História Counting Stars - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Glee
Personagens Blaine Anderson, Brittany S. Pierce, Finn Hudson, Jefferson "Jeff" Sterling, Kurt Hummel, Nick Duval, Santana Lopez
Tags Blaine Anderson, Klaine, Kurt Hummel, Niff
Exibições 47
Palavras 1.092
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi, bem vindos de volta e vamos torcer para que dessa vez eu consiga terminar essa fic

Vou tentar ser breve aqui.
1 - Como meu ultimo vestibular será esse domingo eu vou tentar dar o meu maximo para atualizar essa fic para vocês, porque vocês realmente merecem por estarem esperando tanto tempo.
2 - Eu ando com um certo bloqueio, seja por estar tanto tempo sem escrever ou por eu estar tendo influenciada pelas fics que eu ando lendo em ingles (não que vocês tenham que saber, mas eu meio que acabo tentando usar as expressões em ingles na hora que eu estou escrevendo sem querer, e elas não funcionam em portugues) então me desculpem se a leitura estiver dificil, ou se vocês não entenderem; POR FAVOR ME AVISEM SE ENCONTRAREM ERROS, OU SE NÃO ENTENDEREM OU QUALQUER COISA QUE VOCÊS TIVEREM COMO OBSERVAÇÃO PARA DEIXAR A FIC MELHOR.
3 - Eu espero que você gostem, enjoy. :)

Capítulo 1 - Thanksgiving


Ação de graças de cá estou eu, sentando na calçada em frente a um estacionamento de uma loja de conveniência com uma garrafa da vodka mais forte que eles tinham lá em mãos, e eu acho que já estou ficando um pouco alto porque eu realmente não me lembro de ter duas luas no céu.

Ah, mas tudo bem, esse pode não ser o melhor jeito de se passar esse feriado, mas com certeza está melhor do que estava algumas horas atrás. Afinal, melhor uma garrafa com alto teor alcoólico como companhia do que ficar assistindo seu namorado se agarrando com um desconhecido.

É, isso mesmo. Feliz ação de graças pra mim.

Algumas horas antes

Tudo parecia perfeito, o jantar a luz de velas, o champanhe e a musica de fundo, e agora a única coisa que faltava era a peça principal: o namorado mais perfeito que eu poderia ter arrumado.

Eu realmente pensei que nunca conseguiria superar o meu ex, mas quando Adam chegou em minha vida tudo mudou. Tudo ficou mais leve. Sabe quando você pensa que talvez você não tenha nascido para ter uma vida amorosa, que talvez você nunca encontre um outro alguém porque o seu alguém você deixou escapar?

Eu tinha começado a me sentir assim.

E se eu tivesse dado mais uma chance a ele? Será que as coisas funcionariam dessa vez? Ou será que eu fiz o certo? Deixar tudo para trás e recomeçar minha vida aqui teria mesmo sido a melhor decisão?

Mas as piores questões eram: será que eu perdi o amor da minha vida? um dia eu seria capaz de encontrar alguém que gostasse tanto de mim quanto ele gostava?

Mas quando Adam chegou e, aos poucos, foi entrando em minha vida, tomando conta de mim, mostrando como eu poderia ser feliz de novo e apagando todas estas questões da minha mente. Sempre gentil, atencioso, cuidadoso. O ser mais perfeito que eu já tinha conhecido em minha vida.

Até o dia em que eu percebi que eu esperava ansiosamente pelos nossos passeios pelo campus da faculdade, como eu me arrepiava toda vez que ele me tocava e como tudo que ele falava simplesmente parecia fantástico.

E então eu percebi que eu tinha seguido em frente, eu tinha superado meu ex, e não só isso, eu estava me apaixonando de novo e, por sorte, ele estava se apaixonando por mim também.

Hoje, depois de 3 anos juntos e de três semanas sem nos vermos, ele finalmente estará voltando para Nova York.

A algumas semanas atrás algum parente dele morreu e ele teve que viajar para o funeral e acabou me avisando que teria que passar mais algum tempo lá para ajudar a família com tudo que eles precisassem, e é claro que eu compreendi, mas não posso negar o quanto estou feliz de finalmente poder matar a saudade.

E o quanto eu estou feliz de não ter mais que me aliviar sozinho, se é que me entendem.

 Tudo se encaixou para esse dia ser perfeito, até mesmo o cancelamento do jantar anual que eu e as meninas temos na ação de graças veio na hora certa, e já que ele provavelmente pensa que eu estou com as meninas a uma hora dessas, essa com certeza será uma grande surpresa-

- Hmmm eu não acredito que nosso tempo juntos já acabou – alguma voz desconhecida veio do lado de fora do apartamento – eu queria tanto que você não tivesse que voltar para aquele seu namoradinho sem graça.

Eu parei, com os pratos a serem postos nas mãos. Essa conversa estava vindo exatamente em frente a porta do apartamento.

Barulho de chaves.

Não, não pode ser.

- É, eu também.

E então a porta abriu e lá estava o meu namorado perfeito, com uma mão na maçaneta da porta e a outra em volta da cintura de um loiro alto que eu nunca tinha visto na minha vida. Sorrindo para ele com um sorriso tão radiante que meu coração afundou na hora.

E assim como meu coração, todos os pratos estavam em minhas mãos caíram fazendo clara a minha presença.

- Kurt? – Adam deu um pulo, se afastando do obvio amante – Kurt, eu... não é o que parece!

Meu olhar passou do rosto do Adam, totalmente assustado, para o do amante, completamente chocado e um pouco quebrado depois de, mesmo depois de sendo flagrado, ainda sendo negado.

Eu não sei da onde tirei forças para isso, já que eu estava me sentindo totalmente perdido e sem chão no momento, mas eu peguei minhas coisas, parei em frente a eles e disse:

- É exatamente o que parece. – E fui embora.

[...]

Este com certeza não é o fim que eu tinha planejado para esse dia, mas vou reclamar porque? Eu tenho muito álcool para curar esse buraco que está se formando dentro de mim. Talvez, se eu tomar álcool o suficiente eu acabe morrendo e o buraco vai sumir para sempre.

Eu não entendo, eu não entendo mesmo. 3 anos juntos para descobrir que ele me traia? Desde quando isso está acontecendo?

Pelo jeito por muito tempo, se o rosto do cara indicava alguma coisa.

Talvez o problema tenha sido eu, talvez eu não tenho sido bom o suficiente, talvez eu não tenha dado tudo que eu posso.

Não, isso é ridículo. O culpado nunca será o traído e eu não posso deixar que ele faça eu me questionar.

Mas talvez-

- Ai, desculpa . Oh, hey cara, ta tudo bem? Você não me parece com uma cara muito boa.

Olhei para cima e encontrei uma morena com duas - não - uma cabeça que parecia estar falando comigo.

- Hmm? Eu to otim-

Okay, vomito nunca é um bom sinal.

- Claro bêbado e sozinho em um feriado familiar, com certeza ótimo. Não sei nem porque fui idiota de perguntar.

Eu não tinha entendido metade do que ela tinha falado porque metade do tempo eu passei vomitando, mas eu senti quando ela tocou meu ombro e me colocou de pé.

- Vem, essa cena já esta ficando triste demais, você vem comigo.

Provavelmente a culpa fosse do álcool, mas pela primeira vez em muito tempo eu me deixei ser imprudente e deixei que ela me guiasse ate seu carro.

- Você não vai me levar para um local sombrio e me matar vai?

Ela sorriu para mim.

- Não, mas confie em mim, você vai gostar do lugar para onde eu vou te levar.

E por algum motivo – álcool – eu confiei na moça do estacionamento.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...