História Criminal - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Exibições 102
Palavras 1.505
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ecchi, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 7 - Vingança


Depois de mais um assalto, dessa vez em um SPA, chegamos na minha casa. Ate que terminamos cedo, ainda é meia noite...
— Falou gatinha, até amanhã! - já disse que ele consegue ser sexy até se despedindo de mim? Que homem! Beijei ele, ainda não temos nada de compromisso, mas só de continuar dando um pegas nesse gato já tá de bom tamanho.
— Até amanhã, gato! - mordi o lábio inferior dele e deixei o carro sorrindo antes que ele me puxasse pro banco de trás mais uma vez. Entrei em casa e, pra variar...
— Onde estava? Quem é esse moleque que te deixa em casa quase que toda noite, Hinata? - AFF! A Kure consegue ficar mais insuportável a cada dia que passa! Só porque nesse mês inteiro de trinta noites eu saí vinte e cinco delas com o Naruto não quer dizer que eu e ele estejamos saindo muito e fazendo algo de errado. O que tem de errado em assaltar algumas lojas? Eu já passei a lidar com isso como algo normal!
— Eu já disse que saio com um amigo! - quantas vezes vou ter que repetir? Lá vem...
— Quem é esse amigo que tanto sai com você? Porque ele não vem aqui? - se você se preocupasse menos com a minha vida e mais em dar pro papai, pro motorista ou pra quem quer que seja você não seria tão chata!
— É um amigo, simples, por isso ele não vem aqui, porque ele não tem a obrigação de conhecer ninguém, muito menos você! - respondi como sempre. Ela já me encheu o saco demais, nem meu pai aguenta.
— Deixe, Kure! - obrigada, pai. Espera, por que ele tá me olhando assim? - Está na hora de conversarmos! - vish! Hiashi Hyuuga, um homem tão ocupado gastando seu precioso tempo comigo? Lá vem bomba! Fui com ele até o escritório. - O que está havendo com vocês? - ela que começou!
— Ela se incomoda com tudo, papai! - se ela não se metesse nas minhas saídas com o Naruto nada estaria acontecendo.
— Entenda, Hinata... - entender o que? - Você sempre foi mais caseira, sempre saía com a Sakura e agora passou a sair com um amigo que não fazemos a mínima ideia de quem seja! - eles não precisam saber da minha vida, eu já tenho idade pra decidir o que fazer.
— Já passou pela sua cabeça e pela da sua mulher que eu já sou maior de idade? - retruquei.
— Já passou pela sua cabeça que você mora na nossa casa e por isso nos deve satisfação? - ele tá dizendo isso mesmo? OK! Ok! Não seja por isso!
— Fodam-se vocês e a casa de vocês dois! - estava indo pro meu quarto, fazer minhas malas pra sair daqui, mas...
— Desculpa, não quis dizer isso! - mas disse!
— Mas disse! - porra, meu próprio pai contra mim por causa daquela puta? Sério isso?
— Me desculpa, minha filha! - meu pai me abraço. - Olha, tenta compreender, nós só nos preocupamos com você! - preocupem se com os amantes de vocês. Eu devia estar achando fofo eles se preocuparem? Se for eles tão fodidos porque eu só penso em vingança! A vagabunda enche o meu saco e ainda faz meu pai insinuar que se eu reclamar é pra sair da casa dele? Ela me paga e já sei como cobrar!
— Bom dia, gatinha! - passei a noite toda remoendo um plano, essa puta vai me pagar caro. Mal beijei o Naruto, já o puxei pra um canto da faculdade onde ninguém nos visse, mas, pra evitar desconfiança, o abracei como se estivéssemos namorando.
— Ta afim de ganhar uma boa grana? - ele, entendendo o porque eu estava colada nele, apenas respondeu.
— Eu sempre tô, gatinha! Qual é a boa? - a boa?
— Sequestrar a minha madrasta! - que é? A culpa é dele de despertar esse meu lado!
— Qual é o plano e porque ele existe? - Kiba nos olhou estranhando nossa movimentação, então fizemos uma cena. - Topa ser a minha namorada oficial, gatinha?
— TOPO, TOPO! - se roa de raiva o quanto quiser, só suma de perto da gente, porra! - AFF! Moleque chato.
— Enfim, qual a porra do motivo? - expliquei tudo pra ele e ele debochou da minha cara. - Tu quer sequestrar a sua madrasta só porque ela quer te dar um rumo na vida, garota? - que é?
— Tá afim que ela descubra sobre onde nós vamos? - não parece mais tão engraçado, né, Naruto? - Quer um bom motivo? Meu pai dá o dinheiro que for pra que não façam mal à ela! - ele pensou bem, muito bem.
— Ela fica na cara! - como assim? - Tu tá o mês todo tretando com ela e do nada ela some e você morre de amores? - caralho, ele tá certo. Eu teria que fingir sofrimento pelo sequestro e todos sabem que eu e ela não nos damos bem, mas eu ainda quero vingança é já sei como vai ter.
— A minha irmãzinha! - vou me divertir vendo o desespero da Kure e ainda vou ganhar uma grana em cima disso. Qual foi? É o Naruto, ele não vai bater na Mirai!
— Tu é cruel, hein, Hinata... - ele sorriu de canto. - Qual é o plano? - olhei ao redor, já estava na hora da aula, não podíamos ficar ali. Melhor esperar pra falar, mas eu já sei como fazer tudo!

Autora on:
Horas depois, já no horário da tarde, na frente de uma escola primária, uma menina de sete anos, com cabelos castanho escuro e olhos negros, além de ter a pele mais corada do que deveria ter. Era Mirai, a filha de Kurenai e, oficialmente, de Hiashi, mas até mesmo o Hyuuga tinha ciência de que o pai biológico da pequena era Asuma, o motorista da mansão, que, no momento, a buscava. 
— Oi, minha princesa! - dizia o homem de cabelos castanhos que abria os braços para a menina. - Como foi seu dia?
— Foi legal, papai! - a pequena morena retribuiu o abraço. Até mesmo Mirai sabia que seu pai era Asuma, mas também nutria carinho por Hiashi, seu "segundo pai". O motivo que o Hyuuga tinha para manter o casamento? O grande amor que sentia por Kurenai e, consequentemente, por Mirai, amor esse que seria usado maldosamente a mando de Hinata. Enquanto pai e filha brincavam antes de Asuma pô-la dentro do carro, uma moto com dois ocupantes de aproximava. 
— MÃOS AO ALTO, BACANA! - um homem de cabelos platinados, de olhos verdes e rosto coberto por um lenço sacou um revólver, o apontando para a testa de Mirai, que chorou. - Se reagir a pirralha morre! - Asuma não sabia o que fazer, mas, quando esboçou reação, o homem arrancou a menina de seus braços, com o capanga, um ruivo de olhos azuis, arrancou com o veículo.
— PAPAIIII! - gritou a menina enquanto chorava.
— FILHA! - o homem tentou correr, mas era inútil, então decidiu ir atrás da moto com o carro que dirigia.
— Cala a boca dela! - o que pilotava a moto, com uma voz forçadamente grave. Seu capanga, que trazia a menina em seus braços lhe deu uma leve coronhada, não para machucá-la, mas para a desmaiar. Logo à frente, havia um carro onde estava uma morena de olhos negros que esperava pela dupla. 
— Joga ela no banco de trás! - a mulher forçou a voz para evitar ser reconhecida futuramente. 
— Esconde melhor essa raiz rosa, gatinha! - o platinado deixou a garupa e entrou no lado do carona e avisou à parceira que ajeitou melhor a peruca. 
— Não vai mais rolar! - deu sinal ao ruivo do outro lado que fugiu na moto, assim como o casal que levou a menina. O fato de o garupa ter sumido, despistou Asuma, que freiou o carro ao notar que perdera os sequestradores de sua filha de vista.
— MERDA, MIRAI... - enquanto isso, longe do motorista da mansão Hyuuga, mas precisamente no monte Hokage, o motoqueiro ruivo estacionou o veículo, retirando então sua peruca, sacudindo os cabelos loiros que ficaram bagunçados pelo penteado. Era Naruto, sorridente pelo plano bolado por sua amante ter dado certo. Sua primeira ação? Mandara uma mensagem para a mandante do crime:

"Já estou no monte, gata"

Autora off

Pronto, ele me deu o sinal combinado. Como sempre, me arrumei, afinal, tinha que seguir minha rotina normal e, parte dela consistia em sair de noite com o "meu amigo". Tudo normal? Ok! Agora é só seguir o plano. Quando sai pela casa, encontrei aquela filha de uma puta chorando, até que é legal me sentir vingada! Qual foi? O sequestro não é "de verdade"! 
— O que foi? - fui fria como sempre, não posso ficar dando bandeira, né? - Porque estão tão serios? - ela nem consegue falar chorando.
— A Mirai, senhorita Hinata! - o Asuma falou um pouco alterado denunciando ainda mais que é o pai da "minha irmã". - Ela foi sequestrada!


Notas Finais


Como podem ver, Hinata foi corrompida pelo crime, e ela tem um lado bem cruel, não? A própria "irmã"? O que acharam disso? Espero comentários, beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...