História Criminal Love - Jelena - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Cailin Russo, Chaz Somers, Chris Beadles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Sumpter, Justin Bieber, Ryan Butler, Selena Gomez
Exibições 110
Palavras 1.232
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Luta, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeiro: Oie💜
Segundo: Não me matem, please!
Terceiro: Boa leitura!

Capítulo 22 - 20


Fanfic / Fanfiction Criminal Love - Jelena - Capítulo 22 - 20

Pov's Justin Bieber 

     Horas Antes.

   _ Certeza que vai fazer isso? - Ryan perguntou, pela milésima vez, coisa que irritava-me.

  _ Argh, sim, Ryan. Eu vou fazê-lo. - bufei descendo as escadas, que dava para o porão do meu galpão principal, onde Peter estava. - Ryan, mande preparar um carro e uma corda. - ele assentiu saindo de minhas vistas. Abri a pequena porta do porão, dando de cara com, Peter, que estava todo machucado e coberto de sangue. Sorri maldoso ao encara-lo. O mesmo dormia, até que tranquilamente, se não fosse por sua respiração descompensada. Peguei um balde de água e joguei em Peter, que "afogou-se". Tossiu milhões de vezes, até olhar-me, meu sorriso apenas aumentou. - Olá, Peter. - minha voz saiu rouca e um tanto quanto assustadora. - Já está de banho tomado, agora, vamos dar uma volta. - sorri psicopata. Dois seguranças meus desceram e desamarram Peter, que estava fraco demais para movimentar-se. Os mesmos levaram Peter até o térreo do galpão, comigo atrás.

   _ Jay-B? - Chaz chamou-me, olhei-o. - Aqui a corda e o carro está pronto. - assenti aumentando meu sorriso, pegando a corda

    Talvez o que eu faça agora seja cruel demais, mas, isso é o que ele merece.

      _ Façam o que eu mandei. - digo para os meus seguranças, que assentiram e pegaram a corda de minha mão, amarrando-as nas mãos de Peter, e o outro lado, na porta do carro. Ri nasalado. Destravei o carro, que Peter estava amarrado e entrei, ligando-o. Chris entrou atrás, para conferir que a corda não vai soltar-se. Ryan do meu lado e Chaz atrás.

    Sol escaldante, Peter acabado, tortura perfeita.

   Liguei o carro em uma velocidade mínima, pois Peter irá andar lentamente, duvido que consiga andar rápido.

    Olhava pelo retrovisor divertindo-me, ri nasalado aumentando um pouco a velocidade.

    Demos uma volta, pelo galpão, só paramos quando Peter caiu ajoelhado no chão. 

   _ Amarrem-no. - ordeno, olhando para dois grandes postes que tinha ali, uma ao lado do outro, ambos tinham duas correntes, amarradas. Dois seguranças meus fizeram o que mandei, vendo isso, peguei um de meus melhores chicotes, passando a mão lentamente por ele, observado cada detalhe. Sorri maldoso olhando para frente, onde Peter estava amarrado. Como estava sem camisa, facilitou o meu trabalho. - Sabe, Peter, tem um ditado que diz: "Aqui se faz, se paga", acho que chegou a sua vez, né? - suspirei passando, lentamente, o chicote pelas costas nuas de Peter. Dei a primeira chicotada em Jackson, que gemeu de dor. A segunda, foi mais forte, assim como as restantes. No total, foram 20 chicotadas. Ri maldoso, jogando o chicote longe.

    As costas de Peter, agora, eram marcadas por grandes cortes, lotados de sangue e um tanto roxos.

    _ Á banheira já está pronta? - Ryan assentiu. - Ótimo, leve Peter para a mesma. - assim fizeram, desamarram Peter, que estava quase fechando os olhos, e continha lágrimas em seu rosto.

     Á banheira estava cheia d'agua, mas, com uma pequena surpresa dentro.

   _ Coloquem-no na banheira. - Jogaram Peter na banheira, a única coisa que escutamos foi o grito agudo de Peter, pois o sal entrou em contato com sua pele, machucada.

   _ SEU FILHO DA P-PUTA! - gritou um pouco falho, ri nasalado, indo lentamente até o mesmo, acertando um soco em seu rosto assim que o fiz.

    Ele estava totalmente acabo, mau conseguia manter os olhos abertos, não sei como conseguiu gritar.

   _ Tirem-no daí. - fizeram, destravei minha arma. - Você estava me irritando, já durou demais. - apontei minha arma para sua cabeça. - Últimas palavras? - me olhou debochado.

   _ Nós vemos no inferno. - um tiro certeiro foi disparado, em sua testa quando terminou a frase. O mesmo caiu no chão, suspirei olhando minha camisa cheia de sangue.

    _ Se livrem do corpo. - meus seguranças assentiram, saí dali indo direto pra casa.

   Casa do Bieber. 

     Entrei em casa, procurando por Selena.

   _ Hey.  - chamei a atenção de um de meus seguranças. - Cadê Selena?

    _ Saiu com a Srta. Collins. - assenti indo para o meu escritório.

          Peguei o primeiro saquinho de cocaína, que encontrei pelo escritório. Lambi os lábios, jogando o pó branco pela mesa, logo fazendo três pequenas fileiras com um cartão que tinha em uma de minhas gavetas.

    Aproximei minha cabeça da mesa, inalando a primeira fileira, assim como fiz com as duas  outras.

    Joguei minha cabeça para trás, sentindo a droga fazer efeito.

     Fechei os olhos brevemente, e a imagem de Selena veio por breves segundos em minha mente, ao mesmo tempo que meu coração apertou-se.  

  

    Voltei a minha postura, olhando á porta em minha frente, pensando no que poderia significar isso.

     Suspirei batucando meus dedos, freneticamente, pela mesa.

     Um barulho me fez acordar de meus pensamentos, barulho de carro, desci, mais que depressa, para o andar de baixo, ao mesmo tempo que Hanna entrou na sala. Hanna estava com um olhar triste, e Selena não encontrava-se no local, os olhos de Collins estavam vermelhos e lotados d'agua.

    _ Cadê Selena? - questiono fazendo ela sobresaltar. - Que foi? - fixei meus olhos no dela, que estavam vermelhos.

     _ E-ela... - tentou dizer com voz chorosa.

   _ Onde ela está porra? - perguntei nervoso

    _ Sequestraram ela. - respondeu cabisbaixa, o ódio corria solto por meu corpo, meu sangue estava fervendo, meus olhos encontrava-se com puro ódio, certeza.

_ Por que não ligou? Me avisou? Pediu ajuda? Porra, Hanna. - digo com ódio. 

_ N-não deu. - respondeu cabisbaixa. 

Acertei um soco na parede, com a respiração descompensada, e meu corpo carregado de ódio. 

Seja quem for, irá pegar caro... Muito caro. Eu vou atrás dela, nem que seja a última coisa que eu faça. 

    



Pov's Selena Gomez 

   

    _ Texas? - praticamente grito, fazendo a loira revirar os olhos.

    _ Não grite, e a propósito me chamo Amy. - sorriu, não estava com cabeça para isso. Minha respiração estava descompensada, meu coração a mil, meus olhos encheram-se de lágrimas. Joguei minha cabeça trás, controlando as lágrimas, mordi os lábios contraindo um soluço.

   _ Onde estamos? - refaço a pergunta, dessa vez referindo-me ao local.

   _ Na boate Diamond - respondeu dando de ombros.

   _ Por que? - antes dela responder um cara entrou no quarto, e chamou-me.

   _ Selena Gomez. - sua voz grave, fez todas as meninas calarem-se.

   _ E-eu. - ele me olhou de cima a baixo e fez sinal para que eu o seguisse, assim fiz. Ele agarrou meu braço com toda a força, o me fez soltar um grunhido de dor. Seguimos por um corredor, luxuoso, era dourado, vermelho, preto e variava entre essas cores. Um porta no final do corredor, chamou minha atenção, era de metal, cheia de detalhes, muito chamativa. O cara abriu a porta e me jogou para dentro do lugar, que era um escritório.

   _ Chefe? Aqui está a nova vadia. - o homem de preto, falou e a grande poltrona virou-se, mostrando um cara, que parecia ser velho, mas não tanto, que sorriu.

    Vadia?

    _ Selena Gomez, 19 anos, pai e mãe mortos. - abaixo minha cabeça, ao lembrar desses fatos. - Nada demais...

   _ Por que eu estou aqui? - perguntei, tirando uma risada abafada do mais velho.

    _ Você será mais uma das vadias desse lugar, você foi vendida. - sorriu diabolicamente. - Seja bem vinda, ao inferno. 


Notas Finais


Até o próximo💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...