História Criminal Love - Jelena - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Cailin Russo, Chaz Somers, Chris Beadles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Sumpter, Justin Bieber, Ryan Butler, Selena Gomez
Visualizações 336
Palavras 1.554
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Luta, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey Guys❤

Eu sei que vcs querem me matar!

Capítulo 22 - 22


Um dia a verdade viria a tona, bem, John sabia, sabia que um dia iria reencontrar sua filha. 

_ C-como? - perguntou confusa, até porque, ela acreditava em algo, mas seu mundo "desmoronou", tudo o que ela acreditava sumiu por segundos, até ela voltar a realidade e voltar a ser a garota sarcástica de sempre.  - Olha, John, o meu pai morreu a anos. - disse simplista. - E, bem, por hoje já chega, aconteceu coisas de mais para um único dia... Eu só preciso descansar, e pelo visto, o senhor também. - bocejou cansada, ainda confusa, mas certa de que aquilo era paranóia do mais velho. 

_ Não! - exclamou. - Você é minha filha. Não estou mentindo, apenas você que não quer acreditar na verdade... - Selena o interrompeu.

_ Já chega! - rosnou. - Você não é o meu pai. O senhor está louco. 

_ Argh, deixa-me te contar tudo, desde o começo. - Suspirou. - Eu sou, sim, seu pai. Agora, sem interrupções, sem falatório, só escute, certo? - A morena bufou, mas assentiu contrariada. - A alguns anos atrás... - ela o interrompeu. 

_ Era um vez! - disse sarcástica. 

_ Sem interrupções, lembra? - ela assentiu. - Como eu ia dizendo, a alguns anos atrás, quando você tinha seis anos, eu fui demitido, procurei emprego em todos os lugares possíveis, nunca consegui. - Suspirou lembrando de seu passado.. - Só sua mãe trabalhando, as contas aumentando, você precisando das coisas, entre outras coisas que não vêm ao caso. Mas, não vou enrolar nisso, bem, eu recebi um proposta de emprego, mas esse era perigoso demais para um iniciante. - Ela abriu a boca para perguntar, mas John foi mais rápido. - Antes que pergunte, ela com o tráfico, fui chamado para ser um entregador, o que ganhava bem, mas era à riscado, pois eu não tinha experiência, mas desesperado, aceitei. - parou por um momento e logo deu continuidade. - disse para a sua mãe; que não aceitou muito, mas estávamos desesperados, então apenas concordou. Alguns meses passaram-se, eu fui mudando de cargo, até que cheguei a ser o braço direito de Salvatore. Ele passou a ser o meu melhor amigo, acho que você não lembra dele, você o chama de Tio Toy  pois ele vivia enchendo você de brinquedos. - Riu nasalado..

Tio toy - murmurou abismada, poucas pessoas sabiam isso, poucas. 

_ Bem, você lembra. Depois de uns três  meses que você completou 8 anos, Salvatore morreu com um bala no peito. - Disse irritado. - Eu jurei vingança, como ele não tinha filhos, fiquei com o seu império. O mesmo cara que matou seu "tio" ameaçou você... Eu tinha que fazer alguma coisa, até que me veio uma idéia, forjar a minha morte.  Assim fiz, de madrugada mandei um de meus melhores amigos para a casa de sua mãe, dizendo que eu morri no indo buscar um mercadoria... Foi isso durante anos, depois que consegui matar esse meu inimigo voltei a procurar você e Mandy. - suspirou. 

_ Eu... Eu não sei não. - murmurou com angustia. 

_ Não acredita? Posso te provar mais coisas. - Andou até uma cômoda e de lá tirou uma caixinha azul. Foi até Selena, ficando ao seu lado, da pequena caixa tirou um colar.

o colar de esmerada. 

Selena arregalou os olhos quando o viu, ela lembrava. 

FlashBlack 

Dia do carregamento. 

Anos atrás, casa dos Gomez.

_ Papai? - A pequena morena dos olhos castanhos corria pela casa a procura de seu pai.

_ Fala, pequena? - O mais velho sorriu ao ver sua menina de apenas oito anos, tão animada. 

Mesmo que fosse o último dia que ele a veria, ele sorriu. 

_ Olha, papai. - Entregou um colar para ele. - Mamãe disse que amanhã o senhor terá uma viagem, mas amanhã eu vou estar na escola, então quero que você fique com o meu colar. Para sempre lembrar de mim! - John deixou uma lágrima cair, mas rapidamente a limpou e sorriu abertamente. 

_ Oh pequena, venha cá.  - puxou a mesma para o seu colo. - Obrigado, Sel, papai nunca vai esquecer de você, nunca. - Garantiu selando sua testa.

_ Te amo, papai. - Disse abraçando o mais velho. 

_ Eu também, pequena, eu também. - sussurou e deixou algumas lágrimas caírem.

FlashBlack Off 


_ Eu passei anos de minha vida acreditando em um mentira?! Anos precisando do senhor, anos pensando que o senhor havia morrido, anos de choro... - Disparou a mais nova sentido um nó se formar em sua garganta. - Argh, o senhor não sabe o que aconteceu! Nada! - rosnou. 

_ O quer dizer com isso? - perguntou confuso. 

_ ... - A única coisa que restou ali foi o silêncio sufocante, Selena segurava as lágrimas a qualquer custo. - Esse não é o momento para falar isso, estou confusa, acabei de descobrir que meu pai está vivo, fui vendida, Argh. - Suspirou. - Preciso descansar. 

Ele assentiu. - Descanse, tem roupas no closet, amanhã conversaremos. - Selena apenas assentiu, essa foi a deixa para ele sair do quarto. Ela, ainda meio atordoada, tirou seus saltos e deixou no canto do quarto, entrou no closet pegando um pijama e peças íntimas. Entrou no banheiro ligando a banheira, despiu-se e entrou na mesma, logo após desliga-la. 

Lágrimas caíram, sem que a mesma percebesse, ela chorou, não de tristeza, muito menos de felicidade. 

Chorou para aliviar a angústia que estava sentindo naquele momento, chorou o que queria chorar o dia todo. Estava confusa, com razões. Perdeu a mãe, entrou em uma pré-depressão, foi vendida, revendida e agora descobriu que seu pai está vivo. 

Tombou a cabeça para o lado vendo seus pensamentos voarem para Justin. - Como ele está? - pensou deixando um sorriso bobo escapar, mas logo o desfez quando percebeu que talvez não o veria mais. 

Enrolou-se em uma toalha e vestiu suas vestes; tirou a pouca maquiagem que restava em seu rosto e prendeu os cabelos, respirando fundo, com os pensamentos a mil. Sua mente ainda tentava "digerir" o que aconteceu nos últimos dias, nas últimas horas. 

Estralou a língua no seu da boca e voltou para a cama, pegando um lençol e cobriu-se, logo após desligar as luzes. 

Virou de um lado para o outro, tentava dormir, mas sua mente não deixava. Então levantou-se e foi até a sacada de seu novo quarto, sentou-se em uma das cadeiras dali e encarou o céu estrelado. 

Sorriu tombando a cabeça para trás, inalando o cheiro de rosas que inundavam o local.  

Continuou olhando as estrelas e contou a música Goodnight my angel do Billy Joel. 

Cantarolava baixinho enquanto deixava seus pensamentos voarem para sua mãe. Uma verdadeira guerreira. 

O sono começou a lhe pegar; bocejou voltando para a cama. 

Logo adormeceu. 


- Na manhã seguinte. - 

A morena acordou com o sol penetrando em seus olhos, bufou praguejando-se mentalmente por ter esquecido de fechar a janela.

Levantou e foi ao banheiro, fez suas higienes pessoais e logo depois saiu do quarto. 

Acabou achando o que queria, a cozinha, entrou dando de cara um uma mulher eu não passava dos 25 anos. 

_ Er.. Olá. - sorriu simpática cumprimentando a mulher. 

_ Oh, olá. Você deve ser Senhorita Gomez. - a morena assentiu.

_ Não me chama de senhorita; por favor... - pediu risonha, a cacheada assentiu e sorriu. 

_ Okay, creio que está com fome, certo?! -  questionou arqueando uma sobrancelha.

_ Oh sim, estou. - Disse suspirando. 

_ Irei trazer algo, só um momento. - a morena assentiu sorrindo. 

Ela parece ser legal. - pensou e lembrou que não perguntou o nome da cacheada. Riu consigo mesma, e brincou com os dedos até a outra morena chegar. - Como é seu nome mesmo? - perguntou um pouco sem graça. 

_ Helena. - disse e sorriu. 

_ Ah, sim. - sorriu e comeu as coisas que a cacheada havia trazido. 

_ Senhorita Gomez? - Uma outra mulher com roupas sócias entrou na cozinha. - Senhor Gomez está chamando-te no escritório. 

_ Ah, okay. - respondeu pegando os utensílios que usou e foi para colocar na pia, mas Helena não deixou e pegou as coisas de sua mão.

_ Vá. - Selena assentiu e sorriu em forma de agradecimento.

_ Como é seu nome? - Selena questionou a mulher seria ao lado.  

_ Paola Hernadez. - respondeu simples, a outra morena assentiu, Paola bateu na porta do escritório e escutaram um "Entre como respota".

_ Deixe-nos a sós, Srta. Hernadez. - a mesma assentiu e se retirou. - Sente-se. - Apontou para uma cadeira a sua frente. Assim ela fez. - Sabe, Selena, alguém terá que assumir meu império. - Olhou sugestivo para a morena, que negou com a cabeça. - Ah sim, mas vou deixar você pensar, também, terá que treinar, por isso quero lhe apresentar alguém.  - Suspirou. - Venha. - Levantaram-se e seguiram para os fundos da casa, onde tinha uma espécie de galpão de treinamento. Entraram no local, cheio de armas e obstáculos de treino. Andaram um pouco e viram uma morena lutando com um cara 2 vezes maior que ela, mas isso não a impediu de o derrubar no chão.

_ Uou. - murmurou Selena surpresa.

_ Sr. Gomez. - cumprimentou tirando as luvas, o mais velho sorriu e olhou Selena. 

_ Está é Demétria Devonne Lovato, sua nova treinadora. 


Notas Finais


Vamos às explicações, né.

Eu estava acabando uma fanfic, aí eu resolvi terminar-la e depois focar em CL, assim fiz, por isso demorei. Mas voltei e não vou demorar tanto como das últimas vezes.

Perceberam que sou ótimas em explicações, né.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...