História Crazy In Love ( PRIMEIRA TEMPORADA) - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amor Louco, Badboy, Colegial, Drama, Suicida
Visualizações 57
Palavras 1.376
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais um! ❤

Capítulo 40 - Garoto Problema


"O mundo parava quando ela fazia isso. Era como, como se ela segurasse a mim, como se o mundo a nossa volta não existisse, e de repente era só eu e ela  "


PV HENRY ON

-Henry. -Ela chamou depois da aula. Sua voz estava meio irritada. Eu me virei pra ela, respirando fundo. Sabia que eu não deveria trata-la assim, nós estávamos tão bem, mas eu simplesmente desconto nas pessoas.

-O que? -fiz uma voz mais fraca. 

-Você pode explicar o que ta acontecendo? Não ta falando comigo e eu nem sei o porque.

Droga Henry. Como vou explicar.  

-Eu.. -hesitei entre contar ou não,  mas eu não posso, não quero que ela ache que eu sou um problemático. -Eu só to irritado.

-E desconta em mim? 

-Ok, Hay.. eu errei, ta legal? Me desculpa.

Ela sorriu.

-Você pedindo desculpas, ual, temos um avanço aqui.

-Não comemora muito não.  -murmurei revirando os olhos, ela me desferiu um tapa leve. 

-Agora fala, com o que você tá tão irritado que desconta em mim?

-É. . O Treinador,  disse de um possivel campeonato, eu só estou nervoso. -menti.  Eu estava era bravo com aquilo que o Ryan disse, apesar de eu e ele nunca ficarmos sem nos falar, é claro que eu ia ficar de boa com ele, mas agora.. eu estava muito bravo. Eu odeio que me façam parecer um problemático,  não quero que essa seja a visão que ela tem de mim.

Ela estava me olhando .

-O que?

-Sei quando você mente, Henry. Te conheço o suficiente pra saber.

-Eu.. Não sei do que está falando. 

Mas é claro que ela saberia, eu e Hayley passamos essas semanas todas juntos, ela pôde conhecer muito de mim, como nenhuma outra pessoa pôde.

-É claro que sabe, não minta pra mim ! 

Suspirei fundo.

-Ok, eu e Ryan tivemos um desentendimento,  e eu não gosto de ficar assim com ele,  ok? Eu fiquei irritado. -ela me olhava batendo o pé,  com um bico. Eu ri. A abracei . -Me desculpa,  ok. Eu não quis descontar em você.  Eu..

-Shh. Ta tudo bem.  Só me prometa que vai me contar o que há de errado. 

Engoli em seco.

-Henry. Me prometa! Eu quero ser a garota que te conhece, eu quero.. saber e te ajudar.  Eu.. quero ser especial.

-Você é especial. 

Ela mordeu o lábio.  

-Só quero ser diferente, Hen, eu quero ser sua confidente, quero ser sua excessao, eu sei que você não gosta de contar, não peço que mude, eu te entendo, eu compreendo,  nunca vou querer mudar você,  só me sentiria melhor com você me contando, ok?

-É por isso que eu te amo. -eu a puxei pela cintura, mas ela ainda esperava minha resposta. -Prometo tentar. -ela sorriu, e nós nos beijamos rapidamente. 

-Festa na casa da Cristinna Harler, sábado a noite. -Lydia vibrou me dando o convite.  Eu a olhei, e ela deu um para Hayley tambem. -Vão,  todos estarão lá. 

Assentimos e ela saiu com um sorrisinho.

-quem é? 

-Lydia. Ela é do grupinho da Veronika, mas ela é mais tranquila. 

-hm. E essa cristinna?

-As festas dela são as melhores. Bom, depois das minhas , é claro. -pisquei pra ela.

-Não sei, não tive a honra de ir a uma festa de Henry Martin.  -ela enfatizou meu nome, com um sorriso, que eu amava.

-Eu fiz antes de você chegar. 

-hm.. 

-Bom, mas as festas da Cristinna é aonde a galera se reúne. 

-A galera toda?

-Bom, os populares, e os mais normais. 

-Normais? -ela perguntou confusa.

-Aqueles que não são da "elite" -fiz aspas- mas também não são os fracassados.

Ela ergueu uma sobrancelha. 

-Elite foi a Veronika que inventou. 

-Hmm, e quem pertencia a isso?

-Eu, ela, Rosalie, Ryan, o idiota do Jansen,  Lydia, Cristinna, e a galerinha por ai ... bom, na verdade ela costumava classificar os alunos. Ela falava das baixo calão,  como as "vadias " da escola, e todo esse bla bla bla.

-Então vocês passavam os dias classificando pessoas? -ela perguntou. 

-Pior, as vezes. Eu era diferente, Hay, naquela época eu fiquei pior, não vamos falar disso, ok? Eu não gosto de lembrar, ainda mais da Veronika. 

Ela assentiu. 

-E, vamos arrumar uma roupa pra você,  nós vamos a festa.

-Nós vamos? -ela perguntou. 

-Bom, eu ainda sou Henry Martin não sou ?  -sorri.

-Ok, príncipe.  -ela zombou, pegando na minha mão.  Fomos para o refeitório enquanto Lydia distribuia os convites pela escola. 

-------

PV HAYLEY ON

-Por hoje é só meninas. -a treinadora falou anunciando o fim do treino de hoje. Os meninos estavam  quase me comendo com os olhos na arquibancada,  se o Henry estivesse aqui.. eu podia imaginar aquela cara dele, enciumado. Todas as vezes ele vinha me buscar aqui, segundo ele, "Não posso deixar você com aquele uniforme em meio desses garotos", ele já estava enciumado demais por ele provavelmente estar na aula , e eu estar aqui. 

Caminhei até o corredor, fui até meu armário e peguei minha mochila. Última aula, graças a Deus agora poderia ir pra casa com o Henry, eu tenho ficado pouco na minha casa desde que, eu e ele começamos. . Essa.. relação. 

-Então agora ta com o Martin.  -uma voz desesperada e enciumada atrás de mim, segurando meu braço,  Corey. Quem ele pensa que é? 

-Tire suas mãos de mim. 

-Não,  Hayley.. você tem que me ouvir. 

A cara desse garoto é de louco, desesperado.

-Não quero te ouvir. Me solta, moleque.

-Me responde.  Você está com o Henry?

-O que você acha,  idiota? -uma outra voz surge. Henry. 

Corey o olhou assustado.

-Vai tirar suas mãos imundas dela, ou vai querer que eu tire pra você? -seu tom saiu ríspido , cortante, seu maxilar estava travado.

Ele tirou as mãos,  e as levantou, zombando.

-Aproveite bem sua cadelinha. Ela tá negando você também?  Ou ela já soltou? 

Henry deu um suspiro forte, eu sabia que ele avançaria.

-Henry, deixa isso pra lá!  -Eu me pus na frente dele, tocando seu peito, Corey zombava atrás de mim, mas o maxilar dele continuava travado, sua expressão era firme, suas batidas estavam aceleradas.

-Henry... -chamei denovo. Ele não me ouviu, e eu o beijei. 

PV HENRY ON

Quando ela me beijou, eu simplesmente concentrei,  eu estava ciente de Corey ali, eu a puxei fortemente pela cintura, e foi rápido. 

Eu a coloquei do meu lado ainda segurando a. 

-Eu podia quebrar você.  Mas eu não vou, não hoje. -respirei,  eu to me controlando pra não quebrar esse garoto.  Se não fosse pela Hayley,  eu tinha mandado esse idiota pro hospital. 

-Você tem sorte, Henry. -ele me disse avaliando Hayley. O que esse  pensa que está fazendo olhando para a minha garota ? 

-Sorte você teve hoje. -ralhei entre dentes. -Mas fica atento,  Jansen,  porque se me provocar novamente eu não vou pensar duas vezes antes de afundar isso que você chama de rosto! -a raiva disparava dentro de mim, ele saiu sem dizer nada.

-Calma, ei.. -Hayley falou docemente segurando minha mão.  O mundo parava quando ela fazia isso. Era como, como se ela segurasse a mim, como se o mundo a nossa volta não existisse , e de repente era só eu e ela. Minhas batidas cardíacas foram levemente diminuindo, meu equilíbrio foi tomando forma novamente.

-Porque fez aquilo? -falei calmamente.

-Não quero ver você em problemas. Não denovo.

Eu ri.

-Então eu me meto muito em problemas? -sorri de canto.

-Sim. Você é o meu garoto problema.  -ela riu. 

Garoto problema. 

-Acho que garoto problema me serve muito bem. -eu sorri pra ela, a puxando para outro beijo.

----

PV HAYLEY ON

Assim que fechamos a porta,  jogamos nossas mochilas no chão ,  Henry me pegou no colo. Coloquei as pernas atrás de sua cintura, sua mão desceu e apertou forte meu bumbum. Como sempre, nós começamos a se beijar, mas hoje, estava diferente, era mais intenso que o normal. 

Eu estava ofegante.

-Henry...-eu soltei em forma de gemido ou forma de desacelerar , eu não sabia como , eu não conseguia pensar em nada nesses momentos. 

-Shh, deixe o seu garoto problema agir. -e sorriu de canto.

Aaah eu amo quando ele faz isso. Nos beijamos por um bom tempo, ele me jogou na cama, tirou sua camisa, meu Deus eu estava no paraíso, eu passei a mão por todo seu abdômen, ele ficou por cima de mim e nós começamos a nos pegar.  Ha dias vinha sendo assim, mas nunca havia rolado nada, mas parecia que nossos corpos pediam um pelo outro. 




Notas Finais


Hmm garoto problema? Mas ela gosta, *e eu tambem!, * opss. O que vocês estão achando desse efeito de calmaria que Hayley causa nele? E ele vai contar pra ela mesmo, ela vai saber sobre suas emoçoes? Será que vai rolar hot? Vou escrever outro capítulo agora mesmo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...