História Couple Fight; KaiBaek; OneShot - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lu Han, Sehun
Tags Baekhyun, Chansoo, Chanyeol, Kai, Kaibaek, Kyungsoo
Visualizações 519
Palavras 2.853
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Saga, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heya!
Boa leitura!

Capítulo 1 - Mais uma briga de casal...


One Shot; KaiBaek, pedida por @yeolyeolyeol, obrigada pela sugestão, meu bem!

3° One Shot da saga SSF! ♡

  Este imagine é interligado à OneShot de ChanSoo! (São histórias diferentes, interligadas apenas pelo momento inicial)

Link para ChanSoo nas notas finais!

*Narrator'sP.O.V*

  Kai e Baekhyun estavam na festa de casamento de Luhan e Sehun, velhos amigos. Tudo corria bem e a conversa fluía entre o casal de namorados, até o Kim ouvir seu nome ser chamado.

- Jongin? - Uma voz chamou.

  O moreno virou-se, dando de cara com um baixinho de olhos negros e grandes. Sorriu.

- Kyungsoo? Quanto tempo! - Abraçou o mais baixo.

  Baekhyun ergueu um das sobrancelhas, pronto para questionar quem era aquele e por que estava agarrado em seu namorado, mas logo a memória de Kai dizendo que seu ex-namorado estaria ali invadiu sua mente. Quando Baekhyun estava pronto para cumprimentar o zoiudinho, a voz de Luhan o interrompeu.

- Baek? Ah, finalmente te achei, vem, preciso apresentar você à alguns amigos... - O chinês o puxou para longe.

- Faz tempo mesmo... Você cresceu mais. - Kyungsoo sorriu afastando-se do maior.

- E você parece até que diminuiu. - Riu, levando um tapa do de cabelos pretos. - E então? Soube que casou, onde ele está? - Sorriu.

- Você deve conseguir ver um ruivo olherudo que está nos olhando com cara de "vou metralhar vocês". É ele. - Ambos riram. - E eu também soube que você estabilizou um namoro, hmn? - Cutucou o moreno.

- Ah, suas fontes estão certas. - Sorriu. - É o único garoto usando um vestido, tirando Luhan. Você deve tê-lo visto ser arrastado pelo Xiao à pouco. - Riu. Kyungsoo virou-se para fitar Baekhyun ao longe, perto de Chanyeol, acabando por encontrar o olhar de marido em si, este que desviou rapidamente, fazendo o de cabelos negros soltar uma risadinha.

- Você deu sorte... - Sorriu também.

- Dei, não é? - Voltou a sorrir, desta vez parecendo um bobo apaixonado. - Baekhyun é incrível. - Continuou.

- Parece um idiota apaixonado. - Kyungsoo cutucou o maior novamente.

  A situação era de fato irônica, já que Kai sempre abominou aqueles casais grudentos que ambos viam nas ruas. O Do sentia-se orgulhoso do amigo, já que mesmo quando namoravam, o moreno não deixava de pensar que garotos apaixonados eram idiotas. Kyungsoo e Kai namoraram por apenas seis meses, constatando que não sentiam muito além de amizade um pelo outro, e que continuariam assim por algum tempo, porém, quando entraram na faculdade afastaram-se.

- Já faz quatro anos, eu estava pensando em pedi-lo em casamento... - O Kim comentou, com bochechas coradas.

  O de cabelos pretos achou aquilo extremamente fofo. Já que Jongin nunca corava.

- Isso é ótimo! Já pensou no pedido? - O menor sorria.

  Kai olhou ao longe, procurando pelo namorado. A reação do moreno não foi das melhores ao achar Baekhyun conversando e rindo com Chanyeol, pareciam próximos.

- Não. - Respondeu à pergunta de Kyungsoo.

- Credo! Perdeu a animação do nada, o que houve? - O Do perguntou, cruzando os braços.

- Nada, está tudo bem. - Puxou o canto dos lábios num sorriso fechado e pequeno. - Me diga sobre você. Me disseram que você se formou. No que? Ainda no mesmo sonho antigo? - Tentou mudar de assunto.

  O sangue do Kim ferveu ao ver Chanyeol aproximar-se subitamente de Baekhyun para pegar uma taça de espumante da bandeja de um garçom que passava atrás do Byun.

- Yah! Você ainda fala como se não fosse nada. - Socou o braço do maior. - Biologia marinha é incrível, se quer saber! - Bufou.

- Está certo, está certo. Estressadinho. - Kai sorriu pequeno.

- Mas e você? Sei que também se formou... - Comentou o Do. - Espere! Me deixe chutar... Dança! Estou certo? É claro que estou. - Disse.

- É claro que está. - Riu.

- Oh, Jongdae chegou. Faz tempo que não o vejo. - Kyungsoo disse. - Nos falamos depois? - Virou-se para o moreno.

- Na verdade, eu e Baekhyun já ficamos tempo demais, acho melhor irmos. - Kai disse.

- Ah, tudo bem então. Até logo, mantemos contato. - Voltou a abraçar o maior, saindo dali em seguida.

  Jongin caminhou em passos firmes até onde Baekhyun estava, acabando por pegar uma parte da conversa.

- Há algo errado? - Baekhyun perguntou, aparentemente preocupado algo que Chanyeol havia dito.

- Odeio atrapalhar a conversa, mas Baekhyun, já está tarde, vamos embora. - Kai disse, passando seu braço em torno da cintura de Baekhyun e o puxando para si.

- Não atrapalhou, amor. - O Byun descansou sua mão livre no ombro do moreno. Jongin encarou Chanyeol com cara de poucos amigos. - Chanyeol já estava de saída também, certo? - Voltou-se ao ruivo.

- Isto mesmo. - O ruivo sorriu para o menor. - Foi um prazer, Baekhyun. - Fez mais uma breve reverência, saindo dali sem nem mesmo dirigir uma palavra ao Kim. Kai revirou os olhos.

- Você já quer ir embora, Nini? Nós nem estamos aqui a tanto tempo... - Murmurou o loirinho.

- Vamos embora, Baekhyun. - Repetiu.

- Aish... Está bem. - Torceu o nariz com a grosseria repentina do namorado.

  Depois de se despedirem de todos na festa, seguiram para o carro de Kai, onde levaram -no caminho para o apartamento onde viviam- um caminho silencioso.

- O que deu em você? Começou com essa grosseria do nada. - Baekhyun disse ao entrar no apartamento que dividia com o moreno.

- Talvez Chanyeol possa te ajudar a achar essa resposta. - Kai soltou.

- O que? Não me diga que está com ciúmes... - Ergueu uma das sobrancelhas.

- Ciúmes por que? Eu não ligo. - Bufou, seguindo para o quarto.

- Isso é ridículo. - Baekhyun disse, indo atrás de Kai pelo corredor.

- Ridículo é o jeito que ele se jogou para cima de você para pegar uma taça de espumante, Baekhyun. - O moreno virou-se para o menor, parando no meio do corredor.

- Ridículos são seus ataques de ciúmes! - Exasperou. - Ridículo é você querer discutir comigo por isso, sendo que você deixou aquele cara se pendurar no seu pescoço! - Fechou os olhos, tentando controlar sua vontade de quebrar um vaso na cabeça do Kim.

- Nós éramos amigos antes de namorar. E fazia muito tempo que não nos víamos, não é a mesma coisa. - Disse o maior.

- Chanyeol foi apenas pegar a droga de uma taça de bebida de um garçom atrás de mim! - Alegou. - Mas como sempre você nem sequer pensou em outra coisa, à não ser em mim rebolando em outro cara, não é Jongin? - Baekhyun soltou.

  O moreno ficou estático.

  Antes de conhecerem-se, Baekhyun vivia em bares e saía com diversos caras, mas isso mudou quando o menor se apaixonou pelo Kim. Porém, talvez, parte da insegurança de Kai fosse realmente por conta do passado do Byun, e o choque veio imediatamente ao notar que o loiro havia percebido.

- Eu mudei, está bem? Droga, você acha que eu sou uma vadia?! - O tom de voz do menor cada vez ficava mais alto.

- Para de gritar, porra! - Agarrou os ombros do mais baixo. - Eu nunca achei que você fosse uma vadia ou qualquer coisa do tipo! Eu apenas sinto que você é incrível demais para um cara como eu, e a qualquer momento pode aparecer um idiota qualquer e te tirar de mim! - Falou.

  Foi a vez de Baekhyun ficar estático.

- Você não percebe que eu não sou nada sem você? - Disse o menor, a voz consideravelmente mais baixa que antes. - Eu nunca trocaria você por ninguém, para com isso... - Enlaçou o pescoço do namorado com seus braços. Kai imediatamente retribuiu o abraço, enterrando o rosto no pescoço alheio, inspirando o cheirinho doce que Baekhyun tinha.

- Eu te amo pra caralho, sabia? - O moreno murmurou, ouvindo Baekhyun soltar uma risadinha. - Você é tudo para mim... Eu mal consigo aguentar as saudades quando você vai visitar seus pais no Japão, quem dirá se você me deixar... - Disse.

- Eu não vou te deixar, eu prometo. - O Byun acariciou as madeixas platinadas do maior.

- E vai me levar para ver seus pais mais vezes? - Murmurou manhoso, afastando seu rosto do pescoço alheio, para agora fitar os olhinhos do namorado, encostando suas testas.

- Todas elas... - Sorriu.

- Eu te amo. - Sussurrou, selando os lábios duas vezes.

- Eu também amo você. - Baekhyun respondeu, retribuindo os beijinhos.

- Me desculpa por ser idiota... - Roçou os narizes devagarinho.

- Está tudo bem. - Sorriu novamente, encostando sua testa no ombro do namorado. - Você está tão fofo hoje... É até estranho. - Riu.

- Você está uma delícia nesse vestido e eu quero te foder até você partir ao meio. - O moreno sussurrou contra a orelha do loirinho, descendo as mãos para as nádegas cheinhas do Byun, apertando com força.

- Nada romântico, estragou o clima... Por que eu me apaixonei por você, mesmo? - Fitou a face alheia com um sorrisinho sapeca.

  Jongin levou suas mãos ao zíper do vestido que Baekhyun vestia, o descendo.

- Porque eu fodo bem gostoso e você adora meu pau entrando e saindo da sua bundinha linda. - Deixou que o tecido caísse do corpo magro do Byun, para depois chutá-lo para longe, encostando Baekhyun contra a parede do corredor.

- Sabe, amor... Eu sempre tive vontade de foder aqui... - Disse com falsa inocência. O moreno sorriu safado.

- Se eu existo, é para te satisfazer, Baekkie... - Passou a língua pelo lábio inferior de Baekhyun. - Te fazer gritar até o síndico vir pedir para fazermos silêncio... - Dito isto, os lábios foram juntos.

  Os lábios dançavam em perfeita sincronia, as línguas esfregavam-se dentro e fora das bocas.

  Era isso que ambos gostavam, podiam passar de um momento extremamente fofo à um selvagem, beijando-se de uma maneira necessitada enquanto arrancavam suas roupas, procurando sentir mais e mais da pele um do outro.

  Kai -por sorte- já havia tirado seu terno antes de entrar em casa, por isso, Baekhyun tinha livre acesso aos botões da camisa branca do moreno. Depois que o tecido já estava fora do corpo moreno, o Byun passou suas unhas pelo abdômen definido do Kim, parando no cós da calça social, desabotoando ali também, deixando agora, ambos semi-nus.

  Jongin segurou numa das coxas do loirinho, suspendendo-a no ar e voltando a beijar os lábios inchados do menor, explorando o corpo deste com a mão livre. O casal dava fim a um beijo, tomando fôlego e logo começando outro, porém, numa destas vezes, o moreno dirigiu seus lábios cheios para o pescoço do mais baixo, sorrindo ao ver este ainda marcado com chupões suavemente roxos por conta das transas anteriores.

  Baekhyun desceu sua mão para o membro semi-desperto de Kai, massageando-o por cima das roupas, ouvindo o moreno arfar contra seu pescoço.

- Vira, Baekkie. Eu vou te chupar bem gostoso, te deixar molhadinho para mim... - Sussurrou contra o ouvido do loirinho.

  Baekhyun virou-se imediatamente, espalmando as mãozinhas na parede. Jongin riu com a pressa do Byun, decidido a torturá-lo um pouco.

  Kai desceu vagarosamente com mordidas e beijos pelas costas estreitas do loirinho, tirando a calcinha preta rendada que este usava. O moreno apertou com força as nádegas do menor, ouvindo-o choramingar. O maior brincou um pouco com as nádegas do Byun, mordendo e chupando, as vezes até mesmo estapeando. Quando o Kim afastou as nádegas cheinhas do loirinho, este afastou suas pernas, esperando pela língua molhada do maior ali o acariciando, mas o máximo que ganhou foram beijinhos, desde o cocs até os testículos, para depois voltar com a língua, deixando um beijinho singelo no final das costas do Byun, para aí chupar com gosto a entradinha do menor, que antes piscava em ansiedade.

- Ah! - Baekhyum gemeu alto e arrastado, agarrando nas madeixas descoloridas do namorado e empurrando seu quadril contra a face alheia.

- Rebola na minha língua, Baekkie... - Kai mandou, a voz saindo um pouco abafada.

  Assim o Byun fez, rebolando com avidez, esfregando-se sobre o músculo molhado do Kim.

- Aww, é tão bom... - As mãos de Jongin alcançaram os testículos do loirinho, massageando ali. - Nini... - Gemeu manhoso, empinando-se.

- Todo empinadinho assim... O que você quer, baby? - O moreno provocou, roçando seu indicador na entradinha rosada do baixinho.

- Eu quero você, Jonginnie... - Suplicou em meio aos gemidos.

- Você precisa ser mais específico, Baekkie. Eu posso te dar tantas coisas... - Penetrou apenas um dedo, não esperando muito tempo para começar a estocá-lo.

- A-Ah... Eu quero seu pau, entrando e saindo de mim com força... - Pediu novamente.

- É mesmo? E o que mais, baby? - Penetrou mais um dedo, curvando-os.

- Owwwn... Você tocou n-naquele lugar, Nini... - Gemeu.

  Baekhyun desceu a mão direita por seu peito, pronto para tocar seu membro negligenciado até o momento, porém o Kim foi rápido em capturar ambos os braços do Byun, prendendo-os nas costas.

- Tsc tsc, Byunnie. Não se toque. - Deixou uma mordida numa das nádegas do menor, estocando os dedos.

Ficaram assim por alguns segundos, com o Kim metendo seus dedos no buraquinho apertado de Baekhyun, este último que só sabia gemer, empinando-se ainda mais para o maior.

- Continue o que dizia, amor... -  Mandou o moreno.

- E-Está bem... - Baekhyun tentou dizer, porém um gemido cortou sua fala. - Eu q-quero que me f-foda com força, enquanto s-sussurra coisas sujas nno meu ouvido e b-bate na minha bundinha... Por favor Jonginnie... E-Eu não aguento m-mais... - Voltou a implorar, suas pernas tremiam.

- Agora sim, Baekkie. - Retirou seus dedos do interior do menor, deixando um singelo beijo em cada uma das nádegas alheias, voltando a ficar em pé.

- Pronto, meu amor? - Kai cuspiu em sua mão, espalhando a própria saliva por seu pênis ereto.

  O loirinho apenas balançou seu quadril na direção do maior. Jongin, levando isso como um sim, posicionou seu membro gotejante na entradinha alheia, esta que estava levemente dilatava por estar sendo violada pelos dedos do moreno à pouco. Penetrou devagar, aproveitando para agarrar na cintura do Byun, colando seu peito às costas deste.

- Acho incrível como você continua malditamente apertado mesmo depois de tantas fodas... - O moreno sussurrou contra o ouvido do baixinho. - Você é delicioso. - Continuou.

  Baekhyun deixou sua cabeça cair sob o ombro do Kim, inebriado com o prazer e com a pouca dor, deixando assim, seu pescoço exposto para ele. Kai, é claro, não pensou duas vezes antes de começar marcar a pele -antes- branquinha do menor.

  O mais alto esperou alguns segundos, até que o loirinho se acostumasse com seu tamanho, o que não demorou muito, já que Baekhyun conhecia -e muito bem- o membro do moreno. O Kim começou a movimentar-se vagarosamente, saindo quase totalmente, para depois voltar a entrar. O menor gemia, agarrando nos cabelos do moreno.

- Mais r-rápido, Jonginnie... - Pediu baixinho.

  Kai não era maluco de rejeitar aquele pedido manhoso do Byun, por isso, logo acelerou seus movimentos, transformando-os em estocadas fundas e brutas.

  Baekhyun não demorou à começar a gemer alto, um dos motivos das visitas tão freqüentes do síndico do prédio ao apartamento do casal. Jongin puxou o loirinho pelo queixo, tomando os lábios deste em um beijo afoito e desajeitado, pela posição.

- Isso... Isso, amor. Mais rápido, Jongin! Assim! Oh meu deus... Está tão gostoso... Não pare! - O Byun já não tinha mais controle de seus gemidos, que saiam em alta freqüência.

  Kai levou ambas suas mãos para as nádegas do loirinho, afastando-as para poder fitar seu falo grosso saindo e entrando rapidamente do buraquinho apertado de Baekhyun.

  Certa hora, o Byun arqueou as costas e soltou um grito agudo. Jongin havia acertado em cheio em sua próstata.

  O menor estava a ponto de gozar quando o Kim o virou de frente para si, passando seus antebraços por baixo dos joelhos de Baekhyun, apoiando as mãos na parede e deixando o loiro suspenso do chão. O moreno voltou a estocar com toda sua força, tamanha era ela, que o Byun por vezes era impulsionado para cima.

  As peles, molhadas pelo suor, estalavam conforme o Kim arremetia no interior quentinho do menor, este que já gritava, sentindo o moreno judiar de sua próstata.

- O que está dentro de você, Baekkie? - Kai perguntou, quase sem fôlego.

- Seu pau, Jonginnie... - Baekhyun respondeu imediatamente.

- Isso mesmo, amor. Meu pau está arrombando essa sua bunda gostosa. - Sorriu safado, vendo o loirinho revirar os olhos.

  Quando Baekhyun sentiu-se perto de seu limite, arranhou a parede, que era o que estava debaixo de suas mãos naquele momento. O Kim sorriu mais ainda ao ver as marcas das unhas curtas do menor no papel de parede.

  E nisso, o Byun desfez-se sobre o abdômen de Jongin, gritando o nome deste enquanto revirava seus olhos.

  O membro de Kai foi apertado ainda mais, fazendo com que o moreno também gozasse em jatos fortes no interior de Baekhyun.

- Baekkie? - Chamou baixinho.

- O que foi, amor? - O loirinho sorriu singelo, respirando pesado. Os cabelos úmidos grudados à testa e os olhinhos fechados. Lindo, como sempre.

- Casa comigo? - O Kim perguntou, quase sem fôlego.


Notas Finais


Como eu fui?
Espero que bem, hehe.
Obrigada por lerem, meus bebês! Amo vocês!

Link para ChanSoo: https://spiritfanfics.com/historia/couple-at-war-chansoo-oneshot-9945642


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...