História Crazy In Love Second Season - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jasmine Villegas, Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette
Tags Bern Villegas, Chaz Somers, Christian Beadles, Jasmine Villegas, Jream Andrew, Justin Bieber, Justin Villegas, Ryan Butler
Visualizações 343
Palavras 2.267
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oie oie, olha eu aqui de volta, o/// espero que gostem do primeiro capítulo e... boa leitura :3

Capítulo 1 - New life!


Fanfic / Fanfiction Crazy In Love Second Season - Capítulo 1 - New life!

POV Jasmine

 Aquelas horas dentro de um avião foram as piores possíveis, Brad estava do meu lado, eu não conseguia olhar pra ele um minuto se quer, mas eu diria tudo o que tinha pra dizer pra ele no momento certo. Então, eu me distrai um pouco e olhei pro mapa onde indicava para onde estávamos indo e o lugar, não era em direção á Inglaterra e sim ao México. Ele queria me levar pra outro lugar, qual ninguém nunca soube que eu iria? Ok, esse homem só pode estar louco! Eu fiquei completamente desesperada quando vi aquilo, mas não demonstrei nada, só olhei pro Brad, pela primeira vez, com muita raiva. Eu realmente queria que alguém chegasse ali e me tiraria de perto dele. Mas como? Eu estou longe da minha mãe, dos meus irmãos, da minha prima e do... Amor da minha vida. Como esse indivíduo quer que eu viva longe deles? Ah eu acho que é isso mesmo que ele quer! Que eu não aguente a ausência de cada um deles. Só que ele vai ver, eu não demonstrar o que ele quer ver, eu vou fazer tudo muito diferente.

 As horas se passaram e finalmente o avião pousou, quando a aeromoça disse que podíamos sair, eu logo me levantei apressadamente indo em direção á saída, mas do nada apareceu um dos mamutes que anda com o Brad em minha frente, ele me fez esperar até que Brad aparecesse.

Brad: Não pense que irá fugir de mim, Jasmine. – ele disse em meu ouvido e em seguida fez um gesto para que eu continuasse a andar, com aquele gigante em minha frente.

 Saímos do avião, depois pegamos minhas malas, olha que incrível, elas apareceram do nada dentro do avião e eu nem tinha as visto, legal. Depois entramos em um carro e não sei para onde estávamos indo, eu estava exausta, tão exausta que parecia que demoraríamos anos para chegar onde quer que iríamos. Até que aquele bendito carro parou, os dois que estavam na frente saíram e um dos mamutes abriu a porta do carro pra mim, sai e vi uma casa enorme  com direito á piscina e tudo, eu fiquei encantada, mas não demonstrei, queria que o Brad soubesse que ele não podia me agradar de nenhuma forma. Entramos na casa e eu fui logo querendo saber onde era o meu quarto.

Brad: Jake, leve ela até seu quarto e depois suba com as malas dela. – ele pediu pra um de seus mamutes, que assentiu e logo foi andando em direção á umas escadas, acompanhei-o em silêncio, chegamos lá em cima e ele parou em frente à primeira porta dali, abriu a porta pra mim e eu entrei, o quarto era lindo, perfeito. Hiper pequeno, porém eu gostei, melhor do que ficar em um quarto grande sem nada pra fazer.

Jasmine: Ok, obrigada! Quando chegar com as minhas malas, bata na porta, por favor? – pedi e o cara assentiu, em seguida saiu andando, fechei a porta e me joguei naquela cama, como eu disse antes, estava exausta e só sossegaria se dormisse bem, mas eu tinha que esperar o mamute do Brad trazer minhas malas. Alguns minutos depois, ele bateu na porta, pedi pra entrar e ele colocou minhas malas ali, no chão e depois saiu. Agora eu podia dormir em paz.

[...]

 No momento em que acordei, me lembrei de uma coisa. Fui procurar minhas malas e nada delas, então abri o closet e lá estavam todas as minhas roupas, eu só queria saber quem fez essa gentileza pra mim. Levantei-me e fui procurar minha bolsa, ela estava em cima da escrivaninha que havia ali, peguei-a e comecei a procurar meu celular, mas não achei merda nenhuma. Então quer dizer que esse homem pegou meu celular pra eu não ligar pra ninguém? Eu não estou acreditando nisso! Joguei-me na cadeira que tinha ali e comecei a pensar. O que esse cara quer comigo? Primeiro ele me disse que queria que eu fizesse uma boa faculdade na Inglaterra, depois ele me leva pro México, agora o que ele está pensando em fazer? Eu preciso falar com esse homem.

 Sai do quarto e logo quando dei um passo, vi um poste em minha frente, sim era o tal do Jake. Ele me olhou estranho, mas quando eu disse que queria comer alguma coisa, ele assentiu e saiu da minha frente. Desci e tinha mais uns dez seguranças naquela casa. O que ele quer? Prender-me nessa merda? Aproximei-me de um daqueles seguranças e perguntei.

Jasmine: Cadê o Brad? – disse encarando-o. 

O cara ficou em silêncio, mas o tal de Jake apareceu logo quando eu ia gritar com aquele homem que não me respondia de jeito nenhum.

Jake: Ei Jasmine! Não se exalte ninguém aqui é pago pra falar com você e sim pra te vigiar. – ele disse e piscou.

Jasmine: Então por que é que você está falando comigo? – perguntei o encarando.

Jake: Seu pai me permitiu! Eu vou ser a única pessoa dessa casa que vai poder trocar palavras com você. – ele parecia feliz com aquilo, revirei os olhos.

Jasmine: Cadê o Brad? – perguntei já perdendo a paciência.

Jake: Seu pai está no escritório, o que você quer com ele?

Jasmine: Eu quero conversar com ele! Não posso? – perguntei e ele assentiu – Aonde é esse tal escritório? – perguntei e ele começou a andar, acompanhei-o, subimos e ele parou em frente á uma porta no fim do corredor.

Jake: É aqui. – falou apontando para a porta.

Jasmine: Obrigada, já pode ir. – falei sorrindo, ele assentiu e saiu andando, mas percebi que não tinha tirado os olhos de mim enquanto andava. Bati na porta, ouvi Brad perguntando quem era. – Sou eu paizinho! – falei com uma voz fina, super falsa. Ele concordou que eu entrasse, entrei e fechei a porta. – Preciso falar com você.

Brad: O que quer comigo, Jasmine? – perguntou curioso. Aproximei-me de sua mesa.

Jasmine: Eu quero saber por que você tirou meu celular das minhas coisas. – encarei-o.

Brad: Acha que eu iria mesmo te deixar com o seu celular? Você ligaria pro seu namoradinho logo em seguida. – disse e riu.

Jasmine: O que você quer de mim, hein? – perguntei sem entender tudo aquilo.

Brad: Jasmine, eu só quero que você tenha um futuro na vida! – ele falou parecendo estar feliz, mas ele estava mesmo, só que com outra coisa.

Jasmine: Você disse que me levaria pra Inglaterra, por que mudou de ideia e me trouxe pro México? – eu não estava entendendo nada do que ele queria, só queria tirar certas dúvidas.

Brad: Seu irmão sabia que eu te levaria pra Inglaterra, eu não iria pra lá, pra depois ele vir atrás de você. – ele disse com um sorriso enorme no rosto.

Jasmine: Ele vai fazer isso... Mas não vai me achar lá! – disse comigo mesma, me virando e tentando entender aquilo, mas nada entrava em minha cabeça.

Brad: Exato! Eu sou esperto Jasmine, acha mesmo que eu daria bandeira e deixaria que você fosse embora assim? – perguntou como se fosse óbvio.

Jasmine: Por que você está fazendo isso comigo? – me virei olhando-o.

Brad: Eu só quero um tempo com você, longe deles você vai ter uma vida melhor, você vai ver. – ele disse e sorriu, aquele sorriso me deu nojo.

Jasmine: Você não quer o meu bem, você só quer o seu. Nunca se importou comigo, nunca se importou com o meu bem estar. Por que está fazendo isso agora? – perguntei implorando por uma resposta.

Brad: Por que eu vi o tempo que perdi por ter ficado longe de você, eu só quero um tempo, quero recuperar o tempo perdido, quero te conhecer melhor agora Jasmine. – ele parecia estar sendo sincero, mas eu não queria acreditar.

Jasmine: Ok, quando é que eu vou pra escola?

Brad: Se quiser, amanhã mesmo! – ele disse ainda mais sorridente.

Jasmine: Tudo bem. – disse e sai daquele escritório. Desci as escadas, queria comer algo e estava sentindo um cheiro muito bom. Segui o cheiro e parei na cozinha, era cheiro de lasanha, minha comida favorita. Sentei-me em uma cadeira em frente o balcão e logo ouvi a voz de uma senhora.

- Eu já ia servir a comida senhorita! Você deve estar morta de fome pra seguir o cheiro da comida sem saber se quer onde é a cozinha. – ela disse e riu.

Jasmine: Pois é. – falei meio tímida.

- Me chamo Maria, ok? E por favor, não me chame de senhora. – ela disse lavando alguns pratos.

Jasmine: Ah tá! Acho que você deve saber meu nome né. – perguntei já me simpatizando com ela.

Maria: Sim, seu nome é Jasmine. Ninguém me disse nada, mas eu ouvi a sua conversa com o Jake na sala, deu pra ouvir daqui da cozinha. – ela disse e me olhou sorrindo.

Jasmine: Entendi. – sorri – Mas então, quando sai essa comida que tem o melhor cheiro do mundo? – perguntei animada.

Maria: Agora mesmo! – ela disse e em seguida me serviu um pedaço de lasanha, comi com tanto gosto, parecia que eu não comia á anos.

[...]

 No dia seguinte... Quinta-feira, 03 de Maio.

 Acordei com o barulho do despertador, irritante pra falar a verdade. Desliguei o mesmo e em seguida me levantei, entrei no banheiro, tomei um banho rápido e depois me troquei. Eu não sabia como seria o dia na escola, não parava de pensar no Bieber, nos meus amigos, nos meus irmãos. Não vou aguentar por muito tempo. Se bem que eu preciso me acostumar com isso tudo. Desci pra cozinha e a Maria estava lá, apenas tomei um iogurte e sai comendo uma goiaba, já tinha um carro lá fora me esperando e Jake também estava me esperando, quando me viu, ele abriu a porta do carro pra mim que entrei, ele entrou no carro em seguida.

Jasmine: Você que vai me levar pra escola? – perguntei impressionada.

Jake: Sim, qual o problema? – perguntou olhando pra mim pelo espelho do carro.

Jasmine: Eu pensei que você fosse apenas um segurança. – disse dando de ombros.

Jake: Eu posso ser muita coisa, você nem imagina. – ele disse com um sorriso estranho.

Jasmine: Entendi! – revirei os olhos – Já pode ir. – pedi e ele acelerou. Eu não queria trocar uma palavra com ele, então ficamos em silêncio o tempo todo. Quando chegamos à escola, ele estacionou o carro e eu logo sai, mas antes que entrasse na escola, ouvi-o me chamar.

Jake: Hey Jasmine! – ele gritou e eu em virei pedindo pra que ele continuasse – Na hora da saída estarei aqui te esperando. – ele disse todo feliz.

Jasmine: Tá. – disse dando de ombros e me virei pra entrar na escola. Entrei e fui direto saber qual eram meus horários, uma moça me deu um papel e eu sai procurando a sala, até que esbarrei em alguém que deixou seus livros caírem, era uma menina. – Oh Meu Deus, desculpe-me. – falei ajudando-a a pegar seus livros.

- Não foi nada. – ela disse pegando um livro e se levantando, logo olhou pra mim – Você é nova aqui?

Jasmine: Sim! Estava procurando minha sala, aula de... – olhei pro papel novamente – Espanhol.

- A minha também! Qual seu nome? – perguntou animada.

Jasmine: Meu nome é Jasmine, e o seu? – perguntei curiosa.

- Meu nome é Mary Jane! – ela disse já andando.

Jasmine: Sério? O nome da minha prima é Mary. – disse me lembrando daquela garota lerda que eu amava tanto.

MaryJane: Oh que legal, ela mora com você? – ela perguntou e eu abaixei a cabeça.

Jasmine: Não... Ela mora em Los Angeles! Eu morava lá, mas vim pra cá com o meu pai. – disse com uma expressão nada feliz.

MaryJane: O que foi? Parece que não queria estar aqui.

Jasmine: Não, nada a ver! É que eu deixei meu namorado lá... Coisa que eu não queria, de jeito nenhum.

MaryJane: Não se preocupe, aqui você vai arranjar alguém que irá te fazer feliz. – ela disse e senti um aperto no coração.

Jasmine: Não, esquece! Eu não quero ninguém além dele. – falei séria.

MaryJane: Ahn... tá. Mas então, você fala espanhol fluente? Por que você falando comigo, parece que nasceu falando espanhol. – ela disse animada.

Jasmine: Eu sou americana, mas descendente de mexicano, então eu sei sim falar espanhol fluente. – disse e sorri, então ela parou em frente á uma porta.

MaryJane: Essa é a nossa sala! Vem comigo. – ela disse me puxando pra entrar na sala. Ela se sentou em uma cadeira perto da porta e deixou uma na frente pra que eu me sentasse.

Jasmine: Obrigada. – disse sorrindo e me virei pra frente.

MaryJane: Jas! Posso te chamar de Jas, né?

Jasmine: Aham, pode. – disse olhando pra ela.

MaryJane: Então... Você parece tão triste, foi algo que eu disse? – perguntou preocupada.

Jasmine: Não Mary, não foi! Não se preocupe. É que... Eu sinto falta do Bieber, eu o amo tanto. – disse olhando pro nada.

MaryJane: Bieber é o nome do seu namorado? – perguntou e eu assenti.

Jasmine: Justin Bieber é o nome dele. – disse e sorri, estava quase chorando ali só de pensar nele.

MaryJane: Jas, você está com cara de choro, por favor, não faz isso. – pediu como se realmente se importasse comigo.

Jasmine: Ok, obrigada. Você é tão legal... Queria ter mais amigas como você!

MaryJane: Você não tinha amigas onde morava? – perguntou curiosa.

Jasmine: Sim, eu tinha. A Kethlen era uma grande amiga pra mim, mas não é fácil encontrar alguém legal como você logo quando conhece. – disse sorrindo.

MaryJane: Não exagera, eu sou legal com todo mundo! – ela deu um mega sorriso, porém os olhos dela escondiam outra coisa, então me virei pra frente.

[...]

Continua...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...