História Crazy Feelings - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Annaoh, Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Crazy Feelings, Exo, Traição
Visualizações 350
Palavras 6.949
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu digo heeeey hoooo heeeey hoooo comigooo, vamos lá!!!!

Capítulo novo aqui família, segue junto na leitura ❤❤❤❤❤❤

Vamos descobrir o que vai acontecer depois daquela proposta ridícula da HyunajA, heueheuhue.
Sorry por não ter postado na sexta </3

BOA LEITURA.


Capítulo 23 - E os anjos se unem


Fanfic / Fanfiction Crazy Feelings - Capítulo 23 - E os anjos se unem

 

E então a sala se fez em silêncio. Um silêncio absoluto e absurdo, tanto quão aquela proposta da ruiva. E enquanto a cabeça de Baekhyun pesou e tudo pareceu muito aéreo  todos os presentes o encararam, como se esperassem gritos e agressões. Como se caísse á ele a decisão final. De fato seria uma atitude normal vinda dele, afinal o ciúmes que possuía de Chanyeol não escondia de ninguém que soubesse da relação de ambos.

O rosto inexpressivo do mais novo , em seus 22 anos, era um semblante opaco, não havia rastro e brilho nem fúria, simplesmente parecia estar processando ainda as palavras da mulher, mas não, ele já havia entendido muito bem. Contudo toda aquela situação sugava suas energias até mesmo para surtar, apesar de amar o irmão e ser louco por Chanyeol, ambos possuíam uma energia pesada, e a mulher então, nem se falava.

  - Escute aqui HyunA - sua voz era calma e seus olhos permaneciam focados no chão - se algum dia Chanyeol quiser um beijo seu eu não posso impedir, agora se me permite dizer... pagar por um beijo é se rebaixar demais, até mesmo pra você - levantou o rosto e um sorrisinho zombeteiro dançava em seus lábios rosados - que patética, precisa criar todo uma situação por um beijo?

A mulher que tentou ao máximo naquela tarde manter se indiferente a presença do Byun grunhiu, aquele baixinho estava a fazendo perder sua pose e ele percebeu isso.

  - Arranquei sua máscara de vidro?

  - E então? - a mulher se voltou para Beom - é a minha condição, pegar ou largar.

  - Você é maluca.

  - Pegar ou largar!

BaekBeom voltou-se para o irmão e semicerrou os olhos fazendo um semblante pidão. Chanyeol estava ali mas era como se sua opinião não valesse de nada. O Park revirou os olhos e encarou HyunA com uma expressão de desinteresse, em pensar que um dia ela já foi sua perdição e chegou a ser quase sua ruína. E naquele momento era só uma mercenária mão de vaca, que pelo sim ou pelo não ainda se atraía por si. Ou talvez só quisesse irritar Baekhyun, provavelmente.

  - Você quer beijar ela? - Baekhyun se virou para o namorado, apesar da serenidade na voz o Park o conhecia bem demais para enxergar o ciúmes fulminando em seus olhos, achou graça do pequeno assumindo uma postura mais controlada - Quer vender um beijinho seu pra essa desesperada por homem? - debochou.

  - Vamos embora - depositou um beijinho na testa do menor que sorriu para HyunA.

  - Ótimo. - a mesma esboçou um sorriso amarelo e se dirigiu a porta.

  - Agora acabou a brincadeira, ninguém vai sair daqui se eu não tiver a porra do dinheiro! - BaekBeom sacou um revólver da cintura e apontou para o alto - Não quero saber de porra de triângulo amoroso nenhum!

Pelo tom de voz e os olhos alarmados ele não estava brincando. Chanyeol arregalou os olhos e levou a mão até a maçaneta, contudo o rapaz acompanhou seus movimentos e disparou acertando ao lado, no batente, centímetros de sua mão. Todos o olharam chocados.

  - BaekBeom você vai pagar por isso - o irmão ralhou - você está ficando louco, todos aqui estão loucos mas que merda!

  - Eu quero o dinheiro!

  - Eu já disse minha condição, um beijo do Chanyeol ou nada feito, caralho! - até mesmo a ruiva perdeu a paciência e sacou também um revólver da bolsa Gucci coleção Paris.

O casal arregalou os olhos. Mas que merda era aquela? Um bangue bangue de faroeste? Baekhyun se sentiu mal por também não estar armado, deveria dar um tiro naqueles dois e poupar sua decoração cara e parcelada em infinitas vezes.

  - Chanyeol não vai beijar ninguém sua maluca! - susurrou alarmado. Aquela mulher não se tocava.

  - Por que quer tanto evitar isso se quando você e seu irmão serem mortos por essa gangue de agiotas, é pra mim que ele vai voltar?

E aquilo acertou o Byun em cheio, haviam homens perigosos que sabiam seu endereço e estavam atrás de seu irmão, seu apartamento poderia ser explodido a qualquer momento pelos meliantes se Beom não obtivesse o dinheiro.

  - Ela tem razão Baekhyun! Nossas cabeças estão na mesa, me desculpe por isso mas agora não tem mais o que fazer, se eu não pagar esses caras eles vão ruir com a merda toda - o irmão estava visivelmente alterado - a gente pode morrer, porra!

  - Foda-se - gritou para o irmão - Foda-se BaekBeom você vai se virar pra pagar essa merda, você mal entrou na minha vida e eu já estou todo ferrado e você quer foder com a porra toda pro meu lado agora, até meu namorado você envolveu nesses esquemas de bandidos!

Todos estavam com os ânimos á flor da pele, menos um certo milionário.

Contudo Chanyeol não estava calado á toa, assistia a trama toda com um olhar analítico, diferente dos de mais não se preocupava com o dinheiro e sim com a segurança do baixinho, as coisas entre eles já estavam difíceis e como tudo aquilo não parecia ter previsão pra acabar, gostaria de raptar o Byun para si e o levar até uma praia deserta. E fazeriam amor na areia, romântico, não?

Mas como Romeu e Julieta o romance dos dois estava afadado a não dar certo, até mesmo de morte sua Julieta estava sendo precipitada. E como um bom romântico que era - ele se esforçava - não poderia deixar tudo acabar assim, o ato final de Romeu e Romeu não acabaria pelas mãos de indivíduos não envolvidos.

  - Certo, eu pago - suspirou, 1 milhão em dólares era um tiro em sua conta bancária, facada seria pouco. Mas pelo amor valia de tudo, certo? Não era isso que os filósofos diziam:

Entre o amor e a vida... Encararia a morte de braços abertos e sorrindo. O que seria uma boa quantia de dinheiro a menos? Era rico, milionário e se antigamente pagaria os serviços feitos pela "amiga", porque não o dinheiro que a mesma roubou do comparsa? Era óbvio que não fazia aquilo por HyunA, se fosse o caso já teria o feito no dia anterior. E evitado toda aquela confusão.

  - O que? - os três disseram em uníssono fazendo o maior revirar os olhos.

             - Eu pago - deu de ombros puxando a carteira do bolso, iria pegar um cheque e acabar com aquela palhaçada ridícula.

  - Não! - Baekhyun o impediu.

Chanyeol revirou os olhos.

  - Baek, docinho - acariciou o queixo do menor com o indicador - deixe tudo com o papai, certo?

Não, não estava nada certo.

  - Irmão pare de complicar toda essa merda, o Park é milionário, esse dinheiro não faz fazer nem cócegas na conta bancária do cara.

O castanho sacudiu a cabeça e massageou as têmporas. BaekBeom não entendia, ele e Chanyeol não eram nada, nada de sério ou oficial, viviam atualmente numa tentativa frustrada do cabeleiro conquistar o Park até que o mesmo esquecesse seu próprio nome. E nunca fazer um arrombo na conta bancária alheia. Podia enxergar muito bem Chanyeol lhe jogando a quantia na cara na próxima briga.

Lhe atirando a verdade em palavras grosseiras e rindo da sua situação financeira e dizendo que Baekhyun lhe devia a vida. Aquilo seria um enorme pesadelo e mais dores de cabeça agregadas.

  - E novamente Yeol quitando minhas dividas, como sempre - a mulher disse com uma arrogância que se aflorava num sorriso digno de bruxa de contos de fadas.

Byun Baekhyun nunca quis matar alguém - além de Chanyeol - até aquele momento. Mas aquela mulher pedia por aquilo e seu sangue fervia, o estômago revirava tamanho nojo que sentia da mesma. E então toda aquela beleza não valia de nada com um interior tão podre como aquele. Como Chanyeol pôde gostar daquilo? Céus aquilo não era uma mulher, era o próprio demônio.

  - Você é maluca - o castanho deu um riso nasal e se virou para o namorado - BaekBeom não vai aceitar um mísero won seu, eu não vou deixar.

  - E eu não vou permitir que alguns malucos explodam seu apertamento com você dentro, deixe de ser teimoso! - levantou a voz como se fosse dono do Byun e autoridade máxima na relação - seu irmão é um babaca, mas você não merece morrer.

  - Eu e Beom nunca vamos poder te devolver essa quantia!

  - Está me vendo pedir algo?

O castanho sacudiu a cabeça, estava cheio daquela merda toda. Estava passando desejar nunca ter reencontrado o irmão, verdadeiramente guardar uma mágoa por ter os colocado em risco e tudo mais. HyunA o enojada e Chanyeol o tratava como um dependente. Talvez para o Park quitar uma dívida daquela mulher para o irmão livrar o pescoço de ambos, fosse uma forma de demonstrar amor pelo castanho.

Se é que houvesse amor naquela relação instável e ridícula.

Baekhyun sacudiu a cabeça e deu de ombros.

  - Faça o que quiser, é você que sempre toma as decisões por mim - respirou fundo e se virou para a ruiva - acho que não vai ser nessa ocasião que conseguirá ter o Chanyeol para si - deu um sorriso de lado - Saia da minha casa!

  - Não acabou aqui!

E quando a mulher saiu em passos firmes e bateu a porta com força, o dono do apartamento se permitiu escorregar na poltrona bege com seu vinho caríssimo pela metade. Se sentia sugado até a alma, chupado de toda sua energia e essência, retirou os sapatos os jogando em qualquer lugar.

Fechou os olhos e respirou fundo. Chanyeol entregou o maldito cheque ao irmão que logo ligou para algum daqueles caras e marcou um encontro longe dali. O Park puxou um cigarro do bolso e o acendeu, porém não ficou nem mais 5 minutos pois uma ligação da empresa o fez lhe dar um breve beijo e também sair.

  - Certo, Ok, 10 minutos estou ai! - Beom suspirou aliviado e sorriu para si lhe dando uma mordida na bochecha e comemorando. Os pescoços deles estavam salvos.

E novamente a porta foi batida.

Portanto antes do sol se pôr restou somente Baekhyun, tal como deveria ser. Sem Chanyeol, BaekBeom e muito menos HyunA. Mas apesar de estar sozinho ainda sentia o peso do clima pesado de antes. Dinheiro, ameças e armas. Quanto valia uma vida?

Sua vida estava de pernas pro ar e a cada dia o casamento de Chanyeol se aproximava. O celular tocou e ignorou a ligação de Junmyeon, aliás era a décima quinta perdida.

Duas semanas depois

  - Não sei o que dar de presente para a mãe do Jong - Kyungsoo suspirou retirando o avental. Era mais um fim de semana, um sábado á noite de estrelas no céu e muito movimento anterior no salão.

  - Não pediu a opinião dele? - questionou Baekhyun aparando as pontinhas duplas da sua franja, alguém estava precisando de uma hidratação.

  - Claro que sim, mas ele disse que só minha presença bastava - Kyung suspirou fazendo um bico com a boca de coração, o castanho o achou extremamente adorável.

O melhor amigo não era muito de se preocupar com essas coisas de "o presente perfeito" ou "a roupa ideal", isso é claro até conhecer Jongin e se render ao amor. Mesmo que Kyungsoo detestasse esses jantares de família e festinhas pela sua timidez, nunca admitiria para o maior, tinha medo de o magoar.

Baekhyun adorava ver o melhor amigo tão feliz e até interagindo com pessoas novas, achava linda a relação dele com o namorado, apesar de ainda estar com um pé atrás com Kai por ter o enganado antes e ainda enganar o amigo, contudo não seria hipócrita afinal ele mesmo também o fazia. Era melhor assim.

  - Escolha um bom vinho, ninguém recusa bebida cara de graça - opinou apagando as luzes do estudo de cabeleireiro feminino, bateu a porta e entregou a chave para Irene que conversava animadamente com o namorado Minseok.

Cumprimentou os amigos não deixando de os provocar lembrando que relações amorosas entre os funcionários não eram permitidas. Ele e Kyungsoo subiram até o penúltimo andar e bateram seus pontos e recolheram seus pertences do armário. Estava uma noite fresca lá fora e aquele clima agradável instigava a garganta do Byun a coçar pedindo algo forte que descesse rasgando.

Alcançam o térreo e Kai aguardava o namorado na entrada, assistiu os dois trocarem um beijo rápido, sorriu com a cena, os olhos grandes de D.O brilhavam de felicidade e um doce sorriso ornava os lábios bonitos.

Baekhyun deu um aceno de longe para Kai, sem sorrisinho, o casal perguntou se gostaria de uma carona, porém negou, iria de metrô mas mentiu dizendo que chamou um táxi, não queria incomodar.

Já dentro do metrô Baekhyun repousou a cabeça cansada numa barra de apoio já que não havia nenhum lugar vago aquele horário, suspirou e apanhou o iPhone respondendo algumas mensagens como do irmão, Chen, Tao... Nenhuma de Chanyeol.

Haviam conversado normalmente na hora do almoço, portanto não se importou em o chamar, já haviam passado daquela fase, se o Park quisesse o chamaria como sempre.

Depois do ocorridos de duas semanas atrás, BaekBeom conseguiu um lugar seguro e isolado pra ficar, além de identidade nova e número de telefone "Agora me chame de Jaesung", não era como se conversassem o tempo todo, só perguntavam se o outro estava bem. Mentiria se dissesse que se sentiu aliviado em estar sozinho novamente no apartamento, mesmo que breve a companhia do irmão lhe fez matar um pouco a saudade, apesar de quase o odiar por trazer HyunA para seu apartamento e aceitar dinheiro de Chanyeol.

Mas no final o que poderia fazer? Ele era seu irmão.

Já as coisas com o Park continuavam "bem" na medida do possível, havia o visto poucas vezes nesse curto período, contudo até mesmo preferiu assim, apesar do milionário estar atarefado com as papeladas da empresa e do casamento - tal qual jurou para si mesmo impedir - ainda sim lhe encontrava com todo o carinho e paixão entre seus braços.

Recusou seu convite para passar a semana na cobertura para terem mais tempo juntos, precisava de um espaço, estava muito distante dos outros amigos Tao e Chen, usou parte dos dias livres para comer pizza com os meninos ou saírem para algum barzinho, claro com o consentimento do Park na maioria das vezes, morria de medo de ser surpreendido novamente.

Suspirou cansado e alcançou o prédio finamente, os amigos estavam o chamando para uma festinha privada onde segundo os mesmos "Teria muito homem mais gostoso que o tal do Park", mas recusou o convite.

Logo se arrependo quando viu os dois mandarem fotos arrumados e com a legenda "A noite hoje é de quem se deixa permitir", deu um sorriso fraco até ser chamado pelo síndico na recepção, franziu o cenho quando o senhor lhe estendeu quatro caixas achatadas brancas e lacradas com laços rose gold, haviam duas grandes, uma média e outra pequena.

No cartão somente dizia:

"Espero te ver bem vestido com meus presentes, mas saiba que até o amanhecer vou arrancar cada peça com muito amor" 

Não era preciso mais nada para saber quem lhe presenteará, as bochechas coradas com o pensamento do síndico curioso lendo o cartão. Agradeceu e equilibrou as caixas como pôde até chegar em casa.

Entrou no apartamento e as colocou sobre o sofá animado, abriu as janelas - limpas de pixação alguma - e acendeu as luzes, jogou a bolsa no sofá e alimentou Lady Meow, retirou os sapatos e a camisa para enfim se sentar no sofá e abrir caixa por caixa. Começou com a última.

Desfez o laço e abriu a tampa, por trás de papéis de embrulhos brancos, havía uma peça de roupa, curioso esticou a mesma e constatou que se tratava de um shortinho preto, bem inho pelo comprimento quase o confundiu com uma cueca boxer preta. Era curto mas de um tecido muito sofisticado, e o corte parecia lhe cair perfeitamente. Também havia um bilhete colado na tampa.

"Pode imaginar o quanto todos vão delirar com suas pernas?"

Deu um riso nasal e retirou a calça para testar a peça, a vestiu e correu para se apreciar no espelho de seu quarto. Não ficou tão curto como uma boxer, era de cintura alta cobrindo seu umbigo, apertado na cintura e no quadril deixando um pouco mais folgado nas coxas. Era uma roupa muito linda.

Trouxe as outras caixas para o quarto e foi as desfazendo uma por uma. Na segunda maior possuía uma camiseta social vinho, a vestiu deixando alguns botões abertos, na tampa:

"Consegue imaginar ela deslizando do seu corpo?"

Sorriu e logo vestia meias 3/8 pretas e um sapatos Broque* refinadíssimo nos pés, a última caixa se tratava de uma choker preta com os dizeres "PCY" riu alto achando graça da prepotência, aquilo era alguma fantasia sexual ou algo do tipo? afinal, não poderia sair por aí com uma coleira, meias 3/8 e um micro shorts.

Se admirou no espelho e admitiu que ficava extremamente sexy naqueles trajes, e principalmente com sua "coleira", mordeu os lábios imaginando os olhos do Park percorrendo seu corpo para logo darem lugar as mãos. Como estava suado retirou as peças com cuidado as colocando em cima da cama, apanhou o celular no sofá e percebeu que havia uma nova mensagem do milionário.

23h04

Está pronto para uma noite inesquecível?

Sorriu bobo.

23h07

Qualquer momento é inesquecível ao seu lado. O que é tudo isso? Me refiro aos presentes. 

Sua curiosidade se atiçava e a idéia de sair por aí com o Park lhe excitava, retirou a boxer e correu para o banheiro com o celular em mãos aguardando a resposta.

23h09

Gostou?

23h09

Muito, mas estou curioso. 

Ligou o chuveiro esperando a água aderir á sua temperatura ideal.

23h10

Ótimo. Esteja pronto antes da meia-noite. Irei te buscar. Não economize sensualidade. 

O peito do castanho deu um pulo de alegria tentando adivinhar qual o lugar mágico onde Chanyeol o levaria, e tão tarde, seria um lugar tão chique quanto *Lagon Blue*? Ou até mais. Seja aonde for, ao lado de Chanyeol a adrenalina corria por suas veias e os lábios eram sorrisos quando não estavam selados aos do maior.

Sentia muita felicidade e eufória. O moreno era tão louco que o fazia orbitar.

23h12
....

Digitou e apagou vários "Eu te amo" Ou "Você me enlouquece" e até "Me foda". Suspirou e decidiu por fim deixar como estava e correr para o banho afinal, ainda faltava o cabelo e a make.

Batidas na porta soaram quando finalizava o esfumado vermelho malva e suave nos cílios inferiores, se fosse qualquer outra pessoa ignoraria e continuaria a maquiagem, contudo não com o homem que revirava seus estômago e já o virá acordado descabelado e com mau hálito.

Abriu a porta ainda com o pincel em mãos. Chanyeol entrou e segurou sua mão o rodopiando no mesmo lugar.

  - Sabia que ficaria lindo mas não tinha idéia do quanto - o elogiou sorrindo admirado.

  - Eu? Olhe só pra você!

Chanyeol vestia trajes de gala negros, incluindo palito, suspensório e gravata borboleta, todos da mesma cor, nunca o viu tão elegante, além de exalar um perfume novo e marcante, tão másculo e imponente, Lana Del Rey não se inspiraria em James Dean se conhecesse Park Chanyeol.

A diferença de tamanho era até mesmo excitante, Chanyeol o segurava pelo queixo com firmeza e roçava os lábios nos semelhantes.

  - Você é insanamente lindo - sugou o lóbulo com um brinco e mordeu a peça - nunca me cansaria de te ter ao meu lado.

O menor sorriu convencido e se afastou voltando a penteadeira em seu quarto, logo foi seguido pelo maior que sentou relaxado na cama de casal para observar o menor se maquiando.

  - Realmente gostei das roupas - o mais novo comentou colocando as lentes de contato cor de mel - couberam perfeitamente em mim, como advinhou?

Chanyeol acendeu um cigarro e admirando a visão do menor empinado em sua direção, Baekhyun percebeu seu olhar malicioso pelo reflexo revirando os olhos.

  - Eu não preciso advinhar bebê, conheço cada centímetro do seu corpo, sou o senhor dele - respondeu dando de ombros - até seu último fio de cabelo está sob meus domínios, meu doce.

         - Faça-me rir Park - o pequeno retrucou já de delineador feito, aplicando iluminador na ponta do nariz e nas maçãs - esse corpinho gostoso aqui - passou a mão no traseiro desferindo um tapa - só possuí um dono e sou...

  - Eu! - o mais velho respondeu rapidamente tão animado e convicto que fez o Byun gargalhar.

Já pronto se aproximou lentamente do namorado e parou entre as pernas abertas de forma desleixadas, com o Park sentado ficava somente alguns centímetros menor que si. Mas já era algo. As mãos pequenas ergueram a choker diante dos olhos do mais velho.

  - Pode colocar minha coleira Daddy? - usou um tom sarcástico e se virou de costas sentando em uma perna do maior.

  - Com todo o prazer Baby Byun - agarrou a peça de couro e não se conteve atingindo com força na traseira empinada em sua perna ouvindo um resmungo - gostou da sua coleirinha minha cadela? - brincou sabendo o quanto o menor detestava ser tratado no feminino.

  - Sim, ela vai servir pra mim te sufocar enquanto dorme, cachorrão-quente.

Chanyeol deu um riso nasal e desferiu novamente a choker contra o mais novo, dessa vez na parte de coxa exposta entre a meia alta e o mini short.

  - Baek sua bunda é o pão que acolhe muito bem a minha salsicha - susurrou no pé do ouvido do castanho.

Os dois explodiram em gargalhadas e Chanyeol finalmente colocou o acessório encomendado especialmente para o Byun com as letras "PCY" grandes em prata, para que não houvessem dúvidas.

Após o acessório estar onde deveria, beijos trilharam nuca do mais novo lhe fazendo arrepiar e cravar as mãos nos joelhos do maior, não sabia se Chanyeol estava com pressa, mas se continuassem daquele jeito não sairiam tão cedo dali.

  Deitou a cabeça no ombro do mais velho e com uma mão agarrou os cabelos negros com força afastando os lábios carnudos de sua epiderme quente.

  - É injusto - susurrou fitando o teto naquela posição, as mãos do maioria acariciavam suas pernas com as pontas dos dedos, os pés balançavam não tocando o chão.

  - O que?

  - Eu usar algo que indique que sou seu, enquanto você usa a merda da aliança de noivado da sua mulher - comentou emburrado e então se levantou para apreciar-se novamente.

Tão belo por fora. Por que repentinamente se sentia tão feio e indesejável? Mesmo com o Park o elogiando e mimando, ainda se sentia muito pequeno, menos do que a sombra da mulher do mesmo. Afinal era ela que podia andar de mãos dadas com o maior pelas ruas.

Chanyeol respirou fundo e se aproximou apoiando o queixo no ombro do pequeno, ambos se olharam pelo reflexo e compartilhavam o mesmo pensamento "Feitos um para o outro" ambos combinavam tanto que chegava a ser estúpido.

  - Gostaria de me dar algo? Hm? - inspirou abaixo da orelha do mais novo. Cheiroso.

O Byun sacudiu a cabeça.

  - Gostaria que fosse meu do mesmo modo que sou seu - deu um sorriso triste contudo logo sacudiu a cabeça - Mas... Esqueça.

Eram raras as noites que amanhecia nos braços do milionário, afinal o mesmo possuía uma casa, e desde quebrar um espelho em suas costas, Sandara morava oficialmente na mansão Park, ocupando um lugar que invejava. Enfim... Não desperdiçaria aquele momento tocando novamente daqueles assuntos.

Chanyeol beijou a bochecha do Byun com tamanha ternura que o menor fechou os olhos para apreciar o contato.

  - Dara possui o empresário e herdeiro do império Park, mas só você possui Park Chanyeol, o cara que errou muito e agora está aprendendo a amar - se afastou, acendeu um cigarro enquanto Baekhyun terminou o penteado.

  - Quero um foto - o mais novo disse e puxou o celular do namorado do bolso.

Sentou o maior na cama e subiu em seu colo, afastou o celular para que a câmera os pegassem de corpo todo. Primeiro foi uma dos dois sorrindo para a câmera, logo em seguida o Park tomou posse do aparelho com uma não e levou a outra até a cintura esguia, a próxima era deles se olhando prestes a se beijar e a última se beijando deitados após Baekhyun empurrar o corpo maior.

Após aquilo Chanyeol pediu algumas poses para fotografar Baekhyun sozinho, uma delas era o menor de joelhos entre suas pernas e a boquinha rosada abrigando seu indicador. O Byun também não ficou atrás pedindo algumas poses do milionário, seja ele fumando olhando pela janela ou o olhando daquele jeito...

Após toda aquela brincadeira as luzes do apartamento foram apagadas e os pertences necessários pegos, a porta batida e alguns amassos no elevador.

Já era de madrugada quando avistaram a placa com os dizeres:

"Gangnam".

A estrada longa era escura, mas os faróis do carro potentes para iluminar 500 metros á frente.

Chanyeol e Baekhyun permaneciam de mãos dadas todo o percurso,  o último teve certeza de que estaria indo para um lugar muito sofisticado afinal adentraram em Gangnam, um dos distritos do governo mais procurados por turistas e a área mais rica da capital.

Os olhinhos do Byun brilhavam quando alcançaram um pedaço somente de estabelecimentos e prédios com luzes em Néon e música alta às 1h30 da madrugada, e então saíram daquela área para um lugar escuro novamente, como uma espécie de condomínio luxuoso reservado. Na entrada Pediram os documentos de ambos e do automóvel.

Com a entrada cedida Baekhyun esticou o pescoço para fora e viu o que parecia uma enorme mansão, após estacionarem e descerem, as mãos do Park se guiaram para a cintura alheia. O jardim possuía estátuas de latão e um lago com chafariz e luzes vermelhas próximo a entrada.

  - Amor... - Baekhyun ficou abobalhado com a parte de fora, contudo quando Chanyeol foi cumprimentado pelo seguranças e passaram pela enorme entrada, o queixo do Byun caiu - Chanyeol... Que lugar é esse?

O Park sorriu e depositou um selar no topo da cabeça do menor adentrando mais o local, sabia que o mais novo ficaria deslumbrado com o cassino. Já fazia algum tempo desde que ele próprio pisou os pés alí. Momentary Freedom possuia a mesma cara, a decoração em vermelho, preto, rosa e azul, além das luzes baixas dando aquela aura de sensualidade. O barulho dos caça níqueis e as roletas girando.

  - O cassino mais bem frequentado de Seul, vulgo o lugar com as melhores garotas da cidade, conheci HyunA aqui - deu de ombros não se importando com o revirar de olhos do menor - não se preocupem Baby, seu Daddy Yeol só está a fim de jogar e vamos conhecer alguns amigos meus.

O pequeno assistia tudo com curiosidade por trás das lentes cor de mel, algumas meninas e rapazes andavam por aí com peças de roupas negras cheias de Glitter que lembravam maiôs, parecia ser o uniforme do local, alguns serviam bebidas enquanto outros se acomodavam no colo dos homens que se comportam como magnatas. Com espanto reconheceu muitos da Tv e meios artísticos, principalmente casados oficialmente na mídia.

- Não tem problema em sermos vistos juntos aqui?

- Não - o maior deu um riso debochado - todos os sócios assinam o "termo do silêncio", tem muita gente que não deveria estar aqui, nem com quem está aqui.

O lugar era grande, ao centro parecia ser o lugar para jogos, nas laterais das paredes haviam mesas e acentos vermelhos e azuis, uma decoração fascinante, andavam devagar para o mais novo apreciar cada pedaço, vez ou outra Chanyeol era cumprimentado por algum homem de mais idade, e todos, absolutamente todos perguntavam sobre si.

Baekhyun engolia em seco e desviava o olhar incomodado, aqueles homens lhe devoravam com os olhos sem pudor nenhum, mesmo estando acompanhando do Park.

 - Hm, lamento mas esse docinho aqui é de minha exclusividade, veio de fora, esse lugar é muito pouco pra um príncipe desses.

Aqueles magnatas possuíam rapazes e moças no colo enquanto jogavam, os acariciavam como se fizesse parte das regras do jogo, como troféus ou amuletos de sorte.

 - Lindo, não é? Mas é só meu, Baby B é seu nome e como pode ver pela coleira... propriedade minha.

Música suave tocava ao fundo algo como batidas de Indie Chill, haviam bares também, o pequeno gostaria de pedir uma bebida ao moreno, contudo sempre que pensava em abrir a boca mais um homem vinha indagar ao maior sobre si.

 - Baby B, esta fazendo sucesso aqui! Mas é exclusividade minha, veio de fora só para me acompanhar. 

  - Uma pena, quando se cansar do Park... - o homem loiro á sua frente lhe estendeu um cartãozinho de visitas - procure por mim.

Chanyeol o apanhou e amassou dando as costas ao homem. O Park não parecia verdadeiramente se importar com as investidas dos outros homens para si, porém alguns "acompanhantes" lhe encaravam o Byun feio.

  - Gosta do que vê? Ah fico muito honrado, é meu Baby B, se o achou bonito vestido... Hm, é uma pena que nunca o verá nu. É um espetáculo.

Com o tempo Baekhyun começou a achar graça das respostas que o maior dava e das várias cantadas que recebia mesmo assim, propostas de fortuna e fama caso se desfizesse do Park. Até mesmo algumas mulheres mais velhas da alta sociedade, verdadeiras madames começaram a lhe paquerar. Reconheceu algumas para sua surpresa e comentou com o maior, logo se afastaram.

  - Sabia que fazeria sucesso aqui, mas não tanto - o moreno sussurrou no seu ouvidos apertando com mais força a cintura - confesso que estou começando á ficar com ciúmes - riu.

Baekhyun gargalhou e escondeu o rosto contra o peito do outro.

  - Estou com sede - sorriu sapeca.

  - Água?

Deu um riso nasal se fingindo de ofendido.

  - Vodka!

Ambos gargalharam novamente, foram até o Barman, quando Chanyeol pediu uma taça o menos o interrompeu pedindo por algum drink forte com morango. Afinal, precisava parecer refinado, voltaram á dar voltas até o mais velho acenar para alguém em algum assento. Seguiram naquela direção sendo abordados por algumas pessoas cumprimentando o maior e o menor com segundas, terceiras e quartas intenções.

A bebida do Byun já estava pela metade quando chegaram á uma mesa entre dois sofás confortáveis e estilosos, um vermelho e outro azul. Havia um casal de rapazes no vermelho, ambos se levantaram para os cumprimentar. Então Baekhyun descobriu que seus nomes eram Sehun e Luhan, pelo visto amigos de longa data do Park.

Se sentaram no outro sofá, Baekhyun encostado na parede e Chanyeol ao seu lado acariciado uma perna sua meio jogada sobre as suas, o casal á frente era visivelmente mais ousado, o menor, Luhan sentado no colo do outro.

Eles engajaram uma conversa alí.

  - Chanyeol! Nunca pensei que voltaria a se interessar por homens - Luhan comentou tragando um cigarro - e muito menos que retomaria ao lado rosa da força com tanto bom gosto!

Os presentes riram.

  - Não foi uma escolha minha - deu de ombros e então focou o olhar no amante - Olhem para ele, quem não se apaixonaria por esse sorriso.

Baekhyun revirou os olhos constrangido em ser o centro das atenções na mesa.

  - Angel... Nosso amigo está apaixonado! - Sehun comentou sorrindo realmente surpreso.

Luhan franziu o cenho analisando o casal a frente com os olhos semicerrados, os analisando. Seu olhar demorou um pouco mais no Byun, como estava ocorrendo muito naquela noite desde que se sentaram a mesma mesa.

Luhan era imensamente bonito, o rosto de traços delicados, lábios finos, nariz arrebitado, olhos grandes com os cílios carreados em rímel, lábios rosados, sorriso encantador, um pouco mais alto que si e com uma pele branquinha. Um Anjo como Sehun o chamará. Mas aquele olhar não carregava pureza, não mesmo. Havia uma malícia naquele brilho que o fez corar, era o mesmo olhar que os outros homens e mulheres dali lhe lançavam. Engoliu em seco desconfortável.

  - HyunA já sabe disso? - ergue uma sobrancelha recebendo um beliscão na cintura vindo do namorado e arregalou os olhos - aliás ele sabe sobre ela?

A expressão do menor fechou automaticamente e bebeu toda a bebida num gole só.

  - Vou pegar mais - se levantou antes que o Park pudesse protestar.

  - Foi algo que eu disse? - Indagou Luhan receoso.

Os olhos dos dois reviraram os olhos ou bufaram e o chinês riu achando graça.  Baekhyun voltou são se salvo, havía conseguido se esquivar sozinho de alguns senhores, voltou a mesa com uma garrafa de Jack Daniels e 4 taças.

  - Me diga Baek, posso o chamar assim não posso? Enfim, vejo que já conhece a cobra peçonhenta que ronda Chanyeol. Já teve o desprazer de encara-la cara a cara? - O chinês não sabia s hora de parar. Oras estava curioso!

  - Infelizmente, e não foram poucas vezes - respondeu enchendo as três taças e tomando um longo gole do gargalo. Sacudiu a cabeça e os de mais riram, a bebida desceu queimando e rasgando, da maneira que gostava.

A conversa tomou outro rumo, na verdade Sehun e Chanyeol começaram a falar de negócios e em seguida se levantaram para jogarem nas mesas.

  - Cuide bem dele Lu - o Park pediu.

  - Angel... Juízo - Sehun alertou.

O chinês dos cabelos loiros platinados com algumas mechas azuis somente assentiu com um doce sorriso nos lábios. Logo se sentou ao lado do Byun.

  - Baek você é muito lindo - sussurrou lhe lançando um olhar inocente, também bebendo da boca da garrafa.

Baekhyun o fitou de cima abaixo, Luhan usava uma calça de couro cobre justa e uma camiseta social da mesma cor tons mais claros, tão transparente que conseguia enxergar os mamilos com piercings se olhasse por muito tempo. E bem, foi isso que o menor fez, resultando num sorriso nos lábios do chinês.

Luhan era tão atraente com seus traços marcantes, muitas vezes lhe diziam que possuía traços delicados, contudo o chinês possuía afeminados. A boca pequena ostentava um sorriso provocante, provavelmente gostando de ser analisado pelo menor.

  - Gosta do que vê? - bagunçou um pouco os cabelos azuis fazendo charme.

O Byun deu um riso nasal.

  - Não brinque comigo, você é lindo e sabe disso - piscou atrevido. Que mal havia em corresponder um pouco as investidas do namorado de Sehun, afinal não era como se fosse rolar algo entre eles.

Era estupidamente apaixonado pelo Park.

  - Acha mesmo? - mordeu um pouco do lábio inferior para em seguida passar a pontinha da língua pelo lugar, se aproximou um pouco mais agarrando sem vergonha uma perna do menor - Posso?

O castanho riu achando graça. Luhan não fazia muito seu tipo, preferia homens másculos do que afeminados, e parecia ser a preferência do chinês também levando em consideração Sehun, que aliás, que homem era aquele...

Mas mentiria se dissesse que não estava adorando aquele joguinho de sedução, se perguntava o que os respectivos namorados fazeriam se os pegassem assim.

  - Não sei Lu... - colocou a mão por cima da do outro e subiu mais parando em sua bunda que foi apertada sem hesitação - quem sabe se... Me disser tudo que sabe do passado de Chanyeol, incluindo vocês e HyunA - sorriu docemente.

Luhan não era o único que sabia jogar alí.

  - Está testando o garoto? - Sehun indagou jogando os dados, estava ao lado do amigo numa mesa com vários outros competidores.

  - Do que está falando? - Chanyeol deu um gole na garrafa de cerveja.

  - O deixar sozinho com Luhan - o mais novo também deu um gole na própria cerveja observando o outro jogar - viu perfeitamente da forma que ele o encarava, vai devorar o garoto.

Chanyeol gargalhou e deu outro gole.

  - Se eu vi? Eu conheço a peça, com todo respeito irmão, Luhan pode ser um demônio do sexo, mas Baekhyun não é tão fácil de se domar - outro gole - muito pelo contrário, é mais fácil Baekhyun o domar.

O loiro deu de ombros.

  - Não aposte nisso, Angel sempre consegue o que quer, como dizer não á aquela carinha? - observavam a mesa ferver e apostavam quando o necessário - Já viu a bunda do Baekhyun? Com todo o respeito parceiro... o que é aquilo!

O Park sorriu confiante.

  - Luhan não é de todo mal, achou que em quesito bom de cama os dois estão empatados, com a pequena diferença de que Baekhyun possuí o controle do meu pau e do meu coração - mais um gole.

  - Droga - Sehun resmungou.

  - O que foi? Perdeu?

  - Não merda! Agora estou com a cena deles dois nus se roçando - suspirou, suor descia de sua tempora - rápido, me diga algo broxante!

Chanyeol gargalhou e deu um puxão de orelhas no mais novo.

  - É melhor parar de imaginar Baekhyun nu, prefere eu ou que Luhan te castre?

Baekhyun escutou tudo o que Luhan dizia atentamente e engolindo em seco, tentou disfarçar o ciúmes em saber que ele também se deitou com o Park e das Orgias que eles faziam com um grupo de amigos, com é claro, HyunA envolvida. O chinês lhe disse o quanto Chanyeol foi louco pela Kim, a ponto de oferecer abrir mão do namoro falso com Dara - ficou surpreso em descobrir que Luhan sabia dela - somente pela mesma, e que ela recusou dizendo que a garota renderia muito dinheiro futuramente.

Lhe contou várias histórias das aventuras loucas que realizavam, muito sexo e drogas surpreendendo o Byun. Sabia que Chanyeol fumava Maconha por encontrar seda e erva fuçando o apartamento do mesmo, agora pó e heroína era uma surpresa para si.

Sehun e Chanyeol voltaram encontrando os namorados muito unidos, Luhan como uma perna do Byun em seu colo e o menor acariciando o pescoço do mesmo com as unhas curtas. Ambos nem mesmo se afastaram quando os maiores chegaram, pelo contrário, continuaram o papo aos sussurros.

Depois de um tempo concordaram com algo e Luhan voltou para seu sofá com Sehun e Baekhyun esticou os braços como uma criança índicando para que queria atenção também. Passaram mais algum tempo jogando conversa fora até uma mulher loira se aproximar.

Baekhyun a achou estupidamente gostosa até a reconhecer, era que dirigirá o carro branco naquele noite em que ela e HyunA os seguiram. Pelos olhos arregalados da mulher a mesma logo o reconheceu, mas tão pouco tocou no assunto.

  - CL gata! Senta aqui! - Luhan bateu no assento ao seu lado, mas não num tom amigável e sim cínico.

  - Não posso Luhangel, estou trabalhando, aliás estou aqui a serviço - a loira respondeu no mesmo tom - Quanto tempo Hunnie, pensei que tinha enjoado daqui - sorriu contida.

O Oh nem ousou responder sob o olhar maníaco de Luhan.

  - Chanyeol orelha de abano, seu namorado está chamando muita atenção - colocou um joelho no sofá deles e puxou de leve a orelha do amigo de longa data - uns 10 caras vieram atrás de mim exigindo ao menos o número dele.

  - É fácil Chae... - retirou a mão da amiga de sua orelha e a beijou fazendo o Byun arregalar os olhos e procurar por Luhan com os mesmo - Diga-os que ele está com Park e infelizmente não está á venda.

  - Mas eu disse - bufou frustrada e retirou o cigarro da boca do Park tragando-o - me ofereceram uma fortuna por ele, meu coração doeu em recusar, foi a mesma coisa com Luhan.

  - Fazer o que? Somos bem melhores do que qualquer um daqui - Angel sorriu diabólico.

  - Ah sim, e meu irmão que o diga Luhangel, G-Dragon está por aí - os olhos do chinês brilharam e Sehun bufou irritado ao seu lado - mas de fato, você é muito bonito Baekhyun, faria sucesso aqui.

  - Obrigado, a maquiagem ajuda - forçou um sorriso detestando a proximidade de Chanyeol e da tal CL.

  - E como! Não sabem o que é Chae sem tudo isso na cara - Chanyeol gargalhou e a amiga o acompanhou tapando o rosto.

  - Enfim, é só isso, se algum dia mudar de ideia não hesite em me procurar Baekhyun - e logo seu tom se tornou sério - estou falando sério, HyunA é minha amiga mas é aquele ditado... Amigos, amigos  negócios a parte.

Baekhyun assentiu e a mulher se retirou para seu alívio. Já passavam das 05h e os olhos delineados pesavam,  Chanyeol indagou se o mesmo já gostaria de ir e o mesmo assentiu manhoso, se despediram dos amigos e Luhan deu um selinho no Byun, fazendo os outros dois revirarem os olhos e o menor corar sem saber como reagir.

Logo em seguida Park e Byun pegaram a estrada, um grande ato de irresponsabilidade levando em conta que ambos haviam bebido, o sol já havia nascido antes mesmo de alcançarem a cobertura.

Trocaram alguns beijinhos em baixo do chuveiro mas o cansaço era muito grande, portando a cama enorme do mais velho não foi usada para nada além de dormir naquela manhã.
 


Notas Finais


Broque* https://i2.wp.com/www.canalmasculino.com.br/wp-content/uploads/2013/03/tipos_sapatos_masculinos_brogue.jpg?w=570

Eu disse p vcs darem um voto de confiança para o menino Chanyeol!!!!! Vejamos ele não é tão mau, sim?

Mas vamos esquecer ele e focar no muso divonico destruidor de picas, LUHANGEL PODE O ENTRAR!!!!

SÓ falta mais um personagem pro circo estar armado e a bagaceira pegar fogo!!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...