História Crazy In Love Second Season - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jasmine Villegas, Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette
Tags Bern Villegas, Chaz Somers, Christian Beadles, Jasmine Villegas, Jream Andrew, Justin Bieber, Justin Villegas, Ryan Butler
Visualizações 89
Palavras 4.489
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


hey people, i'm back! leiam as notas finais e boa leitura, xx

Capítulo 21 - Again?


Fanfic / Fanfiction Crazy In Love Second Season - Capítulo 21 - Again?

No dia seguinte... Domingo – 13 de Janeiro de 2013, ás 11:47 A.M.

 Acordei e Jasmine não estava mais na cama, me sentei, olhei pros lados e nenhum sinal dela, me levantei e fui até o banheiro, ela não estava lá. Ah, deve estar por ai. Fiz minha higiene, sai, coloquei uma camiseta branca e um boné preto, em seguida fui até a cozinha, lá estavam os patetas, porém mais sérios.

Justin: Bom dia? – disse tentando tirar a tristeza que estava naquele cômodo.

Jream: Bom dia como? Eu quero acabar com a vida daquele canalha. – disse raivoso.

Chaz: Jasmine já te disse sobre? – perguntou olhando pra mim.

Justin: Já disse sim, mas não se preocupa com isso Jream, nós vamos acabar com ele mais cedo ou mais tarde. – disse tentando amenizar a tristeza dele.

Ryan: Agora todos nós queremos ver o sangue do Brad jorrando pelo chão.

Justin: Que bom porque eu quero ele morto o mais rápido possível. – disse agora sério.

Christian: Brad não vai aparecer enquanto não ter o que quer. – ele disse olhando pro nada, parecia pensativo.

Jream: O que ele quer é... – ele disse e parou olhando pra mim.

Justin: Jasmine! Cadê a Jasmine? – perguntei olhando pra eles.

Ryan: Ela não estava com você? – perguntou confuso.

Justin: Sim, mas eu acordei e ela não estava no quarto.

Chaz: Deve estar em algum cômodo da casa. – deu de ombros.

Justin: Scarlet, - chamei-a que estava lavando as louças, ela olhou pra mim – a Jasmine passou por aqui? – perguntei meio desesperado.

Scarlet: Não, eu vim bem cedo pra cozinha e nada da Senhorita Jasmine. – ela disse séria.

Justin: Que porra! Onde será que ela está? – disse olhando pros lados, sai da cozinha e fui procurar ela pela casa. Sala, quartos, jardim, sala de cinema, tudo, mas ela não estava em lugar algum. Então peguei meu celular e liguei pro dela, logo atendeu, mas não foi a voz dela em que eu ouvi.

Brad: Estava esperando sua ligação...

Justin: Cadê a Jasmine? O que você fez com ela? – perguntei raivoso e preocupado.

Brad: Jasmine está comigo, não se preocupe. – ele parecia risonho.

Justin: Se ela está com você, eu devo me preocupar sim! Você perdeu a cabeça? Não sabe que eu posso á qualquer momento ir atrás de você e te matar?

Brad: E você não sabe que não pode comigo?

Justin: Não posso com você? – ri – Então por que fugiu depois que matei todos os seus capangas?

Brad: Eu não fugi, nem estava lá.

Justin: Porra, cadê a Jasmine? – disse bravo.

Brad: Ela está em um lugar melhor agora. – do outro lado não dava pra perceber, mas eu sabia que ele tinha sorrido depois de dito isso.

Justin: Você não teria a coragem de matar sua própria filha, teria? – perguntei preocupado novamente.

Brad: Bieber, o meu problema não é ela e sim você. Se quiser vê-la de novo, terá que me achar! – ele disse e desligou.

Justin: Desgraçado, desligou. – disse guardando o meu celular no bolso e voltando pra cozinha.

Jream: Achou a Jasmine? – perguntou curioso.

Justin: Brad está com ela.

Christian: Como sabe disso?

Justin: Liguei pra Jasmine e foi ele quem atendeu, nós temos que fazer alguma coisa. – disse sério.

POV Jasmine

 Acordei com minha cabeça doendo demais, olhei pros lados e eu não estava em meu quarto e sim em outro muito estranho por sinal, não me lembro de ter vindo pra cá. Olhei em volta e o quarto parecia grande, percebi que estava em uma cama de casal, então senti uma tontura forte, fechei os olhos e esperei passar, quando os abri, lá estava Brad em minha frente, ele parecia estar muito feliz.

Jasmine: O que você quer comigo? – perguntei o encarando.

Brad: O que eu quero com você? Nada. Só preciso de você pra ter o que quero. – falou se aproximando.

Jasmine: O que você quer? – perguntei confusa.

Brad: O sofrimento do seu namoradinho. Te tirou de mim, agora quero você pra tê-lo em minhas mãos. – ele disse e bateu uma mão na outra.

Jasmine: Você nunca conseguirá isso. – o olhei com raiva.

Brad: Nunca? Você é que pensa! Sou mais poderoso do que imagina.

Jasmine: Não vê que estou grávida? – perguntei sem entender a lógica dele de me querer ali.

Brad: Não vê que eu não me importo? – me encarou.

Jasmine: O que você vai fazer comigo? – perguntei tentando não demonstrar desespero.

Brad: Não se preocupa que você já irá saber. Mas eu vou te dizer uma coisa... O seu namoradinho nunca será pai. – disse e sorriu.

Jasmine: Desgraçado! Você não vai fazer nada com o meu filho.

Brad: Não? Mas eu não vou mesmo, não quero sujar minhas mãos novamente, sua mãe teve é muita sorte de eu não ter torturado ela depois que disse onde a levaria.

Jasmine: Você merece morrer! Tomara que o Bieber me ache e te mate o mais rápido possível. Você não é um pai, é um monstro, eu te odeio. – gritei as últimas palavras e senti minha bochecha arder, ele tinha me dado um tapa que me fez cair na cama, comecei a chorar – Eu te odeio! – gritei novamente, ele chegou mais perto e puxou meus cabelos colocando meu rosto pra cima olhando-o.

Brad: Olha aqui Jasmine, o que você acha ou não de mim o problema é seu, mas se vir falar comigo assim de novo eu não respondo por mim. – me encarou.

Jasmine: Nunca me cansarei de dizer o quanto te odeio. – disse sorrindo, ele me deu outro tapa.

Brad: Vadia! – ele disse e me jogou na cama, em seguida saiu. Voltei chorar, eu realmente não acreditava que ele fosse tão sujo assim á ponto de matar minha mãe. Mas se ele teve a coragem de mata-la, me bater foi bem mais fácil, nunca pensei que apanharia do meu próprio pai. Eu realmente espero que Justin me ache e me tire desse lugar, Brad deve estar planejando mil coisas pra fazer comigo, isso tudo pra depois atingir o Bieber. Não quero nem imaginar.

POV Justin

Justin: Christian, já rastreou o celular da Jasmine? – perguntei já aflito.

Christian: Sim, mas não encontrei nada, ele deve ter jogado fora o chip ou sei lá. – deu de ombros.

Chaz: Isso é bem óbvio. – disse ironicamente.

Justin: Chaz, calado você fica mais legal, ok? – disse o encarando – Precisamos fazer alguma coisa! Brad não pode ficar muito tempo com a Jasmine, eu não quero que ele tente fazer nada com ela.

Christian: Bieber, qualquer ordem sua nós saímos daqui á procura do Brad, você é quem manda aqui! – ele disse sério.

Justin: Eu preciso de uns minutos pra pensar antes. – disse andando de um lado pro outro.

Chaz: Tempo pra pensar? Bieber, não quer a Jasmine de volta? Ela está grávida porra, vamos logo atrás do filho da puta do Brad! – ele disse parecendo bravo com o que eu acabara de dizer.

Justin: Chaz cala a droga da boca porque eu faço o que quiser! – o encarei – Nós vamos sim atrás da Jasmine, mas na hora que eu mandar. – disse sério e sai do escritório, fui pro meu quarto e me joguei na cama, ali eu fiquei refletindo e pensando qual seria o primeiro passo. Só que o pouco tempo que fiquei ali, ouvi um choro vindo de algum dos quartos, um choro feminino. Mas se a Jasmine não está aqui, quem será que está chorando? Melhor verificar. Me levantei e sai do quarto, o choro foi ficando mais alto, acompanhei o som e ele vinha do quarto de Chaz, obviamente deve ser a Mary, entrei sem ao menos bater na porta e era ela mesma, estava sentada do lado da cama, com as mãos no rosto e chorando. Me aproximei e sentei na cama do lado que ela estava. – Mary... – disse mexendo no cabelo dela, ela parou de chorar e ficou em silêncio – por que está chorando?

Mary: Me deixa sozinha, por favor? – pediu e eu lembrei de quando Jasmine me disse isso, então era ali mesmo que eu ficaria.

Justin: O que o Chaz fez? – perguntei já até imaginando.

Mary: Chaz não fez nada Bieber, por favor. Me deixa sozinha. – ela disse agora olhando pra mim.

Justin: Como não? – perguntei impressionado – Okay, então por que está chorando? – agora estava preocupado.

Mary: Eu não quero falar sobre isso. – ela disse e voltou a chorar, logo descobri o que era.

Justin: Olha, não precisa ficar assim... – disse acariciando o cabelo dela.

Mary: Você nem sabe por que estou chorando. – disse ainda com o rosto enterrado nos joelhos.

Justin: Sim, eu sei. Mas não se preocupa com isso, porque o Brad vai pagar por tudo que ele está nos fazendo. Eu dei uma lição no Quincy, se o Brad acha que pode comigo, eu vou dar uma lição nele também. – disse sério.

Mary: Você não pode simplesmente mata-lo. – disse me olhando incrédula.

Justin: Posso sim, eu sou o Justin Bieber. – disse como se fosse óbvio.

Mary: Grande coisa! – revirou os olhos.

Justin: Olha, eu só fiquei preocupado, se você vai me tratar mal, acho melhor eu ir embora. – disse me levantando.

Mary: Pode ir, eu não queria a sua companhia mesmo. – deu de ombros.

Justin: Eu só não te expulso dessa casa porque você é prima da Jasmine e namorada do Chaz. – disse e ela me encarou, então sai dali voltando pro meu quarto. Deitei-me novamente na cama e fiquei pensando no primeiro passo, não demorou muito e eu já sabia o que era o óbvio, pelo menos pra mim. Sai do quarto e fui até o escritório, os meninos estavam lá rindo não sei do que, quando me viram entrando, foram parando os risos aos poucos, acho que por eu estar completamente sério. – Qual o motivo da graça? – perguntei me sentando em minha cadeira.

Ryan: Bieber você está muito sério. – estranhou.

Justin: Queriam uma ordem? Pois bem, vocês vão ter. Quero todo mundo vasculhando a cidade toda procurando pelo Brad, se tiverem notícias, me avisem. – disse e sorri.

Christian: Mas e você? – perguntou curioso.

Justin: Eu vou ficar aqui tentando achar alguma coisa em relação á ele, talvez algum mapa, sei lá. – dei de ombros.

Jream: Tem certeza que quer fazer isso? – arqueou uma sobrancelha me olhando sério.

Justin: É claro que eu tenho certeza, só vou sair desse escritório quando achar alguma coisa, ok? – disse e ele assentiu – Então pode ir indo logo! – disse e eles saíram do escritório, me levantei e tranquei a porta. Comecei o que ia fazer e logo ouvi o choro da Mary novamente, puta que pariu essa garota vai mesmo continuar chorando? Ah foda-se.

(...)

Passei horas e horas sentado naquela cadeira procurando alguma coisa que me dissesse pistas sobre o Brad, mas a única coisa que eu consegui achar foi um mapa de um novo casebre dele, só que o mapa estava só pela metade, então eu tive que procurar outro mapa dessa porcaria, quando eu fui ver já estava de noite. Olhei em meu relógio e era quase meia-noite, puta que pariu, e os meninos ainda não chegaram. Liguei imediatamente pro Chaz.

Chaz: Puta que pariu Bieber, o que foi? – ele disse parecendo ofegante.

Justin: Te atrapalhei em alguma coisa? Está fodendo alguma vadia? – perguntei de deboche.

Chaz: Não vem com as graças, você sabe que eu amo a Mary. – ele disse sério.

Justin: Sei também que ela ficou chorando desde manhã e você não fez nada. Essa garota é irritante, você sabia disso? – perguntei fingindo estar bravo.

Chaz: Ela só estava triste com a morte da Bern, não queria conversar comigo e nem com ninguém, então deixei como estava.

Justin: Chaz, eu pensei que você sabia mais sobre as mulheres. Cadê aquele cara que me deu certos conselhos no começo da gravidez da Jasmine? Sumiu? Você não tinha convivido tempo suficiente com a sua querida avó pra saber o bastante sobre as mulheres? Então você não sabe disso? Não sabe que quando uma mulher diz que quer ficar sozinha, ela não quer literalmente ficar sozinha? Ela só quer conversar com alguém que a entenda. Chaz você precisa conversar com essa garota urgentemente! Se é que ela já não dormiu de tanto que chorou. – dei de ombros.

Chaz: Como você sabe disso tudo? – perguntou parecendo indignado.

Justin: Estou á tempo demais com a Jasmine, deveria pelo menos saber uma coisa dessas, e também eu já passei por isso, mesmo sem saber o que fazer, eu fiz o que tinha que fazer.

Chaz: Que era ficar e perguntar por que ela estava chorando. Ok, eu vou falar com ela. Mas você me ligou só pra falar isso?

Justin: Não, você está ai com os meninos?

Chaz: Sim, por quê?

Justin: Encontrei um mapa onde localiza um casebre do Brad. – disse sorrindo como se aquele mapa dependesse da minha vida, e realmente dependia, Jasmine.

Chaz: PUTA QUE PARIU, você está falando sério? – ele quase berrou no meu ouvido, ri daquilo.

Justin: Eu estou falando sério sim! Voltem pra casa que amanhã conversamos, estou cansado demais pra dar explicações ou dizer quando iremos atrás dele.

Chaz: Demorou cara! Estamos indo agora.

Justin: Falou então. – disse e desliguei o celular jogando-o na mesa. Levantei-me e fui pro meu quarto, estava completamente exausto, cheguei e me joguei na cama, adormeci logo em seguida.

No dia seguinte... Segunda-feira, 14 de Janeiro de 2013, ás 11:47 A.M.

 Acordei em um susto, fiquei bem puto porque odeio acordar desse jeito. Do nada aquele bando de patetas entraram no meu quarto com apitos e várias coisas que fazem barulho, gritando e dizendo pra eu acordar, eles pareciam mega animados, até eu acordar e encarar cada um deles. Todos pararam com o barulho, ficaram em silêncio e começaram a correr, em seguida me levantei irritado e tranquei a porta do quarto, ia ter volta, eles iam ver. Sai em direção ao banheiro, me despi e tomei um banho quente e demorado, não queria saber de hora, pra mim tanto faz. Mas o momento que eu for trazer a Jasmine de volta, ai sim. Brad não perde por esperar.

 Terminei o banho e troquei de roupa, coloquei uma bermuda, uma camiseta branca e um vans azul claro, sequei meu cabelo e fiz meu famoso topete, estava bem disposto e dessa vez eu não iria simplesmente dar uma secada nele e colocar boné, hoje o dia será diferente, estou confiante. Sai do quarto e fui até a cozinha, como previsto os patetas estavam lá conversando e rindo, só que faltava uma pessoa ali, Chaz.

POV Chaz

Ontem depois que o Bieber me ligou eu fiquei com aquilo de ter que falar com a Mary na cabeça, mas eu realmente não sabia o que fazer. Quando eu e os meninos chegamos, eu fui direto pro meu quarto, talvez ela estivesse acordada e eu falaria com ela, mas não. Adentrei o quarto e nada de Mary, ou ela foi pra casa, ou deve estar em algum quarto que não seja o dos meninos. Na manhã seguinte eu acordei, tomei um banho morno e antes de ir pra cozinha, fui até o último quarto disponível na casa e me surpreendi quando não vi Mary ali, ela deve estar em algum lugar. Óbvio que ela não ficaria naquela mansão enorme sozinha, já que Justin agora está morando aqui. Sai pela casa á procura dela e não a encontrei, olhei em praticamente todos os cômodos e nada, só que faltava um lugar. O Jardim. Fui até lá e encontrei-a sentada na grama com uma cara triste e segurando uma flor, ela mexia na flor como se fosse a coisa mais preciosa do mundo. Aproximei-me sem que ela notasse minha presença, sentei-me ao seu lado e mesmo assim ela não deu sinais de que tinha me visto.

Chaz: Mary, você está bem? – perguntei pra que ela percebesse minha preocupação.

Mary: Você não se importa. – ela disse aquilo tão friamente que meu coração quase para de bater.

Chaz: Mary, eu te amo, é claro que eu me importo. – disse sem demonstrar emoção alguma ao que ela acabara de dizer.

Mary: Não, você não se importa. – ela disse na mesma frieza e ainda olhando pra flor.

Chaz: Eu sei que você está triste com a morte da Bern e sei também que eu não fiz nada pra te consolar disso, mas me desculpa, eu pensava que quando uma mulher diz que quer ficar sozinha, ela realmente quer ficar sozinha. – disse tudo meio rápido, ela finalmente olhou pra mim, só que agora com um ar de deboche.

Mary: Você nunca teve um namoro tão sério quanto o nosso não é? – perguntou e pareceu ter rido da minha cara.

Chaz: Não, nunca tive! Eu nunca fui bom com as garotas, tive só uma namorada antes de você. Quer dizer, ela foi a primeira e eu sofri demais porque descobri no último minuto, quando ela estava saindo do país, que ela me traía o tempo todo e eu feito bobo louco de amores por ela. Quando a gente se conheceu eu ainda estava meio atordoado, Bieber fez aquela festa pra me animar e isso logo aconteceu depois que começamos a conversar. Eu me apaixonei por você nesse dia, quando te vi pela primeira vez, eu sabia que com você ia ser diferente, porque você era diferente, não é igual as garotas que conheço. Mary, eu te amo e eu me importo sim com você. – disse todo atrapalhado, eu estava tentando não demonstrar minhas emoções, mas eu não consegui. Logo quando mencionei sobre a Emily, veio um choro da garganta, mas engoli e a olhei.

Mary: Chaz, se você não sabe como lidar com uma namorada, você não deve ter uma. – ela disse séria e se levantou.

Chaz: Mary? O quê? O que você quis dizer com isso? – me levantei e fui atrás dela, peguei em seu braço – Me responde.

Mary: Acabou. – ela disse de deboche e saiu andando.

Chaz: Você não me ama mais...? – perguntei mais pra mim mesmo do que pra ela, aposto que nem ouviu, saiu andando pra dentro da casa. Eu fiquei ali em pé tentando entender o que tinha acabado de acontecer.

POV Justin

Justin: Cadê o Chaz? – perguntei depois de um tempo, já tinha terminado meu café e obviamente, fiquei preocupado de ele não estar ali.

Jream: Chaz deve estar com a Mary em algum lugar. – deu de ombros.

Justin: A Mary. – disse e lembrei-me do que havia dito pra ele na noite anterior, ele deve estar conversando com ela. – Eu vou tomar um ar. – disse e sai da cozinha indo em direção ao jardim, quando cheguei à porta, ouvi a voz dos dois. Chaz e Mary.

“Chaz: Eu me apaixonei por você nesse dia, quando te vi pela primeira vez, eu sabia que com você ia ser diferente, porque você era diferente, não era igual às garotas que conheço e que conheci. Mary, eu te amo e eu me importo sim com você.

Mary: Chaz, se você não sabe como lidar com uma namorada, você não deve ter uma.

Chaz: Mary? O quê? O que você quis dizer com isso? Me responde.

Mary: Acabou.” – ela disse e ouvi seus passos se aproximando, fiquei atrás da porta e quando ela apareceu fui atrás dela.

Justin: Mary, onde pensa que vai? – segui-a.

Mary: Estou indo pro meu quarto. – deu de ombros.

Justin: Você não vai antes de me dizer por que fez aquilo com o meu amigo. – disse sério, peguei no braço dela fazendo-a parar seus passos.

Mary: Eu... – ela olhou pra baixo parecendo encontrar as palavras – eu não sei, por favor, me deixa em paz?

Justin: Olha aqui, aquele cara lá fora te ama mais do que tudo, desde a primeira vez que ele te viu, ele só falava de você, ele se apaixonou de verdade por você, ele te disse isso e você simplesmente termina com ele por um motivo bobo? Mary se toca! Se o Chaz não te amasse, eu já teria te expulsado dessa casa por ser tão chata. – disse e desde que comecei a falar, agora ela olhou dentro dos meus olhos – Eu quero que você pense bem no que acabou de fazer e depois converse com o Chaz. Nós sabemos que você está assim por causa da morte da Bern, mas eu duvido muito que ela gostaria que você terminasse com Chaz por um motivo idiota como esse. – disse a encarando – Entendeu? Quero que você pense bastante, só fale com o Chaz quando se der conta da besteira que fez.

Mary: Você não é meu pai. – me encarou.

Justin: Ah não? Então você quer que eu te expulse dessa casa? Eu estou pouco me fodendo se você é ou não prima da Jasmine, ok? Essa casa é minha e se eu quiser, eu te expulso agora mesmo. – disse já deixando ela sem argumentos.

Mary: Tá. – ela disse parecendo uma criancinha mimada e saiu andando. Fiquei ali esperando ela sumir e em seguida fui até o Jardim, Chaz continuava ali parado e pensando.

Justin: Chaz. – disse e ele me olhou em seguida, ele estava com os olhos lacrimejando, mas não mostrava emoção alguma – Que porra, engole esse choro se não quiser levar um soco. – disse sério, eu realmente não estava brincando.

Chaz: Ela não me ama mais. – ele parecia estar tentando colocar isso na cabeça.

Justin: Eu ouvi tudo, não precisa ficar assim! Ela fez uma besteira, mas cara pare de chorar. – disse dando um tapinha em suas costas, dessa vez ele chorou de verdade, sem se importar se eu estava ali presente ou não. Abracei-o forte, eu sabia que nesse momento ele iria precisar de um ombro amigo e esse amigo sempre sou eu. Deixei que ele chorasse o quanto quisesse, mas depois me afastei e disse – Chaz chega. – disse sério e ele olhou pra mim – Eu falei com a Mary.

Chaz: Falou? Que horas? – perguntou impressionado.

Justin: Quando ela saiu daqui, eu estava ouvindo tudo! A Mary não sabe o que fez, ela disse pra mim, ela só terminou com você porque não sabia o que fazer, parecia que essa era a única coisa que ela tinha que fazer pra esse sofrimento que ela estava sentido, sumisse. Mas não. Eu disse pra ela pensar bem no que fez e depois vir conversar com você, então se ela aparecer, deixe-a falar. – disse e ele assentiu – Agora enxugue essas lágrimas logo, vamos atrás do Brad, não quero ver você no mundo da lua por estar pensando na Mary, Okay? Se ela não fizer a coisa certa depois, eu expulso ela daqui. – disse sério.

Chaz: Expulsar, por quê? Ela não tem pra onde ir. – ele disse preocupado.

Justin: Chaz para de se importar um pouco com essa garota! Ela terminou com você por uma bobagem, pelo menos antes de ela vir falar com você e acertar tudo o que tiver pra acertar, se preocupe menos. Esqueceu que fomos treinados pra não demonstrar nossos sentimentos? Você está fazendo isso errado! – disse sério, mas com um ar de deboche – Vamos logo. – disse e ele ficou calado, então adentramos a casa. Fomos pra cozinha e os meninos continuavam lá.

Ryan: Chaz? Mas que cara é essa? – perguntou preocupado, logo quando entramos na cozinha.

Justin: Ryan, sem perguntas, Chaz responde você depois. – o encarei.

Jream: Aconteceu alguma coisa? – perguntou curioso.

Chaz: Mary. – foi a única coisa que ele conseguiu dizer, parece que depois seu cérebro paralisou e ele ficou olhando pro nada, completamente sério.

Jream: O que você fez com a Mary? – perguntou encarando Chaz e eu o encarei.

Justin: O que ele fez com ela não, o que ela fez com ele. Vai lá conversar com a sua priminha, pergunta pra ela o motivo de ela ter terminado com o Chaz! Eu aposto que ela não vai te responder. – disse de deboche, Chaz não havia ouvido minhas palavras, dei Graças a Deus. Jream não disse nada, apenas saiu da cozinha.

Christian: A Mary terminou com o Chaz por quê? – perguntou olhando pra mim.

Justin: Porque ela é uma garota mimada, foi pura bobagem. Não liguem pra isso.

Ryan: E o Chaz vai ficar com essa cara de bobalhão? – perguntou preocupado.

Justin: Se a Mary não fizer o que eu quero que ela faça, eu expulso ela daqui, quem manda ser tão chata.

Christian: Jream não vai gostar de uma coisa dessas, ela é prima dele.

Justin: Estou pouco me fodendo para o que o Jream vai achar ou não, essa casa aqui é minha. – disse sério.

Pattie: Tem certeza, Justin Drew Bieber? – ouvi a voz dela e eu quase caio da cadeira, essa mulher é melhor do que eu pra dar susto nos outros.

Justin: Que porra! Quase me mata do coração. – disse a encarando.

Scarlet: Pra você ver como eu me sinto quando você chega nessa cozinha do nada. – ela disse alto e rindo.

Justin: Que engraçado, depois dessa vou te assustar todo dia quando chegar nessa cozinha. – disse e sorri.

Ryan: Com essa cara feia, qualquer um se assustaria. – ele disse e riu, o encarei.

Pattie: O que estavam falando? – perguntou curiosa.

Christian: Mary terminou com o Chaz.

Pattie: O quê? – perguntou surpresa – Mas por quê? – perguntou olhando pra mim.

Justin: Olha mãe, melhor perguntar pessoalmente, não queremos que o Chaz comece a chorar, mesmo ele não ouvindo uma palavra do que acabamos de dizer. – disse e olhei pro mesmo – CHAZ! – disse alto e ele se assustou.

Chaz: O quê? – perguntou me olhando.

Justin: Toma logo seu café que daqui á pouco estamos saindo. – disse e ele assentiu.

Pattie: Jream foi falar com ela né? – perguntou pra mim e eu assenti – Depois eu vou lá então. – ela disse se afastando e indo ajudar Scarlet.

Ryan: Ok, por onde começamos? – perguntou animado.

Justin: Que tal pelo começo? – disse e ri, todos me encararam.

Chaz: Nossa que idiotice. – ele disse revirando os olhos.

Christian: Ok Bieber, o que pretende fazer primeiro? – perguntou curioso.

Justin: Que tal irmos o mais rápido possível atrás do Brad? – perguntei como se fosse óbvio, realmente.

Ryan: E se ele não estiver lá? – perguntou parecendo com medo dessa hipótese.

Justin: Sabe o que a gente faz? Senta e toma um chá com bolachas. – disse o encarando, pergunta mais besta.

Christian: Okay, então iremos á seu mandato.

Justin: Vou esperar o bosta do Jream terminar de conversar com a priminha dele. – disse revirando os olhos, Chaz do nada parou o que estava fazendo – Chaz, que tal você terminar esse café de uma vez se não quiser levar um soco no nariz? – disse o encarando, ele me encarou de volta e continuou comendo em silêncio. Olha, parece que minhas ameaças funcionam bastante.

 Logo quando estávamos prontos pra sair da cozinha, Jream apareceu com uma cara nada boa, mas nem liguei com certeza a conversa com a Mary foi longa. Saímos de casa e eu mandei dois de meus capangas acompanharem nossos carros, cada um com um. Eu estava tão confiante de que eu veria a Jasmine novamente que eu não conseguia deixar de escapar um sorriso.


Notas Finais


espero que tenham gostado e mil desculpas por toda essa demora né, eu fui viajar e nem viajei, mas tudo bem, eu estou de volta, \o/ continuo em breve, bj bj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...