História Criminals - Imagine Kim Taehyung - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), SHINee
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, KiBum "Key" Kim, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Comedia, Criminal, Drama, Imagine, Kim Taehyung, Kpop, Violencia
Visualizações 161
Palavras 2.415
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello sz cheguei! u.u
Tudo baum, gente linda? Espero que sim <3
Hoje eu tô feliz. Tô feliz porque vou postar cap novo kkk eu caprichei muito nesse capítulo e espero que vocês gostem.

⚠AVISO!!!⚠ eu fiz uma merda nessa história, mas acho que ela ficou bem melhor de se ler. Eu passei todos os capítulos do presente pro passado. Me desculpem. Eu já tinha feito isso a muito tempo e fiquei com preguiça de passar tudo pro presente de novo. Eu espero que isso não atrapalhe a leitura e o raciocínio de vocês.

Agora vão ler minha história lixosa e me desculpem se encontrarem algum erro 🌚

Boa Leitura! ♡

Capítulo 15 - Everything will end well


Fanfic / Fanfiction Criminals - Imagine Kim Taehyung - Capítulo 15 - Everything will end well

POV: Jungkook

Fui para o apartamento de Taehyung fuzilando a raiva. Sei que deveria manter a calma, mas na minha situação era praticamente impossível não ficar com raiva. Parei meu carro à frente do prédio e saí do mesmo, batendo a porta com força. Entrei na propriedade e me dirigi ao elevador, subindo até o último andar. Eu sou aquele tipo de cara que faz as coisas depois de pensar bastante sobre elas, mas naquele momento eu estava tendo um bloqueio mental por conta do nervosismo e impaciência, então não sabia exatamente o que ia fazer, só sabia que estava ali para fazer alguma coisa. Foi aí que saí do elevador e fui em direção ao apartamento de Taehyung. Ao lado da porta possuía um aparelho onde havia números para ser feita uma senha na qual a porta só destravava com a mesma. Taehyung já havia me dado a senha da porta e então comecei a digitar, clicando em quatro botões dos dez que continham ali. Em menos de segundos a porta se abriu, fazendo um barulhinho curto e grave. Entrei no apartamento e fechei a porta, com meus olhos voltados ao local, e tudo que encontrei foi um espaço vazio. Na sala não havia ninguém. Ouvi uma voz feminina vinda do quarto de Taehyung, uma voz bem diferente que não estava acostumado a ouvir. Ela se parecia muito com a voz de… Soo-Yang? Eu podia jurar que que estava ouvindo a voz da mesma, mas não estava certo. E depois de ouvir essa voz outra vez, minha incerteza se confirmou. Soo-Yang estava mesmo no apartamento. A única coisa que passei a me perguntar naquele momento foi o que estava acontecendo ali.

Fui até a porta do quatro e a abri cautelosamente, encontrando apenas Taehyung e Soo-Yang no local. O maior olhou diretamente para mim após notar minha presença ali e arqueou as sobrancelhas. Soo-Yang também olhou para mim, mas logo em seguida voltou a olhar para Taehyung.

— O que faz aqui? — O mesmo perguntou.

— Onde está a… — Parei de falar, pois imaginei que Taehyung já havia entendido a quem me referia.

— Quem? — Soo-Yang me olhou, desconfiada. Apenas a ignorei e olhei para Taehyung.

— Soo, que tal conversarmos lá na sala?

— De quem ele está falando, Taehyung?

— Eu te explico lá na sala, vamos! — Taehyung foi em direção a menor e se dirigiu até a porta, parando do meu lado.

— Vai no banheiro. — Ele sussurrou sutilmente e foi até a sala. Soo-Yang o seguiu, então fechei a porta e caminhei em direção a porta do banheiro, a encontrando trancada. Bati duas vezes na mesma e esperei uma resposta, ouvindo, em seguida, uma voz masculina vinda de dentro do lugar.

— Quem é?

Era a voz de Hoseok.

— Jungkook. — Respondi simplista. Segundos depois a porta se abriu, revelando Hoseok e Song-Yi, que se encontrava sentada no chão, visivelmente entediada. Entrei lá dentro e tranquei a porta, passando a encarar os dois.

— Vocês estão aqui a muito tempo? — Questionei-os, falando em um tom baixo.

— Não muito. — Hoseok respondeu no mesmo tom que o meu.

— Estamos sim! — Song-Yi tomou sua vez de responder. — Nós estamos aqui a mais de meia hora. — A mesma suspirou.

— Soo-Yang irá dormir aqui. — Comentou Hoseok, me fazendo arregalar os olhos.

— O que?

— Taehyung estava discutindo com ela no quarto. Ela disse que queria mais atenção, então deu a ideia de dormir aqui. Taehyung, para não deixar ela chateada, resolveu a deixar passar a noite com ele, só para não levar a discussão deles além. — Explicou o maior.

— Mas e Song-Yi? O que Taehyung vai fazer com ela?

— Aparentemente, ele vai pedir para alguém levar ela para outro lugar.

— Eu sabia que em algum momento algo iria acontecer para estragar tudo. — Cruzei os braços e me encostei à parede. — Não estou mais fazendo parte do trabalho, mas como sei que Taehyung precisa de mim, eu levo ela para minha casa. — Olhei para a menor por um instante, vendo a mesma me encarar imediatamente, e depois desviei o olhar.

— Boa ideia. — Refletiu Hoseok. — Mas… como vamos tirar Song- Yi daqui?

Olhei para ele pensativo e não demorou muito para uma boa ideia surgir em minha mente.

— Tive uma ideia. — Sorri satisfeito.

— Qual?

Contei-lhe minha ideia rapidamente, vendo que ele a aprovou. Então começamos a colocá-la em prática.

POV: Taehyung

Fui com Soo-Yang até a sala de estar e parei no meio do local.

— Taehyung, de quem o Jungkook estava falando? — A menor parou em minha frente, cruzando os braços.

— De ninguém, Soo! Pare de ser irritante. — Revirei os olhos.

— Sabe, Taehyung, nosso relacionamento está uma droga! Você pode me explicar o por que de ser tão egoísta comigo?

— Eu já te falei que estou ocupado de mais ultimamente. Não estou tendo tempo para namorar.

— Mas, Tae, você não me liga mais, e nem atende minhas ligações. Que tipo de trabalho é esse que está tirando você de mim? — A mesma me olhou de um jeito tristonho, que chegou a ser um incomodo olhar para ela.

— O trabalho que eu estou fazendo agora exige todo o meu foco e atenção. Se a polícia me pagar trabalhando nisso, eu estou ferrado. Por isso não estou tendo tempo para nada. — Expliquei.

— Eu sei, amor, eu sei como você é uma pessoa ocupada — Soo-Yang se aproximou de mim e começou e ajeitar minha roupa, colocando seus braços em volta do meu pescoço. —, mas eu quero pelo menos um pouquinho de atenção.

— Entendi. Eu vou te dar a atenção que você quer hoje . — Sorri malicioso, porém com receio. — Mas é só hoje, amanhã você vai ter que ir embora bem cedo.

— Aish… — Ela me olhou com desgosto. — Por que? Sua outra namorada vai vir te visitar bem cedo amanhã?

— Ah, vai começar? — Revirei os olhos outra vez. — Que outra namorada, Soo-Yang? Eu só tenho você.

— Fala a verdade, Taehyung, você está dormindo com outra, não é?

Essa desconfiança estava começando e me incomodar.

— Mas é claro que não. — Disse nervoso.

— Está sim, Taehyung! Eu te conheço. Sei que você odeia dormir sem ter alguém do seu lado.

— Soo-Yang, para de falar asneiras. Eu já disse que não estou dormindo com ninguém.

— Não acredito em você. — A menor continuou desconfiada. — Você é safado de mais para o meu gosto. É óbvio que existe outra mulher na sua vida.

Respirei fundo e olhei para ela com um olhar raivoso, e na mesma hora, a porta do meu quarto se abriu. Vi Jungkook saindo de lá e vindo até mim e Soo-Yang.

— Ah, Jungkook, é com você mesmo que eu quero conversar. — A mesma o encarou, fazendo o maior a olhar estranhamente.

— O que é? — Respondeu.

— Taehyung está me traindo com outra mulher?

Jungkook me olhou, então vi que se dependesse da resposta dele, eu estaria ferrado.

— Taehyung está bem na sua frente. Pergunte para ele. — Senti uma frieza em suas palavras.

— Mas eu já perguntei. Ele disse que não, mas eu não acredito nele.

— Bom, eu não posso fazer nada. — Jungkook me puxou para um canto da sala e cochichou em meu ouvido. — Vai na onda.

— O que vocês vão fazer? — Perguntou Soo-Yang.

— Soo, vem aqui rapidinho. — Jungkook a chamou, fazendo ela vir até nós.

— O que foi?

Soo-Yang ficou na frente de Jungkook, de costas para a porta da sala, e quando menos esperei, vi a cabecinha de Hoseok saindo do meu quarto.

— Já pensou em se casar com Taehyung? — Jungkook perguntou a ela. Imediatamente, olhei para ele sem expressão facial.

— O que? — Indaguei.

— Se casar? — A menor pareceu surpresa.

— Sim. Vocês deveriam tentar, combinam um com o outro.

Quase me faltou ar ao ouvir isso.

— Bom, se o Tae dedicasse seu tempo apenas para mim, e não para outras mulheres, eu me casaria com ele sim. — Ela me olhou com provocação.

— Meu Deus! Você cismou com isso. — Bufei.

— Não é cisma, Taehyung, é intuição. Eu sei quando um homem quer sair de um relacionamento.

— Aish…

Jungkook olhou para a porta e viu que ela estava apenas encostada. Me desfoquei daquela conversa desagradável e percebi que só havia nós três no apartamento. Aquilo me aliviou por um momento.

— Bom, eu vou deixar vocês à sós agora. Volto depois. — Disse Jungkook, dando as costas.

— Está bem. — Respondeu Soo.

— Tchau. — Acenei e dei um sorriso de canto. Jungkook saiu do local e restou apenas eu e Soo-Yang

"Que tédio", pensei.

— Bom, já que você vai dormir aqui, então vamos dormir logo. — Saí da frente de Soo-Yang e me dirigi até a porta do quarto, mas antes que eu pudesse entrar lá dentro, Soo me puxou pelo braço.

— Como assim "vamos dormir logo."? Eu vim aqui à noite justamente para curtir ela com você. Se fosse para dormir eu ficaria em casa.

— O.k., mas eu estou cansado. Se quiser curtir a noite, curte ela aí. Eu vou dormir. — Tirei indelicadamente sua mão do meu braço e comecei a dar passos lentos para frente.

— Não dê as costas para mim, eu ainda não terminei de falar com você. — A menor começou a falar em um tom alto e autoritário, então parei de caminhar, mas continuei de costas para ela.— Quero saber quem é essa garota que você esteve dormindo nos últimos dias. Eu sei que você está apaixonado por outra mulher porque você não era assim. Era totalmente diferente. Sempre olhava nos meus olhos enquanto eu falava com você, mas agora, parece que eu sou invisível…

Após ouvir isso, não ouvi mais nada, só vários "blá blá blá". Revirei os olhos entediado e soltei um suspiro áspero. Então, sem medir primeiramente minhas atitudes, me virei e a puxei pela cintura, beijando-a fogosamente. Uma coisa boa foi que consegui fazê-la calar a boca, mas a parte ruim foi que aquele sentimento louco que eu tinha todas as vezes que beijava Soo-Yang desapareceu completamente. Gostaria de saber o motivo, e acho que sabia, mas não estava certo.

Depois de um instante, parei de beijá-la, então ela me olhou com um olhar estonteantemente apaixonado. Senti meu coração pesar naquele momento. Ela sorriu.

— Estava com saudades disso. — A mesma comentou.

— É… eu também. — Disse, pressionando os lábios e caminhando até minha cama para me preparar para dormir.

POV: Song-Yi

Hoseok me levou para o estacionamento e me colocou dentro de um carro vulgo ser o carro de Jungkook. Antes de sair do apartamento, coloquei uma peruca e uma máscara preta que cobria apenas a metade do meu rosto. Depois de cinco minutos, vi Jungkook adentrando no carro. Hoseok apenas se despediu e foi embora, então o maior começou a dirigir. Durante o percurso, tudo que podia se ouvir era o barulho do trânsito à fora. Eu e Jungkook não falamos nada, e isso foi realmente desconfortável. Via que o carro ia parando ao se aproximar de uma casa de dois pisos que se localizava em uma vizinhança calma e tranquila. Jungkook apertou um simples botão de um pequeno controle remoto que estava dentro do porta-luvas e o portão da garagem dessa casa se abriu. O mesmo entrou com seu carro na garagem o estacionou lá dentro. Logo o portão da garagem se fechou, então Jungkook e eu saímos do carro e eu o segui. Havia uma porta no canto do lugar onde dava acesso ao restante da casa. Entramos por essa porta e fomos parar em sua sala. Aparentemente, a casa de Jungkook não era tão chique quanto o apartamento de Taehyung, mas era organizada e bem grande também. Me desfoquei da casa quando bati o olho em sua estante de livros. Para algumas pessoas, uma estante de livros pode significar algo rústico, mas para mim, os livros representam uma verdadeira forma de se aventurar sem sair do lugar. Gostaria de dar uma olhada nesses livros, mas sabia que era falta de educação mexer nas coisas dos outros sem permissão, e sabia também que mesmo se eu pedisse, não poderia mexer naqueles livros. De repente, ouvi alguns latidos, e quando voltei a olhar para o local, vi Jungkook com uma cadelinha no colo.

— Mel! — Ele sorriu para ela, e isso me deixou confusa.

Fechei meus olhos por um momento e quando os abri, não vi mais a pessoa dura e fria que estava costumada ver; vi um rapaz diferente, com um sorriso docilmente puro e verdadeiro. Ele brincava com aquela cadelinha, e isso meu comoveu. Costumava me comover sempre que via algum ato de carinho como esse. E quando Jungkook olhou para mim, ele veio até mim, ainda com a cadela no colo e com aquele sorriso esboçado nos lábios.

— Olha, Mel! Esta é Kim Song-Yi. A moça das fotos. — Jungkook disse para a cadela, e a fez olhar para mim. Passei a não entender mais nada, mas achei Mel uma gracinha. Jungkook estendeu ela em minha direção e a mesma começou a me cheirar. Ela lambeu meu rosto e latiu em seguida. Fiquei impressionada como Jungkook cuidava dela mais do que qualquer coisa. Havia um laço vermelho no alto de sua cabeça que combinava muito bem com sua roupa branca e vermelha com morangos estampados. Ela estava realmente meiga.

Jungkook me lançou um olhar. Um olhar muito revelador. Eu o encarei e passei a deixar de sentir medo. Como alguém pode não sentir medo estando diante de um criminoso? Eu não sei, mas não estava sentindo isso. De uns tempos para cá, as coisas ficaram estranhas. Tudo estava ficando mais perigoso, inclusive o plano que Taehyung resolveu colocar em prática. Ainda estava achando que algo poderia dar errado. Meu pai era um homem muito esperto quando se tratava de dinheiro. Mas mudando de assunto, Jungkook continuava me olhando, no entanto eu não estava sentindo nenhum tipo de pressentimento negativo. Tudo que eu sentia era calma, pois naquele estava escrito "Tudo irá terminar bem". Seu olhar era realmente confortante.


Notas Finais


Gente, não tenho nada a declarar kkk só sei que:
Jungkook é bem espertinho 🌚
E Taehyung tá ferrado com essa namorada chata dele 🌞

E aí, gostaram do capítulo? Minha escrita deu uma pequena evoluída nós últimos tempos ^_^
Não esqueçam de deixar um comentário pra Omma ficar feliz 😊 Amo vocês Xuxus. Até o próximo capítulo.

Kisses ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...