História Episódio 30 - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel, Lysandre
Tags Amordoce, Castiel, Castiel X Lysandre, Casxlys, Lysandre, Yaoi
Visualizações 223
Palavras 1.617
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eaw, gent
Eu to bem morta, mas vim postar depois de two semanas \o
As coisas vão ficar bem estranhas e confusas nesse cap., então leiam com atenção.
Bejocas, by me *u*

(não revisado novamente, pelo mesmo motivo)

Capítulo 3 - Confuso


Notas de Castiel.

"De tudo que já senti, esses sentimentos atuais são os mais intensos. Quando vejo Lysandre cantando o frio na barriga já é algo normal, e quando ele me encara no meio da música é o momento em que fico completamente arrepiado. Isso tudo é tão novo."

~19h17~

Sábado - 18/10

Lysandre viria em sua casa depois de muito tempo, queria ficar normal em relação a isso, mas na verdade estava ansioso. De qualquer forma não podia demorar muito para ficar pronto, quanto menos tempo o amigo ficasse em sua casa melhor seria para conseguir se controlar.

Castiel não sabia o que estava acontecendo entre os dois, ontem mesmo ficou se questionando o porquê de Lysandre ter pegado em sua mão, será que era só pra falar da festa? Poderia ligar depois para o ruivo e pedir informações adicionais, mas parecia que isso não bastava para o outro.

Por um momento Castiel achou que Lysandre poderia corresponder seus sentimentos, que todo esse sentimento que sustentava pelo amigo era recíproco, talvez o amigo gostasse de si do mesmo jeito que o ruivo gostava do outro. Nunca havia pensado por este lado, talvez porque é completamente impossível. Estaria só se iludindo se continuasse com esses pensamentos sem nexo.

Castiel começou a se apressar para ficar pronto, já estava um pouco atrasado e não queria atrasar mais o amigo também. Colocou as roupas que havia separado mais cedo, antes de dormir e se atrasar, dentro do banheiro e mandou mensagem para Lysandre avisando que a chave estaria dentro do vasinho do cacto que ficava ao lado de sua porta. Dirigiu-se ao banheiro e ligou o chuveiro.

Aquele era o momento para pensar nas coisas sem nexo que estava pensando mais cedo, na verdade aquele seria o momento se ele já não estivesse atrasado o suficiente. Começou a se apressar, mas ai lembrou-se de um detalhe, fazia três dias que não lavava o cabelo e não dava pra sair com ele sujo desse jeito, ainda mais pra encontrar com Lysandre.

A vida não estava ajudando naquele dia.

Não que já tivesse ajudado em outro.

Quando Castiel saiu do banheiro se deparou com um Lysandre extremamente lindo a sua frente, o amigo havia entrado e estava esperando na porta de seu quarto, que era de frente para o banheiro. O ruivo fez o máximo para agir naturalmente, não podia agir estranho já que pediu para que o amigo viesse e entrasse por conta própria.

- E ai – Cumprimentou com um aceno de cabeça jogando um pouco de água na direção do amigo, seu cabelo ainda estava molhado e provavelmente não secaria – Vou terminar aqui, fica a vontade.

Lysandre respondeu que sim com a cabeça e foi sentar-se no sofá para se acalmar, acabará de ver seu amigo, o cara que está apaixonado, só de toalha parado na sua frente, como devia reagir a isso? Ver o corpo do amigo o surpreendeu, não esperava que ele fosse sair só de toalha de lá. Ou esperava.

Não havia reparado muito, mas notou que ele tinha o abdômen definido e sua pele parecia macia, a vontade de tocar era grande. Não havia reparado em seus mamilos.

Porra Lysandre, os mamilos são importantes. Pensou. Agora iria se controlar e esperar o amigo terminar de se arrumar para saírem. Não estraga tudo.

Castiel havia saído do quarto, agora devidamente vestido e arrumado, estava menos envergonhado com a situação que acabará de passar com o amigo, levaria a noite de boa e tentaria não estragar tudo com o amigo.

-

Já estavam na entrada da casa de Armin, o lugar estava cheio e iluminado, a musica estava alta o suficiente para ser ouvida da entrada. A casa em si era bem bonita, era bem grande também, mas não iriam reparar na estrutura da casa enquanto podiam estar lá dentro aproveitando a festa.

- Lysandre, não vamos se separar. Pode ser? – Disse Castiel logo após estarem no meio daquele monte de pessoas dançando e se divertindo logo na entrada da casa – Vai que eu preciso de uma mãozinha para voltar.

Lysandre da um sorriso e concorda que seria mais sensato que ele ficasse sóbrio para levar o outro pra casa, deixar Castiel e seu temperamento forte solto e bêbado por ai seria ruim. Lysandre não pretendia beber de qualquer maneira.

~01h58~

Domingo - 19/10

            Já estavam na festa há tempos. Castiel não estava bêbado, mas isso não quer dizer que ele estava totalmente bem, parou de beber quando se perdeu de Lysandre naquele amontoado de gente suada. Quando se deu de conta de que Lysandre havia sumido, Castiel estava procurando algo pra comer na cozinha da casa.

            Já haviam encontrado com todos os amigos da escola e também com o dono da festa, Armin estava animadíssimo com a coisa toda, ele dando uma festa era algo estranho, era anti-social demais para algo assim, mas no final foi ele mesmo que preparou a coisa toda. Por mais impressionante que seja.

            Castiel estava atrás de Lysandre já fazia um tempo, notará que a casa era realmente tão grande quanto parecia, talvez até estivesse perdido. Entrava em todas as portas que via, e já havia presenciado muitas cenas constrangedoras ali, casais se beijando e ou fazendo outras coisas. Quando parou pra observar notou que estava no andar de cima, quando havia subido? Nunca saberia. Parou na escada para tentar achar seu amigo e o encontrou indo para a parte de trás da casa, com pressa seguiu o mesmo caminho.

            Quando se aproximou do outro, Lysandre virou e Castiel foi pego de surpresa pelo amigo. Lysandre havia virado no exato momento que o ruivo segurou em sua camisa para chamá-lo. Com o movimento rápido Castiel cambaleou para trás puxando o outro para si com a intenção de se segurar para não cair, Lysandre se desequilibrou com o movimento do amigo e derrubou os dois no gramado.

            Lysandre estava em cima de Castiel, os olhares assustados se cruzavam, não conseguiam respirar direito, suas bocas estavam entreabertas e suas respirações cruzavam uma a outra. Lysandre havia soltado todo seu peso em Castiel na queda, dificultando qualquer movimento do ruivo. A segunda situação constrangedora do final de semana, os dois com os corpos colados deitados na grama, não propositalmente.

Lysandre observou melhor a situação, lembrou-se que não queria estragar nada naquela noite e que se fosse para algo acontecer seria programado com calma, naquela situação o melhor a fazer era pensar racionalmente, havia deixado de beber justamente para isso.

Castiel estava se segurando para não agir por instinto e beijar o amigo, ele estava tão próximo que era quase impossível resistir, aqueles olhos heterocromáticos o encarando com aquela expressão de preocupação, aquilo tudo o deixava excitado, talvez a culpa fosse da bebida no dia seguinte.

Lysandre apoio-se na grama e saiu de cima do ruivo sentando ao seu lado, olhou em volta para ter certeza que ninguém havia notado aquela cena constrangedora. Dirigiu seu olhar ao ruivo que já estava sentado com a cabeça baixa e sustentava um sorriso torto nos lábios finos.

Confuso.

Levantou-se e estendeu a mão para o ruivo que ignorou e se levantou sozinho, Lysandre não entendeu aquela reação vinda do ruivo, a culpa não era sua de terem passado por aquela situação constrangedora, foi culpa da física.

Castiel estava revoltado com algo, mas com o que exatamente? Não foi culpa de ninguém o que aconteceu, mas foi culpa de Castiel o que não aconteceu. Estava com raiva por não ter beijado Lysandre? Ou pelo fato de Lysandre não ter o beijado? Talvez seja pelo fato do amigo não ter feito absolutamente nada, aquilo só confirmou o que Castiel já imaginava: Não era recíproco.

Agora os dois estavam de pé, mas Castiel mantinha a cabeça baixa.

- Você sumiu – Disse o ruivo depois de um tempo. Mas permanecia de costas para o amigo – Te procurei pela casa inteira.

- Eu também estava te procurando. Virei um segundo e você já havia desaparecido.

- Eu pensei que iria ficar comigo, amigos fazem isso, né? – Castiel disse com a voz tremula – Você é meu amigo, né? – Completou aumentando o tom de voz.

- Sim, Castiel. Sou seu amigo – Lysandre se aproximou e segurou em seu ombro, mas o ruivo se desvencilhou do toque e saiu apressadamente para o outro lado do jardim da casa - Ei, Castiel. Acalme-se, você não parece bem – Lysandre observou preocupado o amigo se sentar encostado na parede da casa.

- Eu estou ótimo, Lysandre. Pode ir.

- Ir onde? Eu não vou a lugar algum, ficarei aqui com você como disse que ficaria.

- Você não precisa, pode ir para casa ou qualquer outro lugar. Estou bem e posso voltar para casa sozinho.

- Castiel, você está se estressando, se acalme para conversarmos – Lysandre se aproximou do amigo, que levantou o olhar e encarou o outro com os olhos vermelhos de tanto segurar as lagrimas.

- Se você ficar aqui por mais um minuto pode esquecer essa nossa amizade.

Lysandre recuou, virou as costas para o amigo e foi para dentro da casa deixando o amigo lá sozinho. Talvez se arrependesse depois, mas agora só queria distancia do outro.

Castiel permaneceu sentado no chão, porque estava tão irritado? Foi ridículo o que fez com seu amigo, seu único amigo. Acabou de destruir uma amizade maravilhosa, mas agora já tinha o feito. Pediria desculpas depois, com certeza havia magoado Lysandre e com esse pensamento que soltou todas as lagrimas que havia segurado na presença do amigo.

Tentou não estragar tudo durante horas naquela noite.

Falhou miseravelmente.

Perdeu tudo que mais amava.


Notas Finais


Pessoas, agradeço a todos os comentários e podem comentar o quanto quiserem que eu fico super feliz.

Um aviso: nem tudo é o que parece ser. e-e

Beijinhos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...