História Couple At War » ChanSoo » OneShot - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lu Han, Sehun
Tags Baekhyun, Chansoo, Chanyeol, Kai, Kaibaek, Kyungsoo
Visualizações 280
Palavras 2.798
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Saga, Shoujo (Romântico), Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heya!
Boa leitura!

Capítulo 1 - Como um casal em guerra...


One Shot; ChanSoo, pedida por @kaikaibalaosz & @yeolyeolyeol, obrigada pela sugestão, meus amores!

2° One Shot da saga SSF! ♡

  Este imagine é interligado à OneShot de KaiBaek! (São histórias diferentes, interligadas apenas pelo momento inicial)

  O Link da OneShot de KaiBaek estará nas notas finais!


*Narrator'sP.O.V*


  Chanyeol quase cuspia fogo. Quem o visse de longe certamente poderia ver a fumaça saindo por suas orelhas.

  O ruivo encarava Kyungsoo conversar com seu ex-namorado do ensino médio. Qual era o nome mesmo? Hmm... Kai!

  O Park e o marido estavam na festa pós-casamento de Sehun e Luhan, velhos amigos. 

- Está ouvindo o que estou falando, Chanyeol? - Luhan acenou sua mão na frente do rosto do maior.

  Chanyeol voltou a prestar atenção na conversa que tinha com Luhan e Sehun, porém alguém que não estava ali antes o chamou atenção.

- Este é Byun Baekhyun, noivo de Kai. - O chinês apresentou o loiro mais baixo. - Baek, este é Park Chanyeol, ele é marido do Kyungsoo, se lembra? - Continuou.

- Namorado. Nós só namoramos, Han. - Corrigiu. - É um prazer, Sr. Park. - Acenou com a cabeça.

  O ruivo passou o olhar pelo corpo magro do loiro à sua frente. Baekhyun vestia um vestido verde escuro simples, os fios dourados ainda continuavam arrumados como -provavelmente- estavam no começo da festa e a maquiagem que cobria os olhos felinos era escura. Os dedos delgados seguravam uma taça de champagne. Bonito, mas nada perto do baixinho de olhos grandes e sobrancelhas grossas com quem o Park dividia a cama à quase seis anos.

  Chanyeol sorriu pequeno, fazendo uma pequena reverência.

- Bom, eu e Hunnie precisamos recepcionar os outros convidados, divirtam-se. - Luhan sorriu, arrastando o -agora- marido.

- Seu marido é aquele que está conversando com Kai, certo? - Baekhyun disse.

- Ele mesmo. - Sorriu sem mostrar os dentes, voltando a fitar o baixinho, desviando o olhar ao perceber que este lhe encarava.

- Kai me disse que eles são ex-namorados. - Bebericou um pouco de champagne.

- É, Kyungsoo me disse o mesmo. - Chanyeol respondeu. - E depois disso me abandonou aqui com Luhan e foi até ele. - Continuou. O Byun riu.

- Lamento por isso, sei que Luhan pode ser um pouco chato, falando sobre as cores das cortinas do salão. - Foi a vez do Park rir.

- É um bom amigo. - O ruivo sorriu, fitando ao longe o chinês arrastar Sehun pelo salão.

- Sem dúvidas. - Baekhyun sorriu. - Conhece-os à quanto tempo? - Continuou.

- Cinco ou seis anos, os conheci quando comecei a namorar Kyungsoo. - Disse. - E você? - Voltou-se para frente. A conversa estava fluindo bem com o mais baixo.

- Apenas quatro anos, Sehun era amigo de Kai e eu de longa data de Luhan. - Sorriu.

- Como você e Kai conheceram-se? - Chanyeol resolver criar algum assunto.

- Bem, eu e Luhan havíamos brigado pois eu fiquei chateado pelo fato daquele chinês traíra não me levar para conhecer Sehun, sendo que já namoravam à quase três anos... - Baekhyun disse. Chanyeol ficou surpreso, afinal três anos é muito tempo para não apresentar o namorado à algum amigo. - E então Lu me ligou e disse que iríamos sair e ele me apresentaria Sehun. Mas com uma condição. - Continuou.

- Qual? - Chanyeol perguntou, curioso.

- Que ele pudesse levar um rapaz. Na época eu já conhecia Kai e sabia que Luhan queria empurrá-lo para mim, e eu estava interessado, então aceitei. - Disse. - E você e Kyungsoo? - Perguntou, depois dar mais um gole em seu champagne.

O Park esticou o braço para pegar uma taça de espumante da bandeja de um dos garçons que passava por ali.

- Eu e ele fazíamos faculdade juntos. Eu pedi para um amigo dizer que eu gostava dele, mas não achei que fosse fluir, porém Kyungsoo é bem decidido quando quer, então no dia seguinte ele veio até mim e me beijou. - Chanyeol riu com a lembrança. - Nós ficamos por quase dois meses até eu pedi-lo em namoro. - Continuou.

- Você pediu à um amigo que dissesse à Kyungsoo que você gostava dele? - Baekhyun riu.

- Yah! Não deboche de mim, eu tinha dezanove anos, era virgem e inseguro, não era fácil chegar em alguém. - Disse, mas acabou por rir junto com Baekhyun.

  Os olhos do mais alto seguiram para onde Kyungsoo estava, porém este desesperou-se ao não ver nem o baixinho nem Kai ali.

- Baekhyun, pode me dar licença um segundo? - O ruivo voltou-se para frente.

- Claro. - Assentiu. - Há algo errado? - Questionou, preocupado com a cara de desespero que o Park esboçava.

- Odeio atrapalhar a conversa, mas Baekhyun, já está tarde, vamos embora. - Kai brotou dos infernos, passando seu braço em torno da cintura de Baekhyun.

- Não atrapalhou, amor. - O Byun descansou sua mão no ombro do moreno, que fitava Chanyeol. - Chanyeol já estava de saída também, certo? - Voltou-se ao ruivo.

- Isto mesmo. - Sorriu para o loirinho. - Foi um prazer, Baekhyun. - Fez mais uma breve reverência, saindo dali sem nem mesmo dirigir uma palavra ao Kim.

  Chanyeol rodou o salão em busca de Kyungsoo, achando-o próximo ao barman.

  A festa não durou por muito mais tempo, para o Do e seu companheiro, já que o último manteve a cara fechada desde que encontrou o marido.

Depois de uma rápida despedida dos amigos presentes na festa, Kyungsoo e Chanyeol seguiram para casa sem trocar nem mesmo uma palavra durante o percurso.

- Não vai me dizer o por que de estar com cara de poucos amigos desde o começo da festa? - Kyungsoo perguntou assim que entraram em casa.

- Pergunta pro Jongin. - Debochou.

- Eu sabia... - Murmurou para si mesmo. - Qual é o problema, Chanyeol? - Voltou a perguntar, mesmo sem vontade alguma de discutir com o marido. Tirou o smoking que vestia e o jogou no sofá.

- O problema é que você largou seu marido para ir atrás de um ex-namorado, Kyungsoo! - Virou-se para o menor, também tirando seu terno.

- Eu não o via à muito tempo, nós éramos amigos. - Disse, ainda calmo.

- Não é como se fosse normal ir e abraçar um ex-namorado. - Chanyeol disse.

- Você devia parar com esse ciúme. - Kyungsoo reclamou, caminhando até o quarto com o Park o seguindo.

- E você devia parar de deixar seu marido para ir atrás de outros homens. - Retrucou.

- Eu e Kai eramos amigos antes de namorarmos. - O Do respirou fundo, tentando manter a calma, porém não era uma tarefa fácil com um tal orelhudo martelando sua cabeça com palavras.

- Foda-se, Kyungsoo! Vocês já se beijaram, vocês já trocaram palavras de afeto, vocês já transaram e depois acabaram com tudo! - Chanyeol disse.

- E aí? Qual é o problema? Porra, Chanyeol! Você precisa parar de querer que eu viva somente para você. Nós somos casados, não é uma relação de cachorro e dono, pare de querer me controlar! Pare com essa droga de ciúmes porque se eu estou aqui agora é porque é você quem eu amo e é com você que eu quero ficar. - Despejou tudo de uma vez só. - Mas que merda! Nós parecemos a porra de um casal em guerra! - Disse alto, puxando seus fios escuros para trás.

- Está cansado, não é? Está cansado de mim. - Chanyeol disse depois de alguns segundos estático, a voz ligeiramente mais baixa que antes. 

- Estou cansado da merda dos seus ciúmes, estou cansado de como você acha que é meu dono. Não de você. - Kyungsoo murmurou, aproximando-se do ruivo. - Você precisa parar, Chan... Se não vai destruir a gente. - Acariciou o rosto do maior.

- Me desculpa. - Sussurrou, fechando os olhos. - Eu te amo tanto que... Tenho medo que ache alguém melhor e me deixe. - Tornou a abrir seus olhos, fitando as íris castanhas de Kyungsoo.

- Eu nunca te deixaria por ninguém, não existe ninguém mais perfeito para mim, a não ser você. - Sorriu.

  Era de fato verdade. Kyungsoo sempre foi calmo e racional, sempre tentava ver ambos os lados da situação, por pior que ela fosse. Já Chanyeol sempre foi agitado e sempre agiu por impulso. Ambos completavam-se de suas maneiras.

  O casal estava junto à mais ou menos sete anos, sendo que cinco deles passaram namorando. E em todo este tempo, o que não faltavam eram brigas desnecessárias por culpa do ciúme bobo do mais alto deles. Kyungsoo sempre agia racionalmente e acabava dando um jeito nas coisas.

- E também não é como se você não estivesse conversando com Baekhyun. - Kyungsoo disse debochado, enlaçando o pescoço do mais alto com seus braços curtos. 

- Hmm... Baekhyun é um cara legal, e bem bonito também. - O ruivo brincou, rindo da cara indignada que o menor fingiu. - Mas eu tenho alguém ainda melhor... - Murmurou, aproximando seus lábios dos de Kyung.

- É mesmo? E quem é? - Sorriu, roçando suavemente seus lábios.

- É o amor da minha vida. Sabe, ele é meio rabugento e chato as vezes, mas na maioria delas ele é perfeito. Eu quase sempre vacilo, mas ele sempre está aqui por mim. Eu o amo muito e agradeço por não desistir de nós. - Roçou os narizes. - Me desculpe por tudo que fiz, se te fiz infeliz e nunca admiti. As vezes eu posso pensar apenas em mim mesmo e acabo fazendo confusão... - Sussurrou.

- Está tudo bem contanto que resolvamos ela depois. - Fechou os olhos.

  Chanyeol aproximou-se do mais baixo, roçando os lábios demoradamente para depois juntá-los num beijo calmo e cheio de paixão, inicialmente apenas um encostar de lábios suave, até Kyungsoo subir suas mãos para as madeixas ruivas do marido e passear sua língua pelo lábio inferior deste. O beijo evoluiu para um ósculo mais intenso, com o Park descendo suas mãos para a bunda do menor, apertando a carne com força, conseqüentemente quase fundindo seus corpos, sendo apenas impedido pela lei da física no meio do processo.

- Chanyeol... Hoje n-não, a-ah... - O Do tentou impedir o companheiro, espalmando suas mãos no peito alheio, colocando pouca força para tentar empurra-lo para longe.

- Soo, por favor... Eu não aguento mais resolver isso com minha mão... - Sussurrou o maior, mordendo o lábio inferior do baixinho.

  Kyung não tornou a falar, apenas voltou a colar seus lábios aos do ruivo, enlaçando a cintura alheia com suas pernas. O Park, é claro, levou suas mãos às coxas grossas do baixinho, caminhando até a cama.

- Yeol... - Arfou quando o maior acariciou o volume que se formava em suas calças.

  O de cabelos pretos suspirou pesadamente ao ter o marido chupando seu pescoço enquanto roçava seus membros semi-despertos. Kyungsoo apressou-se a desfazer o nó da gravata de Chanyeol, para logo em seguida desabotoar os botões da camisa branca que este usava.

  O ruivo não perdeu tempo, logo seguindo com as mãos para a camisa preta do companheiro, estourando os botões ali existentes. O Do estava pronto para resmungar com o maior por ter estragado mais uma de suas camisas, porém a idéia esvaiu-se de sua cabeça e as palavras morreram em sua garganta quando Chanyeol rodeou seu mamilo com a língua.

  O mais alto deliciava-se com os gemidinhos baixos que Kyungsoo soltava, quando sem mais nem menos o ruivo prendia seu botãozinho entre os dentes, para depois passar a língua vagarosamente pela pontinha. Logo o Park trocou de lado, dando atenção para o outro mamilo enquanto pinçava o anterior com o indicador e o médio.

  Chanyeol não demorou muito ali, descendo com beijos pela barriga lisinha do menor, parando nas calças, onde já era possível visar um volume. O de cabelos pretos suspirou aliviado quando o ruivo libertou seu pau do aperto das calças, porém, soltou um muxoxo baixinho ao ter o membro ignorado pelos lábios cheinhos do Park, já que este desceu os beijos para suas coxas.

- Pode ficar de quatro para mim, meu amor? - O ruivo pediu, carinhosamente.

  Kyungsoo assim o fez, ficando de quatro, totalmente empinado na direção do marido, que mordeu o inferior com a visão da entradinha rosada contraindo-se, como se pedisse de joelhos para receber seu pau.

- Você vai me comer agora, Channie? - Balançou seus quadris vagarosamente na direção do marido.

- Deus... Vou, Soo. Vou te comer com jeitinho, da forma como você gosta... - Arfou, escostando seu membro -ainda coberto- contra a bunda do menor, este que rebolou devagarinho, procurando sentir mais do ruivo.

  Chanyeol -já sem paciência para esperar mais- afastou-se para retirar o resto das roupas que lhe impediam de estar completa e totalmente nú. O Park caminhou até o criado mudo ao lado da cama, tirando de lá um recipiente com lubrificante. Voltou para perto de seu amado, que praticamente implorava as mãos do marido sobre si.

  O ruivo abriu o pequeno pote, despejando grande quantidade sob as nádegas do menor, este que soltou um gemidinho surpreso pela temperatura do creme transparente.

  Chanyeol espalhou o lubrificante pelas nádegas fartas, aproveitando para estapea-las um pouco, sorrindo sádico ao ouvir Kyungsoo gemer sôfrego. Uma das únicas vezes que os gemidos do menor eram agudos.

  O ruivo penetrou dois de seus dedos logo de uma vez, vendo Kyung arquear as costas, empinando-se mais ainda. Os movimentos não deixaram o ritmo lento, torturando o pobre Do, que já se contorcia nos lençóis, gemendo contido.

- Você quer mais, SooSoo? - Acrescentou mais um dedo no mesmo momento em que estalou um tapa numa das nádegas do baixinho.

- D-Desgraçado... - Arfou. Chanyeol riu.

- O que foi, amor? Não está gostoso? - Sussurrou debochado, ouvindo Kyungsoo gemer sôfrego.

- Yeol... P-Para com essa brincadeirinha i-idiota e me fode l-logo. - Gemeu arrastado.

- Pede com jeitinho, SooSoo. - Mais um tapa.

- Vai a m-merda... - Xingou.

  Chanyeol arqueou os dedos dentro do interior do menor, acertando em cheio à próstata deste. Afinal, já eram bons anos de casados, o ruivo conhecia bem os pontos alheios.

- Chanyeol! - Kyung gemeu alto, rebolando rapidamente sob os dedos longos do companheiro.

- Pede, pede pra eu te foder... - Curvou seus dedos novamente, o baixinho encolheu-se.

- Me fode, Channie... Me fode com força! - Pediu em alto tom, pois já sabia que o Park o faria pedir mais cedo ou mais tarde.

- Muito bem, amor... - O ruivo sorriu, retirando os dedos do menor.

  O de cabelos negros suspirou, caindo sobre os lençóis e abrindo suas pernas, empinando-se minimamente.

  Chanyeol colocou-se sobre o baixinho, posicionando seu falo sobre a entradinha alheia sem mais demoras. Entrou vagarosamente, não preocupado com a dor que Kyungsoo sentiria -já que havia o preparado bem-, mas sim para torturá-lo.

  O Do aos poucos fechava suas pernas, o prazer entorpecia seus sentidos, fazendo-o não ser capaz de fazer outra coisa, a não ser gemer.

  O Park abriu as pernas do amado com as suas, começando a estocar rapidamente, gemendo rouco e baixinho contra o ouvido de Kyungsoo, este que gemia arrastado e agarrava os lençóis com força, vendo os nós de seus dedos ficarem esbranquiçados.

- Está gostoso, meu amor? - Sussurrou, abrandando os movimentos.

- Está sim, Yeol... Continua, mais rápido... - Levou uma de suas mãos para a parte debaixo das coxas de Chanyeol, pressionando ali.

  O maior tornou a acelerar os movimentos, sorrindo ao ver o de cabelos pretos enterrar o rosto em meio aos lençóis, não conseguindo mais segurar seus gemidos altos.

  Houve um certo momento em que o Park sentiu as pernas de Kyungsoo tremerem e um quase-grito abandonou a garganta deste. Havia acertado sua próstata. Passou a acelerar ainda mais as estocadas, acertando o mesmo lugar repetidas vezes, ouvindo os gemidos -agora, extremamente- altos do menor e as peles estalando, além de arfadas e suspiros manhosos. O cheiro de colônia masculina e suor espalhava-se pelo quarto com uma rapidez extrema, assim como as estocadas do maior ali.

  O membro do ruivo era mais apertado pelo interior quente do Do, o que indicava que o ápice deste estava cada vez mais perto.

  Chanyeol chupou a pele exposta do pescoço de Kyungsoo, vendo este espasmar enquanto jogava sua cabeça para trás com a boca aberta num "O" perfeito, num grito mudo. Havia gozado.

  O Park estocou mais algumas vezes, procurando prolongar o ápice do parceiro, porém o seu também estava próximo, por isso, retirou sem muita vontade o seu falo de dentro daquele buraquinho quentinho.

  O ruivo sentou-se sobre as coxas do Kyung, correndo sua mão algumas vezes sobre o membro grosso, desfazendo-se sobre as nádegas alheias, agora rosadas por conta dos tapas antes recebidos.

  Caíram ambos exaustos sobre a cama. As respirações desreguladas encontraram-se, assim como os lábios vermelhos, desta vez, formando um beijo suave e calmo.

- Eu nunca vou trocar você por ninguém... Seu idiota. - Kyungsoo sussurrou. Chanyeol riu, abraçando o baixinho contra si.


Notas Finais


Confesso que ChanSoo foi difícil de ser escrita, já que é o shipp que eu menos me dou bem, mas estamos aqui, não é mesmo? E como eu fui?

Obrigada por lerem, amo vocês!

Link para KaiBaek: https://spiritfanfics.com/historia/couple-fight-kaibaek-oneshot-9945739


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...