História Crazy Feelings - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias David Luiz, James Rodríguez, Lucas Moura, Oscar Emboaba, Thiago Silva
Personagens David Luiz, James Rodríguez, Lucas Moura, Oscar Emboaba, Personagens Originais, Thiago Silva
Tags Colégio, David Luiz, Ficção, James Rodriguez, Lucas Moura, Oscar Emboaba, Romance, Thiago Silva
Exibições 48
Palavras 3.014
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieeee! Olha só quem conseguiu atualizar rapido \o/ aeeeee!

Meus amores, só pra avisar: no capítulo anterior, ficou faltando uma parte na conversa entre o David, o Thiago e a Tia Re (eu não sei porque), ai ficou meio sem sentido pra quem leu antes deu arrumar. Então, se você é uma das pessoas que leu e em um determinado pedaço ficou sem sentido, eu já arrumei ta? Agora ta certinho *-*
Se você leu e estava tudo no perfeito sentido, então ignore esse aviso haha

Detalhe: eu tenho vestibular amanhã e passei o dia escrevendo esse capítulo, percebam a importância da fic pra mim e o quanto me importo em não deixar vocês esperando rss 💙💙

Mas vamos ao capítulo, espero que gostem! 😘

Capítulo 12 - Praça do Pôr do Sol


Rafaela 

Pessoas comuns, pintores, fotógrafos, músicos com violões, equilibristas que teimam em ficar numa corda estendida entre árvores, cachorros caminhando junto aos seus donos e até cinegrafistas profissionais de uma produtora independente filmando. Todas essas pessoas estão aqui, aproveitando a sensação que esse lugar maravilhoso é capaz de dar: A brisa que corta o rosto, bagunça os fios de nossos cabelos e leva consigo todas as preocupações. O cheiro de grama recém aparada. O canto dos pássaros que habitam as árvores, o canto que acalma e preenche o peito de harmonia. 

Pistas para caminhadas, playground e muretas de cimento que servem para as pessoas sentarem e apreciarem a paisagem, constituída por árvores remanescentes de Mata Atlântica, além de grandes áreas gramadas e uma vista deslumbrante.

Por ser uma região alta da cidade de São Paulo, ao longe se vê a linha de prédios desenhada no horizonte, atrás de uma faixa de vegetação. Acima, o céu aberto projeta o Sol com sua luminosidade. Daí vem o nome: Praça do Pôr do Sol. A visão daqui em dias de céu claro é, simplesmente... Inesquecível! 

Esse é o lugar que James disse que viriamos. 

Já era fim de tarde. Estamos sentados na parte mais alta da praça. Em pleno silêncio, admiramos tudo a nossa volta. Estou com as pernas dobradas a frente do meu peito e com meus braços apoiandos sobre meu joelho. James está ao meu lado, sentado com as pernas abertas e suas mãos servem de apoio para o seu corpo, que está pendendo para trás, típica posição de tomar sol. 

- Aqui é o meu lugar favorito, sabia? - ele quebra o silêncio que nos ronda. Olho para ele mas ele não faz o mesmo comigo. Ele fala com os olhos fechados e suspira - aqui é onde eu relaxo, esqueço os problemas, penso na vida e coloco tudo no lugar.

- Eu imagino. Aqui é lindo, não tem como não relaxar nesse lugar - desvio meu olhar para o horizonte novamente, deixando que o restante da luz alaranjada do pôr do sol ilumine minha pele e respiro fundo - enquanto se está aqui, parece que os problemas, as preocupações, as chateações.. tudo some. 

- Por isso eu te trouxe aqui. Você precisava de um momento assim - ele me olha agora, com o esboço de um sorriso em seu rosto - e eu também. 

- Obrigado - sorrio sincera

- Que isso - ele se ajeita e senta igual a mim - eu gosto de fazer o bem, gosto de ajudar quem precisa.

- Ta dizendo que eu estava precisando de ajuda? - falo bem humorada

- Er.. mais ou menos  - ele ri - eu só percebi que você estava precisando de um momento de paz. Precisava relaxar, esquecer um pouco tudo que te aflige.

- É.. um pouco, mas agora estou bem melhor. Tanto que estou disposta a sair correndo por ai e beijar a testa de todo mundo - brinco e ele deixa sua cabeça pender para trás e gargalha

- Então boa sorte, porque eu vou continuar sentadinho aqui, to bem de boa.

- Aah, chato! Pensei que você ia me acompanhar nessa incrível aventura de sair distribuindo beijos por ai.

- Não, não  - ele diz após se recuperar de mais uma gargalhada - eu to bem aqui. Só beijo pessoas especiais.

- Ai nossa, foi mal ai - levanto os braços como se me rendesse - não está mais aqui quem falou.

- Para de ser besta - ele me dá um leve empurro pelo meu braço, isso me faz rir - você entendeu o que eu quis dizer.

- Entendi sim - digo ainda com o sorriso no rosto

- Então sabe que você é especial - ele tem a voz amena, porém firme.

Direto ele né? Não deu nem tempo de se preparar para o baque..

- Como assim? - dou uma de desentendida, mas sinto minhas bochechas queimarem.

- Bom, se você não sabia agora sabe - ele se vira um pouco para o lado, ficando de frente para mim - você é especial pra mim. Gosto de você. Gosto do seu jeito, mesmo que seja atrapalhado - ele solta um riso anasalado, mas eu continuo parada. DEU TELINHA AZUL GALERA. XAMA O XAMU! - faz um tempinho que queria te falar isso.. - ele está um tanto corado, está timido. 

- Er.. ahm... sério? - é a única coisa que eu consigo dizer. Dentro de mim tem uma escola de samba. Não consigo me concentrar. 

Ele assente como resposta à minha "pergunta". Se é que se pode falar que aquilo era uma pergunta,  porque pelo amor de Jah né Rafaela?! Acorda pra vida e fala direito. 

Quando eu volto a realidade, James está bem mais próximo do que antes. Arrisco até a dizer que sinto seu hálito fresco bem mais próximo. Ele me olha fixamente, mas seus olhos alternam entre meus olhos e minha boca. 

DEU TELINHA AZUL DE NOVO. TO CHOQUITA. NÃO SEI O QUE EU FAÇO. ALGUÉM ME AJUDA! 

Ele se aproxima. 

Sua mão passa entre meus fios de cabelo, os levando para trás e para em minha nuca, ainda segurando o meu cabelo entre seus dedos.

Ele se aproxima.

Minhas bochechas estão queimando. Meu coração está a mil. O rosto dele se aproxima, posso ver seus olhos brilharem e dançarem entre meus olhos e minha boca, de novo.

Ele se aproxima.

Até que então, ele deposita um beijo macio e demorado, no canto dos meus lábios e se afasta. 

ALGUÉM ME EXPLICA O QUE ACABOU DE ACONTECER AQUI?

Ele abaixa a cabeça por alguns segundos e em seguida me olha. Um olhar sincero.

- Mas eu sei que seu sentimento por mim não é o mesmo.

Eu estou parada, boquiaberta, sem saber o que falar. Ele me deixou sem palavras, literalmente. 

- Pera - tomo coragem para falar alguma coisa depois de quase ter um mini infarto - do que você está falando?

- Eu já percebi que você gosta do David. Por mais que eu tente te conquistar, te fazer esquecer ele... eu não consigo. É nítido o sentimento que você tem por ele.

- Então, por que você quase.. ahm.. me beijou?! - pergunto confusa 

- Eu ia te beijar mesmo - ele olha pra o horizonte e respira, voltando seu olhar para mim - mas é o que eu disse, não importa o que eu faça, não vou mudar o seu sentimento por ele. Você pode estar chateada, brava, o que for... mas sei que você só fica assim porque gosta dele. Eu já tentei, tentei mesmo.. mas percebi que não adianta.

- Eu.. er.. eu não sei o que dizer - sou sincera, eu realmente não sei o que dizer. Em nenhum momento passou pela minha mente machucar o James. Ele é inexplicável, mas no fundo ele tem razão.. Independente do que ele faça, meu sentimento por aquela palmeira está intacto. Por muitas vezes posso ter ficado confusa com relação a isso. Posso ter dito a mim mesma que não iria cair na tentação. Eu tento ser forte, mas os próprios fatos e as minhas atitudes demonstram que o que sinto por David é mais forte.

- Não precisa dizer nada - ele dá um sorriso um tanto forçado - só não quero ser obstáculo entre vocês. 

- Não! Não! - digo de imediato - você não é obstáculo em hipótese alguma. Você me ajudou tanto esses ultimos dias, me fez rir, me fez esquecer tudo. Você é meu amigo, não quero que pense que você me atrapalha em nada.

- Como você mesma disse, sou seu amigo... - muito bem Rafaela, agora fodeu de vez a vida do menino - você me vê como amigo e nada mais. Estou ciente disso e por isso não te beijei, não queria piorar as coisas. 

- Me desculpa, mesmo.. eu não queria que isso acontecesse. Não queria que você se sentisse assim. Eu sou uma juma mesmo - bate a palma da minha mão em minha testa, ele dá um leve risada.

- Não é sua culpa - ele pega as minhas mãos e me encara - fico um pouco chateado sim, confesso. Mas pra minha sorte, tudo foi esclarecido a tempo..

- Como assim? 

- Eu percebi rápido que você é afim dele e me dei conta que eu não ganharia a guerra. Então, eu meio que não deixei o sentimento aflorar - ele sorri - eu supero rápido, você vai ver.

- Mas eu estou me sentindo a pior pessoa do mundo mesmo assim. Me desculpa bombadinho, eu não queria isso - ele ri de uma maneira gostosa.

- Morena, acredita em mim! - ele beija as costas das minhas mãos - eu sabia que eu gostava de você mas também sabia que eu não teria você, então estou conformado com isso. Estou aliviado de te contar, sinto que um peso saiu das minhas costas. Eu fico um pouco chateado, óbvio, mas eu vou superar rápido. Prometo.

- Mesmo? - pergunto 

- Mesmo - ele ri - acho que foi melhor assim. Eu não ia querer estar com você sabendo que não era recíproco.

- Mas olha - aponto o dedo indicador  na direção dele - eu não quero perder a sua amizade. Eu gosto muito muito muito de você e não quero que se afaste de mim. - ele ri e continua a me olhar - Não estou falando isso só para te manter por perto e me achar a fodona. Estou falando isso porque a sua amizade é muito importante pra mim e não quero perde-la. Claro, se você quiser um espaço pra assimilar tudo, eu entendo mas vou continuar sendo sua amiga e..

- Rafa. Rafa. Rafa. - ele me interrompe. É  quando percebo que eu estava falando igual a uma maritaca - eu não vou me afastar de você, prometo. Pode ficar tranquila.

- Falei demais né? - ri, fazendo ele rir também - é que eu me preocupo. Mas está tudo bem então ?

- Está sim - ele sorri sincero - e pode contar comigo pra tudo viu? O que você precisar, fala comigo. Até se for pra falar com aquele cabeludo - gargalho com o modo dele de falar e o abraço forte. Acho que ele não esperava isso, porque demorou para me abraçar de volta, mas abraçou. 

- Obrigado por entender e por ser quem é - digo com toda sinceridade do meu coração. 

- Magina, é o mínimo que eu posso fazer.

Ficamos um pouco mais lá na Praça, mas agora conversando sobre outros assuntos, de maneira divertida e descontraída, aproveitando a paisagem linda de São Paulo. 

James realmente era inexplicável! 

[...]

Depois de tomar um banho e colocar o meu pijama repleto de coalinhas desenhados na peça superior, eu me joguei na minha cama. Eu estava feliz, eu estava bem. Mesmo depois de quase infartar hoje a tarde, estava aliviada por tudo ter sido esclarecido. 

Mexo no celular quando meu irmão entra no meu quarto sem no mínimo bater na porta, fazendo com que eu desse um pulo, devido ao susto.

- Ai Felipe, quer me matar de susto seu puto? - jogo meu travesseiro em sua direção mas ele fecha a porta, usando-a como escuto. Em seguida, ele abre de novo.

- Foi mal tampinha - ele entra no quarto e senta na minha cama - e ai, ta fazendo o que?

- No momento acalmando meu coração pra ele não sair pela minha boca - brinco e ele rola os olhos.

- Ai como você é exagerada, nem foi tudo isso - ele dá um leve tapa na minha perna.

- Vai ter volta - cruzo os braços,  fingindo estar brava e ele ri

- Ta bom, vou fingir que estou com medo. Mas falando sério agora, a Lydi vai vir pra cá daqui a pouco, topa uma rodada PES quando ela chegar? - ele faz uma cara de quem vai aprontar, porque ele sabe que eu não nego uma partida de video game com ele.

Ah, esqueci de falar. Lydi é a namorada do meu irmão, eles estão juntos faz mais ou menos um ano e meio. Eu gosto dela, ela é divertida e me ajuda sempre que pode, ela é tipo minha confidente, depois da minha mãe, claro. E sempre que ela vem aqui em casa, a gente faz uma sessão de vídeo game. 

- Hm.. se eu vencer, o que eu ganho?

- Um parabéns - ele gargalha e dou um tapa no seu braço, mas ele nem liga 

- É sério. A gente sempre apostou alguma coisa Fê.

- Mas você nunca ganha Rafa - ele joga na minha cara a verdade. Isso é um trauma que eu carrego: não consigo ganhar do meu irmão no PES. Apesar de gostar muito desse jogo, eu não levo tanto jeito como ele. 

- Isso! Joga na cara mesmo - reviro os olhos e ele ri.

- Para de frescura. Vamos fazer assim, se você ganhar hoje eu te dou um presente.

- Qual? 

- É presente carai - ele ri - Não posso falar.

- Aaah, Fê. Please!

- É pegar ou largar.. e ai?

- Ta booom, eu topo.

- O controle um é meu! - ele fala e sai correndo, indo em direção à sala

- Isso não vale! FELIPE! - grito levantando da cama e correndo atrás dele, posso escutar sua risada lá de baixo. 

- É meu, perdeu! - ele pega o controle e ergue o braço, deixando- o no alto. Eu pulo pra tentar pegar mas sem sucesso, sou pequena perto dele.

- Oh mãããe, olha o Felipe! - digo enquanto tento puxar o braço dele pra baixo, novamente sem sucesso.

- Oh mãe, olha o Felipe. Mimimi - ele fala com uma voz fina.

- Você é muito chato! - subo em cima do sofá  e pulo nas costas dele - me dá o controle Felipe!

- Precisa fazer uma dieta hein, ta pesadinha - ele me provoca, mas sei que não é verdade porque ele fala tranquilo, não aparenta estar segurando algo muito pesado.

- Me dá o controle Feeeee! 

- Toooma essa budega - ele finalmente me entrega e eu volto para o chão - Acho que vou precisar ir no quiroprata, minha coluna saiu fora do lugar - ele finge estar com dor e coloca a mão nas costas - ai.. ai..

- É o troco! 

- Bolinha! Vou te chamar assim agora.

- Falou, senhor coroa!

- Coroa? - ele fala surpreso - perdeu o juízo menina?

- Você não está reclamando de dor nas costas? É coroa, tiozão, vovô, terceira idade.

- Vai sofrer na minha mão agora! - ele me derruba no sofá e começa a fazer cosquinhas em mim. Eu tento sair mas ele é mais forte que eu e me prende com as pernas. 

EU VOU TER UM TRECO AQUI.

- PARA! PARA! SOCORRO!  OH MÃE, TIRA ESSE VELHO DE CIMA DE MIM! - grito nos intervalos da minha risada. Graças ao meu bom Deus, Lydi chega e ele para - Ainda bem que você chegou Lydi, se não o senhor ai ia ter um infarto de tanta adrenalina - digo me levantando e Felipe me olha de canto.

- Você ta ferrada na minha mão bolinha, aguarde! - mostro a língua, ele e Lydi riem.

Cumprimento minha cunhada e vou até  a cozinha. Ajudo minha mãe a fazer algo pra todos nós comermos enquanto o casal fica um pouco junto antes de começar a rodada de PES. 

Converso com a minha mãe o tempo todo mas não toco no assunto de David. Acho melhor ver no que vai dar pra depois contar, não quero ficar enchendo a cabeça dela com essas coisas. 

Meu celular vibra. Creio que deve ser a Duda, ela deve estar querendo saber como foi com o James hoje. Eu queria contar pessoalmente, mas acho que ela não tem paciência pra esperar até amanhã. 

Me surpreendo quando vejo que a mensagem é de David. Um sorriso bobo se forma em meu rosto ao ler a mensagem. Quando começo a escrever a resposta, meu irmão entra na cozinha.

- Partiu PES? - ele esfrega as mãos e vem em minha direção - ta fazendo o que nesse celular?  Deixa eu ver..

- Que vai ver o que.. o celular é meu. Sai daqui - guardo o celular na cintura - vai, vai colocando o jogo lá - empurro ele para fora da cozinha. 

Ele me olha desconfiado mas faz o que eu digo. Pego meu celular e respondo David rapidamente, porque com o Felipe curiando fica difícil de conversar. Respondo e me junto a eles.


David

Thiago já foi embora. Estou no quarto, sentado na cama e mexendo no notebook que está sobre meu colo. Apesar de ter conversando bastante com meu amigo, ainda me sinto um pouco confuso com relação a tudo. Nunca fui de sentir ciúmes de ninguém e por isso custei em aceitar isso. E pra completar, me sinto um idiota por ter tratado a Rafa daquele jeito. Não sei o que acontece, eu mudo totalmente quando vejo os dois juntos, mas sempre me arrependo depois.

Na tentativa de me redimir, mando uma mensagem para ela: 

" Ei tampinha, está ai?
         Olha, eu sei que você deve estar brava comigo e eu entendo, mas eu quero te pedir desculpas pelo jeito que eu agi com você hoje, sei que fui um idiota.
    Também sei que se desculpar por mensagem não é nada digno, mas é que toda vez que nos vemos, acaba acontecendo alguma coisa. Eu só quero que me desculpe, me sinto um imbecil. "

Ela visualiza pouco tempo depois que enviei, mas não responde de imediato. Ela fica offline, me fazendo me sentir mais idiota ainda. Ela não quer falar comigo. 

Otimo David, continua assim que vai você não vai nem conseguir se aproximar dela.

Travo a tela do celular e coloco sobre a cama, ao meu lado. Levanto, passo as mãos pelo meu rosto e vou até a cozinha beber um copo d'água. Quando volto, vejo uma notificação na tela do celular. Era ela. Meu coração palpita e suspiro aliviado, pelo menos ela respondeu:

" Oi David :)
         Eu não posso falar muito agora porque estou ocupada. Depois conversamos, pode ser? Beijo " 

Todo meu alívio vai por água abaixo, ela não me disse se me desculpa. 

Vou ter que me certificar disso pessoalmente.


Notas Finais


Só tenho uma coisa pra dizer: 👀👀

Mentira kk tenho mais coisas pra falar. Caso queiram saber como é a Rafa e o Felipe (no meu incrível mundo), os links estão aqui:

Felipe: https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRhjSnsvXFtmsUfoBI5ARynme6cYQPgv3St2Csh5rsGEk130ZSqycRCuSrF

Rafa: https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSVAEpaJWv7RgNg5ztnryvrkKLTtBhy2U4OwYB75iEIP-3pLJQDE_iAcDiW

Até o próximo capítulo gente! 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...