História Crazy in love - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Burlesque, Divergente
Personagens Albert (Al), Andrew Prior, Beatrice "Tris" Prior, Caleb Prior, Christina, Eric, Ezekiel "Zeke" Pedrad, Jeanine Matthews, Lynn, Marcus Eaton, Natalie Prior, Personagens Originais, Peter, Shauna, Tobias "Quatro" Eaton, Tori Wu, Uriah, Will
Tags Dança, Fourtris, Musica, Romance
Exibições 34
Palavras 731
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Policial, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Vejam as notas finais.

Capítulo 3 - Company.


Fanfic / Fanfiction Crazy in love - Capítulo 3 - Company.

* Dentro do ônibus *

Pov. Tris

- Então Tobias Eaton, porque você estava sozinho quando nos conhecemos ? Pelo o que eu me lembre tinha te visto com outros rapazes - pergunto á ele.

- E eu estava, mas os meus queridos amigos resolveram me sacanear e acabaram me deixando sozinho aqui - responde ele.

- Belos amigos que você tem - falo brincando.

- É aquele ditado, quem precisa de inimigos com uns amigos desses - responde ele entrando na brincadeira - mas e você ? É daqui de Chicago mesmo ?

- Eu morei em Ayoa até os meus 18 anos, dai vim pra Chicago pra realizar meu sonho de ser cantora e dançarina- conto á ele.

- Que coragem, de uma cidade pequena pra Chicago, é um grande passo - ele fala - Seus pais não não implicaram por você se mudar pra uma cidade grande ?

Esta ai o assunto que eu detesto ter que contar,  quando eu era apenas um bebê, eu fui encontrada em uma cesta na porta de uma casa, da casa da Johanna, que hoje eu chamo de mãe, ela foi assassinada quando eu tinha 17 anos, só de lembrar disso as lágrimas tomam conta dos meus olhos.

-Ei, está tudo bem ? - pergunta Tobias preocupado.

- Está, só é esse assunto que me deixa abalada - respondo limpando as lágrimas que cairam.

- Não precisa falar então, não quero te ver triste.

Nos encaramos por alguns segundos, e eu tento quebrar o gelo que tinha se instalado entre nós.

-Então ... você ... você tem namorada ? - MEU DEUS BEATRICE, porque você fez essa pergunta ? Tobias me olha com um sorriso torto no rosto me fazendo corar.

- Não, estou solteiro, e você, quem é o sortudo de namorar com você ? 

Se antes eu estava corada, agora devo estar parecendo um tomate.

- Ahn e-eu não tenho namorado.

- Oquê ? Como que uma garota linda e talentosa como você está solteira ?

- Não achei a pessoa certa, mas acho que estou perto de encontrar.

- Poque fala isso ?

-Pressentimento.

                                                                                                         ***

Depois daquela conversa já estavamos perto da minha casa, Tobias é um cara legal, misterioso mas eu gostei disso, quando chegamos na frente da minha casa paramos de frente um pro outro.

-É aqui, obrigada por me acompanhar- agradeço á ele.

- Imagina, foi um prazer te acompanhar, bom, até algum dia - ele me responde.

Ele se vira seguindo o seu caminho mas eu o chamo.

-Tobias! - ele se vira - olha, eu não posso te deixar ir pra casa nessas horas, vai, vamos entrar na minha, você vai dormir aqui hoje.

-Tris, não precisa, eu já disse que sei me cuidar.

-Não, Deus me livre acontecer alguma coisa com você, eu iria me sentir culpada, por favor entra, é como agradecimento por você  ter me acompanhado.

- Ok ok, você venceu. -diz ele se rendendo.

Abro a porta de casa e acendo a luz, ainda bem que limpei essa casa hoje de manhã, ela estava uma completa zona.

-Nossa, estou surpreso- olho pra ele desentedida - Eu tava imaginando que a sua casa estava uma bagunça - ele fala brincando.

-Idiota- digo batendo fraco no seu ombro, ele finge sentir dor e eu só reviro os olhos -  Vem, vamos arrumar o seu quarto .

Óbvio que a gente não iria dormir na mesma cama, afinal, mesmo já conhecendo um pouco dele.

 

 

                                                                                                 ***

Termino de arrumar a cama do quarto de hóspedes enquanto ele está no banheiro, quando ele volta pro quarto eu quase caio pra trás, ele está apenas de calça, gente, isso é um Deus Grego.

- Você  se incomoda se eu ficar desse jeito ? Aquela blusa não é confortavel pra dormir- ele diz.

-Ah não imagina, por mim você podia ficar o tempo todo assim - eu falo sem pensar, meu Deus que vergonha, eu me xingo mentalmente por ter falado isso, olho pra ele que está com um sorriso envergonhado no rosto.

-Obrigado por me deixar dormir aqui hoje - ele agradece.

-É o minimo que podia fazer - lhe respondo com um sorriso -  Bom, vou deixar você dormir. Boa noite.

- Boa noite, Tris.

Saio do quarto, quando fecho a porta suspiro aliviada, nem tinha percebido que estava tensa, porque eu estava tensa ?

 

 


Notas Finais


Eu sumi por um tempo né ? Me desculpem por isso, problemas familiares, com a escola, entre outros, mas voltarei mais ativa, se você gostaram da fic favoritem e comentem, me desculpem de novo, vou ver se eu consigo postar 2 caps nesse final de semana, bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...