História Crazy Love - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Blásio Zabini, Cho Chang, Córmaco Mclaggen, Daphne Greengrass, Draco Malfoy, Ernesto Macmillan, Fred Weasley, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Horácio Slughorn, Jorge Weasley, Lilá Brown, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Pansy Parkinson, Personagens Originais, Pomona Sprout, Ronald Weasley, Theodore Nott, Viktor Krum
Tags Blauna, Dramione, Gitt
Exibições 290
Palavras 1.299
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Magia, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


*LUMOS*
Oiiiii pessoasss, estou muito feliz pelos comentários obrigadaaaaaa e espero que continue assim em kk 💖
Então capítulo está sendo postado hoje porque amanhã irei para um sitio e só volto no domingo de noite.
Sobre o capítulo: coisas boas e coisas ruins iram acontecer kk digo apenas isso e não me matem kk 💖💖
Boa leitura meus amores 💖

Capítulo 38 - Sinto um frio na barriga cada vez que as vejo juntas


Fanfic / Fanfiction Crazy Love - Capítulo 38 - Sinto um frio na barriga cada vez que as vejo juntas

Pov. Astoria Greengrass

Estava indo em direção à enfermaria, era minha vez de ficar com Draco.

Estou preocupada com a Mione, ela e minha irmã se tornaram amigas nesse mês que se passou. Sei que Hermione tem todo direito de fazer novas amizades, mas com a Daphne?

Sinto um frio na barriga cada vez que as vejo juntas. Daphne diz que mudou, mas sinceramente não acredito muito nisso, ela sempre foi invejosa e adorava estragar a felicidade alheia e sempre foi uma boa mentirosa. Merlim que eu esteja errada sobre ela e se eu estiver certa, que nada de ruim aconteça com a Mione.

Todos os nossos amigos foram para Hogsmeade, menos eu e Harry, já que o mesmo tinha que resolver umas coisas do time de quadribol.

Cheguei à enfermaria e sentei na cadeira ao lado da cama em que Draco se encontrava.

 

Fiquei ali apenas olhando para ele que me aparentava estar bem melhor.

***

Pov. Pansy Parkinson

Estava em meu quarto olhando pro nada quando escuto um barulho vindo da janela, olhou para ela e não vejo nada e de repente apareceu uma coruja marrom que reconheci ser a coruja dos Weasleys.

Fui em direção à janela e a abri e peguei uma carta do bico da coruja que logo saiu voando.

Abri a carta e me pus a ler.

Querida Pansy

Venha até a sala precisa as 22h00min, não direi o motivo, venha e você saberá.

R.W

O que será que ele está aprontando?

***

21h40min

Faltavam vinte minutos para as 22h00min. Sai do meu salão comunal e segui para o sétimo andar.

Cheguei à sala precisa e a porta já estava ali. Abri a porta e ela estava completamente escura. Levei minha mão para o lado do meu corpo para pegar minha varinha e me lembrei, além de não estar com uma roupa que tenha bolso, não havia trazido minha varinha.

— Rony? — o chamei.

Logo em seguida as luzes se acenderam e me deparei com uma pequena passarela em baixo de mim e logo adianta um enorme jardim com uma casinha de madeira e um pequeno lago.

 Assim que bati meus olhos no gramado pude avistar um Rony Weasley com um terno negro e embaixo de si, uma toalha com uma cesta.

Sorri para ele que retribuiu. Andei pela passarela até chegar ao gramado.

Parei em sua frente e ele esticou sua mão para mim e eu levei minha mão até a sua. Ele deu um leve beijo em minha mão e eu sorri.

— Sente-se — ele apontou para a toalha e logo em seguida me sentei e ele me acompanhou.

Fiquei olhando tudo muito encantada e notei que estava sendo observado, olhei para Rony e ele estava me encarando sorrindo. Corei.

Ele tirou algumas coisas de dentro da cesta e colocou sobre a toalha.

Comemos tudo enquanto trocávamos algumas palavras.

Terminamos de comer tudo e ficamos nos encarando.

— Gostou da surpresa? — ele perguntou sem quebrar o contado visual.

— Sim, gostei muito — eu disse e sorri.

— Mais ainda não acabou — ele disse e eu o encarei confusa.

Ele se levantou e estendeu sua mão para me ajudar a levantar. Levantei-me com a sua ajuda e ele me levou até perto do lago.

— Pansy, sei que somos diferentes... Quer dizer, muito diferente — ele disse e riu meio sem graça — Eu vou ir direto ao ponto ta, eu nunca fui muito romântico — ele disse e eu sorri.

Ele ficou em silêncio apenas me encarando.

— Pansy, você quer namorar comigo? — ele disse de uma vez e eu fiquei sem fala, mas logo abri um sorriso.

— Sim, sim, sim — eu disse e me joguei em seus braços e ele me abraçou e o ouvi suspirar aliviado.

Ele nos afastou e beijou meus lábios. Um beijo delicado e cheio de amor.

Afastamos-nos em busca de ar e ele pegou uma caixinha vermelha de dentro de seu bolso e a abriu revelando duas alianças prata com fios dourados no meio. Ele retirou a mais fina e colocou em meu dedo e eu peguei a outra e coloquei em seu dedo. Sorrimos um para outro e nos beijamos novamente.

Assim que nos afastamos, ele pegou em minha mão e me carregou até a casa.

Entramos na mesma e eu a admirei, não tive muito tempo para reparar em tudo já que Rony subiu a escada me puxando junto de si.

Ele abriu a porta do quarto e me deparei com uma cama com uma colcha branca com almofadas vermelhas, uma poltrona de couro vermelha em um canto do quarto e um banco no pé da cama também vermelha.

Ele me puxou para ele e me beijou sem nenhum pudor.  Levou-me até a cama e me deitou delicadamente.

Ele me encarou, sorri para ele e o beijei, retirei seu palito e logo levei minhas mãos aos botões de sua camisa e comecei a abri-los.

Ele levou suas mãos a minhas costas em busca do zíper do vestido. Assim que o achou abriu e logo o retirou. 

Logo já estávamos nus e nos acariciando.

Ele subiu em cima de mim e olhou em meus olhos, sorriu para mim e começo a me penetrar.

Mordi meus lábios e ele entrou por completo em mim.

Começou a se mover lentamente. Movi meu quadril de encontro ao seu e ele começou a aumentar a velocidade.

Ele me penetrava cada vez mais rápido enquanto eu gemia e rebolava, criando um ritmo diferente e gostoso.

Sentia que estava perto do ápice e ele pareceu perceber. Aumentou ainda mais a velocidade. Uma, duas, três estocadas e eu senti meu gozo sendo liberado e logo em seguida ele se liberou também.

Ele se jogou ao meu lado. Ficamos em silêncio, apenas o som de nossas respirações descompassadas era ouvida no quarto.

— Já cansou? — ele perguntou a mim e eu o encarei e sorri maliciosa.

— Nem um pouco — eu disse e ele subiu em cima de mim novamente e ali se iniciou mais uma das muitas vezes que ele iria me possuir naquela noite.

Pov. Hermione Granger

Acariciei o rosto de Draco e lhe dei um beijo nos lábios e pude jurar que o ouvi suspirar.

Fui até Narcissa e ela me puxou para mais um abraço. Assim que se soltou de mim ela foi até a cadeira ao lado da cama de Draco e se sentou ali.

— Hermione — Olhei para trás e vi Daphne entrar na enfermaria. Sorri para ela — Olá Narcissa — ela cumprimentou minha sogra que apenas sorriu para ela — E ai, já descobriu o sexo do bebê?

— Sim, é uma menina Daph — eu disse sorrindo e ela sorriu e me abraçou.

— Parabéns Mione, é uma pena que Draco não esteja aqui para compartilhar essa alegria com você — ela disse me soltando e eu apenas assenti triste — Mas chega de tristezas né, vamos até o salão principal para você alimentar essa menininha ai — ela disse e eu sorri.

— Tchau Narcissa — eu e Daphne dissemos ao mesmo tempo e ela apenas murmurou um tchau sorrindo para nós.

Saímos da enfermaria e fomos caminhando até o salão principal em silêncio.

Percebi que Daphne tinha parado de andar.

— Ninguém vai tirar meu Draquinho de mim.

Ouvi-a dizer algo mais não entendi e quando fui me virar para perguntar o que ela tinha dito, senti suas mãos em minha cintura e logo senti a tão conhecida sensação de aparatação.

Pov. Astoria Greengrass

Peguei um livro que estava lendo e me afundei em uma leitura tranquila. Algum tempo depois ouvi um longo suspiro, levantei meu olhar para a porta e não vi ninguém. Olhei para Draco e vi que o mesmo continuava da mesma forma de quando cheguei.

Aproximei-me dele e pude ouvir sua respiração baixa, porém descompassada, arregalei meus olhos e quando pensei em me levantar para chamar Madame Pomfrey...

  Ele abriu os olhos...


Notas Finais


E então? Bom, ruim, péssimo?
Comenteeem pessoas lindas e fantasminhas deixem de preguiça kk 💖
Obrigadaa aos novos favoritos, sejam bem vindos a família Crazy Love 😍😍
Sei que a parte de Ransy não ficou lá grandes coisas, mas meio que faltou criatividade e o hot foi acrescentado, eu nem iria colocar kkk
Leiam minha one-shot Feltson
https://spiritfanfics.com/historia/conhecendo-meu-idolo-6063885
Bjs meus amores e até sábado que vem 😍💖
*NOX*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...