História CRAZY MINDS - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 16
Palavras 732
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Mistério, Saga, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Sonho ou visão?


Fanfic / Fanfiction CRAZY MINDS - Capítulo 2 - Sonho ou visão?

Logo após alguns segundos, tudo voltou a se escurecer e logo cai em um sono profundo.

Acordei desorientado, sem entender o que tinha acontecido; vi que meus braços estavam amarrados nos ferros dá cama e meus pés presos com um cinto de couro. Gritei pelo nome dá minha mãe várias e várias vezes, ouvi passos no corredor que levava ao meu quarto, esperançoso esperei que minha mãe entrasse pela porta, mas para minha surpresa era uma das empregadas trazendo uma bandeja de prata com alguns biscoitos e leite.

Perguntei a ela o que havia acontecido e o porque de eu estar amarrado; ela me olhou assustada e não respondeu a minha pergunta, novamente eu perguntei.

José- O que está acontecendo Gertrudes? (Gertrudes: nome dá empregada)

E mais uma vez o que eu recebi foi o silêncio e um olhar assustado.

Eu realmente não fazia ideia do que estava acontecendo. Porque a empregada estava me olhando daquela forma?; Porque eu estava amarrado?; Essas eram as únicas perguntas que eu precisa de respostas.

Gertrudes trêmula pegou um biscoito e o trouxe em direção a minha boca, eu realmente estava faminto, mas o que eu mais precisava eram de respostas. Comecei a gritar desesperadamente o nome dá minha mãe, Gertrudes deixou a bandeja cair com os biscoitos e saiu correndo em direção ao longo corredor. Algum tempo depois minha mãe aparece e vem em direção a cama que eu estava deitado e começa acariciar minha cabeça. Eu começo a chorar ao vê-la.

José- Mãe o que está acontecendo? Me responda.

(Cellyne mãe de José começa a chorar e explicar o que aconteceu.)

Cellyne- Filho, quando eu era apenas uma garotinha, eu estava a mesa almoçando com seus avós, quando vi seu avô surtar e começar a gritar como se estivesse vendo algo, e não era nada, ele simplesmente pegou uma faca e cravou no peito de sua vó,

Tivemos que interna-lo em um hospital para pessoas que sofrem de algum tipo de distúrbio mental. E a 3 dias atrás vi você tendo um ataque como seu avô teve anos atrás.

José- mamãe eu realmente vi algo, eu não sou louco, eu não lembro muito bem o que era mas eu vi EU SEI QUE EU VI MÃE.

Logo em seguida, 3 enfermeiros entram em meu quarto e me amarram com uma camisa de força. Comecei a gritar desesperado, quando alguns objetos em meu quarto começaram a se mover, outros a flutuar pelo ar, flutuavam como se estivessem expressando a ira que eu estava sentindo naquele momento.

Em seguida senti uma pancada forte na cabeça e ao envés de tudo se escurecer como das outras vezes, me vi em uma clareira no meio de uma floresta. A luz dá gigantesca lua amarela, clareava os galhos secos das árvores;

Ao longe ouvi uma melodia suave, segui o som daquela bela musica e me deparei com um enorme piano. Me espantei ao ver. O piano ressoava suas notas por si próprio, não havia algo ou alguém tocando. Ele se posicionava em cima de um enorme lago congelado.

Pisei no lago e deslizei desequilibrado em direção ao piano. Me sentei para apreciar a musica, quando de repente o gelo começou a se quebrar.

Me levantei e comecei a correr em direção a margem, mas era tarde demais.

O gelo se quebrou em baixo de mim e cai no profundo e imenso lago.

Suas águas eram transparentes como um cristal, por incrível que pareça, eu não estava me afogando e nem tampouco molhado era como se eu estivesse flutuando no ar, só que dentro dá água.

O lago era como um grande espelho, pude ver meu reflexo na minha frente; meus olhos não acreditavam no que estavam vendo.

Quando assombrosamente nuvens negras começaram a se formar ao meu redor. O lago de alguma forma queria me mostrar alguma coisa realmente importante.

Aquelas nuvens tomaram formatos humanos, elas gritavam por socorro ao redor do meu reflexo e começaram a possuir seu corpo.

De repente meus cabelos começaram a ficar molhados, minha roupa começou a ficar pesada ao se encharcar de água, EU ESTAVA COMEÇANDO A ME AFOGAR. Lutei contra a correnteza para chegar até a superfície.

Quando eu estava prestes a chegar a superfície o lago logo se congelou por completo, lutei contra o gelo que cobriu o lago. E logo abri meus olhos.

Tudo não passava de apenas um sonho.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...