menino com o algodão doce virou a cabeça para olha-lo, porém Daehwi se escondeu atrás do seu appa antes que os olhos se encontrassem. O garotinho sentia suas pernas tremerem e sua barriga ter uma sensação estranha quando pensava em falar com o outro, e Daehwi nunca fora do tipo tímido em fazer novas amizades.

— Filho, vai lá, o amiguinho quer te conhecer. — disse Kilwang segurando de leve os ombros do filho, o guiando para sua frente enquanto o mesmo fechava os olhos com força.

O pai posicionou o menino em frente ao outro enquanto trocava sorrisos cúmplices com a mãe de Jinyoung, vendo que o pequeno Lee ainda não tinha aberto os olhos.

— Sem medo Daehwinie, pode abrir os olhos.

E como a boa criança que era Daehwi obedeceu o pai, abrindo lentamente os olhos e enxergando o que estava na sua frente. E era rosa. Não era o rosto ou a imagem de uma pessoa, era um enorme tufo de algodão doce cor-de-rosa estendido para si, o que fez o Lee ficar confuso.

— Quer um pouco? — a pessoa escondida pelo algodão doce se pronuncio fazendo Daehwi sentir aquela tremedeira estranha de novo. Mas ainda sim era doce, então ele concordou de leve e pegou um pedaço. — Qual o seu nome?

O menino colocou o doce na boca e comeu lentamente, ainda um pouco assustado com toda a situação. Mesmo sim, depois de engolir o algodão, tentou relaxar seu corpo e falar naturalmente.

— L-Lee Da-Daehwi…

O algodão doce foi tirado da sua frente aos poucos, deixando Daehwi ver um pedaço de cada vez da pessoa que o estendia a comida. Era um menino mais alto que si, seu pescoço era grande demais para alguém de seis anos e seu rosto pequeno demais para uma pessoa normal, além dos cabelos castanho claro caindo sobre os olhos cerrados. Ele era esquisito mas não um esquisito ruim como Daehwi achou que seria, só esquisito.

— Oi Daehwi-ah, eu sou Bae Jinyoung. — disse e pendeu a cabeça para o lado, sorrindo tão grandiosamente para si que seus olhinhos chegaram a se fechar. — Eu sou sua alma gêmea!

Daehwi sentiu o rosto ficar incrivelmente quente quando o mesmo falou isso, arrancando risadas altas dos mais velhos presentes. Por que o pescoçudo estava tão feliz com aquilo?

— E-E dai? Não i-importa se você é minha a-alma gêmea ou não. — disse de forma emburrada. — E-Eu não gosto de você.

O Bae fez um pequeno bico pela relação.

— Por que não?

— Po-porque eu não gosto!

— Mas eu te dei um pedaço do meu algodão doce.

— Eu ainda não gosto de você!

Jinyoung tirou um pequeno momento para pensar, olhando para o lado com um bico pensativo nos lábios fazendo Daehwi ficar mais irritado. Ele era fofo, aish! 

— Não tem problema! Minha omma disse que eu tenho a vida toda pra fazer você gostar de mim e eu prometo me esforçar muito pra conseguir isso Daehwinie-ah! Fighting! — falou convencido, erguendo o punho em demonstração de força e fazendo Daehwi corar de novo.

— T-Tanto faz! — disse emburrado com os braços cruzados.

— Quer brincar na árvore? — perguntou gentil e o outro negou. — No escorregador? — outra negação. — No balanço? — aquilo chamou a atenção do Lee.

— Você vai me empurrar?

O garoto sorriu de forma estupendamente grande.

— Eu vou te empurrar tão forte, mas tão forte que você vai parar na Lua! — falou erguendo os braços e fazendo os olhos de Daehwi brilharem.

— Eu quero ir pra Lua! Appa, appa, deixa o Jinyoungie me levar pra Lua?! — perguntou animado puxando a manga do pai, fazendo o mesmo sorrir meio bobo e meio emocionado. Seu bebê realmente tinha encontrado sua alma gêmea.

— Ele é todo seu Jinyoung. — comentou o pai com a voz suave, fazendo os garotos gritarem de animação e correram para o balanço. 

E realmente Daehwi foi de Jinyoung. Daquele momento até o fim de seus dias.


Notas Finais


Suzy (Miss A) e Kikwang (Highlight)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...