História Crazy In love - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jasmine Villegas, Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Jasmine Villegas, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette, Ryan Butler
Tags Bern Villegas, Chaz Somers, Christian Beadles, Jasmine Villegas, Jream Andrew, Justin Bieber, Justin Villegas, Pattie Mallette, Ryan Butler
Visualizações 184
Palavras 1.888
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oe oe, boa leitura xuxus

Capítulo 39 - Forever...


Fanfic / Fanfiction Crazy In love - Capítulo 39 - Forever...

 No dia seguinte... Terça-feira – 1 de maio.

 

POV Jasmine

 Acordei com meu celular despertando, me levantei, tomei um banho e desci pra cozinha, não tinha ninguém lá até que ouço dona Bern gritar meu nome desesperada, fiquei até preocupada, então ela entrou na cozinha.

Jasmine: O que foi mãe?

Bern: Onde está o Jream? – perguntou bem preocupada.

Jasmine: O Jream deve estar no quarto dele, oras. – disse como se fosse óbvio.

Bern: Não Jasmine! Jream não está no quarto dele, ele não dormiu em casa e saiu a tarde toda ontem, aconteceu alguma coisa.

Jasmine: Meu Deus! – gritei desesperada – Vou ligar para o Bieber, ele vai ajudar, não se preocupa. – disse e corri para o meu quarto, peguei meu celular e fui direto ligar pra ele que não demorou muito pra atender – Hey bae, eu preciso de você urgente! Por favor.

Bieber: Jas? O que aconteceu? – perguntou preocupado.

Jasmine: O Jream não voltou ainda! Você precisa encontra-lo, agora. – eu já ia começar a chorar.

Bieber: Jas, por favor, se acalma... Não chora não, eu vou localizar o celular dele e vou procura-lo, não se preocupe, ok? – ele pediu tentando me acalmar.

Jasmine: Ok, mas não demora porque preciso de notícias do meu irmão! Por favor. – pedi.

Bieber: Tudo bem, te dou notícias em breve... Beijos te amo! – ele disse e desligou, joguei meu celular em qualquer lugar e cai na cama, alguns minutos depois alguém bateu na porta e eu pedi que entrasse, logo vi Mary.

Mary: Hey Jas aconteceu alguma coisa? Eu ouvi a Tia Bern chorando. – ela falou se aproximando e sentou-se em minha cama, me sentei olhando pra ela.

Jasmine: Pois é, o Jream ainda não chegou desde ontem, minha mãe está preocupada e eu também, achamos que aconteceu alguma coisa. – falei com a cabeça baixa.

Mary: Meu Deus, mas o que poder ter acontecido? – perguntou inocentemente.

Jasmine: Prima, não precisa se preocupar ok? O Bieber já está á procura dele! Falando em Justin, cadê o meu irmão?

Mary: Seu irmão não está sumido? – perguntou como se fosse óbvio, eu queria rir.

Jasmine: Meu irmão, Justin.

Mary: Justin está no quarto dele, mas o que ele tem a ver com o Bieber? – perguntou confusa, eu fiquei impressionada com tamanha lerdeza.

Jasmine: Mary, os dois se chamam Justin, entendeu? – expliquei.

Mary: Mas então por que você chama seu namorado de Bieber? – perguntou ainda mais confusa.

Jasmine: Para o meu irmão, Justin, não pensar que estamos chamando ou falando dele, entendeu? E vice-versa.

Mary: Ah entendi – ela sorriu satisfeita – Se precisar de alguma coisa, é só me gritar ok? – disse se levantando, eu assenti e ela se retirou.

Jasmine: Tá né. – dei de ombros e comecei a rir, a Mary conseguia ser lerda a nível infinito, não entendo essa garota. Mas ok, não é momento pra ficar rindo da minha prima, eu gosto muito dela. Deitei-me de novo na cama pra tentar dormir, eu consegui, mas acordei com alguém batendo na porta e me chamando, reconheci a voz, o pirralho. Abri a porta completamente furiosa. – Justin, o que quer aqui?

Justin: Seu namorado ligou e seu pai está lá em baixo querendo falar com você! – ele disse um pouco desesperado.

Jasmine: O que ele disse? – perguntei preocupada.

Justin: Não sei só a Bern sabe, ela pediu pra eu chamar você por causa do seu pai, mas ela já está saindo.

Jasmine: Ela que ouse. – sai correndo lá pra baixo, achei aquele homem idiota conversando com a Bern – Mãe, cadê o meu irmão?

Bern: Ele está no hospital! Eu vou lá, converse com o seu pai, faça o que ele mandar. – é o quê?

Jasmine: Mas mãe... – disse, mas ela já tinha se retirado, me virei encarando aquele homem que diziam ser meu pai – O que você quer comigo?

Brad: Vamos pra Inglaterra! Agora. – ele me olhou de um jeito que até fiquei com medo.

Jasmine: Você não manda em mim. – coloquei as duas mãos na cintura.

Brad: Sou seu pai, esqueceu? – disse como se fosse óbvio.

Jasmine: Eu não vou á lugar nenhum com você! Quero ver meu irmão.

Brad: Seu irmão Jream? – perguntou, eu assenti e ele começou a rir alto – Minha filha, você ainda tem esperanças de que ele esteja vivo? Sinto lhe informar, mas ele não está. – ele disse rindo da minha cara.

Jasmine: MENTIRA! – gritei.

Brad: Venha comigo se não quer sofrer pelo irmão morto! E também, lembra que sua mãe disse pra você fazer o que eu mandar? Então vai arrumar uma mochila logo! – ordenou.

Jasmine: EU TE ODEIO. – cuspi as palavras na cara dele e subi correndo para meu quarto, Mary e Justin entraram em seguida e me abraçaram – Eu amo tanto vocês.

Justin: Nós ouvimos tudo Jas. – falou com um olhar triste, nunca pensei que o veria assim por causa de mim.

Mary: Ouvimos mesmo, não acredito que você vai mesmo ser obrigada á ir com esse homem! – ela disse indignada e eu assenti.

Justin: Eu não quero ficar longe de você Jas. – ele disse e me abraçou forte, retribui.

Jasmine: Eu também não! Mas tenho que fazer a vontade desse sujeito. Só não se esqueçam de me ligar e dizer como o Jream está ok? – pedi e eles assentiram.

Mary: Mas e o seu namorado?

Jasmine: Eu não sei... – então do nada senti lágrimas em meus olhos –  mas eu não posso e nem quero ficar longe dele. – disse e eles me abraçaram de novo.

Justin: Não se preocupe que ele vai dar um jeito de ir atrás de você, ele te ama.

Jasmine: Eu sei, tomara que você esteja certo! – forcei um sorriso – Agora preciso arrumar a droga das malas. – falei desanimada.

Mary: Nós ajudamos! – disse animada e fechou a porta.

Jasmine: Obrigada. – sorri e começamos á arrumar minha mala, parecia até que eu estava gostando de ir embora, mas não. Estava quase terminando e logo ouvi o canalha me chamando.

Brad: Jasmine anda logo com essa droga de mala! – gritou.

Jasmine: Se você quiser, espere. – gritei de volta. Ele entrou no meu quarto com tudo, pensei que ia derrubar a porta.

Brad: Quer saber? Acho melhor você vir comigo e deixar essas malas ai! – ele pegou no meu braço com força.

Justin: Larga a minha irmã! – ele disse encarando Brad.

Brad: Pirralho fica na sua... Quem você pensa que é pra me dar ordens? – ele falou rindo ironicamente, tive vontade de socar ele por falar assim com o meu irmão.

Jasmine: Não fala assim com ele! E me solta. – falei o encarando.

Brad: Jasmine, não vem dar uma de valentona não porque você vai comigo por bem ou por mau. – ele falou já me puxando pra fora do quarto.

Mary: Hey, assim você vai machucar ela! – ela quase gritou, mas aquele canalha nem deu ouvidos, não estava se importando com a presença dela.

Brad: Anda garota, vamos. – ele falou me empurrando, descemos e eu fui completamente arrastada pra fora de casa sem poder dizer um “A”, que na verdade eu disse muitos, eu gritava, fazia tudo, mas ele não me soltava de jeito nenhum. Então ele me empurrou pra dentro de um carro preto enorme e fechou a porta. – Se tentar fazer alguma gracinha, vai se vir comigo. – ele disse entrando no carro e se sentando no banco do passageiro, o cara que ia dirigir logo acelerou.

Jasmine: E minhas malas? – perguntou desesperada. Ele ia mesmo me levar pra Inglaterra sem roupa nenhuma?

Brad: Não se preocupe que meus homens vão levar suas malas pra lá. – ele falou todo sério, mas também só disse isso.

Jasmine: Argh. – bufei e me sentei desajeitada no banco do carro, eu queria dormir, acordar e acreditar que isso é apenas um pesadelo. Pena que não seria possível. Fiquei olhando a estrada, nunca mais veria essa cidade que eu tanto amo, vivi aqui por dois anos e agora do nada, esse idiota vai me tirar dela. E o Bieber... Como é que eu vou viver longe dele? Não, eu preciso dar um jeito de quando chegarmos à Inglaterra de eu ligar pra ele de alguma forma, mas eu tenho certeza que esse Brad não vai deixar eu me mover pra onde quer que seja. Esse pesadelo precisa acabar se não eu vou acabar não suportando tudo isso.

[...]

POV Justin

 Bern chegou ao hospital e foi direto para o quarto do Jream ver ele, eu fiquei sentado na sala de espera, não tinha nem telefonado pra minha mãe pra dizer o que tinha acontecido, mas afinal, o que eu ia dizer? Que estava no hospital com um cara que tinha sido sequestrado pelo pai da irmã dele? Não, eu não vou fazer isso. Também não disse nada disso á Bern pra ela não ficar preocupada e super desesperada. Na verdade, eu deveria estar assim porque ela não trouxe a Jasmine, preciso conversar com ela quando sair daquele quarto. Como assim ela vem ver o Jream e não traz a Jasmine? Fiquei um tempo ali sentado depois que ela chegou e então senti meu celular tocando, olhei no visor e era a dona Pattie, atendi.

Justin: Oi mãe.

Pattie: Justin aconteceu alguma coisa?

Justin: Comigo, não! Por quê? – tentei disfarçar.

Pattie: Com você não? Por que saiu de casa desesperado? – perguntou desconfiada, Okay eu tenho que falar logo.

Justin: Eu estou no hospital com um amigo, mas ele já está melhor, a mãe dele já foi vê-lo, não se preocupe com nada. – falei calmamente.

Pattie: Que bom! Você está com a Jasmine?

Justin: Não, a Jasmine ficou em casa com o irmão dela.

Pattie: Okay então volte logo viu... Beijos!

Justin: Tá, beijos. – disse e ambos desligaram. Fiquei mais alguns minutos ali sentado esperando a Bern sair daquele quarto até que do nada a vi andando em minha direção, ela estava com um sorriso no rosto, aquilo me fez sorrir também. Levantei-me e esperei ela se aproximar. – Como foi?

Bern: Ele está melhor, mas não bem. – falou séria e em seguida sorriu de canto.

Justin: É eu sei. – disse com o olhar baixo e me lembrei de uma coisa – Bern, cadê a Jasmine? – perguntei curioso.

Bern: Eu não trouxe a Jasmine porque o Brad chegou lá em casa querendo conversar com ela, então eu deixei os dois conversando. – o que foi que você fez Bern? Pode repetir, por favor? A minha expressão mudou repentinamente e ela me olhou assustada. – O que foi?

Justin: Nada! – revirei os olhos – Eu vou ver a Jasmine, você fica aqui?

Bern: Sim, vou ficar aqui. – ela falou se sentando.

Justin: Okay, então eu vou lá. – dei um meio sorriso e sai quase correndo daquele hospital, como ela teve a coragem de deixar a Jasmine com aquele canalha? Se bem que ela não sabe a pessoa que o Brad é, não posso culpá-la, mas e se ele levou a Jasmine? Não, ele não fez isso. Preciso chegar lá o mais rápido possível. Peguei meu carro e sai á mil, não queria perder tempo algum, só queria ver a Jasmine e nada mais. Quando cheguei, estacionei meu carro de qualquer jeito e sai em disparada, entrei sem pedir licença alguma, ao entrar na sala vi Mary e Justin sentados no sofá e chorando. – Cadê a Jasmine? – perguntei completamente preocupado.

Mary: A Jasmine... – ela começou, mas não conseguiu terminar a frase.

JustinV: Ela foi embora! Pra sempre. – ele completou chorando também.

 

Continua...


Notas Finais


espero que tenham gostado e n me matem, please :) xx mari


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...