História Coven - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Hermione Granger
Tags Dramione
Exibições 19
Palavras 1.514
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ola.
esta é minha primeira fick entao... Podem dizer onde e como melhoro BJs

Capítulo 1 - Weasley


Fanfic / Fanfiction Coven - Capítulo 1 - Weasley

Já haviam se acostumado a se reunirem na Toca, e com isso se sentiam em casa chegando e saindo do local como se realmente morassem já, e o mais incrível é que nenhum Weasley parecia se incomodar com o fato; deixando o jornal que trazia sobre a mesa da cozinha.

— O que é isso? — O dono da cicatriz mais famosa do mundo para em frente a um imenso caldeirão borbulhante não reconhecendo nem os ingredientes como a aparência do liquido que se mostrava ali.

Era um liquido leve diferente das poções espeças que conhecia e parecia capais de mesclar diversas cores em si.

— Ai! O Ron devia já ter desligado isso! — Uma ruiva apressada desse as escadas apagando a lareira e abraçando o namorado toda carinhosa. — É uma poção. Um tipo de brincadeira para pessoas casadas há muito tempo Harry. Amanha é o aniversario do papai e da mamãe e a Mih deu a ideia de darmos isso de presente.

— A cara dela... Mas o que isso faz? — Inevitavelmente o jovem não conseguiu deixar de pensar algo pervertido e notando isso a ruiva se pois a rir. — O que eu fiz?

— Sua cara. Você só não é mais expressivo que o meu irmão. — A ruiva se desmanchava em risos com a expressão desajeitada do namorado logo percebendo que o irmão descia as escadas sonolento e desarrumado. — Ron quase que o presente da mamãe e do papai queima e estraga! A culpa é toda sua seu dorminhoco!

— Isso foi ideia de vocês... dar uma poção. Quem já se viu? — Responde ainda a tropeçar nos pés assim como nas palavras, se sentando a mesa tragando um pouco de café fresco com a esperança disso o despertar por completo. — E eu ainda nem entendi o que isso faz? Pra que uma poção do amor se eles já são casados?

— Não é uma poção do amor seu idiota.

— Calma Gina. O Ron ainda esta dormindo e você sabe que as vezes ele não presta muito a atenção nas coisas e pega por cima. — A morena descia as escadas calmamente trazendo uma malicia a Harry que já se questionava do porque dela ter chego tão cedo e os motivos do ruivo estar tão descabelado. — É uma poção que faz com que você se lembre dos momentos mais marcantes ou ate todas as vezes em que encontrou com seu grande amor. Sabe aquela pessoa que faz seu coração palpitar. — A mesma continua a explicar vendo que não tinha somente a atenção do namorado assim como a de Harry. — Mas tem um alerta de que ela pode acabar trazendo lembranças de uma pessoa na qual você não tem envolvimento, e revelar que talvez você esteja com a pessoa errada.

— Interessante. E poderosa.

— Nem tanto. Ela só entra na sua mente e te faz perceber o subconsciente. É muito fácil por sinal foi criado por uma aluna da escola de Beauxbâtons. E em falar de escola...

— Ah nem vem Myh... você sabe que eu e o Harry nos inscrevemos para sermos auroros e passamos. Já estamos seguindo com nossas vidas e eu não piso mais naquela escola amaldiçoada por nada!

O ruivo pontua já esperando uma represália da namorada, entretanto todos caem em um riso profundo relembrando que o ruivo tinha lá seus motivos para temer voltar aos estudos e a morena apenas da de ombros sabendo que realmente o namorado nunca foi fã de estudar.

— Muito bem. Eu e Gina vamos nos divertir sem vocês dois!

— Isso mesmo!

O dia estava mesmo tranquilo.

Gina e Hermione se empolgavam na ideia da poção comprando frascos e os enfeitando com todo carinho enquanto que Rony preferia dar algo mais normal como convites a uma peça de teatro; Harry por sua vez como sempre fora tratado como membro da família se viu no dever de presenteá-los com algo, mas nada vinha em mente.

— Queria ter sabido antes... — Murmura ao ver a morena por a poção colorida nos frascos. — O seu presente é super legal e o meu...?

— Relaxa Harry. Sabe que todos amam você e um presente não faz tanta diferença. O Rony quebra a cabeça todo ano assim como no aniversario da mãe e nunca acerta. — Seu tom sai com um pouco de pena e logo o amigo percebe e ela tenta disfarçar. — Este ano é o primeiro que você não é mais o eleito. Aproveite!

— É verdade.

— Mas ele sempre sera Harry Potter! — O ruivo adentra a sala jogando seu peso sobre os ombros do amigo em forma de brincadeira.

— Isso é verdade. Mas... Gina? Vamos ao beco diagonal? Me ajuda a escolher algo que seus pais gostem?

— Claro! Vamos! — Animada com um passeio bobo como sempre faziam a ruiva já trata de pegar um pouco de pó e ambos desaparecem na lareira deixando o casal sozinho.

— Sua irmã é um furação. Pobre Harry...

— Pobre Harry nada! — Vocifera e a morena apenas se põe a rir com o nítido ciúme do ruivo perante o namoro da irmã, voltando a olhar a poção com certa curiosidade.

Eles sempre brigavam.

Em um segundo tudo estava bem e em outro ela estava furiosa por algum motivo, ou ele ficava magoado. Tinham começado a namorar há meses e mesmo depois disso a relação não parecia ter evoluído ou melhorado; e com estes fatos toda mulher cogita ter feito a escolha certa nesta hora.
 

Hermione sabia das inseguranças do ruivo e possuía completa noção de como ele era e que não mudaria, também imaginava que esta relação seria complicada e caso não desse certo poderia romper com muito mais que um namoro. Gina era sua melhor amiga e namorava outro grande amigo que era Harry, sem falar que esta passava muito tempo enfurnada dentro da toca dos Weasley.       O que aconteceria se eles rompessem? E se ele ficasse magoado?

Mas e se as brigas piorassem a um nível incapaz de manter a amizade? E o momento que estavam... Já tinham ido longe de mais ou ainda daria tempo de voltar a traz?
 

Ela o amava ou tinha sido coisa de momento?
 

Desde a primeira vista tinha perdido o foco em sua beleza rara.

Os cabelos cor de fogo a encantavam, as sardas e a forma simples de seu jeito modesto; sem dizer outros detalhes que a fez acreditar estar verdadeiramente apaixonada, como: se irritar se o mesmo não a desse a devida atenção, magoa-se profundamente por não ter sido escolhida ao baile e se envergonhar pela simples ideia de abraça-lo em publico como fazia com Harry tão tranquilamente.

Mas então por que estas ideias surgiam em sua mente?
 

— Curiosa? — A voz dele a desperta com um susto e a mesma quase derruba o caldeirão. — Cuidado. Nossa, onde você estava?

— Longe Ron. — Responde sorrindo um sorriso nostálgico.

— Você esta com cara de curiosa. — Sem esperar muito ele se põe entre a moça e o caldeirão olhando que havia sobrado um pouco do conteúdo. — Você sempre é curiosa. — Ele sabia que o pouco que havia sobrado não teria todo o efeito, mas mataria a curiosidade da namorada, que provavelmente não dormiria bem sem saber o efeito. — Quer tomar?

— Claro que não.

— Por que não? O que tem de mais em tomar isso?

Ela não soube responder.

Olhou para o caldeirão que não borbulhava mais mediu a quantidade que havia estado. Apenas meia dose. Não daria nem para uma pessoa e suspirou desapontada.

Mas logo o ruivo pôs o conteúdo em um copo de barro que estava próximo e a entregou indo lavar o caldeirão antes que sua mãe visse e brigasse com ele.

Aquilo era tentador mas...

— Vem aqui. — Ela o chama de volta dividindo a quantidade que já era pouca para dois copos. — Divide comigo? Não vai ter tanto efeito mas...

Ele por sua vez apenas sorri se virando e pegando o copo que lhe era oferecido tão cordialmente; não tinha temores ou duvidas de que veria sua amada sabe tudo e todos os seus momentos juntos da mesma e igualmente ela se sentia.

Sorveram o conteúdo que fazia suas línguas formigarem de um jeito engraçado, e ate o ruivo teve de admitir estar curioso com o efeito; entretanto a quantidade era fraca de mais para ter algo mais profundo.

Hermione sentiu apenas sensações que não pode negar.

Sentiu: uma tristeza profunda de rejeição,  o sangue ferveu em suas veias como se quisesse brigar e logo depois o pensamento sobre achar seus cabelos lindos surgiu em sua mente, entretanto a cor em si não lhe vinha em mente.

— Foi estranho. — Ele comenta pondo o copo na pia e recolhendo o dela lavando ambos. — Só lembrei de você salvando a minha vida. — Ele ri um riso frouxo ao secar as mãos nas próprias vestes.

— E eu das nossa brigas. — Ela ri ao lhe depositar um selinho nos lábios. — O que é isso? — Seu tom de alegria muda para um de surpresa ao pegar um jornal novo sobre a mesa da cozinha. Provavelmente trazido por Harry.

Seu rosto toma uma expressão de horror e logo lagrimas dominam seus olhos ate que escorrem manchando as paginas que continham fotos em movimento.


Notas Finais


É dramione sim calma que tudo se explica rsrs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...