História Crazy Little Thing Called Love - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pierce The Veil, Sleeping With Sirens
Personagens Kellin Quinn, Vic Fuentes
Tags Kellic
Exibições 18
Palavras 2.094
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Fluffy, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Essa Fanfic é muito é especial para mim, escrevi ela a algum tempo....
ela foi postada no meu perfil antigo; do qual deletei por motivos pessoais. (Sim, eu me arrependo disso).
mas enfim, eu guardei ela e sempre a releio quando posso, e agora estou repostando pois quero que outras pessoas a leiam também.
eu espero que gostem!!!
e por favor, me deixe saber o que achou, é importante pra mim, obrigada e boa leitura <3

Capítulo 1 - Capitulo 1 - A N T E S


 

       Em todo aquele tempo um simples "oi" ou "bom dia" era tudo que falaram um ao outro.  

Costumavam trocar olhares tímidos. Tinham uma enorme necessidade de se conhecerem. Pelo menos de verdade, e não só saber seus nomes. Com certeza gostariam de ter qualquer assunto para poderem -finalmente - Conversarem.  

Mas, como poderiam se aproximar? Passaram horas, dias, meses na mesma sala e nunca tiveram uma conversa que se prese...  

Victor, realmente queria chamar aquele garoto e conversar sobre qualquer coisa.  

Se conseguisse achar um assunto que não fizesse ele parecer um idiota completo. É claro. 

Se imaginava conversando com aquele garoto, mas nunca era algo que poderia agradar. 

Gostaria de saber seus gostos e manias..  

Ele teria uma cor favorita?  

Oh, a de Victor com certeza era verde. Mas não qualquer verde. Nem nenhum dos vários tons que se tem conhecimento. Era aquele verde único, com um brilho encantador e vibrante, que só se encontrava ali: Nos olhos de Kellin. Talvez, fossem apenas um par de olhos verdes comuns, como os que se tem por ai. Mas não para Victor. O tom de verde daqueles olhos sem duvidas eram os mais lindos. Como se fosse os únicos de todo o mundo. Quando kellin o olhava, mesmo que por poucos segundos sentia um golpe no coração, não saberia descrever direito o que sentia realmente. Mas não era só os olhos que o encantava. Também  tinha o sorriso. O jeito que respondia o professor, o modo como ajeitava os cabelos ou como mordia levemente o lábio inferior quando estava concentrado lendo algo.  

Quando se sentiu assim em relação a alguém?  

Talvez nunca.  

Tentava afastar todos esses pensamentos sem sucesso.  

"Tudo bem. Eu vou falar com ele" mas toda a sua coragem sumia quando via o garoto por perto.  

Por dias foi assim. Ja estaria se acostumado. Mesmo que isso o deixasse mais confuso do que qualquer outra coisa.  
 

(…)  

  

      Aquela manhã estava calma. Vic tomou uma xícara de café e leu a coluna de humor do jornal como fazia todos os dias.  

Pegou o carro, e ligou o rádio em uma musica qualquer. Recebeu um sms do irmão, que na verdade nem leu. Olhou de volta pra tela do celular: Estava atrasado.  já tinha perdido a primeira aula, e se não se apreçasse iria perder a segunda. Estacionou o carro sem se importar se estava o deixando do jeito certo. Subiu as escadas correndo. O corredor estava vazio, mas podia ouvir as  vozes rápidas dos professores.  

-EI! - a voz o fez virar antes de abrir porta a sala. -se atrasou também? Olha, não é por nada mas, vamos ter que esperar a próxima aula...  

Vic congelou. O garoto que fez seus sentimentos enlouquecerem nos últimos meses estava finalmente falando com ele. E dessa vez não foi apenas uma única frase curta.  

-hm, e-eu...  

-perdemos a merda prova. Mas quer saber? Que se foda... Por que se atrasou? Virou a Noite tentando evitar que seus amigos bêbados saíssem por ai pelados? Ah! Maldito Justin Hills. 

-eu só... Dormi de mais 

-ah, sim! Victor não é? - vic concordou com a cabeça sem jeito. Sabia que estava agindo como um idiota, mas não se importou. -eu sou Kellin..  

-eu sei... - deixou um sorriso escapar antes de perceber que aquilo pareceu meio estranho - quer disser, estamos na mesma sala a praticamente um ano. 

O garoto apenas sorriu. O garoto que não saia dos pensamentos de Vic sorriu pra ele. Apenas pra ele. 

-bom, ja perdemos a prova... Ta afim de vazar daqui?   

-Tudo bem... 

 

  

Kellin pov  

 

Me lembro da primeira vez que falei com ele.  

O convenci a  cabular o resto das aulas já que tinhamos perdido a primeira, ele dirigiu até um parque que era afastado da escola. Sentamos na grama úmida e conversamos até começar a  escurecer.  

Eu sempre o via sabe? O pegava olhando pra mim as vezes. Confesso que realmente não sabia como me sentia em relação a isso.  

Em relação a ele.  

De qualquer forma algo em mim, tinha uma grande vontade de te-lo por perto.   

Eu gostava das poucas vezes que ele fala algo. Alguma coisa naquela voz baixa e tímida por algum motivo me dava alguns segundos de paz. Posso me lembrar de que na maior parte do tempo ele estava sozinho, e eu tinha vontade de ir lá abraça-lo e não sair de perto dele nunca mais. Chama-lo pra encher a cara ou jogar algumas partidas no Video-game.  

 Mas, mais do que tudo eu queria saber o porque me sentia assim, era estranho. Todos esses sentimentos me assustavam. Era meio estranho porque, nunca tive pensamentos desse tipo em relação a alguém. Estava descobrindo tudo aos poucos. Ignorava qualquer sinal do que, na verdade estava se tornando obvio. Mas no fundo, eu sempre soube; sempre soube que o amava.  Desde que o vi pela primeira vez. Quando nossos olhares se prendiam. Bem, algo em mim sabia desde o começo que eu estava... Apaixonado?  

Quando finalmente consegui me aproximar dele, tudo me deixou mais viciado nele. E meu Deus! Ele era a coisa mais adorável em todo o mundo. A cada movimento, risada, abraço, troca de palavras ou olhares eu me apaixonava mais. E sabe o quão horrível isso é? Sentir as suas pernas tremerem e sentir que seu coração vai sair pela boca só ter alguém perto de você? Ou sorrir automaticamente só de ouvir o nome dessa pessoa, ver seu dia se colorir com uma mensagem de texto? Okay, acho que já podemos concordar que eu estava perdido. Totalmente perdido. E como se tudo isso não bastasse eu tinha que manter todos esses sentimentos Idiotas comigo. Tudo pelo simples motivo de que  nunca, em hipótese alguma ele sentiria o mesmo por mim. Ele nunca gostaria de alguém estupido como eu. E quem gostaria? Todos os meus assuntos eram totalmente desinteressantes, as vezes era um pouco ignorante, mas eu juro que não faço isso por querer... Na maior parte do tempo eu falava alto de mais, ria de qualquer coisa sem noção e ainda passava o meu tempo escrevendo musicas estupidas. Com certeza, ele nunca gostaria de mim. Mesmo sabendo disso, em todos os momentos eu tinha a enorme vontade de olhar pra ele e falar "Eu te amo idiota" e então beija-lo. Finalmente beija-lo. Mas o que ele pensaria? Que eu enlouqueci? Ah, obvio que pensaria isso.  

Para victor eu era um amigo. E só um amigo. Não que eu não gostasse disso. Mas, gostaria de ser mais que isso. Mais que um amigo pra ele. Eu queria ser tudo pra ele, faze-lo bem a todo momento, olhar pra ele e saber que ele era meu, conseguir faze-lo sorrir com alguma piadinha idiota, ter as mãos dele nas minhas, poder olhar em seus lindos olhos castanhos e dizer "porque foi me apaixonar assim Victor? Droga! Eu te amo muito!" me sentia enjoado só de pensar que tudo isso provavelmente não ira acontecer. 

 

 se tinha algo que com certeza me partia o coração, era ver Vic em seus piores dias.  odiava vê -lo incomodado ou triste com alguma coisa, sem assunto ou querendo simplesmente ficar sozinho. E eu, o garoto apaixonado -e iludido- que era, não queria deixa-lo sozinho em nenhum momento. E realmente não deixava. Em todas as vezes em que ele não conseguia mais segurar suas lagrimas eu estava lá. Ou pelo menos tentava. A maioria das vezes, ele não me falava o que estava se passando, ele só soluçava enquanto eu o abraçava e sentia sua respiração bem próxima de mim. "vai ficar tudo bem Victor, eu estou aqui. Não chore mais por favor..."  ficávamos assim por um tempo. Em silêncio. Eu não queria vê -lo chorar nunca, mas confesso que gostava de te-lo em meus braços. Era um momento que sentia que ele de alguma forma era meu. 

Meu Garoto.  

Ah, kellin você é um completo idiota, tendo pensamentos melosos com o cara que só te vê como um amigo!  Saber disso era como uma tortura pra mim, pensar que ele encontraria alguém que o faria feliz de verdade, alguém melhor que eu. Tentava matar todos aqueles sentimentos. Todos que estavam relacionados ao fato de eu amar Vic. tentava me convencer de que estava louco ou que era algo que simplesmente iria passar...  

 

(...)  

 

-e victor? Eu não o vejo a uns três dias.... - Justin meu amigo comentou enquanto jogávamos. Nem ele e nem ninguém tinham a mínima ideia dos meus sentimentos por Victor. 

- eu não sei, não falo com ele nesses dias todos.  

-por que?  

-acho que ele não quer falar comigo. -tentei parecer que não estava totalmente mal com isso, mas tinha sorte por Justin não ser do tipo que "repara nos sentimentos" dos outros. 

-ele deve estar doente ou algo assim, deveria ligar pra ele! 

-eu... Ja tentei, mas ele não me atendeu Justin! Eu já disse acho que ele não quer falar comigo.  

-vocês brigaram? KELLIN SEU MISERÁVEL ME DA COBERTURA!  

-não... - pela primeira vez na conversa justin tirou os olhos da tv e olhou pra mim por um momento. 

 -então não há motivos, va até ele, deve ter acontecido algo.  

-você acha? - Justin estava certo, eu deveria parar de agir como uma garotinha de 13 anos que esta se lamentando por não ser correspondida. Algo poderia ter acontecido com Vic. Como pude ser tão idiota?! Grr, eu sou simplesmente um completo inútil.  

-acho, e você deveria me ouvir. O hills aqui sempre tem ra.. FILHO DA PUTA ESTA  VENDO  BOSTWICK? MORRI POR SUA CULPA! O QUE DEU EM VOCÊ??  

-Quantas vezes eu vou ter que te falar pra não me chamar assim? Caralho justin!  

-melhor de três??  

-hm, talvez um outro dia. Não estou muito no clima hoje, desculpe.  

-oh, tudo bem então mr.nervosinho! O que quer fazer agora?  

-e-eu acho que vou pra casa...  

-É, EXCELENTE! vamos encher a cara! -justin deu uma risada preguiçosa.  

-não cara, você não entendeu eu preciso descansar um pouco okay? Não é nada pessoal nem nada...  

-ta, ta, ta que seja. Só não vai beber sem mim, isso seria muito triste... seria como uma traição, não faria isso comigo né bostwick? -Kellin o ignorou.  

-você é um bosta Hills! 

Justin se jogou no sofá, pegou o controle e com certeza já estava começando uma nova partida do jogo estupido. Ja estava na porta quando ele me chamou atenção. 

 -tente lembrar do que eu disse, eu gosto do nanico, poderíamos leva-lo naquele bar... Acho que ele vai gostar. 

-é... Ok, eu vou falar com ele quando o ver. Tchau puta.  

-até mais linda vadia! 

Ja era noite, comecei a dirigir rápido. "deve ter acontecido alguma coisa com ele" comecei a pensar em diversas coisas que realmente poderiam ter acontecido, nenhuma delas era menos que horrível. Já chegando na rua de casa quando peguei o caminho da casa de Victor, agradeci por estar em um horário que tinha poucos caros na rua. Não demorou muito para que chegasse lá, bati na porta algumas vezes mas parecia que não tinha ninguém lá. O chamei algumas vezes mas também não tive resposta. Minha respiração estava falha, milhares de pensamentos me fizeram esperar o pior. Notei que a porta estava aberta –O que me deixou mais preocupado ainda se isso fosse possivel- entrei e tentei achar Vic. 

-Victor? - andei pelo corredor até o quarto dele, onde a luz estava ligada e a tv estava no último volume. -ta legal Vic, para de se esconder...  

Entrei no quarto, e no mesmo momento Vic saiu do banheiro, ele estava com o rosto meio inchado de chorar. Me olhou assustado. Olhei para os seus pulso onde havia alguns machucados recém feitos, ele percebeu que eu tinha visto então puxou a manga do moletom escondendo-os.  

- o que você...  

-não é nada tudo bem?  

-nada? Victor me deixe ver isso - me aproximei dele, mas ele não deixou que eu o tocasse.  

-esqueça isso tudo bem?  

-esquecer? Você esta louco? Por que fez isso?  

-eu... -ele voltou a chorar, eu mal conseguia respirar,então fui até ele e o abracei, mesmo ele lutando para que o soltasse o abracei com mais força até que ele me abraçou também.  

-você tem que me prometer que nunca mais vai fazer isso.  

-kellin, me desculpe eu... Não fique bravo comigo por favor!  

-VIC!- fiz ele olhar pra mim. - eu estou aqui com você, e sempre vou estar daqui pra frente! Por favor, eu não quero que se machuque... Promete que nunca mais vai fazer isso!  

-eu... Eu prometo kell. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...