História Crazy In love - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jasmine Villegas, Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Jasmine Villegas, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette, Ryan Butler
Tags Bern Villegas, Chaz Somers, Christian Beadles, Jasmine Villegas, Jream Andrew, Justin Bieber, Justin Villegas, Pattie Mallette, Ryan Butler
Visualizações 386
Palavras 2.603
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - Had nothing better?


Fanfic / Fanfiction Crazy In love - Capítulo 15 - Had nothing better?

Jasmine: Claro meu amor! Você é o único cara que tem aqui. – disse como se fosse óbvio, o barman entregou minha bebida.

Justin: Não sei! Acho que bebi uns cinco copos. – ele disse e olhou pra mim de cima até em baixo, depois sorriu maliciosamente, com certeza não deve ter me reconhecido.

Jasmine: Você não tem cara de que bebe! Qual foi, está depressivo? – disse rindo, eu queria mostrar que se ele não estava me reconhecendo, eu sentia o mesmo.

Justin: Não basicamente depressivo! É que eu tenho a pior vida do mundo, nada do que eu faço dá certo. – ele disse meio enrolado, mas ainda sorrindo, não se importando com o que acabara de falar.

Jasmine: Que triste. – tentei ser o mais sensual possível.

Justin: Mas e você? Não tem cara de que frequenta boates. – ele sorriu de lado.

Jasmine: Todo mundo me diz isso! – disse e ri fraco – Mas não se engane, eu vou a boates, mas não frequentemente. – sorri maliciosamente.

Justin: Qual o seu nome? – ele bebeu o resto de sua bebida e me olhou parecendo interessado, eu fiquei paralisada, não sabia se dizia meu nome mesmo ou se mentia, até porque ele não estava me reconhecendo.

Jasmine: Meu nome é Jasmine. – disse sorrindo maliciosamente e ele arregalou os olhos como se lembrasse desse nome de algum lugar.

Justin: Jasmine? Mas o que você está fazendo aqui vestida desse jeito? – ele perguntou indignado me olhando da cabeça aos pés.

Jasmine: Você está tão bêbado que nem me reconheceu e está reclamando por eu estar aqui? Justin, eu gosto de você, Okay? E eu te quero de volta. – disse séria.

Justin: Quer-me de volta? Você acha que é fácil assim? – ele riu ironicamente – Eu não me lembro de você e não é só porque você era minha namorada que eu tenho que ficar com você agora.

Jasmine: Justin. – disse indignada e olhando pra mim mesma, ele deve ter entendido o que eu queria dizer e sorriu maliciosamente.

Justin: Você não passaria de uma transa. – ele deu de ombros.

Jasmine: Então por que ainda não transou com ninguém? Por que você ia a boates como essa e não ficava com ninguém? Isso tudo era por causa de mim, você me amava e não queria me trair de jeito nenhum. Justin será que você não se lembra disso? É sério que você não me ama mais? Não existe nem um pouco do amor que você sentia por mim ai dentro? – apontei para seu coração – Seu coração é tão duro á ponto de você não querer lembrar nem da pessoa que sempre te amou e ainda te ama? – eu estava decepcionada e parei um pouco pra não desabar em lágrimas.

Justin: Jasmine, não é bem assim! Eu tenho amnésia, esqueceu? E mais, eu não mando em meu coração, se ele estivesse sentindo alguma coisa por você, eu saberia. Eu queria, eu juro que eu queria sentir algo por você, aquelas fotos, todas aquelas fotos que eu vi em meu celular, eu senti que eu realmente gostei de você, que eu realmente fui feliz ao seu lado, mas agora eu não me lembro de nada do que passamos. Meu coração se destrói só por ver aquelas fotos e saber que você está aqui, que eu posso te ter de volta, mas não dá, eu não iria me reconhecer. Eu praticamente não te conheço, não me lembro de você. – ele soltou aquilo tudo me fazendo chorar.

Jasmine: Eu te amo tanto. – disse me aproximando e coloquei uma mão em seu rosto acariciando o mesmo – Eu queria que tudo fosse como antes. – disse e dei um sorriso forçado, olhei dentro dos olhos dele que olhava nos meus também.

Justin: Eu queria me lembrar de tudo o que passamos, juro que queria. – ele disse repetindo aquilo mais uma vez.

Jasmine: Eu também queria, só que, além disso, eu também queria isso. – coloquei uma mão na nuca dele e o beijei bruscamente, ele correspondeu na hora e percebi que ele colocou uma mão em minha cintura grudando meu corpo ao dele e com a outra mão ele segurava meu rosto, o beijo durou um bom tempo e quando paramos, olhei para o Justin e ele parecia outra pessoa.

Justin: Jasmine? – ele perguntou sorrindo feito bobo.

Jasmine: Justin? – sorri da mesma forma e o abracei, eu não sabia o que tinha acontecido, mas eu estava feliz por ele ter me reconhecido.

Justin: O que aconteceu? – ele perguntou parecendo confuso.

Jasmine: Eu é que pergunto! Você está muito diferente. – disse ainda sorrindo, eu estava mais feliz do que nunca.

Justin: Eu lembro que eu estava em casa, ai do nada apareço aqui. – ele disse confuso.

Jasmine: O quê? – perguntei assustada com o que acabara de ouvir.

Justin: Sim, aconteceu tanta coisa que pareceu um sonho porque eu não me lembro de ter vivido aquilo tudo. Mas eu estou feliz por você ter voltado! – ele disse e me abraçou novamente.

Jasmine: Você deve ter se lembrado de mim quando eu te beijei, ai tudo o que aconteceu quando você me esqueceu, pareceu apenas um sonho. – disse e sorri.

Justin: Eu te esqueci mesmo? – ele perguntou com uma carinha triste e eu assenti.

Jasmine: Sim, mas eu voltei e agora você será apenas meu. – disse e o agarrei beijando-o em seguida.

Kethlen: Pelo jeito vocês acertaram as contas. – ouvi a voz dela um pouco perto da gente, Justin e eu paramos de nos beijar e eu olhei pra ela.

Jasmine: Ele se lembrou de mim. – disse sorrindo e Justin sorriu também.

Emily: Assim tão rápido? – ela perguntou curiosa.

Justin: Um beijo pode mudar tudo, pode fazer você se lembrar de alguém também, quem sabe. Foi o que aconteceu comigo. – ele disse feliz.

Kethlen: Que bom que vocês estão juntos agora, eu não estava aguentando mais o Bieber ficar falando que não gostava de Jasmine nenhuma, que não conhecia a Jasmine e blá blá blá. – ela disse revirando os olhos me fazendo rir – Eu não gosto muito de você Bieber, mas se a Jasmine te ama e você a faz feliz, prefiro que fiquem juntos. – ela disse o fazendo sorrir.

Justin: Eu também não gosto muito de você, mas mesmo assim obrigado. – ele disse e riu.

Emily: Mas eai, nós vamos ficar aqui parados? – ela perguntou parecendo entediada.

Jasmine: Kethlen pode ficar com o meu carro, eu vou embora com o Justin. – disse e olhei pra ele que assentiu concordando.

Kethlen: Sei bem o que estão pensando em fazer. – ela disse com um sorriso malicioso e eu entreguei a chave do meu carro.

Justin: Kethlen, você não sabe de nada. – ele disse a encarando.

Kethlen: Não me insulte, você está bêbado. – ela disse revirando os olhos.

Justin: Eu não estou bêbado. – ele disse um pouco bravo.

Jasmine: Chega ok? Vamos Justin, e você Kethlen, cuida bem do meu carro, tá? – disse e pisquei.

Kethlen: Okay. – ela piscou de volta e saiu andando dali com a Emily.

Justin: Eai? – ele colocou as duas mãos em minha cintura grudando meu corpo perto ao dele.

Jasmine: Vamos embora. – disse com um sorriso malicioso.

Justin: Embora? Eu posso te levar em um lugar melhor. – ele disse e piscou.

Jasmine: Duvido muito que você vai achar, mas tudo bem. – disse sorrindo.

Saímos da boate e entrei na Lamborghini de Justin, eu ainda ficava impressionada vendo aquele carro roxo em minha frente, mas eu apenas me concentrei em Justin, eu o tinha de volta novamente e nada podia mudar, tirando o fato de que ele estava mesmo um pouco bêbado. As ruas estavam extremamente escuras e ele praticamente fechava os olhos pra tentar ver onde estava indo, eu olhava o tempo todo para o caminho e não reconhecia as ruas, nós estávamos perdidos, é isso.

Jasmine: Justin, você sabe onde estamos indo? – perguntei receosa.

Justin: Realmente? – ele olhou rápido pra mim e eu arqueei uma sobrancelha querendo a resposta – Eu não sei, as ruas estão tão escuras, eu me confundi em qual entrá-las.

Jasmine: E agora? – perguntei desesperada.

Justin: Se acalma Jasmine, eu vou parar em um lugar qualquer e nós vamos ser obrigados á esperar amanhecer. – ele disse como se fosse muito simples assim.

Jasmine: Nós vamos dormir no carro? – perguntei o encarando.

Justin: Pelo jeito sim. – ele disse e sorriu – O que foi? Não quer ficar sozinha comigo? – ele perguntou parecendo decepcionado.

Jasmine: Não é isso, eu só tenho medo de acontecer alguma coisa. – disse sem olhá-lo, então ele estacionou o carro em um lugar que eu pude perceber que era no meio do mato, em seguida ele fechou os vidros do carro e tirou o cinto olhando pra mim.

Justin: Não vai acontecer nada e se acontecer, eu vou dar um jeito. – ele disse e sorriu, eu me senti segura só por ter ouvido aquilo.

Jasmine: Tudo bem. – sorri também e tirei o cinto – O que vamos fazer trancados aqui nesse carro?

Justin: Vamos para o banco de trás. – ele disse e saiu do carro, sai também e entramos no banco de trás. – Agora... – ele disse olhando pra mim com um sorriso malicioso, eu sabia bem o que ele estava querendo. Aproximei-me mais e coloquei uma mão em seu rosto, ele colocou uma mão em minha nuca e me beijou bruscamente, o beijo começou calmo, mas foi ficando feroz e rápido, Justin foi se aproximando mais e grudou seu corpo ao meu, aquilo tudo estava ficando quente e eu sabia o final disso tudo. Ele acariciava o meu corpo com um certo tesão, eu sentia isso vindo dele, eu acariciava o corpo dele da mesma forma, até que uma hora Justin parou o beijo e tirou a camisa, eu como estava com uma camisa grande também, fiz o mesmo. Ele voltou á me beijar fazendo com que eu me deitasse no banco, um pouco depois ele começou á beijar meu pescoço, mas tudo aquilo foi interrompido pelo meu celular tocando.

Jasmine: Argh. – disse pegando o mesmo e vendo que era Jream – Eu vou ter que atender, é o meu irmão. – disse sorrindo torto e ele assentiu colocando a camisa novamente, atendi a ligação. – Oi Jream! – disse com o ânimo lá em baixo, ele tinha interrompido quando estávamos na melhor parte.

Jream: Onde você está? – perguntou parecendo preocupado.

Jasmine: Estou no meio do nada com o Justin. – disse e bufei, ouvi Justin rir de meu comentário.

Jream: Estão fazendo o quê? – agora ele estava curioso.

Jasmine: Nós nos perdemos, então Justin resolveu parar em um lugar qualquer pra gente esperar amanhecer.

Jream: Vocês não podem ficar ai, tem que arranjar algum lugar pra ficar essa noite.

Jasmine: E como pretende fazer isso, meu querido irmão?

Jream: Vou rastrear seu celular e descobrir onde estão, daqui á pouco eu te ligo e digo um lugar ai perto pra vocês ficarem.

Jasmine: Tudo bem. – disse e ele desligou.

Justin: O que aconteceu? – perguntou curioso.

Jasmine: Jream vai rastrear meu celular e procurar algum lugar para nós passarmos essa noite, depois ele vai me ligar. – disse e sorri.

Justin: Que bom porque eu não estava muito animado em passar a noite aqui. – ele disse e deu um riso fraco.

Jasmine: Eu também não. – disse e lembrei que estava apenas de sutiã ali na frente dele e fiquei morrendo de vergonha, coisa que eu nunca senti na vida. Peguei minha camisa e com ela cobri meu corpo, em seguida ouvi a risada de Justin.

Justin: O que foi Jasmine? Está com vergonha de mim? – ele disse se aproximando e colocou uma mão em meu rosto acariciando o mesmo com o polegar, sorri com seu ato.

Jasmine: Claro que não, é que eu... – fiz uma pausa tentando encontrar alguma explicação por ter feito aquilo, mas não achei nenhuma, ele riu mais uma vez.

Justin: Não precisa ter vergonha de mim, eu sou seu namorado. – ele disse simplesmente e meu coração se encheu de alegria por ter ouvido ele dizer aquilo. Acho que um sorriso do tamanho do mundo se formou em meu rosto.

Jasmine: Tudo bem. – disse ainda sorrindo e coloquei uma mão na nuca dele acariciando seus cabelos, olhei para seus lábios e vi que ele olhava para os meus também, me aproximei mais e o beijei. Percebi que eu nem segurava mais minha blusa, então ela foi jogada em algum lugar, Justin mais uma vez fez com que eu me deitasse no banco e continuou com o beijo, dessa vez o calor estava maior e eu realmente queria aquilo, mas não dentro de um carro. Por fim, mais uma vez fomo interrompidos pelo meu celular, Justin se afastou e eu peguei o mesmo atendendo logo em seguida. – Oi Jream.

Jream: O único lugar perto dai que eu achei foi um Motel não muito frequentado, deve estar caindo aos pedaços, eles vão ficar felizes por vocês passarem a noite lá. – ele disse e riu.

Jasmine: Um Motel, Jream? Não tinha coisa melhor? – perguntei indignada.

Jream: Esqueceu que vocês foram parar no fim do mundo? Não tem coisa melhor ai! E vocês podem aproveitar já que vão estar em um Motel mesmo. – ele riu mais uma vez.

Jasmine: Pare de insinuar besteiras Jream, me passe o endereço desse Motel ai.

Jream: Okay. – ele disse e começou á falar o endereço, Justin me deu seu celular e eu anotei ali mesmo, em segundos já tínhamos um GPS para ir até o tal Motel.

Jasmine: Muito obrigada! E até amanhã. – disse e desliguei na cara dele.

Justin: Podemos ir? – perguntou e eu assenti. Ele saiu do carro e entrou novamente sentando no banco do motorista. – Vai ficar ai mesmo? – perguntou olhando pra mim pelo espelho.

Jasmine: Vou sim. – disse sorrindo e coloquei minha camiseta, em seguida Justin acelerou, não demoramos muito e chegamos no tal Motel de quinta que o Jream havia me informado. Saímos do carro e pelo menos, era mesmo do jeito que ele tinha falado, caindo aos pedaços e que ninguém frequenta, pois bem melhor do que nada. – Será que nós devemos mesmo passar a noite ai? – perguntei puxando o braço de Justin.

Justin: Se você não quiser ficar no meio da rua, sim. – ele disse sério e fomos andando até lá dentro, tinha um recepcionista mexendo no celular.

Recepcionista: Meu Deus! Clientes! – ele quase pulou da cadeira, pelo jeito que havia falado, percebi que é gay.

Jasmine: Oi. – disse sorrindo forçado, o cara estava tão feliz por ter nos visto ali.

Recepcionista: Eai? O que querem pra essa noite? – ele parecia muito animado.

Justin: Nós queríamos passar a noite aqui, não conhecemos o lugar e aqui foi o único que achamos.

Recepcionista: Passar a noite aqui? Isso é maravilhoso! Querem que levem champanhe ao quarto de vocês? – ele estava indo longe demais.

Jasmine: Nós só queremos entrar no quarto, ok? – pedi o encarando.

Recepcionista: Okay! Acompanhem-me. – ele disse saindo de trás do balcão e começou á andar, nos mostrou o quarto e deu a chave do mesmo, entramos e Justin fechou a porta.

Jasmine: Será que... – antes que terminasse a frase, do nada começou á chover muito forte, eu fiquei morrendo de medo e corri pra cama me deitando na mesma.

Justin: Você está com medo? – ele perguntou vindo em minha direção e sentou ao meu lado, assenti concordando. – Eu estou aqui, não precisa ficar com medo, tá? – ele disse acariciando o meu rosto e sorriu.

Jasmine: Deita aqui comigo. – pedi e ele assim fez, ele se deitou e eu coloquei minha cabeça em seu peito, ele ficou acariciando meus cabelos. Aquele barulho da chuva me dava arrepios e como Justin estava bem próximo de mim, deduzi que ele sentia aquilo tudo. Eu só queria que amanhecesse de uma vez.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...