História Criminal Possession - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Selena Gomez
Tags Drama, Estrupo, Romance, Tortura, Violencia
Exibições 91
Palavras 742
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - No forced smile


Fanfic / Fanfiction Criminal Possession - Capítulo 9 - No forced smile

Como aquele homem bonito da qual me fez me apaixonar pode ser uma pessoa que não tem sentimentos? Qual era a graça? Rir do meu sofrimento pra ele se tornava excitante?

Segurei as lágrimas para não chorar. Ele sorriu malicioso pra mim, passando suas mãos pelas minhas coxas.

—Faça tudo que eu mandar, assim eu irei confiar em você. — Ele sussurrava no meu ouvido. Tirei suas mãos de minhas coxas, ele me encarou de uma forma sombria. —  Se arrume. Meus avós irão chegar em 30 minutos.

Justin me entregou uma peça de roupa, peguei vendo que era uma calça jeans rasgada e uma camisa branca. Ele me olhou frio, olhei no fundo dos olhos castanhos dele. Onde foi parar o Justin daquela madrugada? O Justin encantador e gentil. Pensei.

—No que tanto olha? — Ele falou interrompendo meus pensamentos. Suspirei ainda o observando.

—Não é nada, eu vou...eu vou me arrumar. — Levantei da cama depressa, fui no banheiro que havia no porão, olhei em volta e ele estava limpo. Respirei fundo, alguém havia limpado. Tomei um banho quente e demorado. Enrolei uma toalha que havia ali. Quando abri a porta vi Justin sentado na cama. Ele estava me esperando? Fechei a porta rapidamente e me troquei no banheiro mesmo.

—Não acha que temos intimidade o bastante pra andar se trocando no banheiro? — Ouvi ele falando do porão, quando terminei de me trocar eu fui até ele.

—Eu não gosto... — Falei envergonhada.

—Anda. — Ele pegou a minha mão, me levou até aquela sala enorme e me jogou no sofá. Me ajeitei e fiquei lá sentada, com os olhos cheios de lágrimas.

—Lembra do que combinamos. — Ele revirou os olhos. — Para com isso. — Ele havia percebido que meus olhos estavam cheios de lágrimas. Ouvi o barulho da campainha, Justin foi até a porta, abriu e os avós dele entraram. Eles estavam falando algo que eu não conseguia ouvir, a avó dele sentou ao meu lado me olhando.

—E você é? — A avó dele tinha um sorriso lindo, sorri forçado me afastando um pouco.

—Eu me cham... — Justin me interrompeu.

—Elizabeth, a minha namorada.

—Como a sua namorada é encantadora... Por que não nos falou sobre ela? — O Avô dele sorriu com alguns papéis na mão.

—Começamos a namorar ontem. — Como o Justin pode ser tão falso, eu levantei sorrindo forçada e ele pegou a minha mão. Mais eu queria poder soltar, mais ele apertava com força não tinha como soltar.

[...]

Quando os avós dele foram para o terraço, ele me levou pra cozinha, fiquei toda sem graça quando ele me encostou na parede e ficou de frente a mim.

—Não é tão difícil fingir. — Sussurrava, me deixando arrepiada. Ele beijou meu pescoço e foi em direção a minha boca. Olhei nos seus olhos ainda sem graça. Ele me beijou de língua, correspondi ainda sem graça. Ele passava as mãos pela minha cintura e descia um pouco mais pra baixo, apertando a minha bunda.

—Cheguei numa hora errada.— A avó de Justin apareceu, fiquei vermelha. Justin mordeu o lábio me olhando e depois se afastando.

—Ah me desc-culpe.. — Olhei para Justin que havia pegado minha mão.

—Ah tudo bem docinho eu irei preparar a torta favorita do meu neto, quer me ajudar? — Ela falou com uma forma carinhosa, balancei a cabeça numa forma de "sim, claro que irei ajudar"

O Justin soltou a minha mão, antes dele sair ele me deu um selinho. Com certeza era pra fingir mesmo. Ou será que ele queria mesmo?

—Que tipo de pessoa que você gosta? — Ela perguntou me dando alguns ingredientes, coloquei em cima do galpão.

—Das que ficam sempre do nosso lado, aconteça o que acontecer. — Sorri.

—Oh querida. Er... Agora o Justin quer ficar com você, o resto eu preparo tudo sozinha. — Ela sorriu e eu sai dali sorrindo. Juro que não era mais aquele sorriso forçado.

Subi as escadas, entrei em um quarto enorme. Nas paredes do quarto tinham nomes que eu não intendia quando olhei na janela vi Justin de costas.

—O que vê tanto Elizabeth? — Ele me perguntou. Como que ele sabia que eu tava ali? Vi ele se virando e se aproximando mais perto de mim com a mão na cabeça.

—O que aconteceu com você?

—Estou com dor de cabeça. Por que se importa comigo? — Ele pegou em meu queixo. Olhei pra ele, pensei na pergunta. Resolvi ser sincera.

—Eu tenho mania de me importar com quem não se importa comigo.


Notas Finais


Elizabeth sendo sincera haha. Contínuo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...