História Criminal - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Britney Spears
Personagens Britney Spears, Personagens Originais
Tags Britney Spears, Criminal, Romance
Visualizações 1
Palavras 2.608
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioi galera :3

Eu sei que eu demorei um pouquinho, mas é que eu tô estudando pra caramba kkkkkk

Esse cap de hj vai ser mais parado, eu sei que é um pouquinho chato, mas é pra vocês entenderem as coisas. Mas os próximos capítulos... hehe

Boa leituraa ;)

Capítulo 4 - Minha vontade (01-03)


Fanfic / Fanfiction Criminal - Capítulo 4 - Minha vontade (01-03)

Britney's P.O.V.

Acordei com a luz do sol invadindo o quarto. Aquilo começou a me incomodar, então decidi virar para o lado oposto da janela. Mas o mínimo movimento que fiz na cama, senti um peso em cima da minha cintura. Estranhei aquilo, levantei um pouco o lençol e vi um braço rodeando minha barriga. Olhei para o lado e vi aquele ser dormindo com um rosto angelical. Sorri com a cena e automaticamente me lembrei de todos os momentos do dia anterior. Agradeci mentalmente por Joe ter me salvado da enrascada que eu estava. Nem sei como eu estaria agora, com Tyler...

É a primeira vez em anos que eu acordo sem nenhuma preocupação, com a minha vida tranquila. Estou afastada de Tyler, da minha família e de todos os outros que apenas colocavam peso sob meus ombros. Joe me fez um bem tão grande que nem eu consigo imaginar...

Eu me lembrei também do nosso jogo de provocações. Ri só de pensar naquilo e porque eu estava fazendo aquilo. Nem eu mesma sei o porquê, só sei que é divertido. E como faz tempo que eu não me divirto... Enfim, Joe conseguia sempre me deixar com vergonha, ou com suas palavras, ou com seu corpo seminu... E eu precisava virar esse jogo.

-Bom dia Joe. - cochichei em seu ouvido da forma mais sexy e bonita que eu conseguia. Eu nem sabia se ele estava acordado, mas suspeitei que seu sono fosse leve.

Tentei me levantar com cuidado para não acordar Joe, mas falhei miseravelmente. Antes que eu pudesse ficar completamente em pé, senti ele me puxar pelo braço, me fazendo cair em cima do seu corpo. Caramba, Joe sabia como me deixar sem graça, não? Eu devia estar toda vermelha.

Bom dia para você também Britney. - ele disse com aquele sorriso que poxa, me derretia por inteira. Mas eu não ia deixar ele me vencer.

-Já estava acordado então? - falei provocativa e sorrindo.

-Muito tempo, estava só esperando você acordar. Não queria levantar e atrapalhar seu sono.

-Hm, não queria me atraplhar ou era por pura preguiça?

-Definitivamente era por sua causa. - Joe falou com aquela voz rouca da manhã e rindo em seguida. Pegou uma mecha do meu cabelo que caía no meu rosto e colocou atrás da minha orelha.

Quando ele desceu sua mão até minha nuca, eu paralisei. Ele ia mesmo fazer aquilo? Meu Deus, não que eu fosse recusar, eu queria muito, mas... sei lá. Não conseguia imaginar ele me beijando, parecia tão surreal. Era surreal, a gente tinha acabado de se conhecer e já estávamos nesse ponto. Meu coração acelerou e eu senti os batimentos frenéticos de Joe também. O que se sucedeu em seguida, foi ele aproximando o meu rosto do seu e eu fechei meus olhos. Quando senti que faltava um milímetro para seus lábios tocarem minha boca, batidas fortes na porta interromperam nosso momento. Eu saltei de susto enquanto Joe grunhiu bravo e fechou sua mão em forma de punho, para controlar a raiva.

-Britney, desculpa, eu...

-Não, tudo bem. - sorri simpática afim de esconder minha decepção. Tinha que ser agora?! -Acho melhor você atender. - falei ao escutar as batidas se repetirem.

Saí de cima dele, para que o mesmo pudesse se levantar. Nunca tinha visto Joe tão estressado assim, a não ser quando ele viu o Tyler me batendo. Ele se levantou e procurou por alguma peça de roupa no armário, acabou pegando uma calça de moletom qualquer e vestindo a mesma.

-Fica aqui que eu já volto, okay? - Joe falou levantando minha cabeça com dois dedos em meu queixo e eu assenti. Ele deu um beijo suave na minha testa e saiu do quarto, fechando a porta. Eu me joguei na cama novamente, me deixando levar por pensamentos.

Eu queria muito entender o porquê de Joe mexer muito comigo. Sua proximidade, sua voz, sua aparência, sua personalidade... ele me deixava de um jeito que ninguém consegue superar, nem mesmo Tyler. Não que seja muito difícil ultrapassar Tyler, mas como foi com ele que eu passei grande parte da minha vida amorosa, não sei direito o que eu sinto perto de Joe. Ele era tão perfeito pra mim, não sei por qual motivo ele quis me beijar. Será... Será que ele sente alguma atração por mim? Ou algo a mais??

Acabei adormecendo novamente em meio a esses pensamentos.

Joe's P.O.V.

Mas que merda!!! Esses porras tinham que vir aqui, justo agora?!? Nossa, eu vou matar esses caras.

-O que vocês querem caralho?! - falei abrindo a porta com tanta força que a mesma bateu na parede, fazendo um barulho muito forte. Me arrependi amargamente de fazer isso.

-Ui, parece que a princesinha acordou de mau humor hoje e esqueceu que tinha reunião de manhã. - Jack, um dos meus capangas, disse zombando da minha cara.

-Não começa Jack. - revirei os olhos e me encostei na porta.

-Começar com o quê? Você que apareceu assim, estressadinho. - ele falou num tom um pouco mais alto, mas ainda zoando comigo.

-Shhhiu, fala baixo. - falei quase num sussurro e gesticulando para que ele abaixasse o volume da voz.

-POR QUÊ??? TEM ALGUÉM AQUI?? - Jack gritou, me fazendo ficar mais bravo do que já estava e chutando seu joelho com toda minha força. -AI CARALHO, cê tá lokão mano??? Que pregaiage é essa, do nada tu chega aqui mó estressado e batendo na gente! Larga de ser croca! - ele pôs a mão no joelho enquanto dava pulinhos com uma perna só. Ray tem esse sotaque meio "burro", fala palavras que só ele mesmo entende. Ainda bem que ele só fala assim quando está irritado, o que é quase nunca. Morro de raiva quando ele começa com essas línguas estranhas.

-Eu mandei você calar a boca. Anda, agora entrem. - falei empurrando eles com um tapão na nuca de cada um. Jack entrou mancando no meu apartamento e foi o último a se sentar no sofá. -Vamos rápido com isso, não quero vocês aqui por muito tempo.

-Realmente, tô achando que tem alguém aqui. - Ray comentou.

-Uma pena que isso não é da sua conta, né? - falei com deboche. Jack e Ray se entreolharam e depois um sorriso malicioso surgiu no rosto dos dois.

-Tem alguma mulher no seu quarto Joe? - Jack me perguntou levantando uma das sombrancelhas.

-Isso não é da sua conta. - respondi, cruzando os braços.

-Pois eu vou ver isso agora. - Ray se levantou rapidamente do sofá, mas antes que ele pudesse alcançar o pequeno corredor em direção ao quarto, eu parei seu corpo com a mão em seu peitoral.

-Nem, pense, nisso. - Rosnei pausadamente. Ele fez um cara de assustado (com deboche claro) e voltou para o sofá.

-Nem precisamos saber a resposta, né? Ele deveria estar no meio da foda quando a gente chegou aqui. - Jack comentou rindo com Ray, fazendo o mesmo dar risada junto. Apoiei minha cabeça na mão, contando até dez mentalmente para não estourar a cara desses dois imbecis.

-Por que vocês não são iguais ao Derek? Ele consegue ser mais inteligente que vocês dois juntos. - falei apontando para o terceiro capanga que estava sentado no canto do sofá, ligando o laptop.

Eu esqueci de falar, mas o Derek é tipo o cérebro do nosso grupo. Ele é super inteligente e mexe com essas coisas de hackear aparelhos eletrônicos e outros dados. Ele também é o responsável por calcular todas as contas da nossa profissão. Gastos, lucros e extras. Derek realmente é um menino de ouro quando se trata de exatas, mas se eu pedir para ele matar uma barata, o coitado sai correndo.

Eu, Jack e Ray somos os agentes dos assaltos. Jack tem uma elasticidade com seu corpo, que é inexplicável. Em um dos nossos roubos, ele teve que fugir pela passagem de ventilação e cara, ele conseguiu! Jack passa por lugares onde não cabe nem o meu mindinho direito. Ray é o mais veloz de todos nós e isso colabora demais com a fuga. Ele já correu por uma hora sem parar! É surreal o fôlego e a velocidade que Ray adquiriu durante a vida toda. E eu, bom, eu sou o mais forte dos três. Eu sempre lido com valentões, seguranças e até aqueles que pagam de machões, mas são uns verdadeiros frangos. Sou o que mais saí machucado da história, por ter que brigar e com isso acabo apanhando. Mas uma vantagem disso é que meu cachê é mais alto, vale bem a pena. Como eu tenho que treinar mais e bater mais, acho bem justo esse aumento que eu ganho.

-Nem me mete no meio da conversa, que eu estou tranquilo na minha e respeitando sua opinião, irmão. - Derek comentou ajeitando seu óculos no rosto, naquela maturidade de sempre.

-Viu? É por isso que o Derek tem namorada e vocês dois não. - falei.

-Ah, mas quem é que quer uma verruga murcha dessas igual ele tem? A gata tá com ele por causa do QI alto. - Ray disse e Jack riu junto com ele. Meu Deus, esses caras nasceram sem metade do cérebro, só pode.

-Ei cara, para de falar da minha namorada. Não mete a Cloe nesse assunto. - Derek falou sem olhar na cara de ninguém, apenas digitando sua senha no laptop. -E outra, diferente de vocês dois, eu respeito as mulheres.

-Nossa, falando assim parece até uma bichinha. - Jack comentou com uma voz afeminada.

-Tá, tá, tá, tá, chega. Vamos ao que realmente interessa. Derek, quais são os dados desse mês?

... Algumas horas depois ...

-Bom, agora que nós já resolvemos tudo, podem voltar para casa. - falei fazendo os três se levantarem e caminharem até a porta.

-Nossa, mas que pressa hein? - Jack falou voltando ao seu espírito de moleque. Estava demorando ele voltar a ficar assim...

-Já deu, né Jack? - parei em frente a porta, onde todos eles já estavam do lado de fora do apartamento. -Agora tchau. - fechei a porta.

-PODE VOLTAR PARA SUA DONA AGORA! - escutei Ray gritar do outro lado e tive que me controlar para não voltar lá e dar um soco nele. Resmunguei baixinho e voltei pro quarto, para ver como a Britney estava.

Abri a porta com muito cuidado e encontrei ela dormindo novamente. Nem sei como ela conseguiu dormir com toda aquela barulhada que os meninos fazem, mas acho que foi uma melhor opção ela cair no sono. Ela estava deitada de barriga para baixo, com uma das pernas dobradas. Sua blusa estava um pouco levantada e dava visão ao seu belo quadril com uma calcinha de renda preta. Mil imagens sujas passaram na minha mente naquele momento e eu senti um incômodo na virilha. Deus, eu sou muito pervertido. Tratei logo de cobrí-la com o lençol antes que eu me complicadasse ainda mais.

Parei para observar o rosto de Britney, que estava coberto com alguns fios do seu cabelo loiro. Mesmo dormindo, ela continuava linda. A minha vontade era de poder tê-la pra mim, para sempre. Poder cuidar dela, ficar com ela, amar ela. Senti isso desde que a vi pela primeira vez e, mesmo sabendo o quão recíproco isso é, eu tenho vontade. Britney despertava reações no meu corpo que eu nunca tinha sentido antes, sentimentos frenéticos. Quando ela cochichou no meu ouvido essa manhã, ou até mesmo ontem quando ela estava usando a minha blusa, o que a deixava ainda mais sexy. Eu sempre fui uma pessoa fria, que não conversava com ninguém a não ser meus capangas e que não se interessava por nenhuma mulher. Eu era assim, não sou mais. Desde que conheci a Britney (ou seja, ontem) eu tenho mudado bastante. Eu sei que é pouquíssimo tempo para perceber diferenças na minha personalidade, mas elas já são evidentes. Britney, Britney, o que você anda fazendo comigo?

Tirei os fios de cabelo do seu rosto e dei um beijo demorado em sua bochecha. Fechei a janela do quarto e saí do mesmo, fechando a porta também.

Faz muito tempo que não cozinho para alguém. Acho que a última vez que fiz isso foi no natal, anos atrás, quando minha mãe ainda estava viva. Desde que ela morreu, eu não quis mais saber de aperfeiçoar meu conhecimento na cozinha. Ela que me ensinou a fazer isso, do jeitinho dela. Eu me recusava a aprender isso com outra pessoa, pois todas as vezes que eu mexia com comida, eu me lembrava dela. Agora que a Britney me ajudou com esse requisito 'mãe', posso finalmente enfrentar esse meu medo.

Britney's P.O.V.

Despertei com um cheiro doce vindo de fora do quarto. Meu Deus, não acredito que eu dormi de novo. Acho que estava tão cansada de dormir com minha cabeça cheia de preocupações, que hoje eu resolvi descansar até demais. Me sentei na cama e vi que meu corpo estava parcialmente coberto e a janela estava fechada. Ótimo. Além de dormir novamente, Joe me viu nessa situação. Isso só me fazia sentir mais vergonha ainda, o que ultimamente não têm sido um sentimento peculiar na minha vida.

Me levantei devagar e abri a porta com muito cuidado, para não fazer barulho. Caminhei até a sala e me deparei com Joe cozinhando no fogão. Achei aquilo a cena mais fofa do mundo, eu nem sabia que ele cozinhava. Fui até ele e o abracei de surpresa pelas costas, sentindo o mesmo se arrepiar involuntariamente. Eu também me arrepiei, só de encostar meu corpo quente naquelas costas nuas geladas.

-Parece que a mocinha acordou. De novo. - Joe riu e se virou para mim. - Dormiu bem? - ele perguntou fazendo carinho com o polegar e uma das mãos no meu rosto. Ao contrário das suas costas, a palma da sua mão estava bem quentinha, fechei os olhos apenas para sentir o conforto. Não estava acostumada com toda essa delicadeza de Joe, então decidi aproveitar ao máximo.

-Sim. - respondi abrindo os olhos. -Faz tempo que eu não tenho um sono tão bom igual esse.

-Fico feliz que tenha conseguido dormir. - ele beijou minha testa e voltou sua atenção para o fogão. -Achei que não ia dar conta pela gritaria dos meninos.

-Eles vieram aqui? - perguntei me sentando em uma das cadeiras que tinham em frente uma balcão ali.

-Sim, combinamos que a reunião ia ser aqui hoje.

-Ah, entendi. - ficamos alguns segundos em silêncio, até Joe colocar um prato na minha frente, com 3 panquecas acompanhadas de morango e calda de chocolate. Então era esse o cheiro doce.

-São pra mim? - perguntei surpresa.

-É, não gostou? Eu fiz alguma coisa errada? - ele perguntou com uma preocupação que me fez rir. Me levantei do banco e passei meu braços em volta do pescoço de Joe, o puxando para um abraço apertado.

-Eu adorei. - susurro em seu ouvido. Ele correspondeu o abraço, rodeando minha cintura com seus braços fortes. O abraço de Joe era muito bom. Eu queria ficar ali por horas, mas muito contra a minha vontade, eu me separei daquele corpo maravilhoso. Ele me fitou com aqueles olhos verdes cintilantes e um sorriso perfeito. A mesma sensação que eu senti quando Joe ia me beijar, percorreu meu corpo novamente.

-Eu... eu só vou lavar as minhas mãos e já volto. - falei com as bochechas coradas.

-Tudo bem, eu te espero aqui. - ele se escorou no balcão.

Saí rapidamente da sala e fui para o banheiro. Fechei a porta com calma e me encostei na mesma. Caramba, o que Joe faz comigo? Todos esses sentimentos, essas sensações embolando meus pensamentos lógicos... eu não sei mais o que fazer. Ele me deixa sem jeito, sem reação. Não sei explicar o que acontece, isso nunca aconteceu antes comigo. Suas atitudes, cada movimento seu, me deixa extasiada. Queria entender porque ele me deixa assim, sem ar. Me deixa animada e ao mesmo tempo desesperada. 

Que sentimento é esse?!



Notas Finais


Booooom galeris, eu vou postar três partes separadas, porque senão o capítulo vai ficar enorme. A terceira parte, é a melhor de todas <3

Até o próximo cap e tchauzin 💛💜💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...