História Criminal Minds - O Despertar da Cerejeira - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Criminal Minds, Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Karin, Naruto Uzumaki, Orochimaru, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Ação, Amor, Criminal Minds, Drama, Fbi, Naruto, Proibido, Romance, Suspence
Visualizações 101
Palavras 2.623
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Policial, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu estou pegando casos reais e modificando pequenas coisas, como intervalos de tempo, vitimologia, mas é pouca coisa que eu modifico, ou seja, esse casos são cruelmente reais. Preciso até de chocolate depois de ler tantas coisas cruéis.
Mas eu espero que gostem <3

Capítulo 2 - O Primeiro Caso


Fanfic / Fanfiction Criminal Minds - O Despertar da Cerejeira - Capítulo 2 - O Primeiro Caso

“Todas as mudanças, mesmo aquelas pelas quais ansiamos, têm sua melancolia. O que deixamos para trás é uma parte de nós mesmos. Precisamos morrer em uma vida antes de entrarmos em outra. ”

  Anatole France

Quântico, Virginia – 10:00

 A equipe estudava o caso dentro do pequeno jato particular. Sakura estudava cada membro da equipe.

 Naruto se sentou com a Hinata, Kakashi com o Sasuke e o Sai, e ela ficou em um banco mais afastado, o suficiente para ver e ouvir a esquipe enquanto estudavam o caso. Apesar de ter lugar para Sakura tanto com Naruto quanto com Sasuke ninguém pareceu receptivo para que ela se sentasse com eles, coisa que era frustrante.

  - A primeira vítima foi Ambrose Griffin de 51 anos. Griffin estava ajudando sua esposa a trazer as compras para a casa quando foi baleado e morto. – A voz de Sasuke preencheu o ambiente. – Doze dias depois ele atacou um vizinho depois de pedir um cigarro.

 - Aqui diz que duas semanas depois, ele invadiu uma casa, roubou-lhe, em seguida, urinou dentro de uma gaveta contendo roupa infantil e defecou na cama em um quarto de criança. Foi flagrado e atacado pelos proprietários, mas conseguiu fugir. – A voz de Sai soou com repulsa evidente.

 - Cara, isso foi nojento – Naruto pontuou.

 - Aqui diz que ele só atacou casas destrancadas, me pergunto o porquê disso... – Hinata disse curiosa enquanto analisava sua cópia dos arquivos volumosos.

 - Ele acredita que uma porta trancada é um sinal de que ele não é desejado, no entanto uma porta destrancada é um convite para entrar. – Sakura disse decidida, mesmo sabendo que sua opinião não seria bem-vinda.

 - Boa observação, Haruno. Talvez você não seja só um rostinho bonito, afinal. – Sasuke concordou a contragosto.

 - Então acha que eu tenho um rostinho bonito? – A rosada perguntou sarcástica enquanto segurava o riso. Kakashi pigarreou chamando a atenção para si.

 - Mais 12 Dias depois Teresa Wallin, grávida e sozinha em casa, estava levando o lixo para fora quando ele entrou pela porta da frente. Usando a mesma arma que ele usou para matar Griffin, ele atirou três vezes em Teresa, matando-a. Ele estuprou o cadáver enquanto apunhalava-o várias vezes com uma faca de açougueiro. Removeu múltiplos órgãos e cortou um dos mamilos. Antes de sair, ele coletou fezes de cachorro do quintal e enfiou-o na boca da vítima e em sua garganta.

 Sasuke notou que Sakura se contraiu quando ele citou a faca, mas nem piscou ao ouvir o restante do caso, enquanto todos os outros estavam chocados demais, abismados demais. Mesmo depois de anos naquele trabalho, ele nunca deixa de ser chocante. Porém, o fato dela ter se contraído com a faca, mesmo que minimamente o chamou a atenção;

 - Como ele passou de um simples assassino para isso? – Hinata soava chocada.

 - Ainda não acabou. – Disse Sai cansado.

 - Sai tem razão, se não pararmos logo esse psicopata a coisa vai ficar muito pior. – Sasuke completou.

 - Ele parece estar seguindo um padrão de 12 dias, o ultimo assassinato ocorreu a doze horas atrás, mas se as coisas continuarem nesse ritmo eu temo que tenhamos menos de 1 semana. – Sakura murmurou baixo, porém firme.

Santa Clara, Califórnia – 14:00

A equipe foi dividida, Sakura e Naruto até a cena do crime do assassinato de Teresa, Sasuke e Kakashi até a cena do Griffin enquanto o Sai e a Hinata foram na central.

 

Casa de Teresa Wallin

 

 - Então... – Naruto começou a dizer, mas se interrompeu.

 - Então? – Sakura perguntou enquanto colocava as luvas e a proteção nos sapatos para não corromper as evidencias.

 - Por que quis entrar pra UAC?

 - Eu estava cansada de pegar casos quando já era tarde demais para resolver, eu queria evitar que eles chegassem até as mesas de pessoas como eu. – O loiro a olhou intrigado. – Olha todo esse sangue.

 - Que sangue?

 - Exatamente! Ele atirou nela três vezes e ainda tirou os órgãos e o mamilo, era para ter uma poça de sangue gigantesca aqui.

 - A menos que ela tenha drenado o sangue dela, mas o que ele fez com ele? – A compreensão atingiu o rosto dos dois no mesmo instante e pronunciaram juntos a próxima frase.

 - Ele bebeu! – Eles teriam rido se não fosse nojento.

 20 minutos depois eles já tinham saído da cena de crime e estavam em um dos carros fornecidos pelo FBI, um Suburban preto padrão, iriam se encontrar com os outros na central.

 - Você disse que queria evitar que esses casos chegassem na mesa de gente como você quando fosse tarde demais, mas só pegamos os casos quando ocorro homicídio, então o que você disse não faz muito sentido.

 - A maioria do caso que pegamos é depois que pessoas morrem, é verdade. Mas nós podemos pegar esses psicopatas e intervir antes que eles saiam de controle, antes que a coisa fique feia demais. Muitas vezes quando casos assim chegam na mesa de detetives de homicídio já é tarde mais, já virou uma carnificina e muito deles não tem a capacidade de lidar com isso.

 - Você já foi uma detetive de homicídios? – O louro perguntou curioso.

 - Não. – Ela disse decisiva, deixando claro que não responderia mais do que isso.

 

Quintal de Griffin

 

 - E essa tal de Sakura? – Kakashi perguntou sem rodeios

 - Eu não sei, o que você acha que ela quer? Não é segredo que Orochimaru me quer fora e ele nunca passou por cima de mim em nenhuma contratação.  – Sasuke soou pensativo.

 - Eu sei, mas a mulher ainda não fez nada para que a gente a tratasse com tanta hostilidade, Sasuke. – O platinado deu de ombro enquanto analisava a rua.

 - Hostilidade? – Confusão cruzou seu rosto.

 - Fala sério! Somos em cinco, mais a Yamanaka que fica no escritório e mesmo assim, ninguém disse uma dúzia de palavras com ela. Sem contar que praticamente a obrigamos a se sentar reclusa de todos no jatinho. Sua equipe é leal a você e enquanto você ser hostil com ela, eles serão.

 - Você se inclui nisso, Hatake?

 - Com certeza! – Ele apontou para um ponto na rua – Veja, eu sou o descon e estou parado ali, o que me faz sacar uma arma e atirar em você?

 - Eu sou um alvo fácil? Estou sozinho pegando compras no carro enquanto minha esposa as arruma no armário, está escuro e não tem ninguém ao redor além de mim.

 - Certo, mas por que agora? O que me faz tão desesperado a ponto de cometer um assassinato tão desleixado? Afinal eu deixei uma testemunha, sua esposa e não me certifiquei se havia câmeras ao redor. Eu simplesmente atirei.

 - Você estava desesperado, algo aconteceu e você não pode esperar mais.

 

Central

 

 - Detetive, eu sou a Agente Hyuuga e esse é o Agente Sai, muito prazer! – Ela o cumprimentou serena. – Tem uma sala para nós?

 - Sim, ela já está pronta. São só vocês dois?

 - Não, o restante da equipe já está nas cenas de crime e virão mais tarde. Esse descon está começando a perder o controle e o tempo é precioso demais.

 Enquanto Sai fazia a triangulação do mapa e Hinata tentava acalmar a impressa, o restante da equipe chegou e se encontraram na sala. Logo que a linha do tempo estava preenchida eles começaram a trabalhar no perfil, o que não foi muito difícil, já que o descon era desleixado demais.

 - Sakura, – Sasuke soou rígido – eu gostaria que você apresentasse o perfil para os policiais.

 - Claro, senhor. – Ela disse já se retirando da sala, mas ainda conseguiu ouvir de fundo os questionamentos dos colegas, afinal, a equipe sempre apresentava o perfil juntos.

 

 Já de frente com todos da delegacia, e os integrantes do FBI no fundo da sala a observando, Sakura começou a apresentar o perfil com calma e elegância, ela não daria a eles o gosto de vê-la falhar.

 - O descon é um homem branco na faixa dos 30 anos, os transtornos mentais dele provavelmente se intensificaram durante sua adolescência. Ele tornou-se um usuário de drogas e apresentou sintomas de pensamentos delirantes. O descon até conseguiu manter uma pequena vida social, no entanto, suas relações com as mulheres não duravam muito, isso foi por causa de seu comportamento bizarro e porque ser impotente. É provável que ele tenha procurado por vontade própria ajuda psiquiátrica, porém o médico não foi capaz de ajudá-lo, mas observou que seus problemas eram resultado de seus transtornos mentais graves.

 - Ele sofria de episódios paranoicos constantes e, muitas vezes foi parar na sala de emergência do hospital em busca de ajuda. Sua lista de doenças incluía denúncias de que alguém tinha roubado sua artéria pulmonar, que seu estômago estava para trás e que seu coração parou de bater.

 - Isso é bem especifico – um policial a interrompeu – deve ser fácil encontrar alguém que alega isso.

 - Não exatamente, existem muitas pessoas que vão até os hospitais alegando tais sintomas, é mais comum do que se pensa. – Disse orgulhosa de si mesmo, afinal podia sentir o olhar de sua equipe em si, então continuou o perfil.

 - Ele acreditou que havia encontrado a cura para os seus sintomas ao tomar o sangue e comer os órgãos de pequenos animais como gatos e coelhos, mas se ele tentou injetar o sangue de coelho na própria veia acabou envenenando a si próprio e teve que procurar ajuda médica. Então procurem por casos assim.

 - Em algum momento ele decidiu que não animais não eram mais o suficiente, e foi aí que ele decidiu atacar humanos, e essa compulsão só vai piorar.

Santa Clara, Califórnia – 21:00

 A equipe estava sentada na mesa estudando os casos que os psiquiatras lhe enviaram que se encaixava no perfil.

 - Não é possível que exista tudo isso de gente só aqui na Califórnia – Naruto disse indignado com metade do rosto coberto por uma pilha de papeis. – Tem que ter um jeito de diminuir isso. – Ele disse enquanto pegava o celular e ligava para a analista técnica, Ino Yamanaka.

 - Fala bebê, me diga qual das tuas deliciosas fantasias eu posso realizar esta noite – A voz melodiosa preencheu o cômodo enquanto Naruto ria.

 - Você está no viva voz, meu amor!

 - Adoro um ménage!

 - Foco Yamanaka – Sasuke disse impaciente.

 - Desculpa, senhor! De que precisam?

 - Além de um bom banho e descanso? – Naruto começou, mas ao notar o olhar de Sasuke ele se interrompeu – Preciso que procure homens brancos na faixa dos 30 anos, ele passou pela psiquiatria algumas vezes, mas foi liberado. Provavelmente foi diagnosticado com Esquizofrenia e ele costumava matar animais de pequeno porte para usar o sangue e os órgãos e si mesmo.

 - Seu desejo é uma ordem, mas depois vai ter que me dar um coelhinho de pelúcia gigante. – Ela pareceu pensar melhor se lembrando do caso – Pensando bem, só um chocolate serve. Eu ligo quando tiver algo.

Santa Clara, Califórnia – Dia Seguinte – 14:00

 A equipe havia passado o dia interrogando suspeitos após liberar o perfil para a mídia, mas até aquele momento não havia dado em nada.

 - Senhor, o Descon atacou de novo – Hinata disse ao entrar na pequena sala improvisada.

 - Sakura, Naruto e eu vamos para a cena do crime, o restante fica aqui e termina de interrogar os suspeitos.

 

Cena do crime

 

Tinha policiais por toda a parte, o detetive lhes contava o que aconteceu enquanto ia mostrando a cena do crime.

 - Os corpos de Evelyn Miroth (38 anos), seu filho Jason (6 anos), e seu amigo Dan Meredith, foram encontrados mortos no interior da casa de Evelyn. O sobrinho David (22 meses) desaparecido. A cena do crime foi horrível. O corpo de Dan Meredith foi encontrado no corredor, ele foi morto com um tiro direto na cabeça. Evelyn e Jason foram encontrados no quarto de Evelyn. Jason tinha sido baleado duas vezes na cabeça.

 - Que horror – Sakura soltou sem pensar se questionando porque ela se prezava a esse papel, porque trabalhava com isso?

 - Ainda não acabou – O detetive continuou – O legista disse que o corpo de Evelyn foi violado e sodomizado com uma faca. Seu estômago foi cortado e vários órgãos foram removidos. Sua garganta foi cortada e houve uma tentativa fracassada de remover um de seus globos oculares.

 - E tudo isso aconteceu hoje de madrugada? – Sasuke questionou e o detetive concordou com a cabeça. – Há sangue de mais nesse berço, eu duvido muito que David esteja vivo.

 - Mas veja – Sakura disse enquanto estudava o berço e ao redor dele – Tem impressões das mãos dele na grade do berço e dos pés por todo o quarto. Ou ele é muito desleixado ou acha que não vamos encontrar nada no sistema. O tamanho do sapato provavelmente é 44.

 O Telefone de Sasuke tocou.

 - Uchiha, a Yamanaka encontrou algo. Ela tem três possíveis suspeitos. – A voz de Hinata soou do outro lado.

 - Diga para ela bater com aquele que calça 44 e me manda o endereço por mensagem, a gente se encontra lá.

 O celular apitou.

 - O nome do suspeito é Richard Trenton, vamos encontrar o restante da equipe lá.

 

Casa de Richard Trenton

 

 Hinata, Kakashi e Sai chegaram primeiro. Kakashi bateu na porta com fervor.

 - Richard Trenton, FBI, abra a porta!

 Sem nenhuma respostas ele a chutou e arrombou.

 - Exibido – Sai murmurou enquanto Hinata ria. Logo eles foram checar a casa.

 - Limpo! – Kakashi disse da cozinha

 - Limpo! – Sai disse do Quarto

- Limpo! – Foi a vez da Hinata no banheiro e logo em seguida foi vasculhar o quintal deixando os rapazes com o restante da casa.

 O moreno estava no quintal, abaixado pegando algo.

 - Parado, FBI! – Hinata gritou enquanto apontava a arma para ele.

 Ele se virou e a encarou de cima a baixo, ela estava bem próxima dele, talvez uns 5 passos de distância apenas.

 - Você é uma moça bonita – Ele mostrou um sorriso amarelo.

 - Mãos para cima, Trenton!

 - Claro, eu só preciso pegar algo. – Richard disse enquanto tateava atrás dele, em busca de uma arma. Hinata já ouvia os passos de sua equipe atrás dela. Não podia correr o risco de que ele pegasse a arma, então atirou na perna dele e o mesmo caiu desesperado de dor.

 Ela se virou com a mãos tremendo e encarou Sakura bem atrás de si, a rosada a tocou o ombro da morena e a abraçou. Sakura sabia que atirar em alguém nunca era fácil, principalmente para alguém como a Hinata, que Sakura conhecia muito bem.

 - Richard Trenton, você está preso pelo assassinato de.... – Hinata já não escutava mais Naruto dando voz de prisão para Trenton, ela estava concentrada demais nos longos fios róseos que preenchiam sua viam e exalavam cheiro de baunilha. A quanto anos ela não via Sakura?

 - Eu encontrei o corpo de David, estava mutilado. – Sakura disse contra o ouvido da morena.

Em algum lugar no céu – 17:00

 A equipe inteira dormia enquanto Sakura encarava o céu pela janela, ela sentiu a poltrona ao seu lado afundar. Não precisou virar o rosto para perceber que era Sasuke.

 - Você já conhecia a Agente Hyuuga. – Não foi uma pergunta

 - Sim.

 - Por que não disse nada?

 - Ela não disse, imaginei que tivesse um motivo. – Sakura deu de ombros enquanto Sasuke suspirava.

 - Naruto gostou de você...

 - Suponho que o Agente Uzumaki goste de todo mundo. – Disse sarcástica e quando se virou para o moreno ele sorria.

 

“Contos de fadas não dizem às crianças que dragões existem. As crianças já sabem que dragões existem. Contos de fadas dizem às crianças que dragões podem ser mortos. ”

G. K. Chesterton


Notas Finais


Me digam o que acham, eu amo quando você opinam <3
To pensando em fazer um trailer, se souberem de alguem que faz trailer e\ou capas me digam ;)
Então Hinata e Sakura se conhecem, conseguem adivinhar de onde e porque fingiram que não se conheciam?
Alais, o que vocês acham de apelidos? Como por exemplo Hina ou Saky?
Gostariam que eu colocasse os links dos casos reais?
XoXo Sammy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...