História Criminal - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Origem dos Guardiões, Frozen - Uma Aventura Congelante
Personagens Elsa, Jack Frost
Tags Elsa, Jack Frost, Jelsa
Exibições 212
Palavras 2.570
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Policial, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá meus amores desculpem a demora de verdade, época de provas e final de ano nunca é fácil T.T
Gente o q aconteceu com meus leitores? A fanfic está ruim? Por favor não desistam de mim 😥
Espero que gostem do capítulo :)
Edwards - Bradley Cooper
Carter Collins - Jackson Rathbone
Boa leitura

Capítulo 13 - Capitulo 13


Fanfic / Fanfiction Criminal - Capítulo 13 - Capitulo 13

No outono os dias mais claros são os mais esperados. Elsa despertou com o sol brilhando sobre o gramado já seco, e embora algumas nuvens se mostrassem presentes ela não desfez o sorriso ao ajeitar o casaco e sair de casa sobre o protesto de um leve vento chicoteando seu rosto.

Bebeu café enquanto dirigia para o trabalho, um par de óculos escuros protegendo seus olhos claros dos raios de sol, estava pronta para mais uma semana, e por mais que soubesse o que realmente a esperava no trabalho, não conseguia retirar o sorriso do rosto. Queria ter impedido que Jack fosse embora na noite anterior, gostaria de ter acordado com ele ao seu lado novamente, e passar o dia inteiro com ele embaixo das cobertas, como haviam feito, depois comerem uma pizza juntos e o escutar rindo enquanto tentava cantar um trecho de " Don't Go Breaking My Heart " em um tom que lhe soasse quase harmonioso - após ela falar que não conhecia a música -, ficou horrível, e ambos acabaram rindo.

E lá estaca ela, cantando novamente naquela manhã, a voz muito mais afinada do que a de Jack, enquanto dirigia pela estrada, as folhas das árvores estavam totalmente tomadas pela coloração laranja, as vitrines das lojas já possuíam fantasias e enfeites de decoração para o Hallowen, mesmo faltando tempo para a comemoração.

Ela estacionou seu mercedes em frente ao frio edifício do Centro de Medicina Legal, bateu a porta olhando o reflexo no espelho, as bochechas mais coradas que o normal, e ela sorriu, adentrou o local empurrando a porta de metal, os saltos batendo contra o chão, indicando sua chegada.

Aurora levantou a cabeça desviando o olhar da tela do notebook.

- Parece feliz hoje, doutora - ela comentou sorrindo em sua direção.

- Apenas consegui descansar esse final de semana.

- Aproveite para descansar enquanto não tem filhos.

- Isso ainda vai demorar, não tenho o dom para ser mãe - ela tirou alguns chocolates da tigela de doces da escrivaninha de Aurora, tentando ignorar o comentário.

- Todas temos, doutora.

- Como está a agenda hoje?

- Nada na noite passada. Acho que ninguém quis morrer esses dias- ela deu um leve sorriso- Tem apenas dois corpos na geladeira, mas sem urgência, se não aparecer mais nenhuma chamada será uma tarde tranquila.

- Ótimo, espero que essa semana o ritmo seja menor, tenho que finalizar alguns relatórios - Elsa comentou dando um leve suspiro, antes de dar as costas a Aurora entrando pela porta ao lado.

- Doutora.

O chamado a fez abrir a porta novamente e encarar a secretária que a encarava atentamente.

- Fui avisada hoje de manhã que conseguiram um novo médico para ocupar o lugar do Dr. Breu, ele vai chegar hoje atarde, achei que a senhora gostaria de saber.

- Estranho, não ligaram me avisando - Elsa falou unindo as perfeitas sobrancelhas.

- Alegaram que a senhora estava com o celular desligado - ela lhe respondeu e Elsa sentiu as bochechas esquentarem, havia desligado o celular na tarde anterior - Doutora, teria algum problema eu sair um pouco mais cedo?

- Se estiver tranquilo, tudo bem. Acho que eu mesma vou sair mais cedo hoje.

A sobrancelha de Aurora ergueram-se em sinal de surpresa por sua resposta.

- Espero que para fazer algo divertido.

- Vou passar no mercado - respondeu Elsa com um sorriso.

Entrou no escritório onde até mesmo a alta pilha de relatório de autópsias e ditados que esperavam para serem revisados não mudaram seu humor. Colocou a bolsa a um canto retirando o celular e o colocando sobre a mesa, se sentou com um suspiro pegando o arquivo que Aurora havia deixado sobre sua mesa.

Sentada em sua escrivaninha, ela rabiscou uma das palavras que havia escrito errado, embora fizesse tempo que estivesse morando no estados unidos ainda se confundia com bobas palavras na hora de escrevê-las, colocou a caneta sobre a mesa, não havia almoçado, nutrira-se apenas de chocolates enquanto trabalhava tarde adentro, e agora, horas depois sentia o estômago reclamar.

O som do telefone ao lado a assustou, atendeu no segundo toque escutando a voz da secretária.

- O doutor Edward Roberts está aqui, ele gostaria de conhecê-la.

Por um segundo ela pensou em perguntar quem era esse homem, mas ao se lembrar que teria um novo colega apenas autorizou sua entrada, olhou rapidamente ao redor constatando que sua sala estava perfeitamente em ordem.

Uma leve batida e a porta se abriu, o que ela percebeu, antes de tudo, foi em suas feições marcantes e frias, cabelos castanhos penteados perfeitamente, alguém difícil de decifrar, ainda mais que ela própria.

- Doutora Snow - ele falou se aproximando da mesa, a voz grossa e firme, ela se levantou lhe estendendo a mão em um aperto amigável, e reparou como seus olhos eram azuis - Sou o Doutor Roberts, creio que a senhora foi avisada sobre minha chegada.

- Sim, fico feliz que tenham encontrado alguém para ficar no lugar de Breu.

- Eu era professor de patologia na universidade de Washington, mas creio que meu trabalho aqui seja mais interessante - ele falou se sentando na cadeira a frente indicada por ela.

- As coisas aqui as vezes são bem agitadas - respondeu Elsa com um breve sorriso.

- Estive acompanhando pela reportagem, esse último caso, como estão as investigações?

Ela ficou em silêncio por um segundo, não haviam tido nenhuma notícia, nenhuma pista, nada novo após a morte de Thooty, e embora já fizesse mais de um mês ela se lembrava todos os dias da amiga.

- Não estou a par da situação, apenas faço as autópsias - respondeu de forma seca.

- Sei disso, me desculpe.

- Não precisa se desculpar, espero que tenha gostado de sua sala - ela comentou tentando dissipar a tensão que ficara no ar.

- Sim, conheci a garota ruiva, acho que o nome dela é Anna.

- Ela é a assistente,e uma excelente profissional.

- Não duvido - ele comentou enquanto se remexia na poltrona se inclinando um pouco para frente - Mas eu gostaria de contratar um assistente novo.

- Como assim? - Elsa perguntou levantando uma das sobrancelhas de forma curiosa.

- Preciso de alguém que fiquei o tempo que for disponível, caso eu precise refazer alguma autópsia ou algo assim, sem que a pessoa que ira me ajudar esteja com outro médico.

- Anna sempre conseguiu auxiliar eu e Breu sem nenhum problema, por isso nunca marcávamos nada no mesmo horário.

- Não me entenda mal Elsa, só gostaria de lhe deixar avisada

Ela o encarou atentamente, não podia afirmar que havia gostado dele, mas ainda era uma primeira conversa, e ela mesma sabia o quão dificil era ser julgada antes das pessoal realmente lhe conhecer, ela era conhecida como a Rainha dos Mortos, fria e distante, aquela que podia mexer em um corpo humano, abri-lo sem nem se importar sobre seu passado.

Mas por agora, preferia continuar trabalhando sozinha.

- Poderia me mostrar o local? Tenho algumas perguntas.

(...)

Jack estava sentado a sua mesa, levou o café puro aos lábios enquanto olhava para os mortos que se empilhavam em sua mesa. Jane Potter, Ariel Mermaid e Thootyane Fairy. Os mortos sempre pesavam na mente de Frost. Um suprimento infindável de cadáveres, cada um exigindo sua atenção, cada um com sua própria história de horror para contar, caso Jack se desse ao trabalho de cavar apenas um pouco para expor os ossos de suas histórias. Ele cavava há tanto tempo que todos os mortos que já havia conhecido começavam a se misturar como esqueletos emaranhados numa cova coletiva. Suspirou de forma cansado esfregando os olhos, mais nenhum assassinato, nenhuma pista, nada.

- Dia dificil?

Ele levantou a cabeça encarando Hiccup que parara em frente a sua mesa com um amplo sorriso no rosto.

- Não consigo nenhuma nova ligação entre as vítimas.

- Acha que ele desistiu?

Jack negou rapidamente com a cabeça, enquanto encarava a pilha de arquivos.

- Apenas não achou um próximo alvo.

- Não consigo me decidir se isso é bom ou ruim - Hiccup falou baixo, ambos ficaram em silêncio, um leve sorriso apareceu nos lábios de Hiccup.

- Aconteceu algo?

- Pedi Astridd em casamento esse final de semana.

A resposta fez Jack levantar as sobrancelhas e entreabrir os lábios em forma de surpresa, Hiccup apenas aumentou o sorriso ao ver a reação do amigo.

- Já não estavam casados? Ela estava morando com você.

- Tecnicamente, mas queria fazer as coisas a moda antiga, então pedi ela em casamento. Vamos fazer um jantar para comemorar, espero sua presença, e da doutora também. Afinal, como estão as coisas?

- Ótimas - falou Jack com um sorriso de lado.

-Sabia que iriam acabar juntos desde o começo - Hiccup comentou e Jack riu.

- Hiccup.

Os dois se viraram percebendo a presença de Merida e Hans que se aproximavam aos poucos, a ruiva tinha um sorriso nos lábios enquanto se aproximava, antes que qualquer um dos dois estivesse a chance de falar algo ela o puxou para um abraço.

- Astridd acabou de nos contar, finalmente tomou coragem - Merida falou o encarando.

Hiccup apenas coçou a cabeça de forma sem graça após ela lhe soltar, algo que ninguém sabia, nem mesmo Jack, era que ele fora apaixonado pela ruiva no começo, mas tudo mudara após ela negar um envolvimento entre eles, depois, agiram como se nada estivesse acontecido, embora as coisas estivessem ficado um pouco estranha entre eles no começo, o passar do tempo e a presença de Astridd fez a situação mudar e agora agiam como velhos amigos.

- Ela também me convidou para o jantar.

- Quantas pessoas ela convidou? - perguntou Hiccup com um leve timbre de espanto na voz.

- Não sei, ela me encontrou na hora do meu almoço.

- Nunca me imaginei casando - comentou Hans.

- Ninguém iria lhe querer mesmo - Merida o respondeu com um sorriso travesso nos lábios.

Hans a encarou atentamente se aproximando dela.

- Seu problema é falta de sexo - ele sussurrou próximo a seu rosto, mas não baixo o bastante para que Hiccup e Jack não o escutasse. O rosto de Merida foi tomado por uma coloração vermelha, se igualando ao seu cabelo, antes que ela estivesse chance de respondê-lo ele lhe deu as costas andando em direção a sua mesa, Jack a viu fechar as mãos em forma de punho e sabia que ela estava tentando se acalmar, embora a opção mais provável fosse ela andar atrás de Hans e descontar toda sua raiva.

- Idiota - ela bradou irritada antes de dar as costas aos dois.

(...)

Ela estava sentada diante de sua escrivaninha, revendo anotações e relatórios. Havia feito um tour com Edward lhe mostrando cada canto, depois aceitara o café no qual ele lhe chamara, junto ao café fluiu uma conversa agradável e sua opinião em relação a ele mudara, embora estivesse ficado pouco tempo no necrotério o cheiro parecia estar impregnado nela, um cheiro que não saía com água e sabão porque perdurava em sua memória. Voltou sua atenção para o relatório que havia deixado de lado.

- Mulher branca de 50 anos de idade encontrada em um quarto de hotel, dentro da banheira. É uma mulher bem desenvolvida e bem nutrida, sem traumas visíveis. O exame externo revela uma velha cicatriz cirúrgica no braço, provavelmente ruptura óssea, com colocação de pino por via cirúrgica, uma tatuagem de flores na perna... - Fez uma pausa, lembrando-se da tatuagem. Era na perna direita ou esquerda? Havia dias que fizera aquela autópsia, com tantos acontecimentos se esquecera dos detalhes.

Ergueu-se da cadeira e caminhou pelo corredor vazio até a escadaria, seus passos ecoando nos degraus de concreto. Ao entrar no laboratório, ligou as luzes e viu que, como sempre, Anna deixara o lugar em condições imaculadas, as mesas limpas e brilhantes, o chão impecavelmente limpo. Elsa foi até a sala refrigerada e abriu a porta pesada deixando escapar o vento gélido. Ela inspirou por reflexo, como se estivesse a ponto de entrar em um local contaminado, e entrou.

Três macas estavam ocupadas. A maioria esperava para ser recolhida pelas casas funerárias. Caminhando ao longo da fila, verificou as etiquetas até encontrar a de Rachel Lopez.

Abriu o saco, enfiou as mãos sob as nádegas do cadáver e virou-o de lado, apenas o bastante para ver a tatuagem, era na perna esquerda . Fechou o saco outra vez e saiu da sala, assim que fechou a porta estacou de repente.

Teria ouvido algo?

O ventilador voltou a funcionar, soprando ar frio pelos dutos. Sim, foi isso, pensou. O ventilador. Ou o compressor do refrigerador. Ou a água nos canos. Era hora de ir para casa. Devia estar imaginando coisas, Aurora e Anna já haviam ido embora. Soltou a maçaneta dando os primeiros passos, o som de novos passos a fez parar novamente, não estava imaginando, com as pernas trêmulas andou em direção a escada de onde vinha os passos.

- Quem é? - ela perguntou alto, os passos cessaram e a sua frente apareceu um homem de óculos armação tartaruga e um leve sorriso nos lábios.

- Me desculpe, não queria lhe assustar - ele falou a encarando.

- Quem é você?

- Meu nome é Carter Collins, vim aqui para conversar com o Doutor Edwards, mas acabei me perdendo.

Ela o encarou atentamente, o coração ainda disparado pelo susto, pensava estar sozinha.

- As salas são no primeiro andar, siga o corredor e vire a segunda a direita.

Ele sorriu em sua direção.

- Me desculpe novamente. Foi um prazer conhecê-la...

Antes que ela pudesse responder seu nome ecoou da escada, ela virou o rosto encontrando a imagem de Jack a encarando com uma das sobrancelhas levantadas.

- Está tudo bem?

Ela afirmou com a cabeça rapidamente.

- Segunda a direita ? - Collins perguntou e ela concordou, o viu passar ao lado de Jack lhe lançando um rápido cumprimento antes de desaparecer.

- O que está fazendo aqui? - ela perguntou enquanto Jack se aproximava.

- Liguei no seu celular e no seu escritório, você não me atendeu.

- E ficou preocupado? - perguntou o encarando com um sorriso.

- Não posso? - perguntou Jack enquanto a puxava pela cintura com um sorriso - Vim buscá-la para irmos embora.

- Sabe que estou de carro, não é?

- Por isso pedi para Hiccup me deixar aqui, vai ter de ir embora comigo de qualquer modo.

Ela riu antes de lhe dar um rápido beijo.

- Preciso terminar um relatório e podemos ir.

Elsa abriu a porta da sala se sentando em frente a sua escrivaninha, voltando sua atenção para o relatório, não antes de lançar um último sorriso a Jack que se sentara na poltrona a sua frente, terminou o relatório o assinando e o arrumando cuidadosamente ao lado dos outros. Se levantou pegando a bolsa que estava ao lado, foi em direção ao gancho atrás da porta onde sempre pendurava o casaco, ao vê-lo vazio uma fina ruga se formara em sua testa, se virou olhando ao redor, encontrando seu casaco colocado cuidadosamente na poltrona ao lado de Jack que a encarava.

- Aconteceu algo?

- Esqueci aonde tinha colocado meu casaco - ela o respondeu com um sorriso antes de lhe dar um rápido selinho - Podemos ir.

Ele apenas a seguiu entrelaçando sua cintura enquanto andavam pelo largo corredor em direção a saída.


Notas Finais


E então? Espero que tenham gostado de verdade... Bjs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...