História Criminal - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Exibições 101
Palavras 1.644
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ecchi, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 6 - Esquemas


— É só me chamar! - falei sorridente e não é pra menos. Um milhão, setecentos e cinquenta mil dólares só por uns gritos e umas coronhadas? Isso é muito bom, como ele disse, esse dinheiro vem muito fácil e eu vou aproveitar bem.
— Assim que eu gosto, gatinha! Decidida! - pra não perder o costume, o Naruto passou a mão pela parte de dentro da minha coxa enquanto dirigia com o sorriso cínico de sempre. Só me resta uma dúvida.
— Naruto, como eu faço pra lavar esse dinheiro? - ele riu da minha preocupação que não é engraçada. Como eu vou explicar que quase dois milhões de dólares surgiram na minha conta sendo que meu pai não me dá mais que 10 mil por mês? Ta, eu sei que não é pouco, mas porra, parece uma miséria perto desse dinheiro todo, qualquer investigação e eu me fodo toda na policia!
— Tu acha que eu não tenho como resolver isso, princesa? - esse deboche deixa ele ainda mais excitante. Que homem! - Digamos que tu seja minha sócia! - socia? Bem, então ele tem algum esquema, não é mesmo? Isso me deixa bem aliviada, to muito nova pra ser presa. - Agora abre o porta-luva, tem algo pra você! - pra mim? To curios... QUE LINDO! - Achei que fosse gostar, mas relaxa que isso não é de ontem! - o que ele me deu? Um par de brincos de safira azul, não muito chamativos mas não muito simples, ele tem bom gosto. 
— Eu amei! - respondi sorrindo enquanto guardava tudo na bolsa, ele parece ter ficado satisfeito em ter me agradado. Na faculdade, imagina sobre o que foi a aula?
— E então a pena para lavagem de dinheiro... - bingo! O Naruto e o Sasuke estão se segurando para não rir da confiança do professor em dizer que a lei é rigorosa pra esse crime pra evitar corrupções, o que me faz ter ainda mais certeza de que eles têm algum esquema e um esquema grandioso.
— Professor! - lá vem o Kiba tentando aparecer pagando de espertão. - Qual a chance de um esquema grande, por exemplo, lavar mais de milhões de dólares em transações grandes e...
— A chance é nula porque isso é Impossível! - esses dois são loucos, abaixaram a cabeça sobre a mesa e começaram a rir. - No Japão a lei e a fiscalização são muito severas e... - Ainda bem que hoje nos sentamos no fundo, assim ninguém repara nessas duas hienas risonhas que estão aqui, praticamente escondidos por mim e pela Sakura. - Não tem como movimentar uma quantia tão alta por tanto tempo sem ser descoberto! - o Naruto chorava de tanto rir, enxugando as lágrimas.
— Tá ouvindo isso? - ele ta debochando de todas as falas do professor. - É impossível, a gente movimentou por esses anos todos, mas é impossível! - o que? Então são quantias altíssimas as que eles movimentam, mas como eles conseguem?
— Empresas fantasmas não conseguem segurar esquemas com empresas reais... - a ironia do Sasuke me entregou tudo. Eu sou idiota assim pra não notar de cara? claro que as empresas das famílias deles devem ter algo com isso, assim como a do marido da Temari também deve estar envolvida nisso. Só preciso me informar melhor, assim como a Sakura que parece estar tão perdida quanto eu. Enfim, a aula terminou, os meninos foram resolver algo na reitoria, a Saky foi ao banheiro e eu tô louca pra sair daqui e... AFF! 
— Hinatinha! - sai do meu pé, chulé! Esse cachorro sarnento teve um baita tempo pra correr atrás de mim e agora que eu tô com aquele loiro lindo, gostoso e bom de cama ele vem atrás de mim? Perdeu, playboy! - Gostou lá da boate? Que tal ir comigo lá qualquer dia? - nem fodendo eu volto lá, aliás, fodendo eu vou, mas só se for fodendo com aquele gostoso. 
— Kiba, me esquece que é o melhor que você faz! - dei uma leve empurradinha nele, saindo de perto, mas ele me puxou de volta pelo braço.
— Espera aí, Hina... - ele disse tentando me parecer sensual e sedutor, só tentando porque nada em mim foi afetado, diferente do que seria caso o Naruto apenas respirasse no meu pescoço. Desiste, Inuzuka, quando se trata de me seduzir, aquele gostoso de cabelo loiro te deixa no chinelinho rasteiro de dedo. 
— Sai, Kiba, tentei me soltar dele mas ele não quer me soltar.
— Calma ai, vamos relembrar os velhos tempos... - ele tentou me beijar e eu recuei.
— Me solta, seu cão pulguento! - isso está me irritando muito!
— Tá surdo? Vai catar outra! - santo loirinho! - Larga dela que ela tá acompanhada! - o Naruto deu uma trombada no Kiba que quase derrubou o coitado, me tirando dali um pouco irritado. - Esse cara te trata como se tu fosse uma cachorra que vai atrás dele quando ele quiser... - Caralho, agora que ouvi isso, o Naruto tinha razão, era o que eu parecia ser, a cachorrinha do Kiba! Eu era tão idiota que passei essa imagem de que ele tinha poder sobre mim, que assim que ele desejasse eu estaria ali, pra ele e e isso me fez repensar tanta coisa... Enfim saímos à faculdade, com a Sakura toda animada falando de alguns sequestros relâmpagos que fez com o Sasuke perto de onde fizemos os assaltos. Quem diria, não? Até poucos dias éramos perfeitas damas da sociedade, aparentemente, enquanto na realidade não passávamos de mulheres fúteis e fracassadas amorosa e sexualmente, mas agora? Nunca me senti tão bem e tal mulher em toda a minha vida, essa adrenalina, o prazer nos assaltos e no sexo... Se isso for pecado eu já sinto o gostinho do inferno e tem um sabor delicioso de liberdade! Liberdade semelhante à que eu sinto com esse vento batendo no meu rosto enquanto o Naruto me leva até o monte Hokage, assim como o Sasuke levou a Saky no carro dele, só não entendo porque vir aqui a essa hora, já são uma da tarde. Tá, só sei que vou aproveitar e tirar as minhas duvidas.
— O que quiseram dizer com aquele papo de empresa? - eles se olharam misteriosos e o Sasuke suspirou pesado.
— Saibam que se quiserem desistir de tudo, esse é o momento, se assinarem isso... - ele mostrou alguns papéis. - ...Não tem mais volta!
— Última chance pras princesas caírem na real antes que seja tarde! - olhei para a Sakura e ela parece tão animada quanto eu, então acho que é isso. - Saibam que a vida de vocês vai ser um constante desafio! - desafio, adrenalina.... É tudo o que eu mais quero agora, viver cada segundo! - Vão querer entrar pro submundo?
— SIM! - isso é tão... Divertido! A rosinha tá feliz, toda ansiosa pra torrar a grana do "corre" dela e eu entendo. Vou me divertir com uma parte da minha grana também, mas antes de tudo. - Como a gente limpa essa grana? - eles sorriram.
— Você e eu, gatinha, temos uma empresa de investimentos que empresta grana pra empresa do Shikamaru e pra gravadora dos Uchiha, que foram indicados à nós pela empresa de assessoria do emo em sociedade com a Sakura! - ele não explica algo, ele fala uma história que eu preciso decorar! 
— Em troca de uma pequena parte... - o Sasuke falou, o dinheiro "emprestado" volta como forma de pagamento desse empréstimo e eu e a Saky ganhamos nossa gorda comissão. Nada de mais, apenas negócios! - bom plano, não há furos, apenas dinheiro correndo livremente, circulando entre empresas como é naturalmente.
— Então o dinheiro que a gente pegou hoje...
— A primeira participação nos lucros de nossas renomadas empresas! - eles são tão seguros de si. - Estamos há cinco anos no mercado, temos um nome a zelar, o negócio será gratificante! - o Sasuke tem um tom irônico tão legal, bem ao estilo Sakura de homem pegável.
— Assinem, será o maior negócio de suas vidas! - o Naruto ainda completa nesse tom malicioso e delicioso dele. Assinamos os papéis, agora não tem mais volta, somos legalmente sócias e criminalmente cúmplices desses dois. É tipo vender a alma ao diabo por algo bom, e, nesse caso, algo muuuuito bom! - A partir de agora, a vida de vocês vai mudar pra sempre!

Autora on:
Na renomada empresa de contabilidade Namaki, seu presidente, Namikaze Minato se sentia farto. Mal tinha tempo para respirar, mas, apesar do cansaço, sentia que tudo era necessário pois apenas as ocupações de seu trabalho o fariam esquecer ao menos um pouco de seus pecados. As pilhas de contas de inúmeras e grandiosas empresas lhe tiravam do poço de culpa em que havia se afundado. Havia dois anos que se sentia corroído pela desgraça que o assolava, corroído pela culpa de ter sido o pivô do acidente que vitimou sua amada esposa e tornou sua filha uma invalida. Era para ele estar naquele carro, não aquelas pessoas tão queridas e amadas. Naruto sobrevivera por um único motivo, por instinto pulara do carro antes que o mesmo capotasse, Karin, sua filha mais nova, estava sem o cinto de segurança, sendo lançada para fora, batendo com sua cabeça em uma árvore, ocasionando a lesão que a deixará em tal estado e sua esposa, ah, sua querida esposa... Kushina ficara presa no automóvel que explodiu. Não foi só o carro que explodirá naquele dia, sua vida fora junto com ele pelos ares, seu filho o culpava, o culpava com razão, tudo aquilo havia sido uma vingança por seus negócios escusos, graças à ganância que tivera durante anos, perdera o amor de sua vida, acamara sua filha e perdera todo o carinho e confiança de seu filho. Realmente era algo difícil de lidar.
— Será que eu consigo seguir sem vocês?
Autora off


Notas Finais


Sei que ficou pequeno, mas eu acabei perdendo parte do capítulo já perto de postar e não conseguiria refazer tudo. No próximo capítulo, a relação entre Naruto e Hinata ficará ainda mais forte. Até lá! O que acharam? Espero comentários, beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...