História Crazy In Love - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bottom!jungkook, Dom X Sub Inverse, Jikook, Mpreg, Namjin, Top!jimin, Vhope
Visualizações 980
Palavras 1.600
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Como prometido, estou aqui com o primeiro capítulo de Crazy In Love bonitinho e (eu acho) que tá melhor que o outro!

Boa leitura 💕

Capítulo 1 - Capítulo Um


Fanfic / Fanfiction Crazy In Love - Capítulo 1 - Capítulo Um

Crazy In Love.

Capítulo Um.

— Não o olhe nos olhos à menos que seja pedido, sua voz tem de se manter em tons baixos quando for proferir qualquer palavra, e, acima de qualquer coisa, obedeça suas ordens prontamente e sem reclamar. — disse MinHa, observando todos os garotos e garotas na sala assentirem concordando com suas palavras. — Vocês foram treinados para se tornarem a elite dos Submissos, todos os Dominadores e Dominatrix da cidade buscam nossos serviços por ser o melhor. Não admito falhas e ou deslizes, ainda mais por serem a minha turma. Vocês tem de ser os melhores, perfeitos.

Assim que proferiu suas ordens, seus olhos vagaram por todos na sala, cada um sentado de forma ereta e suas cabeças baixas, como os cães bem adestrados que eram. Admitia que era muito rigorosa com os ensinamentos que passava, contudo não queria receber reclamações dos superiores por parte dos Dominadores e Dominatrix. Queria apenas a perfeição.

Prendeu toda sua atenção no garoto baixo de cabelos negros, sua postura tão bem colocada quanto a dos outros. MinHa não gostava do quão perfeito e bem comportado ele era, do jeito dócil e calmo, da maneira que acatava ordens tão bem e rapidamente... Não gostava de Jeon JungKook ser tão perfeito e sua cria preferida estar abaixo dele.

Bateu com a régua na mesa, assustando todos na sala.

— JungKook venha até mim. — mandou, abrindo umas das gavetas e tirando dela um chicote fino de couro marrom.

JungKook mais do que rapidamente se levantou, os olhos baixos enquanto se aproximava da mulher. Sabia que era mais um teste, que ela o castigaria para demonstrar a turma o quão dolorido eles poderiam ficar se fossem desrespeitosos com seus Donos. Contudo não entendia por que todas as vezes em que ela queria mostrar isso ele quem teria de ir, sempre era ele e isso não entrava em sua cabeça. Os motivos de ser sempre ele a receber as chicotadas ou qualquer coisa que ela estava dispostas a mostrar.

— Retire a camisa e se encline na mesa. — ordenou MinHa, batendo levemente o chicote na plana da mão direta, os olhos acompanhado as ações do mais novo. Tão malditamente perfeito que a mulher sentia raiva. — Caso desobedeça uma ordem de seu Dono, é isso, ou provavelmente pior, que receberá dele ou dela. — disse seriamente, mesmo que por dentro um leve gosto de vitória se alastrava ao ter o prazer de castigar JungKook novamente a tomava.

Estava pronta, elevou o chicote a altura de sua cabeça e quando o couro fino estava quase em contato com a pele alva demais do garoto, a porta da sala fora aberta e por lá passou Jiwoo, umas das administradoras da Casa.

MinHa grunhiu insatisfeita.

— JungKook vista-se, tenho que lhe apresentar à alguém. — disse calma, encarando MinHa e o chicote que ela portava em mãos. — Creio que cheguei em uma hora apropriada, certo? — indagou amarga, negando a expressão odiosa que a outra tinha no rosto. — Tem de parar com essa mania, eles não são animais para serem tratados assim MinHa, você sabe bem disso.

— Eu apenas ensino o que me passam, é ele quem decide, eu apenas repasso isso. — riu em escárnio, deixando o chicote sobre a mesa de madeira e encarando Jiwoo. — E você sabe que os meus castigos não são nada comparados aos que eles receberão se forem mal criados, Jiwoo. Bem piores.

— Nem todos eles são como os de antigamente. Os tempos mudaram MinHa, pena que vivemos numa época que a opinião de Submissos não valiam de nada. — segurou a mão de JungKook quando esse chegou até si. Sorriu gentil para o mais novo, afagando-lhe os fios negros. — Vamos sim? Tem alguém que quer vê-lo.

Andou para fora da sala com JungKook em seu encalço, estava mais do que animada para finalmente mostrar Jeon ao homem que o esperava em sua sala.

— É um possível Dominador, Noona? — indagou JungKook, tão baixinho que Jiwoo teve dificuldades para ouvir.

Suspirou, MinHa tinha mesmo conseguido transformar JungKook em um tapete para ser pisado. Não o reconhecia mais, não via mais aquele sorriso encantador nos lábios do Jeon há muitos anos, MinHa o transformou num perfeito Submisso, que acatava ordens perfeitamente. Matando o verdadeiro JungKook.

— Se ele não mudou de ideia, é bem mais que isso querido! — respondeu animada, abrindo a porta de sua sala e dando passagem para que o moreno adentrasse-a.

JungKook adentrou a grande sala, mantendo os olhos baixos por saber que tinha mai alguém alí, o cheiro amadeirado era perceptível ao seu olfato. Parou assim que entrou, mantendo-se quieto e regulando a respiração, que estava um pouco alterada devido ao nervosismo. Sentiu uma mão pequena em seu ombro, indicando que Jiwoo estava ao seu lado, tentando de alguma forma o acalmar silenciosamente.

— Querido, esse é Park Jimin. — disse calma, mesmo que soubesse que JungKook não levantaria os olhos ao menos que o tal Park pedisse. — Jimin, esse é JungKook.

Jeon pôde escutar os passos alheios rumando até onde estava, e por um segundo fechou os olhos temendo alguma coisa, não sabia o que era, mas sentia que alguma coisa viria dalí.

Sentiu um afagar em seus fios negros, logo o mesmo palmo deslizou por seu rosto, parando em seu queixo e erguendo sua cabeça. JungKook ainda não o olhava, apenas o nó bem feito de sua gravata preta, tinha receio de olhá-lo e ser prontamente repreendido.

— Diga-me por que não me olha nos olhos, JungKook? — pediu, a voz baixa e levemente rouco, como se tivesse passado por um resfriado e ainda não estivesse totalmente curado, ou que acabou de acordar. Aquela voz arrepiou JungKook, que sentiu cara miséria célula do seu corpo entrar em alerta. Ela parecia perigoso.

— Não é permitido Senhor. — disse baixo, o tom doce fazendo Jimin sorrir levemente. Ele era realmente adorável.

— Eu gostaria que me olhasse, faria isso por mim? — questionou o outro, ainda mantendo o palmo contra o rosto do moreno, fazendo um carinho alí com o polegar. — Eu gostaria de ver seus olhos, Jiwoo me disse que são tão negros e encantadores. — sorriu de lado, vendo o mais novo vacilar levemente e erguer a cabeça, encarando-o nos olhos como fora pedido.

Jimin, por mais que já tenha visto o rosto bonito do mais novo, conteve um suspiro admirado. JungKook era tão malditamente lindo, que o Park mal conseguia por em palavras; os lábios avermelhados levemente, o nariz — por mais protuberante que fosse — bem desenhado e bonito, as maçãs do rosto coradas e saltadas... Era completamente lindo.

Enquanto Jimin se perdia nas profundezas negras que eram os olhos de JungKook, esse se afogava nas orbes castanhas do outro, absorvendo cada detalhe do rosto alheio para se lembrar depois. Em sua cabeça sabia que seriam em ocasiões raras que poderia olhar diretamente para Jimin, então aproveitou o momento para decorar o quão grossos eram os lábios do Park, as bochechas gordinhas e os olhos pequenos. Também notou o nariz fofo do outro, os fios negros, que ao seu ver lhe pareciam tão macios ao toque, sentiu até mesmo a mão formigar para tocá-los... Contudo se conteve, não poderia fazer, era errado e contra as regras.

Tão bonito. — JungKook deixou escapar, logo tapando a boca com as duas mãos ao ver o sorriso do outro vacilar. — Me desculpe Senhor! — pediu baixinho, se pondo de joelhos em frente ao outro, respirando com dificuldade. Tinha medo de ser punido, medo de que o Park fosse rigoroso como MinHa disse que Dominadores eram.

Jimin sentiu o sangue ferver, ver JungKook daquele jeito, sem ao menos ter um pouco de amor próprio e se ajoelhar na frente de alguém que não conhecia em busca de um perdão que ao menos fazia sentido o irritava. Sabia que era MinHa que fazia isso, sabia que todos que passavam por sua mão acabavam como JungKook acabou... Uma casca vazia, sem ao menos saber o que era amor próprio e respeito por si mesmo.

— JungKook levante, por favor. — pediu, agachando-se em frente ao garoto e o erguendo, viu os olhos deste varrerem toda a sala, mas nunca chegando a olhá-lo. Suspirou encarando Jiwoo. — Ela tem de parar, sabe disso. MinHa vai acabar transformando esses garotos em cascas ambulantes, mais cedo ou mais tarde sequer sentirão dor. Isso é inaceitável!

— Sabe que a lei permite isso Jimin, não podemos fazer nada quando o mundo inteiro segue isso. — suspirou, acariciando as costas de JungKook, que segurava o choro tamanho o medo que sentiu ao falar sem que tenha sido pedido. — Está tudo bem querido, Jimin não vai castigá-lo. Não precisa ficar assustado.

— Ela está certa JungKook. — acalentou Jimin, acariciando o rosto alheio e o puxando para seus braços. — Eu gostei que tenha falado sem que eu pedisse, deverá fazer isso todas as vezes que quiser. Eu não vou repreender você ou castigá-lo, pelo contrário, eu vou adorá-lo mais ainda! — sorriu, deixando um selo casto na testa do outro. — E você tirou as palavras da minha boca: você é tão lindo!

Jeon absorveu aquele toque lentamente, nunca fora beijado daquela forma tão carinhosa por alguém que não fosse Jiwoo; e foi tão... Bom. Tocou a testa, onde Jimin depositou o beijo e o encarou.

— Obrigado Senhor. — agradeceu beixinho, deixando que suas bochechas se avermelhassem mais uma vez naquela tarde.

— Me chame de Jimin, JungKook-ah. — sorriu de lado, segurando o rosto do moreno com ambas as mãos e o encarando nos olhos. — A partir de hoje será meu, por que eu sempre fui seu.


Notas Finais


Eai gostaram?!
Eu tô bem animada com essa nova cara de CIL, não vai ser mais aquela confusão de muitas coisas acontecendo e tudo o mais!

Me perdoem se tiver algum erro bem grotesco, não revisei ainda, mas logo o farei.

Então foi isso ^^
Comentem o que acharam (se quiserem obviamente) !

Um beijão e obrigada por ler e dar mais uma chance a CIL ❤
Tchauz ~(*-*~) (saudades dessa carinha hehehe :3)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...