História Crazy In Love Second Season - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jasmine Villegas, Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette
Tags Bern Villegas, Chaz Somers, Christian Beadles, Jasmine Villegas, Jream Andrew, Justin Bieber, Justin Villegas, Ryan Butler
Visualizações 84
Palavras 3.209
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


eai povo lindo, estou aqui de novo! ahahaha se tiver algum erro, me avisem, ok? boa leitura xuxus

Capítulo 23 - Sleep with me? (Parte 1)


Fanfic / Fanfiction Crazy In Love Second Season - Capítulo 23 - Sleep with me? (Parte 1)

POV Justin

Bieber: JASMINE? ACORDA PELO AMOR DE DEUS! – gritei logo após a ver fechando os olhos, eu tenho certeza que ela tinha apagado, simplesmente porque ela não se mexia. Avistei Jream em frente ao meu carro – Jream pegue as chaves do meu carro! Vamos para o hospital agora. – ordenei e ele em seguida entrou no carro, entrei no banco de trás com Jasmine e a deitei em metade do banco colocando sua cabeça em meu colo.

Jream: O que aconteceu com ela? – perguntou curioso, em seguida acelerou.

Bieber: Eu não sei, só cheguei à porra do quarto porque ela tinha me chamado, quando entrei ela estava sangrando, me implorou pra que eu a tirasse de lá e a levasse pro hospital. – disse desesperado.

Jream: Pode ter acontecido alguma coisa com o bebê. – ele disse parecendo com medo.

Bieber: Nem pense nisso Jream! Se acontecer alguma coisa com o meu filho, eu vou atrás do cara quem fez isso com a Jasmine. – disse já com ódio.

Jream: Você não matou todos que viu naquela casa? – perguntou preocupado.

Bieber: Antes de chegar onde a Jasmine estava, eu vi um cara correndo, então ele quase implorou pra que eu não atirasse, então eu dei uns três tiros nele e depois sai dali. Não sei, pode ter sido ele, porque ele estava tão desesperado e completamente desarmado. – disse relembrando a situação do cara e rindo.

Jream: Tomara que ele já esteja morto. – ele disse e ambos ficamos em silêncio.

Bieber: - olhei pra Jasmine e ela continuava desacordada – Anda logo com isso cara! – ordenei e ele acelerou mais. – Você vai ficar bem, meu amor. Eu prometo. – disse acariciando o rosto dela. Não demorou muito e Jream estacionou em frente ao hospital, sai do carro e ele me ajudou á pegar ela, apenas coloquei-a em meu colo e entramos no hospital, Jream logo pediu pra que trouxessem uma maca pra colocarem ela. Um cara apareceu com uma e eu coloquei ela na mesma, então ele saiu dali com ela e eu fui junto, mas apareceu uma enfermeira chatinha.

Enfermeira: O Senhor não poderá acompanhar a paciente por enquanto.

Bieber: Eu sou namorado dela, ela está grávida! – disse encarando-a com muita raiva.

Enfermeira: Quando tivermos notícias sobre ela, chamaremos. – disse e sorriu, apenas assenti, mas quando ela saiu dali mostrei o dedo do meio.

Jream: Bieber. – ele apareceu do meu lado balançando a cabeça negativamente.

Bieber: Não me olha com essa cara! Eu deveria estar do lado dela, o tempo todo. – disse agora me desabando á chorar.

Jream: Não precisa ficar desse jeito, ela vai ficar bem. – disse sério, o olhei querendo acreditar naquilo, mas eu esperava no fundo que ela ficaria melhor.

Ryan: Kethlen, você ficou maluca? Não pode ver a Jasmine agora! – ouvi-o discutindo com a mesma na frente da recepção, nos aproximamos.

Kethlen: Bieber, onde está a Jasmine? – ela perguntou logo quando me viu.

Bieber: Ela vai ficar bem. – disse e sorri forçado.

Kethlen: Como assim, ela vai ficar bem? Onde ela está? – perguntou brava.

Bieber: Kethlen, você sabe que eu não vou muito com a sua cara né? – disse e Ryan me encarou, ignorei – Então, se quiser ver a Jasmine, espere. Porque eu mesmo não deveria estar aqui e estou! Ela entrou faz poucos minutos e vamos ter que esperar até que ela esteja bem.

Kethlen: Argh. – ela grunhiu me encarando e se afastou sentando-se em uma cadeira da sala de espera, em seguida pegou o celular e parecia que estava falando com a Mary.

Ryan: Não vai muito com a cara dela? – perguntou pra mim.

Bieber: Nossa você não sabia disso? – perguntei irônico – Palmas pra ele! Descobriu a notícia do ano. – fingi entusiasmo, tudo ironicamente – Você sabe bem a namorada chata que tem, então não é lá uma novidade eu não gostar muito dela. – disse revirando os olhos. Ele nem respondeu, apenas se afastou sentando junto com Kethlen.

Jream: Vocês parecem cão e gato, pelo amor. – ele disse se afastando também.

[...]

 Algumas horas depois eu já estava ficando irritado com tanta demora, Chaz, Mary e Christian já estavam ali também pra pelo menos saber como a Jasmine está. Christian tinha seguido alguns dos caras que fugiram, mas como eles não chegaram á lugar algum, matou todos sem ao menos saber quem eram. Como se isso fosse me animar um pouco. Vai sonhando. Jasmine está lá dentro e eu não sei absolutamente nada sobre ela, e isso faz mais de três, quatro ou cinco horas, eu nem vi a hora passar desde que cheguei aqui. Eu estava andando de um lado pro outro e ninguém percebia todo o meu desespero.

Chaz: Bieber chega! Espera alguma enfermeira chegar, algum médico, para de andar de um lado pro outro, vai fazer buracos no chão. – ele disse me encarando e eu o encarei de volta, mas parei e me sentei.

Justin: Que porra. – disse com as mãos em meu rosto, mal sentei e já ouvi.

Médico: Parentes da Senhorita Jasmine Villegas? – ouvi-o e me levantei rapidamente.

Justin: Aqui Senhor! – disse me aproximando.

Médico: O senhor é o quê dela? – perguntou sério.

Justin: Sou namorado dela. – disse sem paciência.

Médico: Onde estão os pais dela? – perguntou curioso.

Justin: Ela não tem, seus pais morreram.

Médico: Preciso conversar com alguém mais responsável por ela. – disse revirando os olhos.

Justin: O que está insinuando? Que eu não sou responsável o bastante pra cuidar dela? – disse o encarando e quase avanço nele quando o mesmo assentiu, mas Ryan pegou em meus braços me afastando dele.

Ryan: Bieber, não vai arranjar briga com o Médico né? Por favor. – disse me afastando dali e me fazendo sentar na cadeira.

Justin: Você viu o que ele disse? Chamou-me de irresponsável. – disse com raiva.

Ryan: Vamos combinar que você não é lá muito responsável não.

Justin: Ah então está do lado dele? Por que não vai acompanhar o Jream e conversar com ele? Vai que se tornem amigos? Dai você não precisa de mim.

Ryan: Sem drama, Bieber. Eu não estou do lado dele, só concordei! E você também é muito nervosinho, quase bateu no Médico. – disse me encarando.

Justin: Se você deixasse, eu teria batido muito bem merecido, nesse médico de quinta. – disse revirando os olhos.

Ryan: Bieber chega ok? Se você não tivesse cara de maníaco, ele teria sido mais simpático com você.

Justin: Esse ai não é simpático nem consigo mesmo. – dei de ombros.

Ryan: Ok, como quiser. – ele disse se levantando e foi de encontro com Jream, fiquei ali sozinho. Abaixei a cabeça e percebi alguém se sentando ao meu lado, mas não quis olhar pra pessoa.

Mary: Bieber. – ouvi-a me chamar, mas não dei-lhe atenção – Eu sei bem que você não gosta de mim e eu nem deveria estar aqui tentando te ajudar, quer dizer, tentando conversar. Mas olha, sabe o que eu acho? Que você deveria ser mais compreensivo e menos impaciente. Todos sabem que a Jasmine vai ficar bem, se você não esperar isso acontecer, vai ser pior pra você. – disse e parou, olhei de canto pra tentar entender aonde ela queria chegar com aquilo e compreendi. Levantei a cabeça olhando-a.

Justin: Já entendi, pode se retirar. – disse a encarando.

Mary: Não precisa me tratar desse jeito, não sou um cachorro. – se levantou me olhando impressionada.

Justin: Nem um cachorro merece ser tratado desse jeito. – disse e ela ficou boquiaberta, em seguida se afastou indo de encontro com Chaz. Jream se aproximou sentando-se ao meu lado.

Jream: O que você disse pra ela? – perguntou preocupado.

Justin: Nada que interesse á mim. Mas então, o que o filho da puta daquele médico disse pra você? – perguntei já sem paciência alguma. Mary disse pra eu ter paciência, mas foda-se, não estou aqui pra ser paciente.

Jream: Ele disse que ela e o bebê estão bem, já cuidaram de tudo. Só falta fazer alguns exames, depois disso ela vai ser levada pro quarto onde poderá receber visitas. – disse e sorriu.

Justin: Que bom, eu vou esperar até isso acontecer. – disse abaixando a cabeça novamente.

Jream: Não acha melhor comer alguma coisa? – perguntou preocupado.

Justin: Quando eu sentir fome, pode acreditar, eu irei comer alguma coisa. – disse sem olhá-lo, que se levantou e saiu andando. Eu realmente não queria ninguém ocupando espaço do meu lado pra nada, queria ficar sozinho, saber que a Jasmine está bem foi a melhor notícia que recebi até agora. Aos poucos, as pessoas que estavam ali foram saindo até eu ficar completamente sozinho. Quando senti que estava prestes á dormir ali sentado mesmo, ouvi uma voz conhecida me chamar.

Enfermeira: Senhor Justin Bieber? – ouvi meu nome e logo me levantei.

Justin: Oi? – perguntei logo em seguida.

Enfermeira: Jasmine já pode receber visitas, chamei-o porquê pensei que queria vê-la. – ela disse e sorriu.

Justin: Claro que eu quero vê-la! – disse em alarme pros meus próprios pensamentos, queria acordar naquele exato momento.

Enfermeira: Então me acompanhe. – disse e começou á andar.

Justin: Ok. – disse e a segui. Quando ela parou, abriu a porta de um quarto e me pediu pra entrar, agradeci e entrei. Ao ver Jasmine deitada naquela cama, meu mundo desabou, eu queria chorar por ver ela desse jeito, mas eu não podia, tinha que ser forte, ela estava cheia de marcas, no rosto, nos braços, estava tudo vermelho e roxo. Agora eu podia ver claramente porque quando a tirei daquele quarto, não prestei muita atenção nos detalhes, mas agora eles estavam na minha frente e eu conseguia ver á olho nu.

Jasmine: Meu amor... – ela disse estendendo a mão e pedindo pra que eu me aproximasse. Eu estava parado na porta, quando ouvi sua voz, fui imediatamente a sua direção.

Justin: Jas. – peguei em sua mão e a beijei, ela sorriu. – Você está melhor? – perguntei e ela assentiu – Tem certeza?

Jasmine: Estou melhor, meu amor. – disse e pegou em minha outra mão – Só estou com um pouco de dor, mas vai passar. – sorriu fraco.

Justin: Eu fiquei tão preocupado com você, não sabe o quanto... Não saí desse hospital pra nada, juro. – disse olhando dentro dos olhos dela.

Jasmine: Não comeu nada ainda? – perguntou e eu neguei – Bieber! – me repreendeu.

Justin: Eu não estava com fome, a única coisa que eu queria era ver se você estava realmente bem, agora estou vendo que sim. – disse e sorri – E o Emanuel, como está? – perguntei acariciando a barriga dela.

Jasmine: Está um pouquinho agitado, o Médico disse que nada aconteceu com ele, que o sangramento foi temporário e á qualquer momento pararia, realmente parou. – ela disse e me puxou pra que eu me aproximasse mais.

Justin: Eu te amo. – coloquei a mão em seu rosto e a beijei.

Jasmine: Eu te amo mais. – sorriu.

Justin: Não ama não. – brinquei, ela riu. Dei vários selinhos em seus lábios fazendo-a rir mais.

Jasmine: Bobo! – deu um tapa leve em meu braço.

Justin: Espero que você tenha alta logo. – disse sério.

Jasmine: Também espero, preciso da minha cama urgentemente, essa cama é muito dura. – disse e fez careta.

Justin: Se você quiser, vamos embora agora. – disse sorrindo sapeca, ela me encarou.

Jasmine: Como vai me tirar daqui agora? Aquela enfermeira deve estar por ai vigiando o quarto, com medo de que você me tire daqui. – falou séria.

Justin: Okay, eu vou ser obrigado á ir falar com aquele Médico idiota e perguntar quando que vão te dar alta. – disse revirando os olhos.

Jasmine: Você não gostou dele? – perguntou inocentemente.

Justin: Ele disse que eu não sou responsável o bastante pra cuidar de você. – falei já com raiva.

Jasmine: Pede pra alguém perguntar. – deu de ombros.

Justin: Todo mundo já foi embora, deve ser umas dez da noite, eu não sei.

Jasmine: Todo mundo? Mas todo mundo mesmo? – perguntou impressionada.

Justin: Sim, quando disseram que você e o Emanuel estavam bem, todos ficaram tranquilos e esperaram a hora de ir embora, só eu fiquei aqui esperando o momento pra te ver. – sorri.

Jasmine: Por que você é o único que se importa verdadeiramente comigo. – ela colocou uma mão em meu rosto e me beijou.

Justin: Eu te amo como eu nunca amei ninguém em toda a minha vida. – disse encostando nossas testas uma na outra.

Jasmine: Eu também te amo como nunca amei ninguém na vida. – ela disse sorridente, aquele sorriso com certeza alegrou todos os dias que eu estive mal. Dei um selinho em seus lábios e me afastei.

Justin: Então, você não quer sua cama urgentemente? Posso te tirar daqui e damos um jeito de você ter ela depressa. – disse com um sorriso malicioso.

Jasmine: Já até sei qual o seu pretexto pra me querer tirar daqui só porque eu disse que queria minha cama. – ela cruzou os braços e riu.

Justin: Ah sabe? – perguntei e ela assentiu – Então diga qual é. – pedi.

Jasmine: Eu não vou dizer, você sabe qual é. – revirou os olhos.

Justin: Mas eu quero ouvir você falando. – pedi e ela riu se entregando.

Jasmine: Sexo. Você quer sexo. – disse olhando dentro de meus olhos, ri.

Justin: Ok acertou! Mas então, se você não quer aceitar, eu vou ter que perguntar pro Médico quando você terá alta.

Jasmine: Tudo bem, depois volta pra cá, ok? – pediu fazendo bico.

Justin: Virei no mesmo momento. – disse e sorri, dei um selinho em seus lábios e sai do quarto. Quando dei três passos, esbarrei naquele Médico, bufei.

Médico: O Senhor precisa de alguma coisa? – perguntou tão educado que parecia mentira.

Justin: Quero saber quando Jasmine vai ter alta. – disse revirando os olhos, olhar para a cara desse homem sem me lembrar do que ele disse era impossível.

Médico: Onde está o responsável que assinou a ficha dela? – perguntou sério, mas senti uma ironia no ar.

Justin: O responsável por ela sou eu! O irmão dela que assinou a ficha, mas ele não se encontra e você podia, por favor, me dizer quando ela terá alta? – perguntei sem paciência.

Médico: Okay, se o irmão dela não está, serve você mesmo. – disse com cara de nojo, fiquei com vontade de dar-lhe um soco. – A Jasmine vai ter que passar essa noite no hospital e amanhã ela terá alta. – disse e sorriu cínico.

Justin: Tudo bem, obrigado. – disse e me retirei, entrei novamente no quarto onde Jasmine estava.

Jasmine: Eai? – perguntou após me ver adentrando o quarto.

Justin: Você terá que passar a noite aqui. – disse e ela fez careta.

Jasmine: Por quê? – fez bico.

Justin: Ele não disse, mas eu vou pedir pra alguns capangas meus ficarem vigiando o hospital e o seu quarto! Se eu pudesse, dormiria com você... – disse sentando na cama ao lado dela.

Jasmine: As pessoas podiam inventar camas de hospitais sendo pra casais, essa cama é muito pequena. – ela disse acariciando a cama ferozmente.

Justin: Não se preocupe, amanhã bem cedo um dos meus seguranças te levará pra casa. – disse e sorri.

Jasmine: Por que bem cedo? – arqueou uma sobrancelha.

Justin: Porque eu estarei dormindo e você poderá dormir comigo. – sorri maliciosamente.

Jasmine: Okay então vai pra casa e come alguma coisa, aproveita e dorme muito bem. – sorriu.

Justin: Pode deixar que eu vou sim e vou sonhar com você se duvidar. – disse a fazendo rir.

Jasmine: Eu te amo. – disse pegando em minhas duas mãos.

Justin: Eu te amo mais. – disse e a beijei, bem devagar, parei o beijo com selinhos. – Eu vou indo meu amor, até amanhã.

Jasmine: Até amanhã. – ela disse, peguei em sua mão e a beijei, ela sorriu e eu me afastei.

Justin: Até amanhã! – disse acenando e sai do quarto, dei de cara com aquele Médico de novo. – Que porra, está me seguindo? Quer um autógrafo? – disse bravo, ele riu.

Médico: Senhor Bieber, você é tão engraçado! – disse e deu um tapa em minhas costas, fuzilei-o com os olhos como quem diz “eu te mato se achar mesmo que estou de gracinha”, ele me olhou e em seguida ficou assustado – Licença. – disse e saiu andando.

Justin: Idiota. – disse baixo, sai andando pra fora do hospital e lá liguei pros meus capangas dizendo pra vigiarem o hospital e o quarto da Jasmine, pedi também pra um deles leva-la pra casa depois que tiver alta. Em seguida peguei meu carro e fui pra casa, quase dormi dirigindo por causa do sono, também estava sentindo uma puta fome e vontade de sexo. Acelerei mais e peguei meu celular pra ver as horas, quase 11:30 P.M., não demorou muito e eu já estava em casa. Estacionei meu carro na garagem e entrei, ouvi vozes na cozinha e logo Mary e Chaz apareceram com aquela melação de sempre. – Por que vocês são tão grudentos? – perguntei me jogando no sofá.

Mary: Bieber, você e minha prima são piores.

Justin: Não somos não! – disse revirando os olhos. Claro que não somos assim, muito grude me enoja.

Chaz: Ah são sim, não se lembra da vez que você estava correndo atrás da Jasmine pela casa toda só por que ela não queria te dar um beijo? – ele disse e riu.

Justin: Af, isso não é melação. – disse indignado.

Mary: E a vez que vocês estavam aqui na sala vendo Titanic e quando ela começou a chorar, você disse que não gostava de vê-la chorando e blá blá blá! – ela disse revirando os olhos e riu.

Justin: Ok, vocês venceram! Se pararem, nós pararemos, tudo bem? – disse me levantando e fiz um sinal positivo, eles assentiram.

Mary: Aposto que só vai fazer isso longe de nós. – disse e riu, mostrei o dedo do meio pra ela – Nossa que grosso! – falou revirando os olhos, fui andando em direção as escadas.

Justin: Grosso é o meu pau. – disse e ri.

Chaz: Bieber! – ouvi-o repreender, apenas ri e corri subindo as escadas.

Justin: Garota chata. – sussurrei me lembrando do que a Mary tinha dito, logo levei um susto quando cheguei ao corredor, era Jream.

Jream: Quem é chata, Bieber? – perguntou curioso.

Justin: Sua prima! – disse revirando os olhos – Desculpe me retirar assim do nada, mas eu estou um caco e preciso ir dormir. – disse e sorri forçado.

Jream: Espera! Você viu a Jasmine, não é?

Justin: Sim, eu fiquei um bom tempo lá com ela...

Jream: E ela vai ter alta quando? – perguntou ainda mais curioso.

Justin: Amanhã bem cedo. – disse sério, um pouco sem paciência já.

Jream: E você deixou a Jasmine sozinha naquele hospital? Brad pode tentar sequestra-la novamente. – falou desesperado.

Justin: Não, eu não a deixei sozinha lá! – ri – Deixei alguns capangas vigiando o hospital e o quarto dela, não se preocupe. Amanhã eles trarão ela de volta pra cá, bem cedo!

Jream: Capangas? – perguntou e eu assenti – Confiáveis?

Justin: Jake é um deles, depois do que fez pra nos ajudar, podemos dizer que ele é confiável. – dei de ombros.

Jream: Ele está em que parte do hospital? – aquilo estava parecendo um interrogatório.

Justin: Deixei-o vigiando o quarto dela já que Jasmine é chata e prefere alguém conhecido por perto. – disse e ri.

Jream: Que bom! – disse e se afastou.

Justin: Ok então eu vou me dormir. – disse e ele assentiu e saiu andando, entrei no quarto e fui direto pro banheiro, tomei um banho demorado e quando terminei apenas coloquei uma voz e uma calça moletom, em seguida fui pra cozinha, minha fome de leão como diz a Jasmine, voltou á ativa.

 

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...