História Courtship or friendship? - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Katherine McNamara
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Katherine McNamara
Tags Drama, Justin Bieber, Reveleções, Romance
Exibições 53
Palavras 1.509
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ME DESCULPEM POR DEMORAR TANTO MAS ESTAVA COM A MENTE BLOQUIADA!

Capítulo 23 - Eu realmente te amo!


Fanfic / Fanfiction Courtship or friendship? - Capítulo 23 - Eu realmente te amo!

Brookel Kinns POV's

Eu realmente não sei o que eu fiz para merecer isso meus dois filhos morreram sem ao menos eu os conhecer. Quero matar aquela vadia!

Justin Bieber POV's

Eu procurei Hailey por tudo quanto é lugar nesse hospital mas não achei, até que passei na frente de uma janela com uma placa encima escrito maternidade, havia vários bebês em berços. Ver aquilo me doeu um pouco em lembrar que meus bebês se foram.

-Moço o senhor procura algum bebê em especial?-pergunta uma enfermeira com um familiar. Na hora me deu um estalo de luz na mente.

-Sim, minha esposa levou um tiro na barriga e teve que ter no filho antes da hora- minto para a moça que sorri.
-Sim a menina ruiva dos gêmeos não é mesmo, esse bebês fortes demais, você chegou em uma ótima hora estava indo levar os bebês para ela amamentar!-ela diz eu a olho surpreso. 
-Tu tá brincando comigo?-pergunto com os olhos marejados. 
-Não senhor, eu estou falando sério, se você quiser pode me ajudar a levá-los para sua esposa amamenta-los- Eu a acompanho até o berço. 
Vejo aqueles bebês deitados com!os olhinhos abertos me olhando bem pequenos, eu realmente não acredito que eles estão vivos. Helena tem olhos mel igual os meus e é loirinha, Thomas tem olhos iguais da mãe marcantes e o cabelo castanho claro quase ruivo. Pego Thomas em um dos meus braços e Helena no outro. Ver eles nos meus braços era inacreditável por que eu vi eles no necrotério.  Mas se eles estão aqui de quem era àqueles bebês que me mostram hoje cedo?
-Morreu um casal de gêmeos hoje cedo né?-pergunto para a enfermeira que caminhava ao meu lado até o quarto de Brool.
-Sim, foi realmente triste pois o casal era novo e as crianças morreram na hora em que a bolsa da moça estourou!-ela conta. 
Entro no quarto com os bebês e vejo minha garota deitada de costas chorando. 
-Brool, tenho uma surpresa pra você!-digo e ela se vira e quando vê que é nossos filhos ela levanta da cama e vem em minha direção assustada. 
-Você roubou essas crianças de quem Justin?-ela pergunta pegando Thomas. 
-São nossos filhos Brool, tudo que falaram para nós foi mentira e agora fui passar na frente da maternidade e vi esses bebês, essa enfermeira perguntou se eu procurava crianças em especial, eu expliquei o que ouve com você e ela me mostrou nossa Helena e nosso Thomas!-falo com olhos cheio de lagrimas, Brool me olha, vem em minha direção e me beija. 
-Eu...eu realmente não acredito que meus bebês estão vivos, temos que ligar para os meninos para contar!-ela diz eu assentou com a cabeça entregando Helena para que ela pudesse amamenta-los e vou para o corredor ligar para os meninos. 

4 dias depois.

-Obrigado Deus por me dar alta daquele hospital, não aguentava mais ficar la!-fala Brool com os bebês no colo sentada no banco de traz. 
-Eu que agradeço, fiquei mais de 1 mês lá por causa de N motivos!- Olho para o retrovisor rindo para a cena que eu via.  Minha garota com os meus filhos nos braços sorrindo para os bebês. 

Depois de uns 20 minutos chegamos em casa e quando chegamos estava todo mundo lá. Edu, Chaz, Ryan, Scott, Stiles, Jesse, Lexy, April, Nate, Chuck, Patti, Jeremy, Jason e Jazzy todos no quintal dos fundos nos esperando para dar boas vindas para os bebês.  Quando chegamos perto menha mãe vem com as mãos na boca e com os olhos cheios de lágrima super emocionada.
-Como são lindos esses meus netos!- ela diz já pegando Thomas do meu colo e Helena de Brool. 

Acho que nunca agredeci tanto a Deus por não ter tirado Helena e Thomas de mim e de Brool. Ver tudo isso acontecer tão rápido na minha vida é muito louco e gratificante que nem sei explicar. 

1 mês depois. 

Amanhã os meninos querem sair só que eu não quero deixar Brool sozinha ainda, as crianças são calmas só que é complicado para ela cuidar sozinha. Utimamente nem estou indo no galpão os guris estão se virando bastante. 

Brookel Kinns POV's

Eu estou tão feliz que nem sei explicar. Meus bebês estão aqui comigo e Justin também, falando em Justin, amanhã os meninos estão tentando arrastar ele pra alguma boate só que ele está com medo de me deixar sozinha com as crianças por que ele acha muito difícil cuidar dos meus anjos sozinha e por que não acharam a Hailey ainda. 
-Brool vamos no galpão?- Justin pergunta se sentando do meu lado enquanto eu amamentava Helena.
-Sim, só deixa eu trocar a fralda do Thomas e terminar de dar peito para Helena!-digo passando a mão na cabecinha de Helena que me olhava atenta como se estivesse entendendo tudo que eu conversava com Jay. 
-Onde está o Thomas que eu vou ir trocando ele?-pergunta ele.
-Está deitado na nossa cama-digo e ele logo sobe as escadas atrás de Thomas. 
Depois que Helena termina subo as escadas, paro na porta do quarto de Thomas e escuto Justin conversar com ele. 
-Então garotão você é a minha cara quando eu era bebê assim como você e vou te dizer já peguei muitas meninas lindas mas a mais linda e apaixonante foi sua mãe, ela é demais, inteligente, maravilhosa na verdade ela é perfeita. Amo ela mais do que a mim mesmo!-ele termina de falar, uma lágrima escorre em meus rosto e eu me aproximo.
-Eu também te amo muito Jay!-digo dando um beijo em seu rosto.
-Ei por que você está chorando?-ele pergunta pegando Thomas e se virando de frente para mim. 
-Eu ouvi tudo o que você disse para o Thomas, me emocionei mas agora é a minha vês de falar. Meu bem, isso pode parecer um tanto clichê. É um gesto aleatório, simplório mas que eu precisava demonstrar. Nunca foi segredo que tu fez com que se criasse uma gratidão dentro de mim que eu nunca vivenciei antes. Tu me deu uma nova perspectiva do que realmente é amar, e é claro, eu te agradeço por isso.
Sabe, amor, não só por isso mas, obrigada também  por ter sido calmo. Não ter me apressado com os sentimentos ou cobrado respostas. Tu fizeste o que a maioria já não faz; ter calma. Obrigada por ter me encantado naturalmente. Por ter sido sincero sobre quem tu és desde o início. Por ter me cativado por ser simples e incrivelmente o que tu és. Obrigada pela paciência, por não se importar em repetir 100 vezes a mesma coisa, porque sabes que minha memória é um bocado ruim. Outro guri qualquer não entenderia, não repetiria e mandaria eu me tratar. Obrigada por todas as vezes que tu foste meu pilar. Por ter me ouvido, ajudado e suportado nas horas em que eu sozinha não pude aguentar. Qualquer outra pessoa não seria tão doce quanto tu. Ninguém faria questão de dividir os problemas, as dores e tudo mais de outra pessoa a não ser que a ame. Então, obrigada por me amares. Obrigada por todas as vezes em que eu não estava bem e tu, sem a menor obrigação, se ofereceu por livre e espontânea vontade pra contar piadinhas ruins, as que tu sabes que são minhas favoritas, elas sempre funcionam. Obrigada por todas as vezes em que brigamos, e em pouco tempo, deixastes teu orgulho de lado e não se importar em voltar pra mim. Sendo erros teus ou erros meus, isso não importa, a gente nunca se separa. Obrigada por ser meu melhor amigo. Por rir comigo, cantar comigo, assistir jogos comigo, ir ao shopping comigo, ler comigo, assistir filmes e desenhos comigo. Obrigada por ser meu anjo da guarda. Por ser a pessoa que diz “não faz isso” à mesma medida que diz “não perde tua fé”. Por ser a pessoa que eu posso contar as besteiras que eu fiz mesmo sendo terríveis, por ser aquele alguém pra me dizer quando eu passo dos limites e por ser a pessoa que mais me incentiva a correr atrás do que me faz bem. Obrigada por ser o alguém que eu tenho esperado por tanto tempo. Por ser essa pessoa corajosa, que mesmo sabendo meus defeitos, minhas manias, minhas imperfeições, nunca hesitou em dizer que me ama.
Mas, melhor que tudo, obrigada  por não ser como os outros. Que me fizeram pensar muitas vezes como eu penso hoje e que depois me desiludiram, mostrando serem opostos de tudo o que eu já imaginei. Obrigada por ser diferente, pensar de jeito único, me mostrar o divergente e me amar de modo distinto. Obrigada por simples e especialmente seres tu, isso sempre bastou e sempre vai bastar. Eu realmente te amo e obrigado por tudo que tu já fez por mim!-digo e ele me abraça, começa a me beijar e de repente fomos interrompidos por dois choros, o de Helena e de Thomas.
-Ok, ok vamo logo antes que vocês dois tenham um ataque do coração- diz Justin rindo e saindo do quarto.


Notas Finais


Roupa de Thomas e Helena
http://weheartit.com/entry/97067745


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...