História Criminal Lives - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette
Tags Camila Senna, Cara Delevingne, Flavia Pavanelli, Kylie Jenner, Nah Cardoso
Exibições 96
Palavras 3.277
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura 📖

Capítulo 14 - First time


Fanfic / Fanfiction Criminal Lives - Capítulo 14 - First time

- Mas eu... eu vou dormir aqui? – disse um pouco mais baixo e continuei recuando até bater na parede

- Dormir eu não sei, mas que você vai ficar aqui vai – se aproximou mais e prensou seu corpo no meu atacando meu pescoço.

 

 

P.O.V Camila

Coloquei minhas mãos nas suas costas passando as pontas das minhas unhas pelo seu pescoço e notei ele se arrepiar. Logo traçou um rastro molhado com seus lábios até o meu queixo, dei um beijo nele e mordeu meu lábio inferior o puxando um pouco, passou a língua pelo meu lábio e me beijou intensamente. É estranho mas os beijos dele são sempre melhores, parece que a cada vez o beijo dele melhora e me surpreende mais de uma maneira boa, que me faz delirar e ir ao céu e quase não encontrar a passagem de volta. A mão dele escorregou e foi até o “nó” que prendia minha toalha, agarrei a mão dele e separei nossos lábios.

- Eu...ahn...eu não sei, tenho medo – admiti suspirando, é difícil admitir que tenho medo

- Ei vai ficar tudo bem, relaxa – disse de forma baixa mas confortante, apenas assenti fechando os olhos fortemente

Logo senti de novo os lábios dele mas desta vez mais calmamente, uma mão estava na minha cintura e a outra desceu para a minha coxa me impulsionando para subir no seu colo, assim fiz, entrelacei minhas pernas na sua cintura sentindo a ereção já presente. O senti andar e de repente desgrudamos nossos lábios assim que me choquei em alguma coisa macia, a cama, tirou a t-shirt e voltou para cima de mim se apoiando um pouco na cama para não deixar o peso de seu corpo em cima do meu e atacou meu pescoço descendo os beijos para meu ombro depositando uma mordida no mesmo. A sua mão voltou para o nó da toalha mas dessa vez não o parei e o deixei fazer o que queria, num piscar de olhos já estava sem toalha. Justin encarou meu corpo com um sorriso malicioso no rosto, senti meu rosto arder seguida da risada dele, os beijos dessa vez foram para o meu seio direito enquanto que a outra mão acariciava e apertava o esquerdo, arfei com isso, desceu seus lábios por toda a extensão do meu corpo passando pela minha barriga, devo dizer que me arrepiei totalmente com isso? É meio óbvio né? Mas não parou na minha barriga e desceu até a minha intimidade e depositou um beijo nela me fazendo revirar os olhos e arfar fortemente

- Hum molhadinha – falou de um jeito sexy e de repente senti uma coisa quente dentro de mim, olhei para baixo e era sua língua, ele chupava minha intimidade sem pudor, me agarrei aos lençóis da cama os puxando e me controlando para não gemer muito alto.

- N-não p-pa-ra – disse com dificuldade, ele apenas me lançou um olhar cheio de luxuria

Passando algum tempo senti uma onda elétrica me percorrer, minha costas se contraírem e um líquido quente escorrer, Justin engoliu tudo e voltou para cima de mim me beijando para eu sentir o meu próprio gosto, confesso que era bom.

Não o ia deixar me dominar completamente então baixei uma das minhas mãos que até então percorriam suas costas desnudas e fui até o botão de sua calça e desapertei, dei um pequeno impulso o virando na cama ficando agora eu no comando deixando um pouco surpreso com tal ato, trinquei seu queixo e puxei sua calça para baixo as tirando totalmente, me espantei com o volume que já estava presente na sua boxer branca, sorri maliciosamente para ele, não sei o que estava me dando mas não me importei, tirei sua boxer e me deparei com o céu, o que era aquilo meu deus? Peguei meio sem jeito e comecei a fazer movimentos vai e vem com a mão, não teria coragem de fazer o que ele fez, acho que tenho vergonha e um pouco de nojo de fazer uma oral. Ele gemia alto.

- Mais...awn...rápido vadia – pediu/mandou entre gemidos

Aceitei seu pedido e comecei a ir mais rápido. Já sentia um pouco de dor no meu pulso, não estou habituada a este tipo de “esforço”. Suas veias pulsavam e ele não tentava nem sequer esconder seu prazer pois gemia alto.

- Vou...awn...não...awn...para...vou...goz... – não conseguiu terminar de falar, deu um gemido um pouco mais alto e senti uma coisa pegajosa e quente a escorrer pelos meus dedos

O olhei sugestivamente e estendi meus dedos para ele.

- Quer um pouco? – perguntei mordendo os lábios me sentido uma total vadia.

Justin apenas assentiu e chupou meus dedos um por um, acabou de “limpar” meus dedos e me virou na cama, ficando outra vez por cima.

- Não achou que ia ficar no comando né? – sussurrou no meu ouvido, abanei a cabeça afirmativamente – não mesmo, quem manda sou eu – falou de uma maneira sexy e mordeu minha orelha.

Suas mãos percorriam o meu corpo apertando cada parte pela qual passavam. Me beijou me fazendo sentir de novo aquelas sensações indescritíveis e maravilhosas. Pegou seu membro pela base e o pressionou um pouco na minha entrada, olhou em meus olhos me lançando um olhar calmo e logo senti seu membro entrar, dei um forte gemido de dor, parecia que estava sendo rasgada por dentro, era uma dor intensa.

- Para ta doendo – pedi e senti algumas lágrimas escorrer pelo meu rosto

- Shiuu calma já vai passar – me beijou

Enfiou mais e mais até sentir uma dor muito forte mesmo me fazendo gritar alto, acho que tinha chegado ao auge da minha dor e parei de a sentir, ele parou de enfiar e ficou quieto talvez até me acostumar com ele dentro de mim o que me fez ficar com raiva, quer dizer até que agora tive que sofrer e depois de sofrer ele vem com cuidados? Não mesmo. Envolvi minhas pernas na sua cintura o puxando mais para baixo, acho que ele entendeu o recado pois logo começou com os movimentos vai e vem o que me fez sentir prazer. Depositou sua cabeça no meu pescoço e uma de suas mãos na minha cintura e a outra na minha coxa a apertando fortemente aposto que ia ficar a marca, mas quem quer saber disso num momento desse? Pelo menos eu não. Eu arranhava suas costas sem nenhum medo, sentindo por vezes sangue escorrer nos meus dedos mas se ele não reclamou não ia parar.

Os movimentos agora eram mais fortes.

- Ah apertadinha do caralho – gemeu

- Mais...awn forte – pedi e ele fez

Os movimentos agora eram mais fortes. Passando algum tempo senti uma onda de prazer intensa me percorrer, revirei os olhos e espetei minhas unhas com toda a força nas suas costas o fazendo dar um pequeno grito, nada muito alto, minha vagina se contraiu e de novo senti aquele líquido descer me fazendo suspirar aliviada, afrouxei minhas mãos nas suas costas e Justin continuou com os movimentos, ficamos assim alguns segundo...

- Awn vadia – gemeu alto e no momento senti um líquido quente me encher por dentro

Justin deu mais algumas entocadas e saiu de dentro de mim se esparramando na cama ao meu lado. Estávamos ambos ofegantes e cansados. Naquele momento me toque e percebi o que realmente tinha acontecido... eu perdi minha virgindade e o mais estranho de tudo é que foi com ele, com o Justin. Bateu uma pontada de vergonha ao lembrar o que fazíamos a segundos atrás. Não sei quanto tempo fiquei perdida nos meus pensamentos, mas só despertei deles quando ouvi uma respiração mais compassada e pesada ao meu lado, me virei e vi Justin dormir... como assim dormir? Não acredito que aquele filho de um puta adormeceu assim sem mais nem menos depois de tirar a minha virgindade. Mas também o que eu queria que ele fizesse? Que se virasse para mim e ficasse todo fofo? Não isso não combina com ele e além do mais ele já teve o que queria e a burra aqui deu. Senti uma lágrima escorrer pela minha face mas logo a limpei, olhei de novo para ele e ele continuava a dormir, até parecia um anjinho assim.

Lembrei do que aquela vadia que encontrei na sala me disse sobre ele não gostar que durmam com ele na mesma cama... mas mesmo que ele gostasse não ia ficar aqui, não mesmo. Não depois de ele ter adormecido depois de termo... ah transado... esta palavra dita na primeira pessoa, eu, ainda é um pouco estranha. Me levantei e procurei pela toalha, a avistei no meio do quarto, fui até ela e me enrolei nela outra vez.

E agora o que eu faço? Pego minha roupa suja e vou embora? Mas como se eu vim com ele? E também a roupa está toda suja não ia vestir. Me lembrei  que ele tinha dito sobre qualquer coisa sobre trazerem minha roupa, olhei pelo quarto e encontrei a sacola, peguei nela com cuidado para não fazer barulho e o acordar, enfrentá-lo era tudo o que eu não queria. Vi uma roupa, um pijama e uma bolsa com alguns caderno dentro... pronto agora é só ligar para alguém vir me buscar e depois me vestir. Fui até a poltrona onde deixei minha bolsa e peguei meu celular. Disquei o número de Guilherme porque era ele que estava com o carro, um toque, dois toques, 5 toques e nada, não atendeu, viado do caralho quando eu preciso dele, ele me deixa na mão. Comecei a discar o número da Megan, pode ser que ela me atenda, fui apertar no botão para chamar e o celular descarregou. Droga de celular foda-se voltei e o joguei dentro da bolsa... não dá para ir a pé e aposto que se pedir a um dos capangas dele para me levar, eles não levam porque não é o patrão dele que tá pedindo e sim uma desconhecida e também a essa hora não há táxi nenhum na rua, então o jeito é dormir aqui mesmo, mas com ele não durmo não mesmo.

Peguei o pijama que tinha na sacola e vesti, é um pijama simples de short não muito curto e uma t-shirt. Peguei a sacola e coloquei a mesma dentro da minha bolsa. Abri a porta com cuidado e sai do quarto dele completamente perdida, andei pelo longo corredor para ver se encontrava alguém que possa me dizer se há algum quarto livre que eu possa dormir, já estava quase desistindo quando vi a mesma vadia que falou comigo na sala a entrar em um quarto eu acho.

- Ei – a chamei, ela parou e me encarou confusa – espera aí – pedi e corri um pouco até a alcançar.

- Que foi? – perguntou com as sobrancelhas juntas

- Será que tem por ai um quarto de hospedes que eu possa dormir? – perguntei e ela continuou com a mesma feição confusa – é que o Justin adormeceu e não quero acordá-lo para perguntar isso – menti ou melhor acho que em parte o que disse é verdade só ocultei algumas coisas

- Hum vejo que seguiu meu conselho, fez bem se não ele era bem capaz de a expulsar no meio da noite como já fez com muitas que ousaram adormecer com ele – ela disse aquilo como se fosse uma coisa muito má a se fazer – vem – fez sinal para a seguir e assim fiz – aqui – abriu a porta de um quarto, não era um quarto pequeno mas comparado com o do Bieber era um nada – pode dormir aí, esse quarto está vazio – assenti

- Obrigada – falei entrando no quarto e coloquei a sacola na cama

- Você ainda não disse seu nome, afinal se você o agradou essa noite vamos passar a viver juntas – sorriu e entrou também no quarto

- Como assim?

- Ué o Bieber experimenta as vadias e as que ele gosta ficam aqui a morar para serem exclusivas dele, dos amigos e dos capangas – disse naturalmente, como assim exclusivas? Quer dizer que dar para ele, para os amigos e para os capangas é exclusividade? – e se você o agradou passa a morar aqui assim como eu – bateu palminhas animada. Apenas revirei os olhos

- Você foi legal comigo hoje e não quero te ofender por isso me desculpe mas eu não sou vadia como você, não fico ai dando para todos como você pensa e não vou ficar morando aqui porque tenho a minha casa que por acaso é tão grande quanto essa – ela arregalou os olhos

- Como assim? Eu...eu pensei que você fosse vadia.

- Mas não sou.

- Então o que está fazendo aqui?

- Nem eu sei – confessei – sou colega do Justin no colégio.

- Nossa! Mas enfim como é seu nome? – perguntou

- Camila Blake – disse e ela ficou me olhando – o que foi?

- O que foi? – perguntou indignada – você é a herdeira de um dos maiores impérios de Atlanta e ainda me pergunta o que foi? – assenti confusa – Não acredito que estou falando com você, tem noção de que todas nos queríamos ser como você? – dessa vez foi eu que fiquei espantada

- Não sou nada de especial – falei achando um absurdo o que ela disse

- Claro que não – disse irônica – você só é a Dama do tráfico, dona de uma fortuna. Sua vida é perfeita.

- Toda a vida tem o seu lado mau e a minha não é diferente, tenho muitas responsabilidades e deveres e além do mais muitos inimigos e injustiças por conta do que faço, por isso minha vida está longe de ser perfeita.

- É tem razão, mas mesmo assim não me importava nada de ser você – confessou rindo, ri também

- Você não me chegou a dizer qual era seu nome.

- Maddie Lox.

- Prazer – sorri

- Que é isso, o prazer é todo meu. Agora vou te deixar descansar, até qualquer dia – sorriu e saiu do quarto

Me esparramei na cama. O que eu fui fazer? Perdi minha virgindade com um garoto que nem sequer gosta de mim, que adormeceu depois de termos transado. Burra, burra, burra é o que eu sou. Mas foda-se vou esquecer isso, não vou ficar me lamentando, nunca me lamentei por nada aliás vou sair por cima como se isso não tivesse me afetado, é isso mesmo.

(...)

Acordei com os raios de sol batendo no meu rosto, olhei para o relógio que tinha ali do lado e marcava 6:30h, bom acho que é melhor me levantar. E assim fiz, me levantei e fui em direção ao banheiro que tinha naquele quarto. Tomei um banho e sai enrolada na toalha, fui até a sacola ver o que tinha ali para mim, vestir rezando para ao menos combinarem as peças e me surpreendi com a roupa que vi. Reparei que também tinha uns óculos de sol meus perdidos ali no meio, bom que escolheu sabe meus gostos o que estranhei um pouco. Me vesti, sequei meu cabelo com um secador que encontrei meio perdido naquele banheiro e fiz um penteado bem simples, fui até minha bolsa ontem a noite e peguei minha maquiagem, sim ando sempre com a maquiagem na bolsa, fiz uma maquiagem não muito forte, joguei as coisas que estavam na bolsa de ontem nessa que ia levar para o colégio e pus a outra dentro da sacola e finalmente estava pronta. Me olhei no espelho pela última vez e reparei que mesmo com a maquiagem as olheiras do choro, sim eu chorei muito antes de adormecer, ainda estavam presentes, sorte que tinha os meus óculos de sol parecia que tinha sido de propósito, enfim respirei fundo e sai daquele quarto e que seja o que deus quiser ou o que eu manipular para que seja. Ri com este pensamento e continuei andando pelo corredor.

- Ei Camila – ouvi assim que pisei o primeiro degrau da escada, recuei e olhei para o ser a minha frente – você tá bem? – perguntou cínico do caralho

- Sim, porque não deveria estar Bieber? – sorri tentando ser o mais fácil possível e não irônica

- Você desapareceu, acordei hoje e não te vi – me encarou confuso

- Ah sim fui dormir num dos quartos de hóspedes, espero que não se importe, eu tentei ir embora mas não tinha como – dei de ombros. A sua expressão era cada vez mais confusa

- Porque foi dormir no quarto de hóspedes? – agora quem ficou confusa foi eu, ele queria que eu dormisse lá? Mas então o que a Maddie disse sobre ele não gostar disso?

- Não havia razão para continuar naquele quarto – tentei ser o mais fria possível, ele ia abrir a boca mas fui mais rápida – agora será que dá para mandar alguém me leva para o colégio?

- Eu te levo deixa só eu tomar meu café – se aproximou e tentou me beijar, me esquivei estrategicamente

- Então vá rápido senão nos atrasamos – desci as escada e ouvi passos dele atrás de mim

- O que foi agora Cam? – agarrou meu braço já no final da escada me fazendo o encarar

- Nada porque? – me fiz de desentendida – ah e não me chama de Cam não.

- Porque?

- Não gosto – disse simples

- Mas todo mundo te chama assim – juntou as sobrancelhas

- Todo mundo não é meus amigos. Então por favor não me chama mais de Cam ok? Pra você eu sou Camila ou melhor pode me tratar como vadia já que para você sou uma mesmo – me descai

- O que? De que você tá falando?

- Nada não. Toma seu café antes que eu me estresse de esperar e vá de táxi mesmo – soltei  meu braço com força e me sentei no sofá. Ele continuou parado, apenas dei de ombros o ignorando e logo ele foi para a cozinha.

(...)

Estávamos agora a caminho da escola os dois no carro dele, um silêncio no ambiente me deixava cada vez mais desconfortável. Paramos num sinal, Justin batia freneticamente no volante impaciente para o sinal abrir, coisa que eu já estava me irritando.

- Dá para parar com esse barulho?

- Não – respondeu seco e grosso

- Grosso – resmunguei

- Você bem que gostou deste grosso aqui ontem – gabou-se me lançando um sorrisinho de lado

- Quem disse que eu gostei? – arquei a sobrancelha

- Seus gemidos falavam por si – deu de ombros, dei uma risada falsa

- Meu querido nunca ouviu falar em fingimento? – dessa vez foi ele que riu

- Você não sabe mentir – olhou para mim provocador

- Você não me conhece – sorri amarelo

- Por falar em ontem não usamos camisinha – disse num tom meio preocupado

- Não se preocupe, eu já tomo pílula – pareceu surpreso

- Mas... mas você era virgem.

- Sim, mas tomo por causa do meu período não ser regular – dei de ombros, ele apenas assentiu – agora dá para parar de falar comigo ir andar porque o sinal abriu? – perguntei arrogante

Logo arrancamos chegamos a escola e ele estacionou. Vi a nossa frente Ryan e Chaz conversando animadamente. Sai do carro assim como Justin, Chaz e Ryan nos encararam com um sorrisinho malicioso como se soubessem o que se passou ontem de noite.

- Oii Chaz – sorri – Ryan! – exclamei

Fui até o Ryan e o abracei forte, lhe dando um beijo estralado na bochecha, olhei para Justin e ele nos encarava com uma cara nada boa, sorri cinicamente e pisquei para ele.

- Vem comigo Ry preciso de você – falei num tom sexy só mesmo para provocar o Bieber, só faltava lê explodir de raiva.

Justin Bieber que me aguarde porque o dia está só começando!

Continua...

 


Notas Finais


X Avisos X

Roupa da Camila - http://yooying.com/p/1038402853223823109_331057588

Novo link pro grupo no wpp - https://goo.gl/forms/v67wCru8BwGuKIeu2

Gostou? Compartilha com seus amigos!

Xoxo C.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...