História Crazy In Love Second Season - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jasmine Villegas, Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette
Tags Bern Villegas, Chaz Somers, Christian Beadles, Jasmine Villegas, Jream Andrew, Justin Bieber, Justin Villegas, Ryan Butler
Visualizações 80
Palavras 2.696
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


boa leitura xuxus

Capítulo 27 - Sex Strike.


Fanfic / Fanfiction Crazy In Love Second Season - Capítulo 27 - Sex Strike.

POV Justin

 Eu já estava sem paciência depois que a Jasmine recebeu a ligação da Kethlen e fiquei bem mais depois que ela resolveu que estava com desejo de tomar sorvete e ainda fez chantagem emocional achando que manda em mim, mas como ela está grávida e eu não queria brigar logo dentro de um shopping, resolvi ceder o que ela queria e fomos comprar o sorvete. Não demoramos muito ali, comprei o sorvete pra ela e fomos embora, peguei o carro e sai dali o mais rápido que pude, meus capangas vieram logo atrás. Aproveitei e liguei para Ryan pra saber onde ele estava e ele me disse que estava indo pra casa e eu falei pra ele ficar de olho na Kethlen, eu não confio muito nessa garota, ainda mais sozinha dentro da minha casa.

  Estava tudo indo às suas mil maravilhas, até eu ouvir um tiro. Jasmine me olhou assustada, mas eu a acalmei apenas com o olhar pedindo pra ela não se preocupar, eu peguei minha arma que estava na porta luvas e continuei dirigindo, então meu celular começou á tocar e era Jake, coloquei na viva-voz já que não podia ficar segurando celular numa hora dessas.

Jake: Os capangas do Brad estão atirando em nós.

Justin: Como sabe que são os capangas do Brad?

Jake: Eu trabalhei lá, conheço todos. Bieber você tem que fugir agora porque pode acontecer alguma coisa com você e com a Jasmine, o melhor é despistar eles agora e depois voltar pra casa.

Justin: Eu vou dar um jeito nisso. – disse e ele desligou – Jasmine se segura ai que o Bieber vai decolar. – falei em tom brincalhão e senti que ela me encarou.

Jasmine: Tem pessoas querendo nos matar e você leva tudo na brincadeira? Bieber, você tem algum cérebro dentro da sua cabeça? Porque está parecendo que não! – ela parecia brava, mas não respondi pra não ficar de cabeça quente com ela e nessas horas uma briga só começaria com os problemas.

Justin: Preciso despistar esses filhos da puta. – disse acelerando ainda mais e virei em uma esquina, percebi que Jake e meus outros capangas seguiram reto e a maioria dos outros carros seguiram eles sem perceber meu trajeto, mas sem eu perceber também, um carro começou a me seguir, mas eu tinha que ser mais esperto. Acelerei mais do que eu podia, virei em uma esquina, depois virei em outra e fui indo até despistar esse desgraçado que estava me seguindo, ele tentava acertar tiros nas rodas do carro, mas nunca conseguia, sempre acertava o chão e eu ria por seu fracasso. A cada esquina que eu virava, eu acelerava mais e ele foi ficando pra trás, até que enfim despistei-os. – Porra, eu sabia que conseguiria! – gritei animado, só que como de costume, senti olhares bem pesados em mim e isso vinha da Jasmine, ela me olhava com um sorriso malicioso e eu sabia bem o porquê.

Jasmine: Você foi maravilhoso. – ela colocou as duas mãos em meu rosto e me deu um beijo demorado na bochecha. Eu continuei olhando pra frente, até sentir as mãos dela abrindo o zíper da minha calça, eu a olhei desconfiado e ela só sorriu pedindo pra eu ficar calmo, só que no segundo que ela pegou em meu membro e colocou na boca, eu não consegui ficar calmo. Quer dizer, calmo em um modo geral.

Justin: Sua boca está gelada. – disse em um riso e gemi baixo, Jasmine tinha tomado muito sorvete mesmo. Eu estava tão concentrado em despistar os capangas do Brad que nem percebi quando ela tirou o cinto, essa garota é louca. Mas isso está mais do que ótimo, nem consegui prestar atenção na rua com tudo àquilo que estava sentindo. – Isso Jasmine, assim mesmo. – disse gemendo baixo e estacionei em uma rua sem saída, estava completamente vazia. Jasmine continuou com o que estava fazendo, a língua dela continuava gelada e eu estava ficando com calor a cada segundo que passava, mas pra acabar com o clima, eu ouvi uma sirene e se não me recordo bem, é da polícia. – Porra! Melhor sairmos daqui. – disse ligando o carro novamente.

Jasmine: Que merda. – ela disse fazendo careta, coloquei meu membro pra dentro da cueca e em seguida dei ré.

Justin: Acho bom colocar o cinto. – disse sério, Jasmine fez como pedi. Andei até o final da rua e virei a esquina, em seguida acelerei e por sorte os carros estavam bem atrás e não conseguiram me pegar, despistei em um piscar de olhos, fiz um caminho mais longo pra chegar em casa, mas enfim chegamos. Eu já estava cansado. Estacionei o carro na garagem e sai, Jasmine já tinha saído há tempos e parece que já estava lá dentro. Entrei e pedi para Jake pegar as sacolas que estavam dentro do meu carro, depois subi para o escritório, antes vi que Jasmine estava na sala conversando com a Kethlen e Ryan me observou enquanto eu passava e subia para o escritório. Eu estava cansado e ele melhor do que ninguém sabe quando eu não quero papo com ninguém.

10 Dias depois... Quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013, ás 8:57 P.M.

 Faz exatos dez dias que a Jasmine está naquela de fazer greve de sexo, eu já estou ficando puto com essa história, eu já disse milhões de vezes pra ela que não faria nada para machucar nem a ela e nem ao nosso filho, mas parece que ela não entende. A desculpa dela é que ainda está com trauma e eu duvido muito que isso seja trauma, não deve ter sido tão sério assim, já era pra ela ter se recuperado e superado, mas lógico que eu fiquei com ódio profundo de quem estuprou ela e esse cara já deve estar queimando no fogo do inferno, ninguém meche no que é meu e sai ileso, só que mesmo assim, isso só deve ser negação da parte dela. Ela quer-me ver implorando, quer me ver louco até eu me drogar o suficiente e ir a um puteiro, arranjar uma puta para resolver o problema que ela insistia em não resolver, eu estava me segurando muito pra não fazer isso por que apesar de tudo eu a amo, mas ela estava pedindo.

Jasmine: Para de me pressionar porra, eu já disse que eu não vou transar com você. – ela disse séria, só que o resto de paciência que eu tinha já estava se esgotando.

Justin: Eu não estou te pressionando e muito menos vou te forçar algum dia á transar comigo, caralho você devia me entender, mas se você quer assim tudo bem. Já cansei das suas negações, Jasmine! Eu sou homem, ok? Eu tenho necessidades a ser cumpridas porra ou você acha que é legal ficar me aliviando sozinho sendo que eu tenho você aqui? Não, não é legal. E já que você não quer transar comigo, tudo bem, eu vou arranjar uma mulher que queira. – disse guardando meu celular no bolso e saindo daquele quarto, claro que eu ouvi ela me gritar, mas nem dei bola. Desci as escadas como um furacão e quando cheguei à sala, vi Jream e Christian conversando, o papo parecia bom, me aproximei.

Jream: Eai Bieber! – ele disse e fizemos toque.

Christian: Brigou com a Jasmine de novo foi? – ele perguntou sério, não respondi.

Justin: O que estão fazendo? – perguntei mudando de assunto.

Jream: Que eu saiba nada, por quê? – perguntou curioso.

Justin: Eu preciso sair pra esfriar a cabeça. – disse sem olhá-los.

Christian: Esfriar a cabeça no caso é esquecer-se da discussão que teve com a Jasmine?

Justin: Cala a boca porra, vocês vêm comigo ou não?

Jream: Por que não chama seus amigos?

Justin: Chaz e Ryan? Eles são uns gays que não desgrudam das namoradas nem por um segundo.

Christian: Como se você desgrudasse da Jasmine. – ele disse baixinho, revirando os olhos.

Justin: Já disse pra calar a boca porra! – falei o encarando que me ignorou.

Jream: Primeiro quero saber esse seu motivo de querer esfriar a cabeça. – ele disse sério.

Justin: Ai se eu pudesse ir num puteiro... – sussurrei olhando pra cima, acho que ele ouviu tudo.

Jream: Bieber, não está pensando em trair minha irmã não, né? – perguntou bravo.

Justin: Óbvio que não! Mas ela bem que está merecendo. – disse bravo imaginando todos os dias em greve – Vocês vão comigo ou não? Vou ter que pedir educadamente? Pedir para o pai deixar vocês saírem com o Bieber? É isso? – perguntei com deboche.

Jream: Onde está pensando em ir?

Justin: Em um puteiro, quem sabe. – disse e ri.

Jream: Está de brincadeira, não é? – perguntou me encarando e eu ri mais uma vez.

Justin: Af Jream! Você é muito certinho, sabia? Nunca foi num puteiro não?

Jream: O problema não é ir à puteiro, o problema é que você tem uma mulher grávida dentro de casa e se pensar em trair ela, eu não respondo por mim.

Justin: Não se preocupe, nós vamos numa boate mesmo. – disse dando um tapa em suas costas.

 Saímos dali e pedi pra um dos meus seguranças nos levarem pra boate do centro, eu não queria dirigir, pois eu iria beber e ainda tinha amor a minha vida e tinha que voltar vivo para casa, afinal tenho uma mulher grávida para cuidar por isso os chamei. Chegamos a boate e o segurança que ficava na entrada logo nos deu passagem, Jream e Christian foram para área vip e eu caminhei até o bar, eu tinha apenas dois objetivos que um era beber até não aguentar mais e o outro é estar bêbado o suficiente para levar alguma puta para cama. Já se passava das 02:30 A.M. eu já podia sentir minha cabeça rodar e ver tudo dobrado, mas continuava a beber shots de tequila.

Jream: Vai com calma ai Bieber. – disse me dando leves tapinhas nas costas.

Justin: Me deixa porra, eu sei o que estou fazendo. – disse rude pedindo outra dose ao barman.

Jream: Cara, eu sei que você está assim porque discutiu com minha irmã, mas você tem que entender que ela passou por um trauma muito forte.

Justin: Porra nenhuma Jream, nada justifica a Jasmine estar fazendo greve de sexo cara, eu estou tendo que me aliviar sozinho, depois de ter mulher caralho! − disse sério, agora bebendo uma dose de vodca e o filho da puta ainda ri da minha cara.

Jream: Mas Bieber dá um tempo pra ela, ainda por cima ela está grávida, está cheia de hormônios, os sentimentos ficam dobrados, se ela chorar vai chorar mais que o normal e essas coisas, eu sei que ela te ama e sei que você também a ama.

Justin: Esses hormônios eram para me ajudar cara, eu ouvir falar que mulher grávida fica insaciável, mas não, a minha está um saco e fazendo greve porra, eu não estou mais suportando.

Jream: Bieber, de uma coisa eu sei, ela te ama pra caralho, nenhuma mulher vai te amar mais do que ela e nenhuma vai te fazer feliz como só ela faz ou você acha que a gente não vê, a vida dela é você e ela ainda ta grávida cara, vai te dar seu primeiro filho, o primeiro filho de vocês e sei que ai no fundo você a ama, então não faz besteira não meu irmão, porque se você a machucar eu vou ser por ela, sempre vou ser por ela, ela é minha irmãzinha, meu sangue e eu não vou pensar duas vezes antes de acabar com você mesmo você sendo pai do meu sobrinho. – ele disse e saiu me dando as costas me deixando com a cabeça a mil por hora, eu realmente amava aquela marrenta, ah foda-se eu vou seguir minha cabeça de baixo e eu não vou me acabar na mão como nas outras noite, hoje eu vou dormir com uma puta e de preferência bem gostosa e loira, só pra não eu pensar e muito menos lembrar da Jasmine.

- Olá docinho. – disse uma voz suave no meu ouvido dando uma leve mordiscada na minha orelha, me virei para ver quem era, e dou de cara com uma loira com uns peitões, parece que meus desejos viraram realidade.

Justin: Oi. – disse dando um sorriso lascivo.

- Prazer, Ashley. – ela disse se apresentando.

Justin: Prazer só na cama, delícia. Satisfação, mas você já sabe quem eu sou então vamos logo para o que interessa. – disse lhe dando uma piscadela.

Priscila: Eu amo essa música, vem. – disse de repente me arrastando para a pista de dança me fazendo tropeçar, a bebida já havia subido para a cabeça, mas aquela música eu reconheci muito bem, era Havana Brown We Run The Night remixada pelo DJ, então começamos a dançar no ritmo da música e essa vadia que eu tinha conhecido fazia questão de se esfregar em mim quando virava de costas, aquele bumbum redondinho bem delineado se esfregando no meu pau já estava o fazendo acordar, mas em vez de eu me concentrar na vadia rebolando em mim e no que eu queria fazer com ela quando saísse daqui eu comecei a pensar na minha gravidinha, que eu havia a deixado puta da vida comigo em casa, ah como eu amava aquela marrenta, e as coisas que Jream me falou me fizeram abrir os olhos. Deixei um sorriso bobo escapar pensando na Jasmine quando a vadia me chamou.

Ashley: Que tal nós irmos para um lugar mais reservado? – perguntou passando seus braços em volta do meu pescoço.

Justin: Não vai rolar gata. – disse tirando seus braços de mim e indo até um dos meus seguranças, precisava ir pra casa agora. Cheguei lá fora e entrei no carro, mas ainda tinha Jream e Christian, um dos seguranças que nos trouxeram disse que iam chamar eles, esperei por apenas uns cinco minutos e eles logo entraram no carro e fomos embora dali.

Christian: Bieber, você está um caco. – ele disse rindo da minha cara.

Justin: Cala a porra da boca. – disse o encarando.

Christian: E aquela gostosa com quem você estava dançando? Deixou-a lá ou fez o serviço completo? – mais uma vez ele estava de deboche com a minha cara.

Jream: Chris, para com isso! Ele sabe o que faz e nunca faria uma coisa dessas. – ele disse sério, mas olhou pra mim parecendo confuso – Ou faria? – agora ele estava confuso e curioso ao mesmo tempo.

Justin: Óbvio que não caralho! – o encarei – Eu nunca faria isso com a Jasmine. – disse revirando os olhos.

Jream: Do jeito que está falando parece até que faria.

Justin: Pior que eu faria mesmo! Mas quando estava quase lá, me senti completamente culpado por ter deixado a Jasmine em casa estando grávida, eu deveria estar lá com ela, mas não. Eu sou um idiota. – disse com a cabeça baixa.

Christian: Concordo. – ele disse baixo, ignorei.

Jream: Pelo menos agora você sabe como é ter responsabilidades, não é? Você não pode sair pra uma boate qualquer só porque a Jasmine está fazendo greve de sexo. – ele disse e riu baixo.

Justin: Eu já aprendi a lição, me deixa agora. – disse sério. Realmente eu não queria ouvir piadinhas dos dois só por causa do que eu quase fiz, deixar uma loira gostosa mofando naquela boate esperando pra ter uma noite de sexo selvagem maravilhosa comigo, mas não. Nenhuma noite de sexo com uma vadia qualquer irá tirar todos os dias que eu tive com a Jasmine, ela com certeza é e sempre vai ser a melhor. Tanto quanto na cama, mas em tudo. Quando chegamos, eu não esperei muito tempo e fui logo saindo do carro ás pressas e entrando em casa, o plano de esfriar a cabeça falhou, fiquei foi com a cabeça latejando de dor. Puta que pariu. Subi as escadas correndo, quando cheguei perto do quarto vi que a porta estava encostada, entrei e fechei a mesma, Jasmine estava deitada de lado, me aproximei da cama e sentei ao seu lado, fiquei acariciando seus cabelos e logo vi seus olhos se abrindo. Ela se sentou e não manteve seu olhar em mim nem por um segundo. – Jas, me desculpa. – disse pegando em sua mão, mas ela se afastou.

 

Continua...


Notas Finais


eai, gostaram? haha espero que sim! até o próximo, xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...