História Criminal Lives - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette
Tags Camila Senna, Cara Delevingne, Flavia Pavanelli, Kylie Jenner, Nah Cardoso
Exibições 154
Palavras 2.791
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura 📖

Capítulo 9 - Have a dinner


Fanfic / Fanfiction Criminal Lives - Capítulo 9 - Have a dinner

- Não interessa descubra e me ligue depois – desliguei sem ele me responder.

Troquei de marcha e acelerei saindo daquele local.

 

P.O.V Justin

Cheguei em casa cansado pra caramba, tive que verificar e receber a carga e o cara era chato mesmo... mas fiz um ótimo negócio.

Entrei na sala com o objetivo de ir direto para o quarto, tomar banho e depois comer uma vadia gostosa o que não devia ser difícil de arranjar. Já que elas estão sempre dispostas pro papai aqui, principalmente a vadia da Chloé mas o Jeremy estava na sala provavelmente me esperando.

- Que se passa? – lhe perguntei

- Oi pra você também – rodei os olhos – não aconteceu nada, só vim avisar que daqui a pouco teremos um jantar formal na minha casa.

- Sério? Tenho que ir? Odeio isso – bufei

- Tem, porque eu quero que o conheça, é importante para os futuros negócios. Já falamos sobre isso Justin, por favor colabore e não dê um de arrogante lá.

- Qual é pai não nasci para sorrir forçado não.

- Faz um esforço, é mesmo importante ganhar a confiança dele.

- Quem é o cara?

- Jack Blake. Já te falei sobre ele lembra? – assenti – pronto, para seguir com o meu plano preciso ganhar a confiança dele por isso propus esse jantar a ele e a sobrinha, a herdeira de tudo. E você vai estar lá entendeu?

- Não sei não, um jantar com um velho babão e chato e ainda leva a sobrinha. Já aviso que se for pra mim servir de babá eu não vou.

- Que babá o que? A garota deve ter a sua idade.

- Sério? Já comecei a me animar com esse jantar, só  espero que seja gostosinha – dei um sorriso malicioso imaginando o que esse jantar pode me render

- Já tive a oportunidade de conhece-lá, quando nos mudamos ela foi lá em casa dar boas vindas pela parte da família e te garanto que ela é bem gostosa - falou com o mesmo sorriso que o meu.

- Ei ei olha o respeito com minha mãe, que eu saiba você a traiu

-  Só estou falando moleque. E então vai ou não?

- É acho que sim - dei de ombros - no final do jantar posso me divertir um pouco com isso.

- Ótimo - sorriu - só toma cuidado porque pelo que eu percebi essa menina ai não é como as vadias que está acostumado a pegar. Ela foi treinada como você, seja esperto e não fale asneiras senão ela é capaz de meter bala em você. - gargalhei

- Não se preocupe eu me garanto.

- Ok ok. Às 19h em minha casa e não se atrase, porque antes do jantar ainda vamos falar de uns negócios aí e é bom que você esteja presente. Vou indo, até logo. - apenas acenei e subi o primeiro degrau da escada

- Patrão - me chamaram. Me virei, era o Alfredo

- O que foi porra? Já não tenho mais descanso na minha casa.

- Desculpe, mas era para lhe dar a informação que pediu hoje a tarde.

- Que informação?

- Sobre o que passou hoje a tarde numa casa...

- Ah sim - o interrompa - diga rápido.

- Eu mandei um dos homens lá e ele me disse que encontrou um cara num estado deplorável parecia que tinha levado uma surra grande.

- Não pode ter sido... não não pode. Eles disseram quem fez isso?

- Não

- Porra eu pago o que pra vocês caralho. Não sabem mais tirar informações?

- O patrão disse que era só pra descobrir o que se passou. Não disse que era para arrancar informações, achamos melhor não fazer nada a toa.

- É tá bom tá bom. Volte ao trabalho. - subi as escadas finalmente

Será que ela... não impossível. Tira essas ideias da cabeça Justin, é completamente impossível.

 

P.O.V Camila

- Hoje vamos jantar na casa do Jeremy - meu tio disse entrando no meu quarto

- Ei não sabe bater não - protestei nem prestando atenção no que ele disse

- Ah desculpe esqueci

- Não faz mal. Mas o que estava dizendo?

- Que hoje vamos jantar com Jeremy e sua família na casa dele.

- Oh hoje não dá não. Estou afim de sair com as meninas para uma balada qualquer ou ir numa corrida, ando meia desligada disso e também eu preciso me divertir por isso não dá. Não dá pra eu não ir? - fiz biquinho

- Não - meu biquinho se desfez na hora esteja pronta às 19h - saiu do quarto nem me dando tempo de responder, típico dele. Olhei para o relógio e eram 18h... o que? 18H?! AH NÃO! Corri para sair do quarto e vi meu tio já quase descendo as escadas.

- TIO? - berrei e ele deu um passo atrás e me encarou vindo ao meu encontro - são 18h! 18H!

- Sim, qual o problema? - forçou o cenho

- Não dá tempo para me arrumar! Porque não me avisou antes?

- Ah Camila ainda falta 1h, você tem tempo de sobra.

- SÓ falta 1h - meu tio revirou os olhos - não dá para ir mais tarde?

- Ainda quero tratar de uns assuntos com ele antes do jantar.

- Então você vai na frente e depois eu vou - dei de ombros

- Mas vai mesmo? É que dá última vez que me disse isso desapareceu.

- Porque tive um bom motivo - protestei

- Aí é qual? Ah lembrei, você adormeceu.

- Viu, mas dessa vez eu prometo que vou.

- Tá bom então. Mas não vá muito tarde, é falta de educação - virou as costas

- Tá bem - fui para meu quarto

Me despi e entrei no banho. Acabei meu banho me enrolei numa toalha, passei um creme hidratante nas pernas, prendi meu cabelo num coque frouxo só para não me atrapalhar, fui até o closet escolher uma roupa, não sei de devo ir muito formal ou não. Mas um vestido nunca fica mal e é um jantar importante, me vesti, voltei ao banheiro e me maquiei, soltei o cabelo e fiz um penteado lindo, peguei minha bolsa e finalmente estava pronta!

Fui até a garagem e peguei meu Audi TT, arranquei tentando me lembrar onde ficava a casa, acho que ainda me lembro do caminho.

Cheguei lá e logo veio um segurança chato para perto do meu carro, desci o vidro e o encarei.

- Dá pra abrir esse portão logo? Já estou atrasada.

- Me diga seu nome.

- Isso é sério? Não sabem quem eu sou mesmo?

- Desculpe senhora, mas tenho que confirma primeiro antes de mandar a entrar.

- Primeiro que você não manda em nada. Segundo sou Camila Blake. Agora abra essa bosta antes que eu me irrite. - fechei o vidro na cara dele

Logo abriram os portões, estacione o carro em frente a casa e apareceu uma senhora na porta.

Saí do carro e me aproximei dela.

- Olá! Você deve ser a sobrinha do Jack certo? - sorriu amavelmente

- Sou sim - retribui o sorriso - Camila Blake prazer senhora...

- Patricia Mallette, esposa do Jeremy. Mas me chame de Pattie e nada de senhora - assenti - entra - fez um gesto e entrei. Vi meu tio falando com Jeremy e um rapaz meio loiro sentado de costas pra mim.

- Ah minha sobrinha chegou - exclamou meu tio sorridente, mas percebi pelo tom de voz que ele estava querendo me dar uma bronca por ter demorado.

- Boa noite a todos - falei

- Boa noite - Jeremy disse amavelmente

O rapaz que estava sentado se levantou na hora se virando para mim. Ah não! Ai gente me ajuda só posso tá vendo coisas. O que... que ele ta fazendo aqui? Sim é esse mesmo Justin Bieber!

- O que está fazendo aqui? - falamos ao mesmo tempo, revirei os olhos por isso.

- Já se conhecem? - Pattie perguntou

- Sim - Justin respondeu sem tirar os olhos de mim - só... só não sabia que ela era uma Blake

- Há muita coisa sobre mim que você não sabe - sorrir falsamente - e você o que faz aqui? - repeti a pergunta

- Ele é meu filho e filho de Jeremy. - Pattie respondeu a sorrir, completamente inocente do assunto.

Mas eu sou burra mesmo como foi que eu esqueci? A Lilian já tinha me dito quem ele era no dia da corrida mas com esses problemas e confusões todas acabei esquecendo.

Flashback on

- Sim, chegou ai uns 4 garotos novos mas um deles era o melhor corredor da terra dele.

- Hum... Pode ser o melhor corredor na terra dele, mas aqui sou eu - sorri convencida

- É mas segundo o Maejor, ele é muito bom mesmo. Nunca ninguém ganhou dele.

- Olha aí, já temos uma coisa em comum - ri - espero que ele seja bom mesmo, tô cansada dessa gente daqui.

- Não é a única coisa que tem em comum. O pai dele é um grande traficante como seu tio. Lá na terra dele diziam que ele era o Bizzle das drogas e das putas.

- Sério? - disse espantada - Ele pode ser o Bizzle mas eu sou a Dama. - ri

Flashback off

- Algum problema? - meu tio perguntou

- Não, nada de relevante - respondi dando um sorriso falso pro meu tio. Ele assentiu meio desconfiado.

- Agora to começando a entender tudo - Justin disse, mas parecia que ele queria falar apenas para ele do que para nós.

- Tudo o que? - perguntei

- Depois conversamos - sorriu de lado o que fez eu revirar os olhos

- De onde se conhecem? - Scooter perguntou

- Estudamos no mesmo colégio e na mesma sala - respondi - infelizmente - murmurei para ninguém ouvir a última palavra

- Que coincidência - exclamou meu tio

- Agora que já estão todos aqui vamos jantar? - Pattie perguntou. Todos assentimos. Eu e Justin não tirávamos os olhos um do outro, parecia que estávamos querendo descobrir o que cada um tava pensando.

Nem preciso dizer como foi o jantar né? Nem eu nem Justin trocamos uma palavra, só ficamos nos encarando o tempo todo. Tenho de ser sincera ele estava especialmente gato… deleta essa última frase, apaga.

Não fazia ideia que ele pertencia ao mesmo “mundo’’ que eu, quer dizer saber eu até sabia porque a Lilian tinha me dito mas não me lembrava mesmo, pra mim ele era só um garoto rebelde. Mas afinal somos bem mais parecidos do que eu imaginei, só não sei se isso é bom ou mau.

Acabamos o jantar e fomos para a sala, me sentei num sofá bem longe dele, fiquei só sorrindo e falando coisas atoa pois não estava prestando atenção em nada e posso dizer que o Bieber não estava diferente de mim.

- Me desculpem, mas vou ao banheiro. - falei

- Claro querida - Pattie respondeu - é lá em cima, 2º porta a direita.

- Obrigada - sorri amavelmente e me levantei

Subi a escada e segui as indicações da Pattie. Ia entrar no banheiro quando me puxam pelo braço.

- O que você quer? - perguntei mal vendo que o ser que me puxou era o Justin

- Que história é essa de você ser uma Blake? - ignorou minha pergunta

- O que quer que eu diga? Eu sou uma Blake e com muito orgulho - ele franziu o cenho parecia que estava lembrando ou pensando em algo.

- Hoje a tarde, o sangue que tinha nas mãos…

- Efeitos secundários do ofício - o interrompi

- Aquele homem surrado naquela sala foi obra sua? - falou como se não acreditasse nas próprias palavras, que cada palavra dita fosse uma baboseira

- Como sabe que ele estava surrado? - juntei a sobrancelhas

- Não acreditei no que você disse e mandei um dos meus capangas ir lá ver - deu de ombros e eu revirei os olhos - foi mesmo você?

- Foi - respondi naturalmente. Ele abriu a boca incrédulo

- Quando meu capanga me disse o estado em que o encontrou eu pensei que era coincidência, não quis acreditar que tinha sido você.

- Eu já disse mas vou voltar a repetir, você não me conhece - sorri de lado

- Mas adoraria conhecer - me empurrou para dentro do banheiro, entrando junto e fechou a porta

- Abre isso - mandei

- Não - se aproximou e eu recuei batendo na pia e consequentemente ficando encurralada

- O que você pensa que está fazendo? - perguntei nervosa

- O que nós dois queremos a muito tempo - me puxou e me beijou

Um beijo selvagem, cheio de desejo e luxuria. As mãos dele passeavam por todo o meu corpo parando na minha cintura a apertando forte, suspirei entre o beijo, as minhas mãos estavam na sua nuca. Num movimento preciso as suas mãos desceram para minhas coxas, apertando e depois me deu impulso e eu percebi esse impulso e sentei na pia com ele no meio das minhas pernas.

Separamos nossos lábios, estávamos ambos ofegantes e com as respirações descompensadas. Não sei o que me deu mas nem sequer pensei, lhe tirei a camisa o deixando sem e nossa senhora o que é isso? É a visão dos deuses, não é muito musculoso mas tem os músculos um pouco definido, do jeito que eu gosto. Acho que fiquei babando um pouco porque ouvi ele rir e logo se apoderou do meu pescoço, lhe dando beijos, chupões, lambidas e mordidas, com certeza ia ficar com o pescoço marcado e me inundando de prazer. Eu arranhava a nuca e puxava os cabelos dele e inclinei a cabeça para trás para lhe dar total liberdade para se apoderar daquela área. Uma das suas mãos subiu fazendo meu vestido subir também, ele acariciou e apertou minha cintura descoberta me fazendo esquecer de tudo. Justin foi descendo os beijos que agora já estavam pelo decote, com os dentes ele agarrou um pouco do vestido puxando-o para baixo para ter mais liberdade naquela zona, basicamente meu vestido estava só um pouco enrolado na cintura.

Quando a sua mão que estava na minha coxa ainda subiu um pouco roçando os dedos na minha intimidade tentando passar para baixo daquele pano é que tive um choque de realidade e percebi que aquilo estava ficando fora do meu controle e que já estava indo longe demais. Tinha que o parar agora, antes que não tivesse mais forças para o fazer parar, se é que eu tenho agora.

O tentei empurrar mas ele nem se moveu.

- Jus-tin pa-para por fa-vor - supliquei forçando a voz para sair.

- Shiuu tá gostoso - subiu outra vez os lábios para minha boca num sinal de se calar. Nossas línguas tratavam uma batalha deliciosa que por mim não acabava nunca. Sua língua explorava cada canto da minha boca sem nenhum pudor. Ele me puxou para ele e pôs suas mãos no meu bumbum o segurando enquanto eu entrelaçava minhas pernas ao redor da cintura dele. Ele me levantou da pia e caminhou sem desgrudar os nossos lábios. Senti minhas costas bater contra algo duro, pensei que fosse a porta mas a mesma não era tão fria como se fosse uma parede. Ele me prensou nela tentando com que houvesse mais nenhum espaço entre eu e ele. Chupou meu lábio inferior e depois mordeu, me prensou mais fazendo seu membro, que já estava ereto, bater na minha intimidade.

!Acorda Camila, você não pode se levar pelo desejo’’ - isto foi minha consciência falando comigo… é ela tem razão.

- Para - falei com todas as minhas forças. Ele parou na hora e me olhou confuso - é melhor parar por aqui - forcei um sorriso baixando a cabeça

- Ta de brincadeira comigo né? - abanei a cabeça negando ainda com a cabeça baixa - por quê quer parar? - subi meu olhar e sua expressão era de frustração e confusão. Ok ele não vai me deixar ir enquanto não explicar.

O empurrei um pouco e saltei de seu colo. Me afastei um pouco ficando de costas pra ele tentando ganhar coragem, porra!

- Eu… - me virei pra ele - eu -respirei fundo tentando continuar e aposto que minhas bochechas estavam  mais vermelha que tomate. Ele sorriu mas ainda estava com a expressão um pouco confusa

- Você é virgem? É isso? - perguntou

- É - sussurrei e baixei outra vez meu olhar

Continua...


Notas Finais


X Avisos X

Roupa da Camila - https://scontent.cdninstagram.com/hphotos-xaf1/t51.2885-15/e15/11378209_924856717576956_1468145146_n.jpg

Novo link pro grupo no wpp - https://goo.gl/forms/v67wCru8BwGuKIeu2

Gostou? Compartilha com seus amigos!

Xoxo C.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...