História Crazy In Love Second Season - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jasmine Villegas, Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette
Tags Bern Villegas, Chaz Somers, Christian Beadles, Jasmine Villegas, Jream Andrew, Justin Bieber, Justin Villegas, Ryan Butler
Visualizações 109
Palavras 4.288
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 22 - Justin Bieber gets tired, but never gives up.


Fanfic / Fanfiction Crazy In Love Second Season - Capítulo 22 - Justin Bieber gets tired, but never gives up.

POV Jasmine

Jasmine: O que pensa que está fazendo comigo? – perguntei logo depois que um cara desconhecido por mim entrou naquela porcaria de quarto e começou á me arrastar pra fora, ele não me respondia e eu nem conseguia me soltar dele, era forte demais.

“Que bom rever você, Jasmine” ouvi uma voz conhecida por mim e logo apaguei.

 Acordei e percebi que estava deitada em uma cama, olhei pros dois lados e não reconheci o lugar, mas quando olhei pra frente, vi quem eu não esperava ver. Sim, era ele ali em pessoa.

Ele estava fazendo uma boa sombra em mim e eu não estava acreditando que era ele mesmo. Agora eu me lembrava da última voz que eu tinha ouvido antes de apagar, era ele, Jake. O mamute do Brad realmente não tinha morrido, Bieber havia atirado nele, mas ele não morreu. E agora ele estava ali em minha frente, provavelmente esperando fazer alguma coisa comigo pra depois ver as marcas em Justin.

Jake: Sentiu saudades? – perguntou sorrindo.

Jasmine: Saudades de você? Mas por que eu teria? – perguntei como se fosse óbvio, me sentei na cama.

Jake: Porque eu sou inesquecível. – além de idiota, é convencido.

Jasmine: O que você quer comigo? – perguntei o encarando.

Jake: Eu quero a mesma coisa que o seu paizinho quer. – disse sorrindo.

Jasmine: Vocês me tiraram daquele lugar por que sabiam que o Bieber estava indo pra lá, não é? – perguntei obviamente já sabendo a resposta.

Jake: Hum, pode ser. – ele disse passando a mão na barba e ainda sorrindo.

Jasmine: Como você ainda não morreu? O Bieber atirou em você!

Jake: Aquele babaca atirou em mim sim, mas eu sobrevivi e estou aqui hoje pra me vingar e você será o meu alvo. – disse agora olhando pra mim.

POV Justin

  Eu estava frustrado, irritado e com uma vontade grande de pegar uma metralhadora e sair matando todo mundo. Brad parece saber quando eu estou me aproximando, puta que pariu, ele deve ter alguém nessa casa trabalhando pra ele, não é possível. Eu segui o mapa do jeito certo, cheguei em uma mansão completamente abandonada, mas parecia ter sido abandonada recentemente, Brad sabia que eu estava á caminho de onde ele supostamente estaria, ele com certeza fugiu pra outro lugar levando a Jasmine com ele, agora eu vou ser obrigado á procurar por ele em toda a cidade. Esse canalha vai se ver comigo.

Dois dias depois... 16 de Janeiro de 2013, ás 1:48 P.M.

 Estava no escritório me recuperando de uma pequena discussão que eu tive com a Dona Pattie, uma discussão não, ela só me deu um belo de um sermão por achar que eu deveria estar me empenhando mais em achar o Brad e trazer a Jasmine de volta, mas parecia que meus hormônios estavam enfraquecendo e eu não estava conseguindo fazer mais nada, eu realmente queria sair daqui de manhã, procurar o Brad onde for e só voltar quando amanhecesse, mas eu estou cansado. Sabe, cansado mesmo. A última vez que isso aconteceu, não durou duas semanas e eu já tinha a Jasmine de volta, mas também se o Jake não tivesse me ajudado, eu estaria até agora procurando pelo filho da puta do Quincy, que agora deve estar me xingando no inferno. Eu só não aguento mais, parece que Deus quer que eu sofra esse tanto, mas por quê? O que foi que eu fiz de tão mau pra merecer sofrer desse jeito? Desde quando eu me conheço por gente, as coisas que eu faço são sempre pra me defender, eu nunca matei uma pessoa simplesmente por sentir prazer. Acho que vou pro inferno só por pensar que Deus quer que eu sofra aqui no mundo cruel que ele criou. Todas as coisas que minha mãe disse ainda ecoavam em minha cabeça, eu queria injetar droga, bastante droga, mas eu estava tendo uma leve impressão de que isso não resultaria em coisa boa depois, eu só tenho que sair dessa porcaria de escritório e procurar o Brad onde quer que ele esteja. Se ele acha que eu irei desistir assim tão fácil, ele está muito enganado. Justin Bieber se cansa, mas nunca desiste. Levantei-me da cadeira, sai do escritório e quando estava trancando a porta do lado de fora, senti meu celular vibrar, peguei-o dentro do bolso, desbloqueei a tela e vi que era uma mensagem de um número privado, abri a mensagem e era um vídeo. Quem é o ser humano que envia vídeos por mensagem? Abri o vídeo mesmo por curiosidade e quase deixei o celular cair com o que vi.

Chaz: Bieber? Que cara é essa? O que aconteceu? – ele apareceu do nada vendo o meu estado, apenas apontei pro celular, ele pegou de minha mão e se espantou também com o que viu – Não pode ser.

Justin: Eu... Eu... – tentei encontrar as palavras, mas aquele vídeo ainda estava em minha cabeça, um sentimento forte apareceu em meu peito e eu queria desabar e chorar até acabar todas as minhas lágrimas, só que eu não podia. Essa vontade de chorar se transformou em raiva, Brad ia se ver comigo. Chaz viu minha expressão mudar repentinamente e pareceu com medo.

Chaz: Bieber, não faça nenhuma besteira. – tentou me acalmar.

Justin: Quer saber? – disse pegando meu celular da mão dele – Eu mesmo vou atrás do Brad! E sozinho, não quero ninguém me seguindo. – ordenei e ele assentiu, desci as escadas e fui até a garagem, peguei meu Cadillac Cien prata e sai de casa cantando pneu, eu não conseguia pensar em outra coisa á não ser em matar o Brad agora mesmo. Aquele vídeo quase fez meu coração parar de bater, era como se alguém tivesse pegado uma faca e acertado em meu peito, era como se minha vida estivesse acabando aos poucos. E realmente, era isso que tinha na porcaria daquele vídeo, eu tenho certeza que quem me mandou foi o Brad. Jasmine estava sentada em uma cadeira e  amarrada e uma pessoa que eu parecia estar me lembrando do rosto agora, estava simplesmente espancando ela, ele dizia coisas no vídeo que eram impossível de ouvir, mas ela aguentava tudo em silêncio. Aquilo apertou meu coração e minha vontade de chorar parecia não sumir, mas agora, a minha vontade mesmo é matar o filho da puta do Brad, eu tenho certeza que ele mandou esse cara bater nela só pra me atingir, ainda mais me mandando essa porcaria de vídeo. Espera... Esse cara. Eu me lembro bem, acho que atirei nele quando estava no México, foi a primeira pessoa que eu matei depois que peguei Jasmine, era ele mesmo. Matei? Se eu atirei nesse filho da puta, o que ele está fazendo ai? Ah não, ele deve ter sobrevivido e só está fazendo isso pra se vingar de mim. Puta que pariu! É agora que eu tenho que achar a Jasmine e trazê-la novamente pra perto de mim. – Você acha que vai se ver livre de mim depois dessa, Brad? ACHA MESMO? Pois agora você vai ver quem é Justin Drew Bieber. – gritei e acelerei ainda mais, eu estava tão nervoso, minha cabeça estava girando, se eu continuasse assim, provavelmente bateria em algum lugar. Meu nervosismo aumentava com a velocidade, eu estava suando muito, eu já consumia um ódio extremo pelo Brad, mas agora ele passou dos limites.

[...]

 Já estava de noite, praticamente de madrugada. Sim eu fiquei a tarde e noite procurando pelo canalha do Brad e nada, nenhuma se quer pista sobre ele, parecia que ele não se encontrava nessa bosta de cidade, mas eu sei que sim, eu sinto que ele continua aqui. Parei meu carro perto de uma montanha, a lua conseguia iluminar tudo e eu não tive dificuldade de ver a altura em que estava, mas em hipótese alguma ousei olhar pra baixo, só que a minha vontade era de me jogar dali. Porra, mais uma vez Brad conseguiu o que queria. Claro, ele sempre consegue! Ele pode até conseguir, mas nada e nem ninguém me fará desistir de que eu irei matar esse filho da puta com minhas próprias mãos. Fiquei ali olhando pro céu por um bom tempo, até sentir meu celular vibrando, peguei-o, debloqueei a tela e vi que era Chaz.

Justin: O que foi? – perguntei sem paciência.

Chaz: Bieber, onde você está? A gente pensou que você tinha morrido! O que estava fazendo até agora? – perguntou todo preocupado.

Justin: Eu não disse que ia atrás do Brad? Pois bem, eu fui. Sozinho, mas fui. E não, eu não achei aquele filho da puta! E sim, eu estou bem, pelo menos fisicamente. – disse tudo rápido.

Chaz: Onde está?

Justin: Não te interessa ok? Eu quero ficar um pouco sozinho, eu vou voltar pra casa, não se preocupe. – disse e desliguei. Chaz sempre foi muito preocupado comigo como eu sou muito preocupado com ele, se a Mary não tivesse pedido desculpas pelo que fez e pedido pra voltar com ele, ela já estaria no meio da rua, porque dentro da minha casa ela não ficaria mais. É eu sou um pouco vingativo, aprendi bastante pra ficar desse jeito.

 Me sentei ali na grama e fiquei olhando pras estrelas, lembro-me de uma vez que levei a Jasmine para um lugar muito parecido com esse, ela sempre gostou de ver essas coisas, é Amanhecer, Pôr-do-Sol e as estrelas, eu sempre levava ela pra ver e ela sempre ficava maravilhada.

Flashback On

 Tínhamos acabado nossa maravilhosa noite de sexo selvagem, eram 2:00 A.M., Jasmine estava deitada do meu lado ainda respirando ofegante e olhando pro teto, ela não parava de sorrir, então se sentou na cama e olhou pra mim.

Jasmine: Me leva pra ver as estrelas? – ela disse e em seguida eu arregalei os olhos.

Justin: Pra ver o quê? – perguntei sem entender.

Jasmine: As estrelas. Está de madrugada, deve estar cheia de estrelas no céu. Por favor, Bieber? – perguntou fazendo bico.

Justin: Por que isso logo agora?

Jasmine: Hey meu amor... – ela disse manhosa e começou a acariciar meu rosto – não vai dizer não vai sua namorada maravilhosa, vai? – ela disse com aquela voz, aquela voz que eu nunca resisto e ela sabe disso.

Justin: Tá bom. – me levantei e coloquei uma cueca.

Jasmine: Eu te amo! – ela ficou em pé em cima da cama, chegou mais perto e me deu um selinho. Sim, ela estava nua e com uma barriga bem das enormes, mas continuava sexy.

Justin: Gostosa. – disse e dei um chupão em um de seus seios, ela riu safada. Coloquei um roupão e ela saiu de cima da cama colocando suas roupas íntimas e um roupão também. – Já podemos ir? – disse estendendo a mão, ela sorriu e pegou na mesma. Saímos de casa e fomos pro estacionamento, eu já tinha pegado as chaves da minha lamborghini roxa, apenas entramos e dei partida, Jasmine parecia muito apressada, então quis deixar meu cavalheirismo pra outra hora. O caminho até onde eu sempre levava ela foi silencioso, ela parecia tão animada que resolveu ficar calada o tempo todo, eu nem puxei papo já que uma boa noite de sexo já tinha me deixado satisfeito. Quando chegamos, estacionei o carro e ela saiu logo em seguida indo para o mesmo lugar de sempre, se deitou na grama e olhou pro céu, quando me sentei ao seu lado ela parecia estar com os olhos brilhando. – Por que você gosta tanto de ver as estrelas? – perguntei acariciando seus cabelos.

Jasmine: Não sei, são tão lindas, me sinto uma criança vendo-as. – ela disse toda sorridente, me fazendo sorrir. Olhei para o mesmo lugar onde ela olhava.

Justin: Realmente, olhar as estrelas é bom. – disse agora olhando pra ela.

Jasmine: Obrigada por ter me trazido aqui! – disse me olhando – Mais uma vez.

Justin: Não precisa agradecer meu amor, você sabe que sempre que eu estou de bom humor, faço tudo o que quiser. – disse ainda acariciando seus cabelos.

Jasmine: De bom humor... – revirou os olhos – depois de uma longa noite de sexo, isso sim. – disse e riu, me fazendo rir junto.

Justin: Sexo sempre me deixa de bom humor.

Jasmine: E o seu bom humor, me deixa de bom humor. – disse agora se sentando na grama, sorriu e me beijou rápido – Eu te amo!

Justin: Eu amo mais. – disse e a beijei calmamente.

Flashback Off

E eu estava aqui, em um lugar não muito diferente do que eu sempre levava Jasmine pra ver as estrelas. Isso tudo, essa lembrança, essas estrelas só me fizeram pensar mais na Jasmine e sentir uma vontade enorme de matar alguém só pra descontar a raiva que estou sentindo do Brad. Puta que pariu, por que essas coisas só acontecem comigo? Por que isso tinha que acontecer logo comigo? À uma hora dessas, Jasmine deve estar me pedindo socorro pra que eu chegue logo e a tire onde quer que ela esteja e eu estou aqui, sentado em uma grama podre olhando pras estrelas. Eu sou um fraco mesmo, não presto pra nada, muito menos pra cuidar da mulher que eu amo. Sempre prometi segurança pra ela e nunca o fiz, sempre a deixo ser sequestrada, mas porra, Brad tirou ela de mim enquanto estávamos dormindo, o que eu poderia ter feito? Aposto que nem ela mesma percebeu que estava sendo levada pra longe de mim. O que eu faço agora? Por um impulso senti lágrimas escorrendo de meus olhos, pois é eu estava chorando, chorando por ser um fraco inútil que não consegue cuidar de sua mulher que está grávida. PORRA MEU FILHO! Meu filho caralho, meu filho. Argh, eu realmente preciso arranjar um jeito de descobrir onde Brad anda escondendo Jasmine, preciso urgentemente.

[...]

16 Dias depois... Sábado, 02 de fevereiro de 2013 – ás 01:39 P.M.

Três semanas se passaram e minha revolta só aumenta a cada dia que passa. De dois em dois dias Brad ficava me mandando vídeos de alguém batendo na Jasmine, fazendo tudo o que tinha direito com ela e eu via o sofrimento em seus olhos, ele fazia questão de deixar isso bem claro no vídeo, eu sempre chorava quando ele mandava esses vídeos. Porra, esse desgraçado queria acabar com a minha vida, na verdade ele ainda quer, mas vai ficar querendo! Semana passada mandei Jake se infiltrar na casa onde Brad possa estar, óbvio que ser um dos capangas dele não seria fácil, então descobri o número de um deles e Jake ligou pra ele oferecendo seus serviços, logicamente o idiota aceitou na hora e logo foi falar com Brad. Foi ai que meus planos estavam começando á dar certo, eu já sabia onde Brad estava se escondendo e obviamente ele não desconfiava de nada, Jake sempre me dizia o que estava acontecendo naquela casa e sempre fazia o possível pra se manter fora da vista de Jasmine, até porque se ela o visse, ia dar bem na cara e Brad descobriria tudo. Esperamos alguns dias depois que Jake se infiltrou na casa dele para avançarmos mais um passo, hoje seria bem o dia que invadiríamos – mais uma vez – a casa de Brad. Dessa vez eu estava mais do que confiante, porque eu sabia que nada podia dar errado, tudo constava que não.

POV Jasmine

 Todos esses dias dentro dessa casa me fizeram pensar muito, eu pensava se o Justin estava realmente por ai me procurando pra tentar me tirar, mas eu sempre sentia a sensação de estar sendo vigiada. Obviamente que eu fui sequestrada pelo meu próprio pai e que também há vários capangas no corredor desse quarto impedindo pra que eu não fuja, mas eu estou falando de uma sensação de uma pessoa diferente, que eu estou sendo vigiada por um pessoa diferente, sempre que eu sinto isso, sei que estou segura. Mas segura como? Brad está quase tentando me matar, eu achava mesmo que ele faria isso, só que eu não sei mais o que pensar. Faz mais de duas semanas que eu estou aqui e o Bieber não deu nem sinal de vida de que sabe onde eu estou, ou ele não quer que eu saiba. Tomara que a segunda opção seja a verdadeira porque eu não aguento mais ficar nesse lugar, já apanhei mais de não sei quantas vezes e meu corpo não para de doer um se quer segundo, eu nem saio desse quarto já que eu estou com essa barriga enorme, e com toda essa dor, andar não é uma das melhores opções. Todos esses dias aqui, teve um momento que pensei ter visto Jake, mas eu acho que seria completamente impossível ele estar por aqui sendo que trabalha com Justin, ele ficaria furioso e com certeza mataria ele mais cedo ou mais tarde, eu ficava pensando nisso o tempo todo, mas não deve ser ele, pode ser outra pessoa e eu me confundi. Já tinha passado a hora do almoço, a tal Senhora que sempre vem aqui trazer minha comida já apareceu e também já foi embora, mas eu continuava com fome, esse meu filho vai nascer obeso de tanta fome que eu sinto. Fiquei ali deitada na cama e olhando pro teto, quando do nada alguém abre a porta bruscamente e Jake entra no quarto. Não Jake, o mamute do Brad, mas sim Jake, meu amigo, meu companheiro e também meu garçom por via das dúvidas, ele viu a expressão em meu rosto e em seguida fechou a porta com cuidado e caminhou em minha direção. Eu acho que estava começando a ficar com medo, porque se ele estava ali trabalhando pro Brad, ele com certeza faria alguma coisa comigo, mas ele não demonstrou de que me machucaria, quando chegou perto da cama, apenas sorriu e disse.

Jake: Bieber me mandou aqui. – não muito baixo, mas também não muito alto.

Jasmine: Ficou maluco? Como conseguiu entrar aqui? – arregalei os olhos.

Jake: Brad precisava dos serviços de alguém, então eu me ofereci e ele aceitou de boas. – deu de ombros – Só vim aqui pra te dizer que o Bieber vem te buscar hoje, não se preocupe. – ele disse e um alívio passou por todo meu corpo, então ele estava mesmo me procurando preocupado, era disso que eu suspeitava o tempo todo, mas ele também não deixaria de me procurar sendo que eu estou carregando um filho dele, se ele me deixasse aqui, eu faria um modo de sair e iria atrás dele. Ok, eu não faria isso! Sai de meus pensamentos quando Jake deu uma tossida falsa. – Estava pensando em matar o Bieber se ele não viesse atrás de você? – perguntou e riu.

Jasmine: Apenas pensando, até porque eu não faria isso de maneira nenhuma. – disse gesticulando.

Jake: Que bom, porque ele te ama muito e você sabe disso. Por mim eu falaria tudo o que ele fez pra te procurar nessas mais de duas semanas, mas não posso. A qualquer hora Brad chega e os outros capangas vão sair de seus horários de lazer que acontece apenas por alguns minutos. Então só não se esqueça que hoje mesmo estará de volta, mas não demonstre esperança alguma, Brad pode desconfiar, ok? – perguntou e eu assenti – Estou indo! – ele disse e se aproximou de mim, em seguida deu um beijo em minha testa – Tchau, espero que fique bem. – disse e sorriu.

Jasmine: Vou ficar. – disse e ele assentiu saindo do quarto e trancou a porta. Me deitei pra raciocinar tudo o que eu tinha ouvido naquele quarto desde que Jake saíra, então quer dizer que o Bieber tinha feito muita coisa pra me tirar daqui? Bom, de tanto tentar, dessa vez ele conseguiu. Meu Deus, estou muito feliz! Finalmente sairei dessa imundice do Brad, tomara que nunca mais eu torne a vê-lo, desde que matou minha mãe, sinto nojo dele.

[...]

 Tinha dormido por um tempo, mas acordei com gritos, era um cara qualquer me gritando e mandando eu acordar, fiquei com medo só de olhar o quão perto ele estava de mim, ele se encontrava em cima de mim na cama.

Jasmine: Sai de cima de mim! – tentei fazer com que ele saísse de cima de mim, mas não consegui. Ele apenas sorriu, pegou em meus braços e os prendeu em cima da minha cabeça.

- Não antes de brincar com você um pouquinho. – falou e riu cínico, fiquei com medo, mas resolvi não demonstrar, só que o jeito que ele me olhava não me deixava de jeito nenhum, também porque eu sabia muito bem o que ele queria comigo. Esse cara parecia ter a mesma idade que eu, cabelos castanhos claros, olhos azuis e como ele estava em cima de mim, eu pude sentir que ele estava sem camisa, e óbvio ele tem um corpinho que se fosse há um ano e meio atrás, eu teria olhado e não tirado o olho, mas não. – Mesmo grávida você é bem gostosinha... – ele disse acariciando meu rosto com a outra mão, virei o mesmo com nojo de seu toque. Ele continuava em cima de mim e eu quase gritei com seu peso.

Jasmine: Você é bem pesado, sai de cima de mim.  – tentei me soltar.

- Pesado? Aposto que você queria dizer que eu sou lindo e que mesmo tendo fodido todo esse tempo com o Bieber, queria foder comigo agora nesse momento. – ele disse e piscou.

Jasmine: Nunca! Eu nunca ia querer uma coisa dessas, o prefiro um milhão de vezes a você. – falei o encarando.

- Ah é? Mas como sabe disso? Nem me sentiu ainda. – falou agora com aquele mesmo sorriso cínico.

Jasmine: Você não vai fazer o que quer fazer. – disse séria.

- Você sabe o que eu vou fazer? – perguntou sendo irônico – Eu acho que não. – parece que ele tirou uma corda do além e amarrou meus pulsos na cabeceira da cama, eu nem se quer tive tempo de tentar me soltar – Você vai ficar ai paradinha enquanto eu faço o que quiser com você... – disse agora com um sorriso enorme.

Jasmine: Me diga, quem foi que te mandou aqui? – perguntei curiosa.

- Quem? Mas isso não te importa só que eu acho que você deve saber muito bem que o seu papaizinho Brad não quer ser avô né. – deu de ombros.

Jasmine: Não! – disse e comecei a me debater na cama tentando me soltar, mas nada funcionava. Aquele cara só ficava rindo da situação, mas foi então que ele esperou eu parar de me debater pra tirar todas as minhas roupas, eu fiquei completamente nua e ele praticamente me engoliu com os olhos.

- Nada mal. – disse e em seguida tirou as próprias roupas. Subiu mais uma vez em cima de mim e me penetrou bruscamente, senti uma dor inexplicável e gritei alto.

Jasmine: Sai de cima de mim, seu vagabundo! – gritei e ele só ficava rindo e me entocando ainda mais forte e rápido, ele estava indo longe demais á cada entocada e eu sentia mais dor ainda, não queria que acontecesse alguma coisa com o meu filho. – Filho da puta! – gritei e cuspi na cara dele.

- Desgraçada! – ele limpou o cuspe do rosto e colocou um pano qualquer em minha boca, não consegui tirar, mas eu continuava gritando e como não dava pra ouvir, ele continuava rindo. – Está gostando? Por que ainda não começou á gemer pra mim? Hein? – ele disse e eu grunhi. Esse canalha achava mesmo que eu ia me entregar pra ele? Ah mas ele estava muito enganado! Parei de me debater, mas a dor aumentava a cada entocava que ele avançava. – O que foi? Cansou de se debater? Resolveu se entregar á mim? – perguntou e eu neguei – Então eu quero ouvir você gritar! – ele disse parecendo furioso e tirou o pano de minha boca, em seguida deu mais uma entocada brusca e eu gritei na hora, mas em seguida alguém bateu na porta. Senti sangue descendo por minhas pernas.

- DEREK SAI DAI CARA, O BIEBER ESTÁ NA CASA, FOGE ANTES QUE SEJA TARDE DEMAIS! – o cara gritou e em seguida ouvimos ele correr. O tal Derek saiu de dentro de mim e colocou a roupa, em seguida saiu do quarto me deixando ali.

Jasmine: JUSTIN! SOCORRO ME TIRA DAQUI, JUSTIN! SOCORRO. – gritei e logo ouvi passos apressados se aproximarem da porta.

Bieber: JASMINE? – ouvi sua voz e meu coração começou á bater cada vez mais forte.

Jasmine: TIRA-ME DAQUI! – gritei e mais uma vez olhei pra onde havia sentido todo aquele sangue, tinha parado mais um pouco. Bieber entrou no quarto com tudo e fechou a porta em seguida, ele estava com uma arma na mão, quando me viu, colocou a mesma na cintura e caminhou em minha direção perplexo.

Bieber: Quem fez isso com você? – me perguntou com olhar de ódio.

Jasmine: Foi um tal de Derek. Por favor, me desamarra daqui e me leva pra um hospital? Eu estou sangrando! – pedi desesperada e ele me desamarrou o mais depressa possível, em seguida me enrolou em um lençol e eu me sentei na cama.

Bieber: Eu vou ligar pro Jream. - ele disse pegando o celular e discando os números, em seguida colocou no viva-voz.

Jream: Bieber?

Bieber: Já vasculhou a casa toda? Eu estou com a Jasmine! Acharam o Brad? – perguntou parecendo desesperado.

Jream: Brad fugiu, como sempre. Já vasculhamos a casa toda e nada dele! Não há mais ninguém aqui dentro, além de vocês. Estamos aqui fora esperando.

Bieber: Puta que pariu. Okay estou descendo. - ele disse e desligou o celular guardando o mesmo em seguida.

Jasmine: Pronto? Agora me tira daqui. – disse fazendo bico, ele sorriu e me pegou no colo, depois saiu andando dali comigo o mais rápido que ele conseguiu. Eu ainda sentia o sangue descendo por minhas pernas, quando vi a luz do sol lá fora, apaguei.

Continua ?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...